robstenloves

I was tagged by kstewqueen

(thanks) 
Rule 1: Always post the rules.
Rule 2: Answer the questions the person who tagged you has written and write 11 new ones.
Rule 3: Tag 11 new people and link them to your post.
Rule 4: Let them know you’ve tagged them.

  1.  
  2. Favorite movies? Welcome To The Rileys, On The Road, Speak, The Yellow Handkerchief, Twilight Saga….
  3. Your favorite tumblr? omfg I do not like to answer that question, but … look at my blogroll ;)
  4. Favorite band now? Sex Pistols
  5. Favorite book? The Book Thief, On The Road, Braking Dawn 
  6. What you will do when you meet your idol? My God, I think I’ll die lçkadçlkdçslk
  7. Favorite food? Food Japanese / Chinese, pizza and chocolate
  8. Celebrity crush? Kristen Stewart, Robert Pattinson, Anne Hathaway, Lily Collins,  Amanda Seyfried…
  9. Favorite song? Where I Come From,  Want U Back, Stairway To Heaven
  10. Favorite Character? idk
  11. pc or mac? PC
  12. Day or Night? Night

    My questions:

  13. How long has your tumblr?
  14. How many tumblrs you follow?
  15. What are your favorite tumblr?
  16. What is your favorite song?
  17. What is the food you like best?
  18. What is your favorite band?
  19. What are your favorite movies?
  20. Favorite celebrities?
  21. All Star or Vans?
  22. Twitter or Tumblr?
OITAVO CAPÍTULO

Robert então disse:

- Kristen, que tal repassarmos uma cena do script, eu fiquei um pouco confuso quando reli. Queria sua ajuda. 

- Claro Robert. Qual cena? - não, não era claro. Caralho, esse cara era muito trouxa, ela ali, dando mole para ele, e ele querendo repassar uma cena de script? Vai a merda, pensava. Ficou braba, mas não podia expressar.

- A do primeiro beijo deles - Rob disse, era agora, porra. Kristen olhou para ele. Seus olhos brilhavam, era agora, porra.

- Vamos, mas isso acontece na cama dela. Vamos fazer no sofá? - Kristen, na verdade, já tinha uma intenção.

- Ah, podemos fazer na minha cama se quiser, é de casal. - Robert se levantou e Kristen seguiu-o

Ela se posicionou na cama, sentada. Ele estava de pé, encostado na parede. Estavam prontos para interpretar Edward e Bella. Aos poucos, Robert foi se aproximando de Kristen, e aos poucos beijava-a. Não era beijo técnico. Era beijo de verdade, e ambos não queriam parar.  Mas alguém tinha que parar, e foi Kristen. 

- Robert…. - ele parou a poucos centímetros de seu rosto - não quero que pense que sou ma vadia louca nem nada, realmente quero fazer isso, mas terá de prometer que ninguém saberá disso. NINGUÉM.

- Se for para tê-la só para mim, por uma noite. Nem minha mãe saberá. - ela riu - Quer uma cerveja para relaxar? 

- Sim, por favor.

Robert levantou-se e foi até a cozinha. Kristen levantou-se também, mas Robert não percebeu. Quando voltava para o quarto, encontrou ela sentada no sofá, triste. Se aproximou, e Kristen falou:

- Eu pareço uma vadia não é mesmo? Você vai pensar coisas erradas de mim, não posso permitir uma coisa dessas. Eu tenho namorado - enquanto dizia aquilo, uma lágrima caiu de seu olho. 

Robert parou, colocou as cervejas na bancada próxima ao sofá, se sentou ao lado de Kristen e disse:

- Se não quiser fazer isso, eu entendo. Mas se realmente quiser fazer pode ter certeza que ninguém saberá  Seremos amantes, até que tudo se resolva. - aquela palavra suava bem, amantes. Kristen nem precisou responder, se aproximou dele e começou a beijá-lo.

