rh o

KÖZSZOLG / HÁLP

Aki tud, kérem segítsen, akár csak azzal, hogy megosztja ezt a posztot. Sürgős műtét miatt Rh negatív O vérre lenne szüksége kollégám édesanyjának holnap reggel 8 óráig.

Irányított véradásról lenne szó: Budapesten vagy a Péterfy utcai vagy a Karolina úti vérellátóban, vagy Váci Területi Vérellátóban (Argenti Döme tér 1-3. – a kórház mellett) lehet vért adni Bolgárfalvi Lászlóné (szül.:1948.04.19, TAJ 062 985 440) részére. A Szent István kórházban műtik, ha nincs vér, a műtét sajnos elmarad. Kezelőorvos: Koiss Róbert.

(2017. 07. 31.)

//A single drop of blood is a drop of love.

This Valentine. If you truly wants to show your love… Please donate your blood if it’s S(RH-)/O to us. OR if you now someone, ANYONE. Please. PLEASE ask them to donate for this blog.

A single drop of blood can save our life.

#BLOODFORSANJI

YEAH FOLKS THIS IS OUR VALENTINE EVENT. DEAL WITH IT. HAHAHA. SURPRISED? ME TOO. OKAY SO… The thing is… Sanji is currently having a heavy anemiac and he is dying. Go spread(REBLOG) the cause. Ask for help or maybe donate your own blood. Or maybe ASK KINDLY TO someone, anyone you know with the same blood type to donate for him or maybe you can FORCE them to.

Being quadruplets, it’s quite obvious and from the last SBS itself Oda has stated the four brothers do have the same blood type. Just letting you know in case you want someone to target =w=

But anyway, our Valentine event is here and it has begun… so now… SPREAD THE CAUSE AND HELP US FOR THE LOVE OF SANJI!!!

VALENTINE EVENT START!!!!(????????)

One Shot Niall Horan

  • Pedido por @mari13xx oi, eu quero um com o niall em q ele e a garota sejam donos de uma empresa q eles ganharam de herança (n eram irmãos) e eles brigavam mt, aí um dia dps de uma reunião de trabalho eles transam na sala dele e se declaram!


É muito difícil compartilhar algo com alguém que tem pensamentos diferentes dos seus, é difícil chegar a um consenso e mais difícil ainda dar o braço a torcer quando todos ao redor concordam que a ideia da outra pessoa é melhor que a sua. Você tem duas escolhas, ou concorda e cala a boca, ou fica possesso e xinga todo mundo continuando a defender seu ponto de vista.

(Seu nome) estava passando por isso, sua decisão foi não xingar todo mundo, mas defender sua ideia de que seu parceiro de negócio estava errado e que isso futuramente os jogaria em um buraco.

— Aceita que todos nós sabemos tomar as melhores decisões para a empresa diferente de você, princesinha. — Niall alfinetou de leve ganhando um olhar mortal.

— Eu não preciso aceitar nada, essa empresa é tanto minha quanto sua. — (seu nome) disse ainda encarando Niall, resistindo a vontade de socar a mesa.

— Nós vamos expandir nossas filiais. A sede principal será aqui e faremos um prédio em Londres e outro em Los Angeles. — Niall reforçou e os sócios assentiram um após o outro em concordância.

— Vocês estão malucos! Vocês estão de complô para derrubar a empresa? Estamos muito bem, nossos negócios são ótimos em toda a Irlanda, não podemos dar um passo maior que as nossas pernas. — (seu nome) insistiu.

— Você pontuou bem, os negócios são ótimos em todo nosso país, mas imagine o quão melhor possa ser fora dele. É isso que vamos fazer, conquistar espaço fora da nossa zona de conforto.

— Eu não sei como o seu pai te colocou no comando de uma imprensa… — (seu nome) se colocou de pé olhando para Niall — Você é apenas um branquelo prepotente que se acha dono da razão e espero que você esteja pronto para assumir a responsabilidade de levar a empresa para o buraco. Você e todos eles. — ela apontou para os sócios calados que encaravam a discussão.

— Me venda a sua parte já que tem tanta certeza que o vamos fazer vai dar errado. — Niall sugeriu antes que a mulher desse o primeiro passo em direção a saída.

— Vá sonhando, Horan.

E então (seu nome) saiu socando o chão com o seu salto deixando todos para trás apenas terminando de ajeitar os detalhes do projeto que Niall apresentou. Ele é tão fodidamente lindo e teimoso que (seu nome) só queria dar na cara dele para logo depois beijá-lo de forma agressiva, mas ela nunca admitiria isso em voz alta.

[…]

(Seu nome) não continuou na empresa depois da reunião, ela foi para casa porque não aguentava mais ficar olhando para a cara de pamonha que Niall tem, ela estava tentada a socá-lo e beijá-lo ao menos tempo, ela só não sabia o que fazer primeiro.

Chegando em casa ela tratou de ir tomar um banho de banheira para relaxar, no outro dia teria que encontrar Niall como todos os dias que virão a seguir então sempre tem a procurar uma forma de se aliviar antes de ir para o trabalho. Era muita tentação e irritação que ficava ao seu redor quando Niall estava por perto.

O dia seguinte não tardou chegar e (seu nome) foi para empresa mais calma, decidida deixar Niall e os sócios da empresa fazer o que tinham em mente para que quando tudo acontecesse de forma ruim, ela arranjar um jeito de tirá-los das decisões futuras. Tudo estava indo bem, ela não havia visto o Niall ou qualquer uma das pessoas que poderiam fazer o seu dia ruim, mas o sossego não durou muito, o telefone começou a tocar e ela apenas o tirou do gancho apoiando sobre a orelha esperando que a pessoa do outro lado falasse algo.

— Senhora (seu sobrenome)? O senhor Horan solicita sua presença na sala dele. — a secretaria disse direta sabendo que a chefe odeia rodeio.

— Diga para ele que eu tenho mais o que fazer. — (seu nome) encerrou a ligação. Niall sempre tinha que estragar tudo.

Não havia se passado nem um minuto quando o telefone se pôs a tocar novamente a fazendo bufar antes de atender.

— Senhora, ele continua insistindo em tê-la na sala dele.

— Se você me telefonar mais uma vez falando sobre isso, considere-se demitida. Você trabalha para mim e ficará sem emprego caso me desobedeça. — mais uma vez (seu nome) bateu o telefone que não demorou muito a tocar novamente — Você está me testando, comunicarei o RH sobre a sua demissão.

— Senhora… — uma voz diferente soou ao telefone e (seu nome) fechou os olhos para se acalmar — O senhor Horan quer que você venha até a sala dele. — a voz da secretaria de Niall soou ao telefone novamente fazendo a mulher bufar irritada encerrando a ligação se levantando de sua cadeira.

Em passos largos (seu nome) atravessou o corredor sem nem olhar para a sua secretária que a encarou com medo de ser demitida, passou pela secretária de Niall e abriu a porta sem comunicar sua entrada antes. E da mesma forma brusca que entrou, sem que ela pudesse processar a ação, seu corpo foi prensado contra a madeira da porta assim que a fechou.

Ofegante pela surpresa ela direcionou seus olhos ao rosto de Niall, sentindo o calor que o corpo másculo dele transmitia colado ao seu.

