rebaixamento

🔳 O QUE HOUVE, CENI?

Depois de seis meses, um começo de temporada um tanto quanto “animador” mas que foi caindo gradativamente até ser eliminado de todas as competições e ficando na zona de rebaixamento do ultimo campeonato que restou, o ídolo e técnico, Rogério Ceni, foi demitido.

Sinceramente, eu odeio esse entra e sai de técnicos no @saopaulofc que acontece já a alguns anos, e cá entre nós, a culpa do time estar na situação que está hoje não é somente culpa do Ceni.

Quantos jogadores já não saíram só esse ano do time? Quantos novos não chegaram também? Quantas lesões não ocorreram? Sério que a culpa é única e exclusiva do treinador, que tenta montar a equipe com o que tem de melhor, mas precisa da colaboração daqueles que estão em campo.

Se os jogadores fizeram “corpo mole” pra derrubar o treinador? Não sei. Que o Rogério parecia estar perdido em suas análises e visão tática? Sim. Que eu estou com um medo absurdo do que poderá acontecer nas próximas rodadas? Com certeza, mas vamos dar mais um voto de confiança para o Leco, para os jogadores e comissão técnica.

Gostaria de aproveitar o post para agradecer ao M1TO, que para mim merece muito respeito, mesmo não tendo conseguido alcançar seus objetivos na nova posição, terá sempre a minha imensa gratidão, carinho e apoio. Que ele recomece novamente em seus estudos, volte a treinar uma equipe, ganhe mais experiência no cargo e volte para o Tricolor Paulista, clube que o ama tanto e que terá sempre uma ligação incondicional.

EU TE ODEIO! E me odeio mais ainda por ainda ter tanta insistência em nós mesmo com tantas provas que já não daremos certos. Eu odeio você por sempre voltar quando eu estou quase na linha de chegada para finalizar a prova que é te esquecer, odeio por você sempre vir com palavras doces e fofas fazendo eu me esquecer de todas as outras coisas amargas que você já fez, odeio o fato de que você saiba fazer tudo que contradiz oque eu sinto pois você é contraditório Will. Quando estou no ápice do meu amor; você vem com suas mancadas e acaba com toda minha esperança de que possamos um dia dar certo, e quando eu estou quase te esquecendo, quando a tua ausência já não corrói meu coração você vêm acompanhado do seu charme barato e das suas falas decoradas e cheias de clichê e me enfeitiça e faz com que eu caia novamente nas suas cenas já programadas já que sabe que meu coração ingênuo e indefeso não conseguirá fugir das garras das suas mentiras.
Will, eu sinceramente queria poder te esquecer e te fazer sumir da minha vida e dos meus pensamentos mas você fez sua moradia em mim com base muito eficiente e já não consigo demoli-la e arranca-la de dentro de mim. Você não merece meu amor e nem o meu carinho, você brinca comigo e faz de mim sua boneca na qual, você brinca na hora que quer e depois joga num canto qualquer e “tchau, até qualquer hora que eu lembrar de você outra vez”, você me coloca no rebaixamento, me põe em última opção mas depois vêm com teu “amor” (se é que se pode chamar assim) e me faz esquecer tudo, como num passe de mágica; instantâneo. Porque fizeste isto comigo Will? Porque faz de mim tão pouco caso? Não acho alguma hipótese de que eu tenha feito algo para merecer isso.
Do fundo do meu coração, ou melhor, do fundo de cada pedacinho que sobrou do meu coração; se decide, decide se quer me fazer feliz ou não pois eu já cansei de ser nomeada como “boba” quando na verdade, bobo é você que brinca tanto comigo e não vê que por mim, já estaríamos juntos, de mãos dadas dizendo “sim” sob o altar.
—  A maior destruição deixada por Will, reergueremos.
2013. Erros, acertos, lágrimas, sorrisos. Corações partidos, outros reconstituídos. Momentos de alegrias, momentos de tristeza. De felicidade, ou nem sempre. De desculpas, de brigas, de reconciliações. De decepções, de surpreendimentos. De conhecer novas pessoas, e se despedir de outras. Idas, vindas. Viagens, ou nem tanto. Momentos inesquecíveis, sejam lá os seus motivos. O ano de união, ou de separações. Ilusões, ou amores duráveis. 1 ano. 365 dias. 8760 horas. 25600 minutos. Marcado por morte de Nelson Mandela, Chorão, rebaixamento do Fluminense e a ganha do Atlético Mineiro na libertadores. Perdões, desculpas. E pra variar, um ano que passou rápido demais. Em um piscar de olhos. Apesar de que, aqueles dias de tristeza pareciam durar um século. Um ano marcado por vitórias, como também derrotas. Pessoas se distanciando, ou se apegando cada vez mais. Aí eu paro e começo a pensar em tudo aquilo que aconteceu entre todo esse tempo. Das vezes em que briguei com os meus pais, e das vezes em que estavam todos em união. Lembranças, decepções, expectativas, relacionamentos, vidas. Começo a pensar em como era o meu antigo “eu” no ano em que se passou. Jurei tantas coisas: ser menos preguiçosa, e estudar (como também prometi nos passados, mas em vão). Lembrei-me de quando prometi, que não iria mais responder os meus pais, tá aí outra coisa em vão. Eu sofri, ou fiz outras pessoas sofrerem? Perdi pessoas, ou me livrei daquilo que não me fazia bem? Terminarei esse ano de bem com a vida, ou com a sensação de que poderia ter feito tudo diferente nos meses anteriores? O ano acaba, e todas nossas decepções, lembranças, mágoas, choros, sorrisos e momentos, ficam com ele. É impossível reviver cada ano novamente. Então viva hoje, faça hoje, procure a felicidade hoje, perdoe hoje, peça desculpas hoje, cante, dance, faça tudo aquilo que sente vontade de fazer. A vida é curta, mas sempre há tempo pra recomeçar.
—  Enfrentarei.
2

🔳 COLETIVA E TREINO NO CT

🔸Hoje o responsável por conversar com a imprensa foi o atacante Lucas Pratto. O argentino falou sobre a saída de Rogério Ceni do comando são paulino, sobre os próximos jogos e cobrou uma reação da equipe, para saírem da zona de rebaixamento.
@prattolucas12 — “Temos de trabalhar e não há tempo para lamentar. É melhorar nessa semana. Não tenho medo de dar a cara. O time é muito grande, ainda faltam muitas rodadas. Temos de mudar muito nosso pensamento e compromisso. E melhorar.”

🔸No treino desta quarta-feira, o auxiliar técnico, Pintado, contou com a ajuda do técnico do sub-20, André Jardine. A equipe principal enfrentou no coletivo a equipe sub-18, e durante a atividade, Pintado corrigiu e posicionou corretamente os jogadores, preparando-os para o jogo da próxima partida.

🔸No Campeonato Paulista Sub-20, Jardine comandou a vitória da equipe contra o Nacional, por 3 à 0, em partida realizada em Cotia. Murilo marcou duas vezes e Oliveira uma. A próxima partida da equipe junior será no sábado, fora de casa, contra o Osasco Audax.