revista a capa

Acho extremamente feio quando alguma amiga vem com o papo “Nossa, sabe aquele casal? Credo! Ela não merece ele. Ele é lindo. E ela é horroroooooosa. Já viu? Não entendo porque ele está com ela”. Querida amiga, ele está com ela porque provavelmente ela tem algo que você não tem: valores. As pessoas tem que parar com essa mania de querer sempre o que é do outro, de achar sempre que o outro é inferior e não merece aquilo que tem, ou pior, de se achar melhor e mais merecedor do que o outro. Aqui vai uma novidade: ainda existem casais que estão juntos somente por amor. Somente para amar. Sem essa de aparências, status, ou dinheiro. Eles se amam. Mesmo que um pareça um modelo de capa de revista, e o outro uma simples pessoa que compra a revista na banca. De alguma forma, eles se completam.
—  Isabela Freitas 🌼
Imagine com Harry Styles
  • Pedido
  • Poderia fazer um do Harry em que eles namorada durante um ano ai eles terminam e depois de alguns meses o Harry se declara para ela e eles voltam

  - Cuidado com os degraus! - Harry me guiava. Eu não enxergava nada, estava com os olhos fechados pois meu namorado havia preparado uma surpresa para mim, para nós.

  Podia sentir o cheiro das flores e das velas aromáticas se misturando com o cheiro de Harry, uma das mais belas combinações. Apertava a mão dele com força, a curiosidade estava me matando aos poucos mas eu cumpriria o que prometi à ele não abrindo meus olhos enquanto ele não permitisse.

  - Abra os olhos. - ele sussurrou em meu ouvido me causando arrepios e deixando meu coração acelerado. Só ele consegue causar isso em mim.

  Abri lentamente os meus olhos e senti eles marejarem assim que terminaram de correr pelo local. Estávamos no terraço de um restaurante, uma mesa no meio das pétalas de rosas que estavam jogadas pelo chão e velas por todo o local. Ele me abraçou por trás descansando sua cabeça em meu ombro.

  - Você lembrou. - sorri enquanto lágrimas deslizavam livremente pelo meu rosto.

  - Nunca esqueceria onde demos nosso primeiro beijo. - ele me virou para ele.

  Eu não sabia o que dizer, apenas o abracei com toda à minha força. Olhei para a enorme lua, que era testemunha do nosso amor e sorri enquanto agradecia mentalmente por ter encontrado alguém como Harry.

  - Feliz um ano de namoro. - ele me disse e eu o beijei compartilhando todo o amor que eu sinto por ele.


  - Volta aqui, eu não terminei de falar com você! - ouvia seus gritos e eu só sabia implorar mentalmente para que esse pesadelo acabasse. Enquanto eu andava tentando sair daquele lugar, senti a mão dele segurar meu braço com força me virando para ele me forçando à olha-lo.

  - Me solta. - às lágrimas em meus olhos fez isso soar como um pedido.

  - Me explique o que é isso! - com a outra mão dele ele segurava uma das dezenas revistas que me tinham na capa abraçando outro cara, elas diziam que eu estava traindo meu namorado e ele acreditou nisso.

  - Eu já disse! - gritei. - Ele é meu amigo de infância, Styles!

  - É ele, não é? Sua vadia! - ele gritava. Sentia meu coração se despedaçar aos poucos.

  - Ele é gay! - gritei o mais alto que pude. Ele continuava apertando o meu braço. Fechei meus olhos tentando acreditar que aquilo não se passava de um pesadelo, mas os abri assim que ouvi a risada debochada de Harry.

  - Você acha mesmo que eu vou acreditar nessa desculpinha esfarrapada? - ele me soltou e começou a passar a mão em seus cabelos o jogando para trás com força. Seu rosto estava vermelho de ódio e seus olhos carregavam raiva e sarcasmo. Nada daquilo me assustava mais, eu já estava acostumada a suas crises de ciúmes.

  - Se você prefere acreditar na mídia eu não posso fazer nada. - disse simplesmente. Eu não poderia força-lo a acreditar em mim.

  - Eu te dei tudo e você me trai… Eu devia ter escutado meus amigos quando eles me disseram o quão vadia você é! - ele dizia mais para ele mesmo do que para mim. Não havia deixado nenhuma lágrima escapar de meus olhos desde o começo da briga… até agora.

  - Quer saber? Eu cansei. - não conseguia acreditar no que eu estava dizendo, mesmo eu sabendo que era o melhor à se fazer.