— Você não sabe o quão gostosa fica brava desse jeito. — Niall disse de maneira divertida com seus lábios próximos aos de (seu nome).

— Me respeita! — a mão de (seu nome) voou em direção ao rosto do homem, mas antes que pudesse acertá-lo, ele foi mais rápido segurando-a pelo pulso.

— Você deveria saber que eu adoro sua agressividade… — Niall roçou seus lábios sobre os da mulher lentamente — Me faz quer domar você.

— Cala a boca… — (seu nome) sussurrou sem saber o que fazer ao ter Niall tão próximo a segurando firmemente pela cintura e a encurralando na porta com o seu corpo.

— Não tente agir como se não quisesse se jogar para mim, eu sei que me quer tanto quanto eu te quero. É visível que nos queremos. — Niall apertou ainda mais seu quadril contra o de (seu nome) e ela já podia sentir a temperatura de seu corpo subir.

— Você não sabe o que está falando… — ela divagou ao dizer deixando claro para Niall o efeito que ele estava causando.

— Então vai dizer que não gosta quando eu faço isso… — Niall inclinou a cabeça para o lado e levou os lábios até o pescoço de (seu nome) beijando a pele repetidas vezes e de forma demorada — Ou isso… — ele levou suas duas mãos a bunda da mulher apertando com um pouco de força.

— Hm… — (seu nome) gemeu baixo mordendo o próprio lábio em seguida e Niall riu baixo o feito.

— Você não consegue e não pode negar que sente tesão por mim. — ele sussurrou próximo a orelha da mulher, mordendo o lóbulo assim que terminou a frase.

Deslizando os lábios vagarosamente sobre a bochecha de (seu nome) os levando de encontro aos lábios coloridos em vermelho pelo batom, Niall iniciou um beijo rápido e cheio de vontade apertando ainda mais a bunda da mulher a puxando contra seu corpo como se quisesse que os dois corpos ocupasse um só espaço. Sem conseguir se obrigar a empurrar Niall, (seu nome) retribuiu o beijo da mesma forma que estava o recebendo, levando seus braços a nuca do homem os enlaçando ali.

O beijo continuou entre mordidas e chupadas, as mãos de Niall desceram um pouco mais até estarem sobre as coxas de (seu nome) e ele a puxou para cima ajudando-a entrelaçar suas pernas em torno de sua cintura. O ar estava ficando escasso obrigando-os a afastarem suas bocas mesmo contra vontade e os lábios famintos de Niall deslizaram até estarem novamente sobre o pescoço de (seu nome) deixando marcas por onde passavam.

— Eu odeio você… — (seu nome) sussurrou com os olhos fechados e a cabeça jogada para trás enquanto apertava suas pernas ao redor de Niall.

— Quero que você diga isso quando estiver gemendo para mim. — Niall sussurrou de volta desgrudando seus lábios do pescoço da mulher e sem demora suas mãos foram de encontro ao blazer que a mulher usava o desabotoando enquanto ela se mantinha presa em seu colo.

— Você não é capaz de me fazer chegar a esse ponto. — (seu nome) sorriu convencida olhando nos olhos azuis que faiscaram pelo desafio e logo ela estava sendo carregada até a mesa.

Em um instante tudo que havia sobre a mesa de Niall foi jogado ao chão e (seu nome) não demorou estar sentada sobre a mesma com os olhos azuis do homem a queimando sobre seu corpo como se ela já estivesse nua diante de si. Ele puxou para cima a saia que ela usava deixando-a embolada na cintura e puxou a calcinha de renda rosa deslizando-a rapidamente pelas pernas até não estivesse mais no corpo da mulher.

— Eu estou louco para foder esse sorriso da sua cara, sua maldita convencida. — Niall disse entre os dentes puxando (seu nome) pelo tornozelo a fazendo quase deitar sobre a mesa.

O barulho da fivela do cinto sendo desfeito não demorou a soar e (seu nome) mordeu o lábio ansiosa pelo o que estava por vir enquanto Niall abaixava as próprias calças deixando que seu membro já ereto e molhado de pré-gozo ficasse livre do aperto da cueca.

Nos últimos dias não tem sido muito difícil ficar duro por (seu nome) quando a tensão sexual exala dos dois sempre que se encontram.

Mais uma vez (seu nome) foi puxada pelos tornozelos, agora tendo-os apoiados sobre os ombros de Niall que sem demora guiou seu membro até a entrada da mulher e o empurrou rudemente para dentro a fazendo gemer alto pela invasão. A sala era a prova de som então não precisavam se preocupar com outras pessoas os ouvindo.

Sem perder tempo, Niall começou a investir contra (seu nome) com estocadas rápidas e precisas agarrando-a pela coxa buscando apoio para continuar a penetrá-la repetidas vezes. (Seu nome) mordia o lábio e apertava os dentes tentando não gemer, mas sempre acabava deixando algum som escapar por sua garganta para total contentamento de Niall que cada vez que a ouvia, ficava mais satisfeito.

Uma mão de Niall se esgueirou por debaixo da blusa de (seu nome), indo de encontro ao seu seio direito enquanto ele se empenhava em manter as estocadas constantes e ritmadas, não foi preciso mais do que alguns minutos para que (seu nome) se entregasse ao ápice do prazer que sentia gozando enquanto praticamente gritava o nome Niall. Foi preciso somente mais algumas estocadas para que ele também gozasse sobre a coxa dela.

Com a respiração acelerada, Niall deixou que seu corpo caísse sobre a cadeira - que não se encontrava muito longe da mesa - e com um lenço que pegou da gaveta, ele limpou seu membro e em seguida rolou a cadeira pelas rodinhas até estar mais próximo de (seu nome) novamente e limpou seu gozo da coxa dela.

— Eu disse que foderia aquele sorriso da sua cara. — ele sorriu voltando a guardar o lenço em sua gaveta e puxou sua calça para cima ajeitando seu membro dentro da cueca antes de fechá-la e afivelar o cinto — Você gemeu como uma cadela.

(Seu nome) não o respondeu, apenas se colocou de pé puxando a sua saia para baixo tentando desamassá-la e se voltou para Niall em seguida, acertando-o com um tapa na bochecha esquerda não o dando tempo de desviar.

— Isso me deixa com vontade de foder ainda mais você. — Niall disse rindo enquanto a olhava e massageava sua bochecha ardida pelo tapa.

— Cretino! — (seu nome) disse entre os dentes se curvando para pegar sua calcinha que ainda estava no chão, mas antes que o fizesse, Niall foi mais rápido a alcançando primeiro.

— Isso fica comigo! Para recordação. — ele colocou a calcinha em seu bolso sorrindo de lado.

Bufando (seu nome) o deu as costas se encaminhando até a porta, ela nunca deixaria Niall saber que ela havia gostado, bem, não por enquanto. Ela definitivamente não queria dar a ele esse gostinho.

Antes que abrisse a porta, Niall a chamou fazendo-a olhá-lo sobre o ombro.

— Eu gosto muito da sua bunda… Muito mesmo. — (seu nome) revirou os olhos se virando quando um sorriso de canto tomou conta de seus lábios, de qualquer forma ela sabia que Niall estava de quatro por ela e não faria mal algum aproveitar.