Eram amantes nessa noite. 

Kristen se inclinou sobre Robert. Sentiu-lhe o hálito doce quando prendeu os lábios dele entre os seus. Robert puxou-a contra seu peito. Ela estava literalmente montando nele. Mas não no sofá, não era um local adequado. 

Segurou-a pelas pernas, enquanto levá-la de volta ao quarto. Aquele caminho até o quarto parecia ser mais demorado, pois se encostavam na parede se beijando. Kristen fez questão de tirar a camiseta de Robert. Como ela o excitava, mas era essa noite, era hoje que iria possuía, mostrar o que seu membro poderia fazer dentro dela. 

Na chegada, colocou-a na cama. Dessa vez, quando ela estufou os seios em sua direção, ele deslizou a mão sob a fina regata e acariciou aquela pele macia e quente. Sua barriga era plana. Ansioso por conhecer o que faltava, tirou-lhe a camiseta. Seu sutiã era preto, e ele percorreu as bordas da peça com as pontas dos dedos antes de sentir as rígidas pontas dos mamilos sobre a peça macia. Kristen começou a mover seus dedos pelas costas de Robert, percorrendo os seus músculos até chegar ao fim. Na hora retirou-lhe a calça jeans e jogou-a. Ele fazia o mesmo com suas calças. Estavam apenas com suas roupas íntimas. 

Robert descolava seus dedos até as costas de Kristen, afim de retirar seu sutiã, mas Kristen interrompeu-o:

- Deixa que eu mesmo faço isso, vocês, homens têm alguns problemas com sutiãs.

Eles riram. Robert deixou escapar:

- É por isso que eu adoro você - ela sorriu, jogando o sutiã longe. 

Robert queria beijá-la outra vez na boca, mas estava excitado demais para conseguir ser delicado e suave. Sendo assim, tocou-lhes os seios com os dedos enquanto descia. Quando chegou à tira elástica de sua calcinha, deslizou-a pelas pernas longas e finas de Kristen. 

Kristen sentiu que algo estourava em sua cabeça quando sentiu aquele cheiro no ar, estava perigosamente perto do orgasmo. Ela envolveu os quadris dele com as penas e ele grunhiu ao sentir o calor perto de seu membro. Usou o que restava de forças, para erguer a cabeça e olhá-la no rosto, dando beijos suaves.

- Por favor, não pare - sussurrou ela. - Quero sentir você dentro de mim. 

Ele mergulhou em seu corpo. Deixou escapar um gemido. 

Ambos pensavam “PARAÍSO”.

ESCRITO POR ANA - ROBSTENLOVES

SEGUNDO CAPÍTULO

Robert sabia que o que sentia por aquela garota de lábios doces, não fora apenas amizade, com certeza era algo a mais. A cada beijo, toque, acaricia, ele sentia emoções diferentes.  A cada cena, monitorava-a em câmera-lenta, só para aproveitar cada segundo com aquela mulher extraordinária.

Após o termino do teste, Robert se dirigiu para sala de espera. Fora 4 horas de espera. Catterine entrou na sala calmamente. Porém Robert não conseguia tirar seus olhos azuis cor-de-mar da pequena mulher ao lado de Catterine.

- Robert, querido, preste atenção! - Catterine dizia, chamando sua atenção

Robert prestou atenção imediatamente, mas com dificuldade. Palavras sairão como gaguejos de seus lábios, incrivelmente alinhados:

- Si…qua…desculpe - gaguejou Robert - Desculpe Catterine, há muitas distrações nessa sala - um  sorriso se alagou em seu doce rosto  angelical

Kristen sorria como uma criança que acabará de ver um palhaço.

- Então Sr. Pattinson, darei uma notícia boa e outra ruim - disse Catterine sem hesitar - Qual quer ouvir primeiro?

