rodrigo tas

joana de deus

joana era menina de deus,
ia pra igreja todo domingo.
um dia joana conheceu rodrigo,
um moleque qualquer.
ela dizia que era o amor de sua vida,
rodrigo só queria saber de rapariga.
um dia ele disse que pra ficar com ele
primeiro tinha que testar na cama.
joana, menina de deus, achou um absurdo,
mas estava apaixonada, o que podia fazer?
marcaram um dia pra tal transa.
joana ficou assustada, tinha dezesseis anos,
não entendia de nada, a família não conversava.
o tal dia chegou. beijo aqui e ali,
ela tava perdida, ele queria foder.
ela disse pra ele usar proteção,
ele garantiu que era melhor sem:
“não pega nada não”
joana deu e se arrependeu.
rodrigou deu um pé na bunda dela
“não quero menina bobinha que nem você,
eu só queria te comer”
passa mês.
joana descobre que embuchou.
a coitada já chorava por ter dado,
agora só não morria seca porque bebia água.
cadê rodrigo? ta no bar atrás de rapariga.
joana conta pra mãe:
“vagabunda, quem mandou dar?
na hora de fazer tava bom, né?
vai pedir ajuda pra quem te comeu”
joana procura rodrigo, 
o safado diz que não quer assumir,
que a culpa não foi dele.
joana volta pra casa, o pai já sabe:
“lugar de puta é na rua”
dona marta acolhe joana
“pobre menina”
joana é conhecida na quebrada como vadia.
chora todo dia.
uma amiga diz que é melhor abortar
“eu conheço um açougueiro”
joana aceita a ideia,
não tem dinheiro nem pra comer,
imagina pra criar filho.
vai no açougueiro, tira a roupa,
dor
sangue
alguma coisa deu errado
ele diz que vai buscar ajuda
mas não volta
hora da morte 11:53
causa: hemorragia
“pobre menina, se tivesse o apoio da família”
a mãe pergunta a deus o que fez pra merecer isso
o pai se sente tão culpado que nem consegue dormir
rodrigo suspira feliz por não ter filho
todos lamentam a morte da menina
joana de puta virou santa

“pobre coitada, deu azar”