— Quero você amanhã na minha sala nesse mesmo horário. Seja discreto, não quero que ninguém me associe a você em relação a esse tipo de contato.

E assim (seu nome) deixou a sala de Niall, tão durona quanto entrou, mas a única diferença é que agora em sua cabeça passa a contagem regressiva para o dia seguinte. Ela o esperaria ansiosamente para repetirem o que fizeram na sala com a única diferença de que dessa vez, ela comandaria a foda.




Eu só quero deixar claro que sou péssima com hot, então se ficou confuso ou muito ruim, me desculpem.

Mesmo com o fato citado a cima, eu espero que vocês tenham gostado. ^.^

- Tay

anonymous asked:

Did you know that Ted Bundy's blood type was O(Rh +)? Type Os are usually sociable, charming, intelligent, and are known to be "warriors." Negative traits they have are vanity/narcissism, arrogance, and callousness.

I knew his blood type but had no idea it was attached to personality traits like names or horoscopes! 

beginner’s guide to seventeen / seventeen member profiles

for those of you who are considering getting into seventeen, or are following my blog for exo or bts and are just wondering who these 13 dickheads you see all the time are, here you have it. (bts profiles i made months ago)

s.coups:

Originally posted by seungkvvan

-real name: choi seungcheol
-born: august 8th, 1995
-nationality: korean
-blood type: ab
-unit: hip hop
-role: rapper, hip hop unit leader, general leader
-seventeen’s longest trainee, was apparently supposed to be in nu’est
-touchy guy. especially with jeonghan.
-is referred to as svt′s dad.
-boyfriend material af.
-is very sweet and handsome and talented and lovable. stan him.

jeonghan:

Originally posted by marachankawaii

-real name: yoon jeonghan
-born: october 4th, 1995
-nationality: korean
-blood type: b
-unit: vocal
-role: vocalist
-had wicked long hair, has since cut like half of it off.
-may sometimes be referred to as svt’s mom.
-delightful bastard.
-very close with the other 95 liners.
-claims other members as his, like dino as ‘jeonghan’s baby’, seungkwan as ‘jeonghan’s cutie’, etc.

joshua:

Originally posted by amillionwon

-real name: hong jisoo / joshua hong
-born: december 30th, 1995
-nationality: american
-blood type: a
-unit: vocal
-role: vocalist
-he speaks 5 languages; korean, english, mandarin, japanese, spanish (please correct if i’m wrong, that’s what i was told).
-seventeen’s gentlemen, he’s incredibly calm and polite.
-secretly hilarious.
-608% husband material.
-he plays guitar.
-completely unironic fan of anime i feel you joshua 
-he’s a christian.

jun:

Originally posted by junhosh

-real name: wen junhui
-born: june 10th, 1996
-nationality: chinese
-blood type: b
-unit: performance
-role: dancer, vocalist
-he’s said to look like super junior’s heechul.
-he’s a very talented actor as well. he was on the chinese web drama ‘intouchable’ last year.
-he was a child star.
-he speaks korean, mandarin, and cantonese.
-some people like to depict him as being a ‘greasy’ character, but in general he really is not. he’s a very nice guy.
-surprisingly slept on, despite being gorgeous as hell.
-this boy clings to everything he loves:

hoshi:

Originally posted by saysvteen

-real name: kwon soonyoung
-born: june 15th, 1996
-nationality: korean
-blood type: b
-unit: performance
-role: dancer, vocalist, performance unit leader, choreographer
-cuddles dino
-1/3 of seventeen’s beagle line
-very friendly guy, and great on variety shows.
-i expected him to be a bias wrecker, but not to this extreme.
-usually gets the most lines in performance unit, he’s a very impressive vocalist.

wonwoo:

Originally posted by the8ght

-real name: jeon wonwoo
-born: july 17th, 1996
-nationality: korean
-blood type: a
-unit: hip hop
-role: rapper
-fans will often joke that he’s emo, but he’s really far from it.
-he has the lowest voice in seventeen
-also secretly hilarious
-avid reader of actual books

woozi:

Originally posted by wonyeols

-real name: lee jihoon
-born: november 22nd, 1996
-nationality: korean
-blood type: a
-unit: vocal
-role: vocalist, dancer, leader of vocal unit
-he looks like a cinnamon roll, but is really more like a salty jigglypuff (who has every reason to be salty)
-regardless of your bias, i think we can all agree that he is the most talented creature this world has ever seen
-he really does care about the members a lot, even if it seems otherwise
-smol (if i don’t say this, someone else is gonna comment that)

dk:

Originally posted by junhuitherealvampire

-real name: lee seokmin
-born: february 18th, 1997
-nationality: korean
-blood type: rh-o
-unit: vocal
-role: vocalist
-seventeen’s happy virus
-sunshine’s human form
-1/3 of beagle line
-should’ve been in s club 7 but wasn’t for some reason
-high notes for days

mingyu:

Originally posted by scoupstv

-real name: kim mingyu
-born: april 6th, 1997
-nationality: korean
-blood type: b
-unit: hip hop
-role: rapper, visual
-overgrown puppy
-very sweet guy
-some people think he seems arrogant at first glance, but he’s not.
-frequently roasted by fans.
-and minghao.

the8:

Originally posted by pledisseventeen

-real name: xu minghao
-born: november 7th, 1997
-nationality: chinese
-blood type: o
-unit: performance
-role: dancer, vocalist
-least likely to be called by his stage name
-cute laugh
-cute singing
-cute voice in general
-cute everything (but savagehao never sleeps)
-last member to join seventeen
-looks like 100% of little fluffy dogs

seungkwan:

Originally posted by wonnhao

-real name: boo seungkwan
-born: january 16th, 1998
-nationality: korean
-blood type: b
-unit: vocal
-role: vocalist
-flipping diva
-he got 99 problems, and bitches are at least 12 of them
-joshua and vernon agree he has the best english pronunciation among all the members who don’t speak it fluently
-mama boo enthusiast
-1/3 of beagle line
-way too underappreciated

vernon:

Originally posted by hansoltheist

-real name: choi hansol / hansol vernon chwe
-born: february 18th, 1998
-nationality: american, but he’s lived in korea for most of his life
-blood type: a
-unit: hip hop
-role: rapper, dancer
-he is half korean and half caucasian, and please do not fetishize him for being biracial, he already has way too many people doing that thank you.
-he speaks english
-there’s endless predebut hansol gold to be found
-hotline bling
-looks like a young leonardo dicaprio, according to everyone ever
-don’t talk about show me the money 4

dino:

Originally posted by mountean

-real name: lee chan
-born: february 11th, 1999 (okay calm down, i can hear you yelling about how he’s your age)
-nationality: korean
-blood type: a
-unit: performance
-role: dancer, rapper, vocalist, maknae
-cuddles hoshi
-very bright child
-infinitely talented
-didn’t do anything wrong ever
-his stans are great, would recommend being mutuals with some
-glows up before your very eyes

8

HELLO! CHOPPER’S HERE!!! THIS IS AN EMERGENCY CALL EVERYONE!!!