- Ruim! - afirmou

- O senhor é britânico, não mesmo? - perguntou afirmativamente

- Sim, sou! - afirmou de imediato

- Entendi. No início os produtores não queriam um britânico para interpretar o Edward Cullen… – um sorriso angelical apareceu em seu rosto, mas Rob estava de cabeça baixa, como se já soubesse a resposta.

- Mas a noticia boa é que… - disse Catterine com pequeno hesito 

VOCÊ ESCALADO PARA O ELENCO DE CREPÚSCULO! -Terminou a loura com um sorriso sublime no rosto. 

- P-O-R-R-A!- gritou Robert e Kristen riu

Catterine arregalou os olhos castanhos

- Cuidado com as palavras - disse com hesito

Robert tampou a boca, com rapidez.

- Me desculpe! - Rob disse com vergonha - Muito obrigada Catterine, muito obrigada mesmo! - disse Rob.

Catterine assentiu com um sorriso.

Kristen, com sua doçura e educação abraçou-o. Rob não poderia estar mais feliz.

Ele voltou para seu hotel barato. Estava tão contente que se pudesse, explodiria fogos de artifícios de si próprio.

No dia seguinte, Rob levantou tão rápido de sua cama, que percebeu que dormiu com a mesma roupa do dia anterior. Depois de perceber o pequeno estrago que sua felicidade causou a ele, tomou um banho e tomou seu café matinal do hotel barato.

Mais um dia começará para o jovem Rob. As 13h40min da tarde, ele teria um almoço particular com Catterine e sua hipnotizadora Kristen.

Rob passou o dia inteiro, pensando nos beijos e no cheiro, doce e sutil da pequena hipnotizadora. Seus beijos eram doces e salientes, quentes e selvagens ao mesmo tempo. A pequena garota de olhos verdes fez Rob ter sessões estranhas, porém bem conhecidos por Rob. Ela o excitava.

Chegou a hora que Rob tanto esperava. Pegou um táxi e fora direto para o restaurante onde tudo teria sido marcado. Ao chegar, Rob viu os mesmos carros da audição. E deduziu que o Chevrolet Malibu era de Catterine e o Mini Cooper cinza-grafite de Kristen.

Ao entrar no restaurante, as duas o cumprimentaram. Rob se sentou ao lado das duas. Ao pedir, cada um seu prato, Catterine, pegou um envelope em sua bolsa, o que obviamente seria o contrato e toda a papelada que Rob precisaria. O envelope era cor do sol fosco, e não tinha nenhum amasso. Cautelosamente o colocou em cima da mesa, e o deslizou com as pontas do dedo até as mãos estendidas de Rob em cima da mesa.  Kristen observava cada movimento e ao mesmo tempo sem tirar os olhos do rosto que estaria de perfil e bem alinhado ao de Robert.

Catterine, com calma disse:

- As gravações começam daqui duas semanas - afirmou séria - Terá que tirar medidas de roupas e sapatos. Kristen e um professor te ajudaram com o seu sotaque.

Kristen via que Robert estaria nervoso. Levou sua mão delicadamente até os ombros de Rob e o acariciou. Um sorriso abriu em seu rosto para Robert. Ele devolveu o sorriso.

SÉTIMO CAPÍTULO

A verdade era que não estava sendo fácil para Kristen também. Solteira ou namorando, ter Robert, um deus, em sua frente fazia pensá-la em coisas erradas. E não podia demonstrar isso, tinha que parecer tonta, como se não quisesse nada. Na verdade queria sim, estaria pouco se fodendo para Michel, ele teria brigado com ela, por um motivo bobo e a relação já estava desgastada. Pensava em terminar com ele quando voltasse para LA. Tá, talvez conversar seria melhor. A realidade era que não se importava se algo acontecesse entre ela e Robert. Afinal, seria apenas um dia e ninguém saberia.

Os dois estavam em um silêncio, quando Robert disse:

- Temos uma bagunça para organizar - apontando para a cozinha - e ainda gostaria de refazer uma cena do script.

