refugiadastextos1

Nós mulheres somos extremamente complicadas. Uma hora vamos concordar com tudo o que vocês disserem, outra hora vamos discordar. Nós somos assim, contraditórias na maior parte do tempo. Gostamos quando vocês homens mandam flores e sms no meio da noite, mas as vezes um pouco de malicía faz bem. Não gostamos de chorar na frente de vocês, mas se chorarmos, só nos abracem. Nos abraçar no meio dos seus amigos faz com que a gente se sinta super felizes e nos faz confiar ou acreditar mais nos seus sentimentos. Nosso silêncio é um grito que ninguém ouve e poucos entendem, na maioria das vezes o nosso “nada” é uma máscara para esconder um turbilhão de problemas explodindo dentro de nós. Somos mais sentimentais do que aparentamos, e meros detalhes nos conquistam. Detalhes como beijo na testa, andar de mãos dadas, ou até mesmo quando colocam a nossa franja atrás da orelha olhando nos nossos olhos. Somos consideravelmente tolas na hora de amar, e estamos sempre a procura do tão sonhado príncipe encantado. Somos cheias de mistérios e como diria Clarisse Lispector “Toda mulher leva um sorriso no rosto e mil segredos no coração.”  — refugiadas 

Quero sair um pouco da rotina. Aproveitar intensamente cada momento que a vida me proporciona. Quero quebrar as regras pelos menos uma vez e curtir do meu jeito. Quero poder dizer que não tive medo de me arriscar pela minha felicidade, ou até mesmo por uma satisfação momentânea. Arrancar as correntes que me prendem ao chão, me sentir livre. Quero libertar todas essas sombras aprisionadas em mim, me desprender dos padrões impostos por esta sociedade autoritária. Tomar as rédeas da minha propria vida, sem medos de julgamentos. Sem parar pra pensar no medo que me impede de ir adiante. Seguir meus sonhos de forma grandiosa, despertando todos aqueles lados que em mim nunca foram vistos antes. Quero me sentir como um pássaro, e como todo pássaro, quero voar. — Refugiadas 

Remendada. Palavra mais que suficiente para definir seu coração. Remendar, desremendar, sorrir e logo depois chorar. Estava farta disto tudo. Farta de sentir a dor corroendo seu peito. Estava disposta a qualquer coisa para curar-se desse sofrimento todo. Desta agonia que a sufocava aos poucos. Enseava por sorrisos, por um pouco que foste de felicidade. Por alguém que pudesse entrar em sua vida, e que nela permanecesse. Estava farta da indiferença dos outros, estava cansada de tentar reconstruir-se sozinha. Precisava de um colo no qual pudesse desabafar em prantos e aconchegar-se nas horas difíceis. Precisava sentir-se protegida. — refugiadas 

E entre choros eu vou me enganando, mentindo em frente ao espelho, dizendo que não te amo. Respiro fundo ao acordar, mas o brilho do Sol insiste em me lembrar o quanto teus olhos brilham ao me ver, e sinto na pele o calor do Sol, porém não é o bastante pra me aquecer. Eu quero mais, eu quero você. Quero rir e sorrir junto contigo, como nos velhos tempos, é pedir demais? Existem algum modo de esquecermos a dor que causamos um ao outro e sermos felizes novamente? Será que há um remédio que cure saudade? Ou pelo menos amenize, pois me dói muito. É insuportável a falta que sinto de nós, chega a me causar agonia. É contraditório, mas estou cheia de vazio. Sinto que falta algo aqui, falta você aqui comigo. É doloroso isso de não ter mais você aqui pra compartilhar dos nossos segredos como sempre fizemos. Tudo mudou entre nós. Eu mudei, você mudou. Mas será que não podemos guardar essas mudanças numa caixinha e fingir que nada aconteceu? Não faz sentindo eu botar um sorriso nesse rosto pálido, com olhos inchados revelando a solidão dentro deles. Eu precisava de uma pincelada de alegria em minha vida, e só ganhei mais choros. Por favor não entenda isso como um pedido, mas a vida fica tão mais colorida com você aqui. Eu suplico a você, faço dessa uma grande ordem. Será que é tão difícil para você entender o meu lado, essas minhas vontades? Já estou tão cansada de demonstrar essa minha fragilidade a você,que nem por um segundo é capaz de notar,estou tão cansada de imaginar como seria a minha vida com você. Porque por boa parte do tempo, eu fui feita de mentiras. Eu fui feita de verdades inventadas, que me completavam quando você não era capaz de fazer a sua parte. Mas me encontro tão cansada, sem esperança alguma. Mas sempre a sua espera, a espera de você, do nosso amor, e dos seus toques reais de felicidade. Não me sinto dependente de ti, mas é que com você tudo fica mais bonito, o mundo parece ser melhor, ao teu lado eu sinto vontade de viver. Como se teu amor você o único motivo para que eu seguisse enfrente. Eu amo cada detalhe seu, cada gesto singelo, cada piada sem graça. Eu gosto do teu jeito atrapalhado, meio desastrado, gostava, você mudou, quase não te conheço, te quero de volta. Mudanças são necessárias, mas você ficou gélido e quase não esboça um sorriso. O teu amor deixa o mundo colorido, faz tudo parecer mais leve com uma simplicidade inconfundível que só você poderia proporcionar-me. Os dias ficam ensolarados, magníficos. O tempo ao teu lado parece passar voando, infelizmente. Nosso tempo foi muito curto, muito vago. Não foi suficiente. E agora, que tudo está acabado, meus dias voltam ao preto e branco natural e piso, descalça nos cacos de nosso amor espalhados pelo chão. Pareço que gosto de provocar a mesma dor, pisando-os repetidas vezes, relembrando-me a cada minuto de nosso fim. Não me resta alternativa se não esquecer-te, esquecer-nos ou, pelo menos, tentar. Refugiadas

