respirars

Quiero respirar, odio esta noche.
Quiero despertar, no me gusta este sueño.
Estoy atrapado dentro de mí, pero siento que estoy muerto.
No quiero estar solo.
Solo quiero ser tuyo.
¿Por qué este lugar es tan oscuro y no estás aquí para ayudarme?
Soy peligroso cuando me encuentro solo.
—  BTS- Save Me

Me gusta estar abrazada a él y acariciar su espalda, sentir los latidos de su corazón y respirar su aroma, cuando nuestras manos están entrelazadas y nuestras miradas se encuentran, me gusta sentir sus manos en mi cintura como si estuvieran moldeadas para encajar en ella, cerrar los ojos y pensar que existe un futuro con él, que algo bueno nos espera, que vale la pena ilusionarse una vez más y que esta vez si resultará.

Ho voglia di fare l'amore con te
Baciarti piano, al buio
Abbracciarti stretto stretto
E baciarti il collo
L'orecchio
Poi scendere
Le clavicole, almeno tre baci per una
Ascoltarti respirare
Sentire il tuo cuore confondersi con il mio
Stringerti piano la mano
Mentre mi baci il seno e po’ più sotto.
Voglio fare l'amore con te
Disegnarti al buio
Raccontarti i miei sogni con le dita sulla schiena.
Voglio fare l'amore con te
Regalarmi a te
Amarti senza alcuna riserva.

@tuapiccolaginger

Antigamente eu tinha um problema, eu me sentia muito mal em ter que viver, parecia que respirar me doia. Agora eu me sinto leve, nem os domingos têm me incomodado tanto, até me arrisco a dizer que estou em paz. Existe vários outros lugares melhores no universo e eu quero muito ir pra qualquer um deles, mas, por enquanto, tenho que estar aqui e devo buscar o meu melhor, para poder evoluir cada vez mais. Deus existe e ele é bom, nós é que não somos.

me siento tan mal que no puedo funcionar bien, me cuesta respirar y quiero llorar y llorar como cuando era chica, no sé qué hueá me está pasando y me asusta

A morte nos aparece de muitas maneiras, não só quando paramos de respirar. Ás vezes a morte vem e você continua respirando, compreende?
—  Pê.


porque eu escrevo na ânsia de parar o choro e me acostumar a respirar como alguém que pedala uma bicicleta e sabe pra onde ir
nunca o que eu disse foi pra outra pessoa senão pra mim
eu falava do amor aos passarinhos e das guerras
e sobre um “você” que nunca me alcançaria
mas era sempre sobre as várias versões de mim que me faziam de casa mesmo em castelos de medo
eu falava de amor porque eu não o sentia
e eu falava de choro porque eu o via demais
eu falava de saudade porque a falta de um tudo desconhecido me doía
e eu falava de Deus porque luz nenhuma já me atravessava e eu precisava de alguém pra culpar
eu falava sobre o silêncio porque queria gritar mas não conseguia
e falava do desespero porque eu queria arrastar a minha pele como se pudesse me proteger
mas eu não podia
eu sabia, era outro dia
e eu estava caindo
mas o que me assustava agora
é que não eu queria
me salvar

Magnifica, New Orleans!

Ieri, vicino al French Market, una banda di ragazzi ha iniziato a suonare, a darci dentro con trombe, sassofoni e percussioni come se non ci fosse un domani e la gente ha percepito questa foga, questa passione improvvisata e l'ha condivisa in pieno. Un tizio si è fermato in macchina per ballare. Un altro è sceso per sganciare qualche dollaro. Una signora ha cominciato a dimenarsi come un'invasata, poi una coppia non più giovane e un'altra ancora. Quindi si è avvicinato uno presumibilmente senza tetto con una lattina di birra in mano e ha iniziato a ballare pure lui. C'era un signore con un bimbo sul passeggino e vi giuro che anche il marmocchio muoveva le gambette. Cristo, è passato pure uno vestito da Pikachu e ballava anche lui, incredibile! Ma il bello di New Orleans, intendo proprio la componente magica della sua bellezza così fuori del comune, è proprio l'atmosfera che fa respirare. Tutti sono uguali dinanzi alla musica. Bianchi e neri, vecchi e giovani, ricchi e poveri. Tutti ballano, qui, quando il dio del jazz si manifesta. Ed è magnifico.

Ella baila con todos

Parece que algo rebota en el silencio, ecos de una soledad que murmura a contraluz de lo que podes sentir (si tu corazón la alumbra). Un frío en la espalda, de esos que no temblas pero te mordes la lengua. Parpadeas dos veces y el sueño ya no está, puede que sea realidad o la muerte del disfraz, ese que te trajo ileso hasta acá.

La peor oscuridad no es la falta de luz sino no tener nada que ver. Si tenes algo que percibir con los ojos fundidos en las manos, si tenes algo que respirar sin poder esquivarlo, la piel pide piel y los sueños compañía (sentirlos sin mirar).

“ Ella es la que más brilla a esta hora,
cree que es invisible esta vez
a los ojos de todos los tontos
que saben su lunar. “

Sus narices chocaron.
Ambos sentían su respiración.
Ambos cerrarón sus ojos
y se besaron…
Fue el inicio del caos más hermoso del universo.
—  Poeta Invisible