- Claro, mas, eu tenho um problema - agora, era ela que estava hipnotizada

- QUAL? - Robert estava preocupado

- É que sou viciada em canais de cozinha, e eles ensinam que, depois de fazer qualquer coisas, você deve limpar a sua cozinha. Desculpa mesmo, sou louca, mas não consigo deixar minha cozinha assim, e não deixarei a sua - depois que falou aquilo, se sentiu envergonhada e ao mesmo tempo aliviada

Robert riu. Ela também.

- Meu Deus, porque você não entrou na minha vida antes? 

Robert tinha percebido o erro que tivera cometido, que merda. Era mesmo um idiota. Tinha estragado tudo. Falar aquele tipo de coisas era a mesma coisa que dizer: “Oi, acabei de te conhecer, sou hipnotizado por você e acho que você e eu poderíamos ir para cama hoje. Que tal?”

Kristen riu. Robert realmente esperava que ela tivesse levado na brincadeira.

O tempo na cozinha passou rápido. Kristen era realmente muito boa. Não que ele não soubesse disso, dariam um belo casal. Se perguntava que tipo de mulher gostava de cozinha e o melhor disso, de limpá-la. A maioria das mulheres que conhecera odiava estragar suas unhas, e nada de fazer comida juntos, tinha que ir a um restaurante, e quem sabe, a cama depois.

Quando terminaram, ambos foram para a sala, e sentaram no sofá. Robert fez questão de quebrar o silêncio.

- Você toca algum instrumento? - disse num tom curioso

- Ah, não ria ok? Eu estou aprendendo a tocar trompete. HÁ! É legal de tocar. E você? 

- Eu toco piano e violão. Posso tocar pra você? - aquele tom de voz tinha uma mistura de ansiedade com vergonha

Parecia que naquele momento, a luz estava a favor de Kristen, e ela parecia mais linda do que já era, em uma regata branca, onde Robert podia ver seu sutiã preto e com uma calça shinny e um all star. Queria poder tocá-la e retirar aquele sutiã, mas teve que se conter. Só mais um pouco, pensava.

- Que pergunta, claro.

Robert levantou do sofá, foi até seu quarto e pegou seu violão e voltou. Kristen automaticamente percebeu o que ele tocava. Meu deus, como amava aquela música. 

- Robert, a pessoa que namora você realmente é muito sortuda - Na verdade, aquilo que tinha dito teria um motivo, queria se certificar que Robert era realmente solteiro. 

Robert parou de tocar, colocou o seu violão de lado, e passou as mãos pela cabeça.

“-Ah Kristen, queria que você fosse essa pessoa. Aceita?” - Robert pensou, e reformulou sua resposta:

- Ah Kristen, eu não tenho ninguém. Parece que não sou bom pra ninguém, acho que vou morrer sozinho - e fez um biquinho com a boca.

Kristen se aproximou, ficando bem próxima de Robert, e disse:

- Nossa, será que eu coloquei bebida alcoolica naquele Chilli? Pode por favor, calar essa boca? 

Ele riu. Era a verdade. Não tinha ninguém. Todos os seus relacionamentos não duravam mais que uma cama ou um ano. O último, alguns meses atrás, namorou uma modelo, mas ela era magra demais para ele. Gostava de bundas e inteligência em mulheres, e aquela definitivamente não tinha nenhum dos dois. “Just a good ass and inteligent.” JUST. JUST. Só aquilo. E será que Kristen se encaixava em seus requisitos? Bom, uma boa bunda ela já tinha e parecia ser inteligente.

Robert percebeu que aquele era o momento. O que teria evitado desde que ela chegou, e não iria deixar passar agora. Não mesmo.

ESCRITO POR ANA - ROBSTENLOVES 

TERCEIRO CAPÍTULO.

Eles terminaram de almoçar, e continuaram a conversar sem se importar com o tempo. Até o momento em que Kristen disse:

- Bom, hã, terei que ir. Marquei de encontrar meu pai para jogar golfe - disse, se levantando da mesa.