Basta. Tem horas que o coração resolve pegar pesado com a gente, e a melhor saída é dar um basta. Eu havia me cansado de viver calada pelos cantos, e decidi que alguém precisava ouvir minha voz. Eu descobri que melhor que andar chorando, é viver sorrindo. Eu aprendi que nos meus erros eu ganho força pra seguir em frente. Eu aprendi tantas coisas nesse meio tempo que vaguei pelo mundo sem nem ao menos sair do meu quarto. Decifrei tão bem as pessoas sem nem precisar conhecê-las, afinal, todos nós temos pensamentos iguais. Apesar de tão complexo às vezes, no final acaba como todos os outros pensamentos. Somos feitos do mesmo material, do mesmo sopro, e por mais que não percebemos ou não aceitamos somos todos iguais. Descobri que preciso ter a felicidade como minha aliada e a esperança caminhando ao meu lado. Aprendi que as barreiras da vida são vencidas com um pleno e simples sorriso no rosto. E a tristeza pode ser despejada com um simples adeus a uma vida velha e um simples olá ao recomeço. Descobri a renovação de um novo ciclo, talvez melhor ou ainda pior, terei que vivê-lo de tal forma que a infelicidade não venha a bater na minha porta novamente a atormentar meu pobre e indefeso coração. Aprendi que mudanças são necessárias e vitais ao longo desta caminhada, ninguém vive sendo a mesma pessoa de sempre com teus erros e acertos, a vida sabe realmente como ensinar, uma dificuldade ali, outro problema bem no cantinho que nos ensinam a ser pessoas melhores e sustentadas com a força trazida dos céus. Já acreditei em muitas coisas tolas nessa vida, mas fui crescendo internamente, aprendendo a me entender vagarosamente e limitando-me a poucos tristezas cotidianas a este meu pequeno coração, tão puro, tão pequeno, esmiuçado por assim dizer nestes tremendos ciclos em que vivo, pela necessidade de encarar tudo mais uma vez. Aguenta coração, se contenha e não me cause dores, segura só mais essa barra, já vai acabar, eu sei que vai. - Refugiadas

Estou farta de fazer as escolhas erradas, cansei caminhar em trilhas que não me levavam a lugar nenhum, não quero mais me perder em meio a tantos labirintos que a vida põe no meu caminho. Minha mente já não suporta tantas dúvidas e meus pés já estão criando calos de tanto caminhar na direção contrária. Me disseram que na hora certa tudo iria se acertar, mas essa hora está demorando muito para chegar. Me juraram que uma hora tudo se encaixa e começa a fazer sentido, mas eu já estou perdendo as esperanças. Não posso continuar vivendo desta maneira, não devo voltar pelo caminho que vim. Pretendo atingir meus ideais. Preciso fortificar minha esperanças e voltar a acreditar que o tempo pode arrumar minha vida, ou pelo menos amenizar a dor insuportável que me causa receios. Usarei todas as minhas armas, e mesmo sem forças, irei a luta. Sei que a vida ainda tem muitas surpresas boas que me esperam no caminho, por isso eu não devo ter medo de seguir. — refugiadas 