  - Saia da minha casa. - ele apontou para a porta.

  - Adeus, Harry.


  Já se passou quatro meses desde que eu e Styles terminamos, no começo eu não queria aceitar, passava noites e mais noites acordada tentando acreditar no que havia acontecido, mas no segundo mês eu já estava um pouco melhor, havia começado a sair e todas noites eu era vista saindo de alguma boate diferente sendo carregada, pelo menos eu havia começado a sair de casa. Só quando o terceiro mês chegou que eu havia conseguido me acostumar com a ausência dele e havia voltado a trabalhar. E mesmo depois desse tempo todo eu ainda conseguia amar ele, mas com o tempo eu consegui colocar em minha cabeça de que acabou.

  - (S/n) (S/s)? - olhei para o homem que eu nunca vi na minha vida. Todas às minhas amigas do trabalho olhavam para mim e para o homem.

  - Sou eu. - disse e o homem veio até mim. - Posso lhe ajudar em algo?

  - Pediram para lhe entregar. - e só então eu percebi um enorme buquê de rosas vermelhas na sua mão. Ele me entregou o buquê e logo saiu do meu local de trabalho deixando todos para trás com olhares curiosos.

  Sentei-me na minha cadeira que ficava de frente para a minha mesa e comecei a observar o buquê. Ele é lindo. Procurava algum cartão no buquê para saber quem havia mandado mas não tinha nada.

  - Está namorando e não nos contou, (S/a)? - Emily perguntou. Todas às minhas amigas já estavam em volta da minha mesa.

  - Eu não estou. - elas me olharam confusas.

  - E quem mandou? - April perguntou curiosa.

  - Eu não sei. - se elas estavam confusas, eu estava ainda mais.

  - Não tem bilhete?

  - Não, e eu não faço ideia de quem mandou. - falei sincera.

  - Você acha que foi o Harry? - Emily perguntou. Só de ouvir o nome dele meu coração quis sair pela minha boca mas me controlei.

  - Ele não tem motivos para me mandar. Não acho que foi ele.

  - (S/a) tem um admirador secreto. - elas começaram a me zoar. Revirei meus olhos e depois logo comecei a rir junto com elas. Quem quer tivesse mandado às flores conseguiu deixar meu dia melhor.


  - Obrigada pela carona, garotas! - agradeci enquanto saía do carro de Emily.

  - Você tem certeza de que não quer ir conosco? - Sophia perguntou. Elas estavam indo para uma boate, já era sexta feira mas eu não estava no clima.

  - Tenho, tudo que eu quero agora é tomar um banho de banheira e depois dormir! - elas fizeram careta.

  - Velha! - April me zoou. Nos despedimos e eu esperei o carro delas sumir para que eu pudesse ir até a minha porta. Peguei a chave em minha bolsa e quando eu ia coloca-la na porta para abri-la, me deparei com a porta encostada.

  Engoli em seco e já estava com o celular na minha mão para que qualquer coisa, eu ligasse para a emergência. Tomei coragem para entrar em casa antes de ligar para a polícia. Estava tudo escuro e quando eu acendi a luz, iluminando toda a sala, me deparei com a sala toda cheia de flores. Havia todo o tipo de flores por todo o canto causando um cheiro delicioso.

  - O que? - falei baixo.

  - Oi. - ouvi uma voz rouca atrás de mim. Me virei rapidamente encontrando Styles com as mãos no bolso demonstrando nervosismo.

  - Harry. - sussurrei. Não podia acreditar no que eu via. Ele havia feito isso tudo para mim?

  - Gostou? - ele perguntou depois de um tempo em silêncio.

  - Sim, mas por que isso? - perguntei confusa.

  - Porque eu te amo, (S/n). - engoli em seco.

  - Mas.. - ele me interrompeu.

  - Eu sei que errei feio não acreditando em você, mas eu estava louco só de pensar em outro homem tocando em você como eu tocava. Só de pensar em você com outro alguém me enlouquece. Ter você longe de mim mas ao mesmo tempo tão perto está me matando aos poucos, (S/a).

  - Você que quis assim, Harry. - ignorei a enorme vontade de chorar.

  - Eu sei e me arrependo amargamente por isso. Por favor, volta para mim. Eu prometo nunca mais desconfiar de você, baby. Minha vida não tem sentido sem você. - ele colou nossas testas.

  - Styles… - sussurrei. Sua boca estava a centímetros longe da minha.

  - Volte a ser minha, (S/a).

  - Eu nunca deixei de ser sua.

Gabi