- AH, Kristen. Vá sim.. Eu e Robert iremos ficar aqui conversando, quero dar umas dicas para ele - Catterine agiu de um jeito protetor, ou algo parecido.

Catterine se levantou e deu um abraço em Kristen. 

Agora era a vez de Robert. Ele não sabia se apertava a mão delicada de Kristen ou se dava um beijo de despedida. Considerou o fato de mal se conhecerem, então, levantou e deu um aperto de mão.

- Será muito bom trabalhar com você. Até logo. - depois ficou se  perguntando porque diabos tinha dito aquilo. Era coisa mais idiota que alguém poderia dizer.

Kristen se despediu de ambos, e saiu andando pela porta da frente. 

Ela hipnotizava Robert. Ele não conseguia tirar o olho da bunda de Kristen, do corpo de Kristen, dos seios de Kristen, do rosto de Kristen, cada detalhe de seu corpo de seu resto foi hipnotizado por Rob enquanto ela parecia desfilar em direção ao seu Mini Cooper. 

Catterine logo notou, e disse:

- Bom Robert, agora somos só eu e você. E preciso ter uma conversa séria com você - disse num tom superior

“Uma conversa séria?” “FUDEU” - Pensava Robert

- Conheço Kristen e a sua família a muitos anos. Ela foi a primeira pessoa que passou pela minha cabeça para interpretar a Bella. E quando falei sobre isso com ela… Ela topou na hora! Nunca tive medo em relação a Kristen, pelo contrário, sempre confiei nela. Mas, eu tinha medo de quem iria interpretar Edward Cullen. 

Robert não fazia ideia a que ponto Catterine queria chegar.

- O que você precisa saber é que, ela só tem dezessete anos e tem namorado. E eu o conheço também. Então, em hipótese alguma, se apaixone por ela. Ou vai se ver comigo. Estamos entendidos?

Robert percebeu o tom autoritário que a loura falava, e apenas acenou com a cabeça.

Catterine fez questão de pagar conta, era a hora de se despediram. Do restaurante Robert partiria para Londres.

Quando chegou na  sua cidade natal,  cansado, a única coisa que desejava - que não fosse Kristen - era sua cama. Tom estava esperando-o no sagão do aeroporto, e feliz da vida, abraçou e parabenizou Rob. Tom forçou Robert a ir comemorar seu mais novo papel no pub que sempre iam sábado à noite.

- Robert, eu te falei cara! Você é um ótimo ator, irmão, eu sabia que ia conseguir esse papel. Ninguém é melhor que Robert Pattinson para interpretar Edward Cullen - aquela frase suou tão bem

- Pois é irmão. Brigada por ter pago tudo e ter me incentivado a ir, sem você, concerteza não iria. Mas algo aconteceu nessa viagem - disse Robert, num tom misterioso.

-  O QUE? - disse Tom, curioso.

- Bom, a mulher que vai interpretar a Bella Swan. Eu não sei explicar cara… Você vai me achar louco.

- Somos irmãos, sou louco que nem você - disse, tentando amenizar as palavras ditas por Rob

- Ela me hipnotiza. Ela me excita. Ela mexe comigo. Eu nunca vi ela na vida, mas parece que sei lá, como se tivesse encontrado a mulher da minha vida, sabe? Eu nunca me senti tão atraído por uma mulher desse jeito.

- É o poder das mulheres americanas - disse Tom rindo.

- Deve ser.. Ela tem namorado e a Catterina disse que era pra eu não me apaixonar pela Kristen, na hora fiquei sem reação nenhuma 

- Vamos beber, cara! - disse Tom, acenando para o garçom - Quem sabe vocês não tem algo no futuro ou quem sabe você não se contenta com uma mulher britânica mesmo. 