Chega um momento que nada mais lhe agrada, você começou a enjoar das músicas que mais gostava, não consegue mais sentir aquela sensação confortante que ela te transmitia, você vai perdendo aos poucos a vontade de viver, de estar presente nessa droga de sociedade, você se sente mal quando alguém te sorri com simpatia e você não tem a tal capacidade para retribuir. E vai se esquecendo aos poucos de si mesma, mas ainda consegue lembrar de ir ao banco pagar a conta de luz atrasada, perde sua identidade, tudo se torna tão vazio, tão sem sentido. Mas você se julga forte, então faz de tudo para não se render a esse vazio, mas não tem mais forças, tão pouco vontade e quem dirá esperança. Talvez você seja tão forte, por apenas chorar a madrugada inteira e levantar daquela cama com um sorriso tão lindo pelo rosto que faz qualquer um delirar. Mas, este sorriso vai perdendo as forças ao longo do dia, pois você não aguenta mais nada, exatamente nada. Essa vida tristonha e monótona, nada que você faz muda e sempre que vai voltando para casa esquece de ir pagar a conta de água atrasada, pois você filtra seus pensamentos no seu passado tão feliz, naqueles que disseram que eram seus amigos e no final te abandonaram, naquele seu amor que te deixou e fez isso contigo, naquelas desgraças da vida sabe? Pois bem, você vai pagar aquela conta que sempre esquece, depois que lembra corre para pagar e já venceu. Mas de todas as vociferações ditas ao vento de nada se torna necessário, ninguém lhe ouve quando solta gritos silenciosos pela madrugada, nenhuma alma sequer acalento teu ego corrompido e depois de tudo isso, de tantas coisas que lhe aconteceu o sol solta uma piscadela destinada a ti, realça a menina dos teus olhos que anda desmaiada, enegreça teu olhar destemido que sempre teve, ajeite as mangas, cerre os punhos e deixe os desalentos para outra hora. Moça, entre no seu quarto e vasculhe no te baú, lá dentro no fundo, guardado em uma pequena caixinha vermelha e enlaçada por uma fita prata, lá está teu presente, naquele lugar tão escondido foi guardado teu sorriso sincero e alguns gracejos que todos faziam comentários sobre tua adorável alegria, largue de vez esse teu olhar fúnebre. Mesmo que tudo esteja desgostoso e nada lhe faz bem, cante em voz alta para espantar os temores, já dizia o ditado “Quem canta seus males espanta.” - Refugiadas

Querendo tudo e ao mesmo tempo nada. Estranha, confusa, se resume a ela. Não sabe o quer e se realmente quer. Sorri sem motivos e chora também por tal. Mas o que realmente acontece com ela? Frescura, ou realmente ela está decepcionada. Ela não sente vontade de viver e não foi porque não ganhou o celular de ultima geração. Acho que ela não se importa com tais bens matérias, nem com teu coração. Tão contraditória, dizia-se. Não sabia mais o que sentir. O que falar ou fazer. Não tomava partido de mais nada em sua vida; só assistia-a passar. Foi magoada o suficiente para esquecer-se de tudo, inclusive de si mesma. Não sabia ao menos quem era. Não importa-se mais consigo mesma, só faz favores e mais favores aos outros que a pisam. Seu coração está quebrado, em pedaços, ela só recusa-se a admitir. A admitir que esta mais uma vez machucada, ferida, por um mero idiota. Sua posição diante as pessoas é humilhante, ela se menospreza a cada dia, e com isso fere ainda mais aquilo que podes chamar de seu coração. Pois na verdade ela finge ser quem não és. Finge ser aquela moça amarga, fria e forte, que não sente dores, que possuí uma pedra no lugar do coração. Mas na verdade ela é aquela moça ingenua, delicada e muitas vezes frágil e quebradiça, dona de uma doçura imensurável, de um esplendor encantador. Mas um dia meu caro, um dia aquela máscara irá cair, então o sofrimento, eu lhes digo será muito pior. Moça por favor saia de sua capa e mostre a sua verdadeira face, o seu verdadeiro interior, quem sabes assim seras recompensada com a felicidade outra vez. Renova-te, e mostre ao mundo a doçura e a magia do seu eu interior. Abra-te um sorriso em meio a dor. E por favor se ache outra vez, procure sua verdadeira essência, seu aroma e seu gosto de moça alegre e pare de se rebaixar ao nível de quem só quer teu mal. Valorize-se e sejas feliz. Refugiadas

A pobre moça desvairada, solitária, quebradiça e acabada por dentro. Já estava farta de ficar esperando essa tal de felicidade que dizem que traz sorrisos iluminados e momentos melhores para sua vida, estava cansada de viver somente entre as lágrimas. Mas como era inocente não saberia que para a felicidade a encontrá-la teria que abrir a porta de seu coração, teria que se levantar e correr atrás dos seus sonhos. Tão inocente que nem sorriso sabia forjar, e todos percebiam que estava mal. Vai se reerguer e vai correr atrás do que tanto cobiça. A sua felicidade própria. E vai sentir o gosto da conquista, e vai sair por ai esbanjando felicidade. Não se exibindo, vai estar apenas vivendo. Vivendo da maneira que sempre quis, não somente respirando pelos cantos da casa, muito menos exercendo a função de um encosto, queria ser muito mais do que isso, fazer acontecer, mas onde estão suas forças que cada vez mais se viam fugindo do corpo miúdo da moça. Ânimo moça, um pouco disto lhe faria bem. E a mesma já não sabe mais como achar ânimo. Um bom começo seria seguir em frente botando de lado todos os apostos, tudo aquilo que não lhe acrescenta em nada. Recuperar sua alma, sua essência, provar da sua liberdade. Sorria. Se as coisas boas não chegam até você, vá atrás delas. Não deixe que prossigam a pisar em cima de seus sonhos, não deixe que ditem suas regras. Ande lado a lado da sorte siga a tal felicidade, descubra seu significado, sei que ela se encaixará muito bem nessa sua atual monótona e amarga vida.Refugiadas