WE RAN OUT OF SANJI’S BLOOD TYPE!!! HIS BLOOD TYPE IS S RH- (Or O- in your universe’s naming) It’s quite rare and they couldn’t accept other blood type!!! So, PLEASE!!! If any of you are S(RH-)/O- OR KNOW SOMEONE WITH THE SAID BLOOD TYPE PLEASE PLEASE PLEASE DONOR IT TO US OR MAYBE SPREAD THIS CAUSE!!! WE NEED AS MUCH BLOOD AS POSSIBLE!!!!!!!!!! (knowing Sanji’s nosebleeding tendencies…)

This year’s Valentine… if you ACTUALLY CARE AND LOVE FOR SANJI, PLEASE. FOR THE SAKE OF SANJI PLEASE DONOR YOUR BLOOD OR HELP US WITH THIS CAUSE!!!

#BLOODFORSANJI IS THE TAG EVERYONE. PLEASE SPREAD IT AS MUCH AS POSSIBLE!!!

WE NEED LOTS OF BLOOD RIGHT NOW. AAAAAAAAAAAAACK SANJI PLEASE HANG IN THERE!!!!!!!

ALRIGHT I AM GOING BACK TO MANAGE SANJI… SANJIIII PLEASE DON’T DIE JUST YET!!!! *cries* PLEASE GUYS. I KNOW I CAN COUNT ON YOU!!!

drabble: purple [harurin]

Haru’s tongue is purple. Purple from the popsicle he ate not long ago, and that’s all Rin can think of. One-track mind and the heat combined, and he’s doomed to try to snatch quick glances every time Haru speaks. Which isn’t often in general, and is not at all now that they meander through town. 

Keep reading

Renata- Advogada Tributarista

Caros, sou advogada e resolvi participar não apenas por amor incondicional à dona do tumblr, mas porque achei a ideia tão simples e autêntica que eu não teria como recusar.
Preparem-se porque, como qualquer bom operador do direito, eu gosto de escrever muito.

Já se foram praticamente três anos desde que joguei o chapeuzinho da colação de grau para cima e posso afirmar que muita, mas muita coisa mesmo, mudou. Me formei em Direito no bom e velho Largo São Francisco (USP) e desde então trabalho com direito tributário em um dos mais renomados escritórios do país, mas vamos começar do início, correto?

A primeira pergunta de todo entrevistador de RH no ramo jurídico é: por qual razão você escolheu Direito? E olha, a resposta mais autêntica que posso encontrar é simples: uma casa enorme com piscina. Pois sim, quando eu tinha meus não mais que 7 anos fui no aniversário na casa de um coleguinha do colégio e, acredite, quando digo casa, quero na realidade dizer mansão. E aí veio o início de tudo: ao me buscar, minha mãe comentou que o pai do garoto era um advogado famosíssimo. Pronto, estava selado o meu destino: advocacia. Motivo? Ter uma mansão com piscina olímpica.

Anos se passaram e evidente que quando me perguntavam o que eu queria fazer da vida, não me parecia razoável falar da história da mansão com piscina. E foi então que eu passei o ensino fundamental e parte do médio pensando: “O que diabos eu vou fazer da vida?!”

E eis que o Direito ressurgiu como resposta. Não mais pelo motivo de antes, mas por ser a escolha mais racional para alguém que simplesmente…não sabia o que fazer da vida. Afinal, bacharel em direito vira juiz, advogado, promotor, diplomata, fiscal, poeta, professor, ator da Globo, músico, enfim. Basicamente era a escolha perfeita para alguém que (i) não queria ter que escolher ainda, (ii) gostava de Humanas em geral e (iii) amava ler/escrever – muito.

E assim foi. Já de cara fiquei fascinada com matérias como Introdução ao Estudo do Direito e Teoria Geral do Estado. Mais para frente, matérias como Direito Constitucional, Direito Penal e Direitos Fundamentais chamaram minha atenção. Massssss ainda assim eu não me sentia confortável para decidir o que fazer da vida dali 2 ou 3 anos. Algo me levava intuitivamente para a advocacia em um grande escritório e, em vez de estagiar logo na área e confirmar o interesse, fiz o caminho inverso. Estagiei em tudo que imaginar, de trabalho pseudovoluntário no Departamento Jurídico da faculdade e escritório pequeno na área empresarial até Ministério Público, Assessoria Internacional de um banco e ainda uma vara criminal. E fui mais longe, peguei uma bolsa de intercâmbio para poder curtir um pouco a Europa (digo, estudar!) e postergar a formatura para o ano seguinte. E pode parecer pouco, mas aquele tempo distante de tudo e todos foi suficiente para respirar e seguir minha intuição.

Lá fui eu fazer entrevista de estágio no tal escritório grande. A vaga era em Cível, mas algo me dizia que o lugar para mim era Tributário (sabe como é, todo penalista frustrado acaba indo pra Tributário. São os mesmos princípios, a mesma “defesa das garantias constitucionais contra a sanha do Estado”). Evidente que não passei (e não acho que foi destino, mas a minha sinceridade afoita com o RH que logo viu a minha evidente pretensão de entrar no escritório e depois mudar de área). Pois bem, meses se passaram e eis que surge a então sonhada vaga para Tributário no mesmíssimo escritório. Já pisei lá para a entrevista sonhando em fazer carreira.

Entrei e me apaixonei instantaneamente pela rotina de contencioso (aos que não sabem, a advocacia se divide basicamente em consultivo – antes de estourar o problema – e contencioso – já existe um problema e há um processo formal entre as partes), pelo trabalho em equipe, pelo ambiente formal, pelo jeito de escrever. Não vou dizer que tudo foram flores, longe disso. Durante o estágio (a tão famosa Lei do Estágio ainda não tinha pegado no tranco), foram muitas as aulas que perdi e muito o tempo que deixei de aproveitar fora do escritório, além de alguns atritos iniciais com chefes diretos. Mas toda vez que eu sentava na minha mesa e estudava um caso novo ou fazia um recurso dificílimo a ponto de perder a noção de tempo, eu sentia que era o caminho certo e continuei por 1 ano e meio até a formatura. E aqui efetivei e fiquei nos últimos 3 anos – e não tenho quaisquer planos de sair tão cedo.

Acho que quando eu me imaginava trabalhando em um escritório, era exatamente como acontece na realidade. Muito trabalho - mas muito mesmo! -, advogados mais velhos e renomados que você trata por “Doutor”, almoços de negócio com clientes, reuniões de equipe com discussões de temas relevantes, horas e horas de pesquisa de legislação e decisões de Tribunais, longas petições com linguagem formal (mas sem rebuscamento ou floreio excessivo, isso é coisa da advocacia dos tempos dos nossos avós!), casos de milhões de reais, pressão diária. Não é para todos – como tudo na vida. Mas se é isso que você estava imaginando, bingo!

Sabe, a mesma dona do tumblr teve uma conversa comigo pouco antes de colocar em prática essa ideia e, enquanto discutíamos como Direito podia ser um curso tão certo e tão errado para determinadas pessoas, ela me fez uma pergunta que agora repasso para vocês e que, no fim das contas vale para advogados, juízes, engenheiros, bailarinos, biólogos ou o que mais for. Se hoje você ganhasse na mega sena e pudesse trabalhar apenas por hobby, o que você faria? (Se você, como eu, se imagina em um escritório próprio exercendo advocacia pro bono para entidades de educação ou saúde que discutem judicialmente seu direito de fruição de imunidades ou isenções, bom, você sabe que está no trilho certo).