Aquelas palavras ditas por Tom confortaram Robert. Quem sabe. Quem sabe ela não terminava com o tal namorado. Quem sabe ela também não sentiria a mesma coisa. Quem sabe. Kristen Stewart seria algo novo em sua vida, e ele já suspeitava disso. Ele já não se interessava pelas mulheres britânicas, só tinha olhos e pensamentos por Kristen. 

No dia seguinte, Robert foi acordado com a seguinte mensagem em seu Iphone:

“Kristen está indo para Londres hoje, vai te ajudar com o texto e a pré-produção. Espero que seu apartamento esteja habitável, porque é aí que ela vai ficar. Pegue ela no aeroporto ao meio dia. Beijos e lembre-se do que eu falei, Catterine.”

E ele simplesmente abriu um sorriso, e voltou a dormir.

ESCRITO POR ANA - ROBSTENLOVES

PRIMEIRO CAPÍTULO.

Robert Thomas Pattinson estava desempregado. Tinha feito alguns bicos, como se diz, em alguns filmes. O mais importante foi Harry Potter. O problema era que, depois do filme, a fama descia pelo ralo e a grana apertava. Estava precisando de dinheiro e não fazia ideia de como ia conseguir um papel em algum filme. Não era o tipo de homem que se interessava pelo dinheiro que seus personagens o proporcionavam, por mais que necessita-se dele. Buscava em um script algo que o encantasse, que fizesse ele realmente querer ser aquele personagem.

Robert estava indo tomar seu café matinal no Starbucks, se preparando para fechar seu apartamento, quando o telefone tocou. Era  seu amigo Tom, e eufórico dizia:

- Rob, sabe aquele script que te mandei semana passada?

- Sei sim, mas nem li, estou com milhões de scripts na minha caixa de e-mail - disse sem dar importância.

- Então leia, e depois me ligue. Você vai gostar de saber da notícia. - e desligou o telefone, deixando Robert na linha.

Robert não estava entendendo nada. Nunca tinha visto Tom tão eufórico no telefone como agora. Estava em duvida se deixava isso de lado, e ia tomar seu café. Ou se deixava o café de lado, e ia ver o motivo pelo qual Tom o deixou curioso. Escolheu a segunda opção, e fez muito bem em escolhe-la.

Abriu sua caixa de e-mail e foi direto para o último e-mail enviado por Tom. Assunto: Script de Twilight. No primeiro momento, Robert hesitou em abrir o e-mail pensando que fosse mais uma das palhaçadas de Tom. Mas havia algo naquele e-mail, que iria mudar a vida dele, e mesmo sem saber disso, resolveu abrir e lê-lo.

Quando  terminou de ler, disse:

- C-A-R-A-M-B-A.

Essa era a única palavra que conseguia pronunciar. Caramba. Era um script novo, diferente de todos que já tinha recebido. Sentia uma mistura de euforia, ansiedade e desejo. No mesmo instante, pegou o telefone e ligou para Tom.

- Tom, você não me disse que tinha um script tão bom assim na minha caixa de e-mail - disse feliz

- Rob, o melhor está por vir. Eles querem você como papel principal, para interpretar o Edward.

- Sério, cara!? Meu deus, eles me querem. CARAMBA - dizia feliz

- Sim, só tem um problema. Você terá que viajar até Los Angeles e terá 50 concorrentes para o  mesmo papel.

- Ah, sério? Será que vale a pena ir? Tipo, eu não sou um ator famoso nem nada, atuei em poucos filmes e deve existir atores melhores que eu para interpretar oEdward Cullen.

- Rob. Nós já conversamos sobre isso. Você atuou em Harry Potter. Você é um ótimo ator, pare de achar que não. E sim, acho que vale a pena você ir fazer esse teste. Aliás, como presente estou te pagando a passagem e a estadia. Você embarca hoje à noite e sua audição é amanhã de manhã. E não aceito devolução de passagem.