Olho-me severamente arqueando as sobrancelhas e encarando meu reflexo refletido no espelho sujo, já não me reconheço, não entendo minhas atitudes exageradas que mudaram repentinamente, são os acasos da vida que nos frustram, ora fui doce e delicada, agora quem sou eu, apenas um mero reflexo que foge de si mesmo, carregada de acidez que corre pelas minhas veias , corrompe meu ego e destruindo meu coração. Não me reconheço mais, não sei o que faço aqui, não aturo sequer alguma palavra de consolo pra animar o que nos fecha, perdi o foco, desnorteada do mundo, desnorteada de mim mesma. Nossa! Quantas mudanças em um período tão curto de tempo. Isso é bom será? Talvez, tenho medo dessas mudanças, tenho medo do que ainda a por vir em meio a estas dores tão fortes que vem se acumulando dentro de mim meu dia a dia tão clichê e tão vazio. Sabe, hoje prefiro ficar sozinha em meu quarto, no meu mundo tão solitário que um dia habitou centenas de pessoas que diziam me proteger dessas coisas que vem me torturando hoje. Essas pessoas? Disseram me amar, disseram que nunca iam me abandonar. Mas o final de tudo sempre acaba em sofrimento, já estou acostumada com isso, com esta certa insignificância das pessoas de me deixarem de lado. Estou farta da vida, destas mudanças que vem junto com a brisa fresca. Desta confusão que tudo se tornou. Espero que a vida daqui pra frente se torne mais boazinha comigo, pois será duro demais ficar aguentando toda essa bagunça que se forma dentro de meu peito. Pois hoje posso dizer com plena certeza que não sei mais quem eu sou. Me prosto em frente ao espelho e fico horas me fitando tentando descobrir algum mistério escondido por trás de meu ser tão confuso e perdido. Porem todas as tentativas se tornam em vão. Refugiadas

Colocou a música mais nostálgica que tinha, escutou por horas seguidas. Um nó na garganta e depois uma sequencia de lagrimas. E chorou, chorou como nunca tinha chorado antes. Lembrou de tudo, do começo até o fim. Fim doloroso esse, que ainda te persegue. Mas sabia que lá no fundo teria que esquecer e principalmente recomeçar. E assim foi tentando fazer. Foi buscando forças lá de dentro, mesmo sabendo que já não tinha mais nada ali. Estava completamente vazia, e tão recheada de sentimentos ruins. Buscou sorrir com os programas mais idiotas de televisão, mas sempre quando desligava, a dor voltava a lhe pertubar. Ela queria continuar, seguir em frente, mas havia algo que a prendia naquela solidão torturante. Já não sabia mais o que fazer, já não tinha mais saída. E principalmente não tinha como fugir de si mesma, por que dá para ver que o problema em si era ela. Já não bastava tortura-se com a saudade, ainda tinha o gosto amargo do abandono. Mas ela nunca foi forte, como aparenta ser, por isso teu rosto vivia todo molhado com lagrimas salgadas, apesar de tudo ela sabia o momento certo para demostrar a fraqueza, quando estava só em teu quarto. Nunca desmoronou na frente de ninguém, por um lado tinha vergonha, e por outro, medo do que as pessoas iam pensar. Logo ela que sempre foi tão forte, hoje em dia se desmanchava em rios de lágrimas. E havia se acostumada com a solidão que se abrigava em seu quarto escuro e frio. Mas ela sabe que é só uma fase sombria de tua vida, e com um cadinho de tempo ela supera. Ah, e como supera. Não vai demorar muito e ela vai estar por ai esbanjando sorrisos. Porque ela sabe como filtrar momentos ruins e deixar só aprendizado. - Refugiadas