Então, de novo eu pergunto. E aí, você se imagina fazendo exatamente a mesma escolha se o mundo te permitisse escolher sem o peso da pressão da família ou o dinheiro? Não é clichê, é fato. Você precisa, antes de qualquer coisa, suportar com um mínimo de alegria a carreira que você escolhe.

Se você chegou até o final desse texto, só tenho a desejar: boa sorte e sucesso

FUN FACT:

Receiving a bone marrow transplant can change your blood type.

FOR EXAMPLE,

If your blood type is AB-positive (lucky you, you’re a universal blood recipient) and you are in need of a bone marrow transplant, they would match you with a donor who is A, B, AB-positive.  

Basically, here’s why:

If you don’t understand this, you can refer to an earlier post I made in regards to the importance of A, B, O, and Rh if you’re curious.  click here!

The old marrow, your marrow, is to be killed off, and then the new marrow replaces it.  The hospital finally finds a perfect match for you, but the donor was A-positive. Your new bone marrow will produce the same cells as it did in it’s original human, making you now A-positive.  Sadly, you’re no longer a universal recipient, but you live another day. 

If you’re interested in the Bone Marrow Transplant procedure, click here!

nightpool  asked:

Absent Gods: the day that Rose gets taken

You See your death on a Sunday evening, getting ready for bed. One moment you’re kicking off your slippers, the next your pupils spasm -you See.

Two men in tuxedos. A secluded alley. Throbbing circles on naked concrete. A black tongue licking the blood from the very tip of your finger. It will hurt. Tomorrow.

The solution seems simple.

Just avoid that alley at all costs. Which should be remarkably easy, as your mother always brings and picks you up from school. Always. She’s a crafty woman. For all the grandstanding and psychological stratagems the both of you waltz through on a daily basis, she’s well aware of your magical capacity. Plus, well, she’s your mother. Admitting you know very well she loves you is a sour apple between the teeth after such a long time pretending otherwise. Little use in that charade now. She will protect you.

Therein lies the problem. She absolutely can’t.

You always See true.

You tried so hard to save Dave. You told him. Screamed at him, threatened him and berated him and ridiculed him —and when he still failed to grasp your urgency, you told his Bro.

As a result, both are dead.

Keep reading

Cap 71 (FINAL)


Vanessa – como vai? (dei dois beijos no rosto dela)
Clara – ótima! Com fome?
Vanessa – bastante! Haha
Clara – você ta bem? (fomos andando ate a mesa)
Vanessa – to sim…

No sentamos a mesa e a empregada surgiu, a mulher devia ta olhando por algum buraco porque ela sabia exatamente quando podia aparecer, nos serviu… o prato principal era um camarão na moranga, tinham outras coisas, mas eu viciada em camarão como sou, preferi me entupir do mesmo. A emprega se retirou, inicialmente nosso papo era sobre o camarão, muito complicado ter conversas triviais com alguém que chorou em sua frente semana passada pedindo perdão.


Clara – O Junior falou com você quando?
Vanessa – ontem, na boate!


Ela me olhou seria, acho que a primeira coisa que passou na cabeça dela foi que eu estive com Jordana, o sorriso que ela matinha no rosto, desapareceu.

Vanessa – eu e ele nos divertimos muito ontem e acabamos falando de negócios…
Clara – a boate estava ruim? Falando de negócios….
Vanessa – estava como sempre esteve, mas a gente tirou um tempinho pra falar sobre isso, na verdade ele que veio me falar sobre o assunto…
Clara – há algum tempo eu estava querendo você na empresa novamente, você sabe disso, mas com tudo que ocorreu…enfim, acabamos nem tendo oportunidade de falar sobre isso…
Vanessa – eu vou ser bem sincera…
Clara – diga…
Vanessa – talvez não seja uma boa idéia…
Clara – Olha Vanessa, nós já cometemos erros demais, acho que aprendemos com eles, temos que ser profissionais, eu sou e sei que você é também, a empresa precisa de uma profissional como você e você precisa de uma empresa como a minha, então não tem erro.
Vanessa – hahaha praticidade é o seu nome!
Clara – hahaha você sabe que sim! Entao, não sei se o Junior chegou a falar com você, acho que não, você volta com o cargo que exercia, coordenadora geral de marketing, com um salário obviamente bem maior, com sua sala de volta, com tudo aquilo que você já conhece, isso você trata no RH, por mim você volta na segunda!
Vanessa – Calma Clara…eu tenho que pedir demissão, se eles quiserem que eu cumpra aviso prévio?
Clara – você não é obrigada!
Vanessa – eu sei, mas eu tenho que ser profissional neh?
Clara – hahaha ta tudo certo então neh? já vou deixar o RH de sobreaviso, é só você ir acertar tudo…
Vanessa – é…tá tudo certo!

O jantar seguiu normalmente, conversamos bastante sobre varias coisas da empresa, falar de trabalho era nosso refugio, não tínhamos outro assunto a não ser esse, quando nos calávamos nossos olhares se cruzavam e parecia um calor tomar conta do meu corpo, meu corpo queimava com seu olhar, com seu sorriso, meu olhar se perdia em seus movimentos, o jeito que ela pegava a taça, que sorria sem graça com meu olhar sobre seu colo desnudo, aquele vestido me deixava louca, na verdade eu so pensava em tirar ele dela…

Clara – não bebe champagne comigo? Vai ficar no suco mesmo?
Vanessa – não estou muito afim de beber…
Clara – só pra brindar….vamos…pega uma taça que eu te sirvo!

Eu peguei a taça e ela se levantou pra pegar a garrafa de champagne, me serviu e encheu mais o seu copo…

Clara – um brinde…
Vanessa – a que?
Clara - a sua volta as empresas Aguilar/Teassier!


Não pude deixar de sorrir, lá estava eu voltando pra onde tudo começou, voltamos a comer, eu apenas tomei aquela taça mesmo, ela continuou a beber, ficamos nas conversas sem muito importância….até que seu celular tocou… ela olhou pro mesmo e olhou pra mim, desligou o celular e colocou ele na mesa mais afastada de nós…

Clara – não era importante…

Eu nem tinha perguntado nada, mas ela parecia saber que eu tinha me incomodado, nem vi a hora passar, já eram mais de meia noite e eu estava lá falando de coisas engraçadas com ela na mesa, contando do Junior na boate gay sozinho…

Vanessa – acho que se eu não tivesse chegado ele tinha se jogado…hahaha estava soltinho na pista de danças, os viados estavam loucos com ele…
Clara – definitivamente o Junior é um gato, se eu gostasse de homem ele não escapava….hahaha
Vanessa – hahaha verdade, sempre disso isso, Thata ta pegando bem….pena que já deu um furo nele! O coitado ficou lá esperando ela e levou um bolo!
Clara – acho que a Thaís ta se jogando em outras coisas agora… hahaha
Vanessa – não entendi a piada….
Clara – não é uma piada…a Thaís resolveu fazer experiências…sabe como é neh?
Vanessa – não sei não, eu não falo com ela há uma semana e ela já mudou de lado?
Clara – hahaha isso eu não sei, mas eu sei que ela saiu com uma amiga minha esses dias, não me olha desse jeito que eu não tenho nada com isso, foi coisa dela!
Vanessa – hahaha não to acreditando, a Thaís?
Clara – foi por acaso, eu e ela fomos jantar e encontrei alguns amigos, sentamos juntos e depois fomos pra uma bar, ela ficou com essa amiga minha, eu também fiquei surpresa…
Vanessa – hum… que engraçado, ela sempre foi tão certa, sei lá, achei que não era a dela…
Clara – deve ser coisa passageira, daqui a pouco ela sente falta de um homem, aquela ali não vive sem um, não entendo isso, mas neh….
Vanessa – o que eu também não entendo…. hahaha
Clara – poxa, você nem bebeu comigo, mais uma taça?
Vanessa – eu aceito sim…