- Ah, Tom! Não precisava irmão! Muito obrigada.

- Não agradeça. Você tem a tarde toda para arrumar a mala. Te espero no aeroporto as 18 hrs.

- Ok. Até lá! - e desligou o telefone com um sorriso que ia de norte a sul

Depois dessa notícia maravilhosa. Resolveu ir tomar seu café matinal. Na volta, começou a arrumar a mala, pensando em como seria em Los Angeles. E fazendo várias perguntas para si mesmo: “Será que eles já sabem quem interpretará a Bella?”, “Será que eu vou conseguir esse papel?”, “Será que valerá a pena?”. Ligou para seus pais, Richard and Clare, para comunicá-los sobre a viagem. Seus pais ficaram muito felizes, e desejaram uma ótima estadia e audição. Quando fechou a mala, foi tomar um banho e ansioso do jeito que estava resolveu ir para o aeroporto mesmo assim, com duas horas de antecedência.

Chegando ao aeroporto e ligou para Tom:

- Tom, sabe como é, estou ansioso, será que meu irmão não gostaria de vir antes e me fazer companhia?

-  Claro, porque não? Estou saindo do trabalho, te ligo quando chegar.

Após algumas horas de conversas e alguns drinks, estava na hora de Robert embarcar, eles se despediram e Robert foi para a fila de embarque.

Horas depois, Robert estava em pleno solo americano, partindo para um hotel barato em Los Angeles. Mal poderia esperar pelo dia seguinte. O dia de sua audição, o dia de interpretar o vampiro Edward Cullen.

Acordou cedo no dia seguinte, tomou um banho, se arrumou, tomou o café do hotel no quarto e pontualmente as oito horas da manhã, partiu para a rua George Bush, número 34. O lugar da audição. Chegando no local, se deparou com uma fila enorme. Pensou em dar meia volta e voltar para a Inglaterra. Robert era o tipo de pessoa que odeia filas, e odiava esperar nelas. Foi quando um homem perguntou para ele:

- Seu nome, por favor?

- Robert Thomas Pattinson. - disse, tentando não parecer nervoso.

- Ah, que bom. Você é o primeiro da lista. Pode entrar. Catterine está esperando por você. Ela vai dar as instruções do que será feito.

- Ah, graças a deus. Obrigada. - disse feliz.

Quando entrou, deparou-se com uma mulher já com uma certa idade, loira, magra, de cabelos lisos e na altura do ombro. Mas não foi ela quem fixou sua atenção. Era a mulher que estava ao seu lado. Essa, era baixinha, menor que a loira, olhos verdes, cabelos castanhos um pouco abaixo do ombro e sorria. Robert pensou consigo mesmo “Deve ser a diretora e sua ajudante.”. A loira, então falou:

- Querido, seu nome é Robert Pattinson certo? Graças a deus você chegou. Eu e a Kristen ainda temos milhares de atores para fazer a audição, então vamos rápido. Deixe eu aprensentar, Kristen Stewart, vai interpretar Bella Swan e você, quem sabe, Edward Cullen.

Robert percebeu que aquela mulher iria interpretar a Bella Swan.

- Prazer. - disse Kristen.

Havia algo naquela mulher que não tirava os olhos de Robert, como se o hipnotizasse. Ela não fazia o tipo gostosa, não era virada em peito ou bunda, mas era linda. Uma beleza natural, e Robert apostava todas as fichas que não tinha sequer alguma cirurgia plástica.

- Vamos logo queridos. Robert você leu o script né? Então quero que vocês façam a cena do primeiro beijo, e para isso, precisamos de uma cama, e cá está ela. - disse apontando para a cama com lençol branco em cima.

Eles se possucionaram em seus lugares e interpretaram Edward e Bella. Repetiram várias vezes e Robert não conseguia tirar os olhos da mulher que acabava de conhecer, ela era linda, o tipo de mulher que não se quer apenas sexo ou para uma única noite.