Quando finalmente você consegue esquecer aquele rapaz que tanto te fez sofrer no passado, ele aparece. Aparece para te confundir, e embaralhar sua mente de uma tal maneira que você se vê perdida, por dentro e por fora. Se perde nos próprios sentimentos, nas próprias mágoas. Por um momento esquece-se das noites mal dormidas e das lágrimas derramadas, e encontra o amor que deixou recatado, bem escondidinho dentro do peito. Esse amor é medroso e machucado, mas ainda é amor. Está um pouco decepcionado, mas ainda é amor. Pensava que já havia apagado todos os rastros que nós havíamos deixados, mas esqueci de apenas uma pegada marcada no tapete da sala e apenas isso já foi o suficiente. Uma pequena ideia que não importa o quão minúscula seja, ela está lá gravada, pronta pra ressurgir novamente, só espera o momento certo. Vai se multiplicando aos poucos como um vírus, meu sistema imunológico não reconhece esse parasita como um ser estranho que entra sem deixar recado. Só dou por mim e vejo esse estado quando já é tarde demais. Eu estremeço e enlouqueço cada pensamento pesado me condena. Mas não tenho culpa, não posso dar fim a uma coisa que nunca acabou. Simplesmente não posso. Mesmo sendo um erro, eu quero tentar torná-lo o meu maior acerto, pode ser até impossível mas não posso deixar de desistir agora, sinto que ainda ah alguma coisa entre nós que nos envolve um ao outro, que nos liga e nos faz ser um só. Posso estar me equivocando querendo lutar a favor de um nós, porém terei a certeza de que pelo menos fiz a minha parte para ter o meu coração em paz novamente, contigo ao meu lado. Podem até me achar uma tremenda tola por querer voltar atrás, mas eu me sinto sufocada e abalada com esse teu perfume que ainda permanece no ambiente onde vivo, das fotos que ainda me atormentam na tela do computador, mas que eu não tenho a mínima coragem de tirá-las. Cada coisa que eu vejo me lembra você, o seu sorriso e aquele seu amor que dizia sentir por mim. E eu finalmente me dei conta que é quase que impossível viver sem o teu carinho, sem o seu coração. Deixei o orgulho para trás e comecei a investir em uma futura reconciliação, ou talvez em um futuro recomeço da nossa relação. - Refugiadas

Indecisão poderia ser seu segundo nome, ela realmente não sabe o que quer e se sabe não alcança suas expectativas, tem dias que ela está totalmente de bem com a vida, porém em outros mal consegue levantar-se da cama. Ela se enjoa facilmente das pessoas, não diria que se trata de falsidade, mas sim de cansaço, não agüenta mais os mesmos assuntos e as mesmas pessoas sem conteúdo. Ela também não tem muito a oferecer, por isso prefere fica dormindo a sair por ai bancando a mal amada. Talvez tudo seja apenas falta de amor ou talvez isso tudo sejas uma grande baboseira, ela vive questionando sua existência, na verdade ela questiona tudo. Na sua cabeça atrapalhada, ela tem certeza de que ainda não está preparada para vida e nunca vai alcançar tal façanha, isso a tortura muito, além da constante pressão do mundo sobre seus ombros. Ninguém consegue enxergar que por debaixo desse sorriso existe apenas uma criança assustada implorando por ajuda. Tudo é ótimo, a vida é ótima, outra mentira que ela conta para si mesma, para disfarçar o deplorável e triste estado que a consome. É o tipo de menina que deixa de se cuidar para cuidar de toda a dor dos outro. Faz tudo por impulso e muitas vezes isso a prejudica. Batalha com seu machado já quase todo quebrado de tantas batalhas perdidas e algumas conquistadas ao longo do tempo. Menina que adquiriu a algum tempo uma caixinha com diversos sorrisos, um para cada dia, e quando a dor vem mais forte o seu sorriso comprado na 25 de março vem maior. Apesar dos pesares, ela é uma garota forte, aguentar tudo que ela aguenta calada é para poucos, talvez ela chegue ao final da estrada com glória, pelo menos seria o minimo que ela merece. Espero que ela nunca perca a vontade de sorrir como perdeu a vontade de viver, mas isso ainda pode ser recuperado, tudo se encontra na essência que por incrível que pareça ainda está intacta, logo logo ela acha o que perdeu e ai meu caro ninguém mais a segura.  - Refugiadas