Mais uma dose? É claro que eu to afim…esse deveria ter sido o tema da noite, porque depois que aceitei a tomar essa segunda dose, algumas mais se repetiram… estávamos sentadas uma ao lado da outra, como aquela mulher conseguia ser tão sexy assim? Ela quando bebia ainda ficava mais bonita, o jeito que ela jogava os cabelos pra trás, que sorria sem nenhuma timidez, os olhos brilhavam…linda!

Quando eu bebo demais não consigo controlar meu olhar, ela percebia aquilo…sempre gostou de ser observada por mim….


Vanessa – acho que vou embora….já esta tarde…
Clara - (ela me olhava fixamente com a mão na boca) tem alguém esperando por você?
Vanessa – não…
Clara – então você não precisa ir embora!
Vanessa – preciso sim….

Me levantei e ela se levantou junto comigo… peguei o celular e liguei pro taxista, ele me disse que estaria ali em 20 minutos…ela me olhava com aquele olhar que me deixa sem ação. Odeio ficar sem saber o que dizer quando estou com ela…eu deixei a taça na mesa e ela acompanhou meus movimentos…parei novamente em sua frente….

Vanessa – bem, eu já vou…. o jantar estava ótimo! Obrigada!


Ela não disse nada, apenas foi se aproximando mais de mim, o seu cheiro já me deixava que nem uma idiota, que poder era esse?

Clara – obrigada você.


Ela se aproximou mais ainda e segurou minhas mãos, deu um beijo no canto da minha boca, meus olhos se fecharam automaticamente, ela manteve seus lábios junto ao canto da minha boca, eu não me segurei, esqueci tudo que tinha dito a ela nos últimos dias, tudo que eu queria pra mim, soltei me de suas mãos e segurei seus rosto rapidamente e beijei sua boca, ela parecia mais surpresa do que eu, um beijo com saudade, com tesão e com amor…nossas línguas se tocavam com tanta urgência…me separei do beijo e a vi com olhos fechados, com a respiração ofegante, encostei minha testa na dela, ela abriu os olhos…ficamos nos olhando por alguns segundos….


Vanessa – tenho que ir…

Olhei pra ela pela ultima vez e deixei ela ali parada perto da piscina…não olhei pra trás, o táxi já estava esperando por mim, entrei no carro com uma vontade de gritar, já vi tudo, voltar pra empresa não vai da certo, fato.


O taxista já estava no portão da mansão, não sei o que deu em mim, mandei ele parar o táxi e deu o dinheiro da corrida a ele,mandei ele ir embora e voltei caminhando ate a parte de trás da casa dela, a visão que eu tive? Aquela bela mulher com as costas nuas parada na borda da piscina, ela mantinha os pés dentro da água, bebia sua taça de champagne, silenciosamente me aproximei dela, queria tomá-la em meus braços nesse exato momento…ela sentindo a presença de alguém olhou pra trás e se levantou bem degavar, eu fiquei estática, ela deu um sorriso tímido e balançou a cabeça negativamente, foi se aproximando de mim lentamente, quando estava bem próxima a ponto de nossas respirações já se confundirem, ela me olha nos olhos com todo aquele desejo tão obvio, olha minha boca, molha seus lábios com a língua, aquele movimento parecia estar em câmera lenta, me olha nos olhos novamente, olha pra sua taça agora e derrama o ultimo gole na boca ainda olhando pra mim, vai se abaixando sem tirar os olhos do meu, eu acompanhava cada movimento dela, coloca a taça no chão e sobe na mesma hora, fica parada me olhando, se aproxima, meus olhos se fecham no mesmo momento, ela desvia e esfrega seus rosto no meu, sua pele em contato com a minha me faz arder, acho que meu coração ficou tão acelerado…me deu um beijo no rosto demorado, minhas mãos já estavam nas suas costas, elas as tirou, me segurava pelos pulsos e descia os beijos ate o meu pescoço, interrompeu os beijos e me olhou novamente nos olhos….


Clara – por que você voltou?

Vanessa – eu nunca quis ir embora!


Ela sorriu e me beijou, nossas línguas num ritmo inexplicável, ela ainda segurava meus punhos, só que levou minhas mãos ate sua cintura…instintivamente elas já estavam em suas costas, sentindo sua pele quente em minhas mãos, me afastei e olhei seu corpo, tirei o seu vestido bem devagar, olhei sua calcinha preta e não pude evitar de sorri, olhei sua tatuagem e subi mais o vestido, tirei-o por completo, ela estava sem sutian… minha mulher, minha sim, sempre foi minha, puxei seu corpo junto ao meu e fui levando ela aos beijos ate qualquer lugar, o primeiro lugar que apoiei ela foi a mesa em que as comidas estavam postas, apoiada na mesa eu beijava seu colo e descia os beijos ate os seus seios, ela mantinha as mãos na mesa e sua cabeça estava jogada pra trás, seus olhos fechados e meus beijos contínuos…interrompi os mesmo e olhando fixamente pra ela retirei minha blusa, ela esperava por mim…retirei meu sutian, ela abriu minha calça e eu a tirei com pressa, estávamos as duas apenas de calcinha a beira da piscina, entregue ao desejo, aqueles olhos imploravam por meus beijos, pelos meus carinhos…levantei ela pela coxa e me coloquei entre suas pernas, dali em diante já sabe, transamos por algumas horas na beira da piscina, a emprega deveria estar vendo tudo, porque como eu disse ela sabia exatamente a hora que poderia aparecer e ela não apareceu mais, já deitadas e completamente nuas numa espreguiçadeira, ficamos nos olhando sem trocar nenhuma palavra, eu mexia em seus cabelos, sua cabeça estava apoiada em meu colo, fiquei admirando aqueles olhos, toda beleza não estava na cor, mas na intensidade com que eles me olhavam, no brilho que existia dentro deles, o tempo passou e ficamos nos curtindo um pouco, como estávamos morrendo de frio resolvemos entrar, pegamos nossas roupas, eu tratei de vesti as minhas, obviamente, não ia ficar andando nua pela casa dela, ela sem pudor como sempre apenas pegou o vestido e entrou em casa do jeito que tava…

Fomos ate o quarto, entramos na banheira e fizemos amor mais uma vez, mas se fizéssemos não teria a menor diferença, apenas de estar beijando ela me fazia feliz, ou se não estivesse beijando, queria apenas ficar olhando sua feição, deitamos e depois de um tempo adormecemos, quer dizer, ela dormiu, eu permaneci olhando pra ela por muito tempo, se eu pudesse eu ficaria a eternidade apenas olhando pra ela, aquilo me fazia sorrir, me deixava feliz…