Não sou obrigada a permanecer na vida de ninguém, e também não obrigo a permanecer na minha. Todos temos direitos de fazer escolhas, e eu escolhi ser livre. Por enquanto, não quero me apegar e nem ser dependente de alguém. Quero caminhar com minhas próprias pernas, porque sinceramente, estou cansada de sempre ficar abandonada. Nossas escolhas não vão agradar, mas o que importa é você, se te faz bem que mal tem? Já diziam, não se trata de puro egoísmo, só uma grande dose de amor próprio. Chega dessa palhaçada de se importar mais com os outros, do que comigo mesma, eu preciso de um pouco de atenção, já que ninguém dá, eu faço por minha conta. Eu preciso me amar mais. Na verdade, necessito me preocupar comigo mesma, porque se eu não me amar primeiro, ninguém vai. Não venha fazer papel de moralista na minha frente, dizendo coisas inúteis que sufocam cada um de nós, cansei de tudo, de correr atrás e receber desprezo, de amar com todo o valor incumbido a mim e receber apenas umas ligações não atendidas e um travesseiro molhado de lágrimas suadas. Chega um momento na vida que de tanto quebrar a cara e cair de cabeça a gente acaba cansando de tentar por dois, de se importar e fazer por onde, há vida é curta demais para sofrer por quem não te merece. Eu sei muito bem o que é isso, acredite, quem ama não te faz sofrer, quem ama te manda mensagens durante a madrugada, liga só pra dizer que está com saudade, e o que mais importa é alma. Amor não é uma beleza inundada de maquilagem para disfarças as imperfeições, muito menos um corpinho bonito, como diria Caio Fernando Abreu “Daí, penso também outra coisa de gente grande: não adianta muito você se enfeitar todo pra uma pessoa gostar mais de você. Porque, se ela gostar, vai gostar de qualquer jeito, do jeito que você é mesmo, sem brilhos falsos.” Sou quase um copo incompleto, me sinto tão vazia, sou uma real idealista. Sempre espero mais dos outros, mais de vocês, mais de tudo. E sempre menos tenho a receber. Vivo com extrema vontade de esquecer os problemas por um minuto que seja, esquecer você, esquecer tudo que me atormenta. Ser a escritora da minha própria história não um personagem, assim qualquer acostumado a sofrer. Quero tanto ser a dona do que você diz ser teu coração. Estou cansada de tanto recorrer aos meus livros de cabeceira, para esquecer esse meu pesadelo que eu tanto chamo de vida. Já tentei ser meio malandra, fazer o que tanto canta a Cássia Eller, mas lá no fundo eu sei que não mais sou uma garotinha Lá no fundo eu tentei e algumas vezes até deixei de ser. Mas nunca fui capaz de mudar por mim, mudei sempre por você, mudei sempre por acreditar em Romeu e Julieta, mudei por acreditar em amor recíproco. Mas eu realmente mudei, realmente por nós. Mudei por um “nós” incompleto, um nós que eu sozinha carreguei nas costas, empurrando com a barriga, escondendo as brigas debaixo do tapete. Mas um dia a casa cai, a mentira é descoberta, a cansaço vem à tona. Pelo menos alguma coisa nisso tudo eu aprendi. Hoje eu sei que morrer todos os dias por alguém que nunca viveria por você é bobagem, que a carência um dia desocupa a alma. Hoje eu sei que ser sozinho, não significa solidão. Só depende do ponto de vista, que a necessidade de alguém é tão desnecessária. Aprendi a dar valor ao que sou, e que esse amor todo que sentia por você, eram olhos fechados, mente vazia, era pura falta de amor em mim. - Refugiadas

Sua única companhia chamava-se solidão. Tão sozinha, tão desamparada, tão fria e tão machucada. Pobre moça com um buraco negro no lugar do coração, pois o roubaram e levaram-no para longe, para algum lugar que não sabe ao certo se conseguirá encontrar. Bandidos, delinquentes, levaram-na a sua felicidade. A tristeza tomou conta de seu ser, as lágrimas não se viam mais ali, pois nem forças ela tinhas mais, de chorar. Estava seca e rude. Sua alma não davas mais sinal de vida, ou de alguma forma de esperança. Ela estava presa a um labirinto e não sabia como sair dele; E precisava sair, conhecer o mundo lá fora, ir em busca de forças, de motivos que a fizessem sorrir. Estava exaurida de ficar presa naquele quarto sombrio, completamente vazio e ao mesmo tempo tão cheio de lembranças que a perturbavam. Ela não tinha mais alguém pra conversar, um ombro amigo pra desabafar ou desabar; Estava tão perdida nesse mundo obscuro e cheio de coisas banais. Tal menina tinha olhos inchados de tantas lágrimas que por ali escorriam, ela queria sorrisos abertos, choros de felicidade; Queria alguém para completa-la. Tinha medo de acabar sozinha naquele cômodo mais assustador da sua casa. Estava a procura de alguém para curar todas suas lamurias, de costurar com uma linha inquebrável cada ferida do seu coração. Desejava calorosamente ser feliz. Calorosamente o aconchego de quem a poderia trazer-lhe os meros sorrisos de contentamento a sua face nua novamente. Estava a espera deste desconhecido e torcendo para que ele não agravasse mais o seu encontro, com aquela bela moça amargada. Ele carregava consigo ramos de jasmim para colorir com a tês de sua vez, a vida da quela pobre moça cinzelada. - Refugiadas

Quilômetros separam nossos corpos, mas nunca nossas almas, muito menos nossos corações. Todas as milhas que nos distanciam só me fazem te querer mais. É como se a saudade sustentasse esse “amor proibido”, e o fizesse crescer. E a cada desavença que nós viemos a ter se torna um mero detalhe comparado ao que sentimos. Só precisamos de uma simples faísca para acender o fogo da nossa paixão e nos amarmos calorosamente independente de qualquer distância. Esse sentimento é imarcescível, estará sempre de pé, sustentado pela nossa confiança de que um dia tudo dará certo. Porque amar é isso, é confiar que no final tudo sairá como planejamos. Que todos nossos planos saíram de apenas sonhos para a realidade. É acreditar que distância nenhuma é capaz de apagar a chama ardente que existe entre nós. Distância é um detalhe pequeno, é só uma palavra pequena em comparação a nós, que juntos somos grandes. Mas eu não me contento e não me satisfaço e por mais que me forço a entender será para sempre incompreensível aos meus olhos acastanhados e fantasiados pelas cortinas do nosso amor. A minha alma e a menina dos meus olhos não entendem o que passamos, na minha vidinha monótona e lamentável, todos os dias os mesmos mantras são repetidos logo pela manhã, de maneira infrene eu penso em nós dois, nos juntando, sentido o toque das suas mãos envolvendo meu rosto empalidecido, teu respirar batendo contra as minhas bochechas coradas e teu rosto chegando cada vez mais perto do meu, e por longos segundos quase sinto teus lábios avermelhados sibilar junto ao meu em nossa dança de olhares representado por um tango, nos compassos desalinhados e sem premeditações. Acordo deste meus delírios que passo a maior parte do tempo pensar em nós dois e nosso pequeno amor, a realidade diz que não mas haverá de chegar um dia que nada disso será mais fantasia, será real, será apenas nós dois a nos amar. - Refugiadas

Não é flor que se cheire, já dizia sua mãe, completamente difícil de lidar, garota de personalidade forte. E quando colocava uma coisa na cabeça, não tirava de jeito nenhum. Teimosa até não poder mais. E se queria, queria logo, nada de demora com ela. Sempre foi assim ou oito ou oitenta, nada de meio termo. Perfeccionista em tudo que fazia, se não estivesse perfeito não lhe satisfazia. Moça dos vestidos floridos e da alma bela, por fora parecia um doce de menina, educada, formosa, sabia pôr-se no teu lugar e só abria a boca para soltar pequenas palavras na hora exata, olhava de maneira sutil todos os rostos que estavam a sua volta, com toda essa doçura perpetuada na pele, escondia a acidez e toda sua complexidade guardado no fundo do teu âmago. Odiava quando lhe diziam o que fazer, sentia-se mandada e subordinada a outros. Conversava com si mesma, sorria sempre e soltava uns gracejos com os amigos. Dizia que gostava de verde, mas só usava rosa, que amava sorvete de morango, mas só tomava de flocos, essa moça ninguém entendia, lacrimejava antes de dormir, chorava com gosto, quando lhe perguntavam o que tinha acontecido, respondia com toda rispidez tatuada na alma, “não foi nada.” Era lantejoula, era um brilho de pessoa, mas dentro de si um amargo se escondia. Moça bonita e olhos negros, que dizia gostar de rosas, mas o jasmim a encantava. A própria contradição em pessoa. Gostava de escuro para ouvir os pensamentos, os murmúrios de seus lamentos. Passava batom vermelho pra combinar, com as unhas que em detalhes lhe fazia mulher. Guerreira. Era forte. Não acreditava em destino, não acreditava em sorte. Era inspirada pelas músicas que o pai ouvia, era um pedacinho de cada moda que rolava. Mas o que mais impressionava nela era que no meio da incoerência do teu eu, continuava única. - Refugiadas

Eu gosto de escrever sobre você, mas pra falar a verdade adoraria escrever sobre nós dois. Sabe, dois amores que se amam de verdade, dois corações um único ideal, essa coisa toda que você já deve estar acostumado a ouvir, como seria fantástico eu e você juntinhos. Como seria perfeito se você percebesse o quanto eu gosto de você. Mas nada do que eu faça vai ser capaz de te chamar a atenção, você gosta de ter as garotas aos seus pés, mendigando isso que você chama de amor. Mas eu não sou assim, não sou dessas que você encontra em qualquer esquina, bagunça a vida e sai vagando normalmente pela cidade. Eu faria você mudar por completo, faria você perceber o quanto de defeitos você têm, te ensinaria a amar de verdade. Porque esses pequenos casos que você já teve, nunca foi amor.  Eram simples paixões passageiras, e de passageira eu não tenho nada. Eu vim para ficar, permanecer na sua vida. Renda-se aos meus encantos, porém eu sinto que você já é meu, lá no fundinho, no canto mais profundo. Renda-se ao fato que eu poderia ser a única a te dar sensações nunca imaginadas, deixa eu te fazer sentir borboletas no estômago, deixa eu te mostrar o que é amor, vamos desvendá-lo juntos ou apenas nos perdermos nele. Aceite o fato que eu poderia te fazer algo melhor e que poderíamos ser algo melhor juntos. Caia aos meus pés implorando pelo meu amor, aí sim te darei todo meu carinho e verás nitidamente o que é amor de verdade. Podemos ser nós dois e nosso pequeno amor. Deixa eu ser tua, deixa eu fazer uma mudança radical e te ensinar a maneira certa de se amar. Dá-me tua mão e vamos guerrear unidos e juntos contra todos os problemas. Que sejamos navio em alto mar enfrentando temíveis tempestades, daquelas de assustar os mais corajosos marinheiros. Pelo menos que seja, estou aqui te esperando, te encontrando formosamente em meus pensamentos mais sutis. Não te prometo que seremos como Romeu e Julieta, Tristão e Isolda e outros desse casais de romances famosos. Mas de uma coisa garanto-lhe: seremos imbatíveis. Cuidaremos um do outro e te farei sentir como jamais nenhuma garota o fez. Um completará o outro. Redefiniremos a palavra amor por algo muito mais intenso. Teremos uma ligação, nada poderá nos separar. Te amarei incondicionalmente e se possível  eternamente. E enquanto tudo isso permanece em meus sonhos, fico contigo como posso. No momento basta para mim. No momento. - Refugiadas