Quando dei por mim já estava amanhecendo e eu não tinha dormido nada, dei um beijo em seu rosto e coloquei minha roupa pra ir embora, eu pensei muito durante a noite, muito mesmo, eu não sabia se seria capaz de esquecer tudo e ficar com ela, eu tinha medo, tinha medo dela me machucar mais uma vez, eu a amava tanto, tanto que acho que não agüentaria sofrer mais uma vez, fui pra casa, desliguei o celular e dormir boa parte do dia, nem vi a hora que levantei, fui caminhar no parque, dei milhares de voltas, nem havia levado celular, queria um tempo pra mim…

Amanha eu iria pedir demissão da minha empresa e voltaria pra dela, isso era decisão tomada, não tinha volta, ate porque a empresa dela era o melhor pra minha carreira, eu tinha que saber dividir minha vida profissional da minha confusa vida pessoal, liguei por meu chefe assim que cheguei em casa, queria conversar com ele, éramos amigos, entao eu sei que não teria problema resolver isso hoje mesmo, marcamos de ir a um bar e lá eu pude conversar com ele, que insistiu muito pela minha permanecia, mas eu estava irredutível, queria meu cargo de volta na empresa da Clara…

Na segunda cedo fui apenas resolver as ultimas coisas na minha empresa e depois fui ate a empresa de Clara, passei no departamento pessoal, assinei um contrato longo e fui conversar com o vice presidente, fiquei algumas horas tratando de algumas coisas com ele, falei com Thata, Junior e outras pessoas conhecidas minhas na empresa, todos já sabiam da minha volta, inclusive já vi alguns cochichando sobre minha possível volta com a Clara, era impossível não comentar, eu já sabia disso, mas eu tava ali pra trabalhar, não podia me incomodar com comentários maldosos…

Pedi a Thata que me anunciasse, fui ate a sala de Clara, ela estava sentada em sua mesa com uma expressão seria e deu um sorriso amarelo ao me ver entrar em sua sala, me sentei de frente pra sua mesa…


Vanessa – bem…já esta tudo certo, já assinei contrato!
clara – que bom…. já resolveu tudo na sua empresa?
Vanessa – já sim, ontem mesmo adiantei tudo e hoje fui apenas assinar minha rescisão!
clara – bom, amanha você já começa neh? tem muita coisa pra você acertar!
Vanessa – já estou a par de tudo…
clara – ok
Vanessa – você ficou chateada por eu ter ido embora sem falar com você?
clara – to me acostumando com isso van, to me acostumando a você me tratar como eu mereço!
Vanessa – não fala assim clara… é tudo muito difícil pra mim!
clara – Vanessa, é tudo muito difícil pra você, só pra você neh? pra mim não importa….mas olha não vamos falar disso aqui ok? Estamos na empresa, a gente tem que saber separar as coisas e sem contar que a gente so vive discutindo a nossa falta de relação, a gente não tem muito o que falar mais, sinceramente, ou a gente fica junta agora ou nunca mais, por que isso ta me desgastando!
Vanessa – mais do que á mim não pode estar!
clara – há nós duas! Conversamos depois…eu tenho muito trabalho por aqui…
Vanessa – tudo bem então, ate amanha!

Me levantei e sai da sala sem mais palavras, voltei pra casa quase de noite e fui descansar, meu telefone tocou e era Jordana, queria conversar mais sei la o que, foi la pra casa, acabamos nos ‘entendendo’, que dizer, ficamos de boa, não ficamos nem nada, mas como adultas e educadas que somos resolvemos ficar amigas…

Dia seguinte eu já estava trabalhando normalmente, procurei evitar de encontrar clara nesse dia, mas o que acabou sendo inevitável, tive que ir em sua sala umas quarto vezes durante o dia, nossos olhares quando se cruzavam demonstravam somente uma coisa, dor.

O amor que eu sentia por essa mulher sem duvida nenhuma era maior do que eu mesmo poderia imaginar, e eu sentia muita dor ao vê-la tão perto e não estar bem, eu queria poder esquecer tudo, esquecer toda a dor e abraçá-la, abraçá-la como se fosse a primeira vez, esquecer de todos a nossa volta, eu a queria, somente isso…

Os dias se passaram, semanas, não conseguimos mais trocar nenhuma palavra sobre nós em todo esse tempo, só pensávamos no trabalho e só falávamos dele, em algum desses dias que se passaram eu a vi com outra mulher em um restaurante e ela me viu, mais uma decepção, eu não poderia exigir que nesse tempo todo, ela ficasse sozinha, mas ela não parecia se importar, o dia seguinte como sempre era aquele olhar de tristeza, como se quisesse explicar o que tinha passado mais uma vez, essa mais uma vez que se tornava cada dia mais repetitivo….

Eu estava aqui tentando não pensar no seu sorriso, inevitável, mas como também não pensar em suas atitudes em seu inúmeros erros, eu sou humana, eu também erro e errei muito, te machuquei, me machuquei, mas como não pensar na maneira que você mexe comigo, como não pensar nos seus toques, no seu carinho, como não pensar em tudo isso? Estando tão próxima parece impossível evitar, mas te olhar e saber que você não esta comigo dói demais, dói lembrar de como tudo chegou ao ponto que chegou, seria muito simples esquecer tudo o que passou e tentar começar do zero, seria, mas não é fácil, eu imagino que numa briga qualquer você possa tentar me machucar novamente e eu não teria força pra agüentar outra dessa, eu não teria força pra ser ferida novamente pela mulher que move minha vida, pela mulher que me tira o sono e que ao mesmo me da a tranqüilidade necessária pra seguir caminhando nessa vida, gostaria de não ser tão dependente dos seus beijos e nem de seus abraços, gostaria de aprender a gostar do carinho de outra mulher, mas só o seu toque que me arrepia, só o seu toque que faz com que meus olhos se fechem e encontre a paz que eu tanto preciso….é só você e mais ninguém, mas eu sou um ser humano tão cheio de defeitos que não sei se posso perdoar, eu não sei se posso…

Olho ao redor do meu apartamento e cada canto lembra você, nossa primeira vez aqui, nossas brigas, minha traição, meu arrependimento, meu choro, minha tristeza, sua arrogância, meu desprezo por você, esta tudo aqui e ao mesmo tempo não tem nada, porque você não esta aqui….o telefone toca e eu não tenho vontade de atender, depois de muita insistência olho o visor e pra minha surpresa é você, meus olhos enchem de água e um aperto no peito intenso toma conta de mim, atendo o celular e ouço sua voz chorosa do outro lado…


clara – vanessa?
Vanessa – fala…. (receosa demais pra falar qualquer coisa)
clara – eu sei que… você quer me encontrar?
Vanessa –clara… eu não acho que seja uma…
clara – por favor me encontra essa vez, pode ser a ultima….por favor!
Vanessa – ok … aonde?


Quando ela me disse o lugar foi inevitável não estranhar, mas eu nem falei nada, desliguei o telefone e fui tomar um banho, peguei um short branco e uma camiseta amarela, coloquei havaianas da mesma cor e estava arrumada em pouco tempo, peguei as chaves do meu carro e fui em direção a tal praia que ela queria me encontrar, no caminho coloquei uma musica pra relaxar e fui ficando mais animada no caminho, animada na verdade não seria bem a palavra, mas vamos dizer que fiquei menos tensa, estava me preparando psicologicamente pro que estaria por vir.

Cheguei na tal praia, a mesma que rolou aquela festa que fomos uma vez, lembranças boas vieram a minha cabeça, aquele dia foi tão bom… Estacionei o carro e desci o caminho que me levava ate a areia, reparei que tinham alguns carros estacionados, estava um dia bem agradável, um vento muito gostoso e um sol não muito forte, já eram quase 16 horas, andei mais um pouco e vi algumas pessoas na praia, conversando, outras namorando, ela disse que era pra eu encontrá-la na pedra em que ficamos aquele dia, andei ate lá, assim que me aproximei ouvi uma musica vindo dali, quando passei da tal pedra, vi muitas pessoas conhecidas…


Essa era a hora que eu realmente fiquei surpresa, não era só ela que me esperava, mas nossos amigos estavam ali também, observei Fabian e Edu de um lado, Thaís com uma mulher que eu não conhecia, Junior com alguma garota e outros amigos mais íntimos, eram poucas pessoas, mas realmente só pessoas do nosso meio e ela, linda, como não olhar pra ela e despertar tudo aquilo que eu luto contra? Como olhar pra ela e não sentir todo aquele desejo? Como olhar pros seus olhos brilhando e não sentir os meus transbordarem de emoção? Era como se o mundo estivesse parado naquele segundo que nossos olhos se encontraram e nada mais tivesse importância, nada mais fosse relevante, só bastava ela, somente ela, um vestido simples branco, pés descalços e um sorriso lindo no rosto, ela veio ao meu encontro, eu permaneci estática tentando entender, na verdade estava tudo muito claro, olhei ao redor, a primeira vez que nossos olhar dispersou, olhei uma tenda logo atrás dela, uma mesa com algumas coisas pra comer, as pessoas seguravam alguma bebida e todas olhavam em minha direção, eu estava provavelmente na cor do meu cabelo, ela chegou perto timidamente, segurou minha mão com as suas e me olhando nos olhos disse novamente àquela frase que me aterrorizou há um tempo atrás, mas que agora era como se fosse a frase certa, na hora certa, pela pessoa certa, o momento perfeito…


Clara – você aceita casar comigo?


Ela disse isso baixo, apenas pra eu ouvir, mas ela poderia ter gritado, ter dito em alto e bom som que o efeito seria o mesmo….


Minhas mãos suavam, meus olhos estavam inundados e uma lagrima já rolava pelo meu rosto, eu nunca fiquei tão nervosa em toda minha vida, nem mesmo quando ela me pediu em casamento pela primeira vez, agora era diferente, agora nós já estávamos mais do que certas que essa poderia realmente ser a ultima vez que poderíamos estar juntas ou a primeira vez em definitivo, o que responder? Pois é, a incerteza tomou conta de mim mais uma vez, meu coração dizia que sim, mas minha cabeça teimava em dizer que não, eu sempre gostei de agir mais pela cabeça, todas as vezes que agi com o coração tomei na cara, eu tinha medo, muito medo…nunca senti tanto medo na vida!

clara – eu sei que esse não é o….
Vanessa – não fala nada…


Eu não precisava ouvir mais nada, eu só precisava que o mundo parasse mais uma vez, nossos olhos estavam fixos um no outro, uma lagrima caiu em meu rosto, ela sorriu e se aproximou de mim, segurando apenas uma de minhas mãos, com a outra ela levou ate meu rosto e enxugou minha lagrima, mas de seus olhos rolavam outras, eu sorri diante de seu choro e pude ter a certeza que a mulher da minha vida estava na minha frente, sem se importar com nada mais eu a abracei, esqueci de todas as pessoas ao nosso redor, só queria senti-la bem próxima, como seu coração estava acelerado, era tão bom sentir isso, era tão bom ter a certeza que a mulher que você ama sente o mesmo, nos separamos do abraço, as duas choravam e sorriam ao mesmo tempo, a felicidade que eu sentia era tão grande, era tão bom estar ao lado dela, a partir desse momento não importava mais o que tinha acontecido, só importava o que estava por vir, só importava o que sentíamos uma pela outra e pode ter certeza absoluta, essa certeza eu tinha, era amor de verdade e é maravilhoso sentir isso, é maravilhoso amar e ser amada, é maravilhoso estar ao lado dessa mulher!

Dizem que eu sou louca por te querer assim, mas eu não me importo, é assim que quero estar pra sempre, louca por você, só por você!

Nossos amigos choravam junto com a gente, eu não sei como ela armou tudo isso, bem, mas nos casamos nesse dia e foi o dia mais perfeito da minha vida, foi o dia que eu tive a certeza que ia passar o resto da vida com a mulher mais linda que eu já vi, eu só tinha olhos pra ela…

Hoje eu estou aqui olhando a mesma praia em que casamos há mais de um ano, meu pensamento está nela, meu coração aperta, mas eu não estou triste, pelo contrário, um sorriso escapa, eu me sinto tão viva, eu estou sempre com os mesmos pensamentos e são os mesmo que me fazem ter certeza de que o dia vai ser maravilhoso, outro sorriso escapa e minhas mãos suam e meu coração aperta da mesma forma que acontecia quando nos conhecemos, meu pensamento está nela e a mesma me abraça por trás e me diz a frase que move minha vida…

clara – eu te amo pra sempre…

FIM

Permanecer ali naquela praia, o tempo passa, as vezes ficamos assim, olhando o mar, abraçadas, sem trocar muitas palavras, as mesmas não são desnecessárias, curtindo a vista, sentindo vento bater no nosso rosto, lembranças boas, somente essas, me fazem sorrir e olhar rapidamente pra trás e ver no seu rosto aquele sorriso, lhe dou um beijo rápido no rosto e volto a olhar o mar, sorrio como boba… vivo em permanente estado de felicidade…como é bom amar… como é bom amá-la.

anonymous asked:

Hey! Is it true that DK has a Rh-O blood type? If so, what does it means? I think I've elarnt it in Biokogy class but can barely remember anything regarding the topic. Mind enlighting me please?

Yes, it’s true. As we know, there are 4 types of blood types, A, B, O, and AB. But then there is the Rh factor which is Rh negative and Rh positive, making it 8 blood types. Having Rh negative blood type means you lack of Rhesus Monkey Protein which could be found in Rh positive blood type. Rh-O is the rarest blood type and is an universal donor.

  • Rh+O blood can only donor to another Rh+ blood type;
  • While Rh-O blood can be donated to any other blood type;
  • But having Rh-O blood also means you can’t receive any other blood type except Rh-O.

James Christopher Harrison, conocido también como el hombre con el brazo de oro es un donante de sangre australiano cuya inusual composición de plasma sanguíneo se ha utilizado para el tratamiento de la enfermedad de Rheus o Incompatibilidad Rh. Ha realizado más de 1.000 donaciones y salvado más de 2.000.000 de vidas.

Harrison fue galardonado con la Medalla de la Orden de Australia (OAM por sus siglas en inglés), el 7 de junio de 1999.