As coisas estão mudando aos poucos e graças a Deus estou percebendo essas mudanças. Da outra semana pra cá já estou conseguindo dormir, sorrir, comer e viver. Não consigo mais sentir a tristeza, meu coração esta tão feliz, meus pensamentos mudaram, minha vida mudou. Cansei de sofrer, cansei de passar noites chorando e não ter resultado nenhum em minhas lagrimas desperdiçadas. Passei um longo tempo lutando contra tempestades, lutando comigo mesmo. Bravejava nas minhas batalhas sofria e caía fortemente no chão, sentindo todo meu sangue ferver e minha cabeça latejar de dor. Não obstante me levantei mais uma vez enchendo-me de coragem. De tanto persistir fui tomando-me por vencedora, já não vejo as nuvens enegrecidas e o mar violento. Sou a amiga da maresia que o vento traz e faz chacoalhar meus cabelos em uma dança formosa. Vou me envolvendo, caindo nessa dança calmante e bailando diretamente com a brisa. Sinto-me livre para ser feliz, encontrar novos amigos e um novo amor. Espero que Deus coloque pessoas em meu caminho que não me roubem meu coração, meus sorrisos e nem minha vitória. Chorei e chorei mais hoje estou aqui de cabeça erguida tentando levar minha vida aos poucos mais eu não posso ter a certeza que não irei me deixar levar pela tristeza outra vez porque foi ela que me abrigou há anos em sua casa. Porém me dei ao luxo de tirar férias de todo esse caos que me rodeava. Nada como a calmaria de um jardim florido, ou um riacho tranquilo que caminha em desague ao mar aberto. Sim, hoje eu sou um riacho sereno, de águas cristalinas, repleto de flores ao redor, embelezado por um sorriso que causa inveja e extravasando felicidade, transbordando alegria e refletindo pureza e paz. Porque a vida é assim mesmo, ela é cheia de idas e vindas só que eu não sabia disso então me deixava levar por uma onda de dor, solidão raiva e rancor mais de uns tempos pra cá me fui preenchendo de felicidade e paz que acalma minha alma e me traz uma grande esperança que o amanhã será sempre melhor do que hoje. - Refugiadas

Mulher é um bicho estranho, algo incompreensível. A sua beleza é vista em todas as faces, quando chora, quando ri, quando pula, quando fica brava. Possuem o poder da sedução, o aroma do amor e a sutileza de uma donzela com um jeito incomum, meio malvada e totalmente confusa. Transpiram rosas suaves e restos de limões azedos. Possuem o dom e o anseio de talvez um dia dominarem o mundo. Misteriosas e cativantes. Enigmáticas e encantadoras. Vai entender, aliás, vai nos entender. Conseguem ser decisivas e cativantes, nada de mal olhados, apenas vistas por cima ou quase isso. Definitivamente abusam do poder da autoridade, deixam de ser sedutoras para uma reviravolta em algum “ser” egoísta afim de deixa-lo na linha, sem perigo de mais para frente impedi-la. Mulher, palavra tão pequena para tantas por aí de grandes cabeças, de grandes pensamentos, de grandes sonhos, de grandes eu. Fazem mágicas, conseguem tudo o que quer e nem se esforça tanto por isso. Batalhadora, gosta de poder mostrar para aqueles que apontaram o dedo e falar da vitória em si. Pensando bem, poderia trocar a palavra “complicada” por “complexa”, porque não são impossíveis, apenas difíceis. Sempre com o ego na altura certa, com aquele sorriso no rosto por mais que tudo em tua volta esteja a desabar, as vezes boa e outras má, sem predestinação de argumentos, tudo o que sai por tuas palavras são concretas e respeitadas. Como pode algo tão simples, ser tão cheio de tudo um pouco assim? Não são perfeitas, cada uma tem um jeito, mas cá pra nos, é cada jeito estranho e interessante de ser. Só que geralmente, isso é apenas por fora. Porque por dentro tem alí apenas pequenas garotinhas, de coração mole que a vida obrigou a amadurecer. Elas ficaram cansadas e começaram a transparecer por fora algo que gostariam de ser. Essa é a imagem que temos. Engraçado, supersticioso. Vai de cada uma, tão diferentes e ao mesmo tempo tão iguais… Estranhas, difícieis, complexas e muito amadas em que passam. - Refugiadas