rave boat

The signs as wild shit I’ve done in 2017 (krystal) NSFW

Aries: Got punched in the throat at one of the poshest bars in London

Taurus: Stalked my boyfriend and his friend all the way down the street, and when they sat down on a bench in a field I popped out a bush and pretended to just bump into them (I was dressed incognito too)

Gemini: Fucked with a wig on, it was the best sex I’ve ever had

Cancer: Legit got dumped the day before Valentine’s Day, turned up at his house and gave him everything I bought him, cried, then fucked

Leo: Almost went on a one night stand on Election night with a University teacher from Tinder but got lost on the way there and decided that because it’s raining its not meant to be

Virgo: Broke down and got stranded on a high up viewpoint (dogging area) because we accidentally drained the car battery at two in the morning and didn’t know what to do 

Libra: Drunkenly spat a drink over my best friend four times in McDonalds over a chicken nugget 

Scorpio: Broke up with my long term boyfriend and then sucked his best friend’s dick on a field at night

Sagittarius: Took speed at a warehouse rave from a girl in the bathroom, put it in my mouth and then said “Btw what is this?”

Capricorn: Had to do DIY and fix a garden chair with a thin piece of wire because UNICEF scared the crap out of my friend and she broke it (and it actually worked)

Aquarius: Did shots and slammed into a hot tub in front of everybody, tried to get back up but just kept falling and ended up crawling inside to escape even more humiliation

Pisces: Went on a boat rave and got into a fight with someone about a giant inflatable dinosaur that I named Terry (and lost, so I took a giant banana home instead)

“What the hell we do now?” | M & M

{flashback}

TW: acidente.

O álcool queimava dentro de seu corpo que dançava freneticamente ao som da música alta. Sábado a noite só indicava uma coisa: festa!

Morgana não passava um fim de semana sequer sem se divertir em uma rave, boate ou em qualquer outro canto onde podia dançar e tomar bons goles de todo tipo de bebida alcoólica. Era o que a mantinha de pé durante toda a semana, o que a fazia manter-se alegre e motivada a trabalhar incansável da segunda a sexta.

Morrigan dançava ao seu lado, enquanto segurava o copo de whisky e bebericava aos poucos. Diferente da ruiva que de minuto em minuto bebia shots e mais shots flamejantes.

Não demorou muito para que o álcool afetasse seu corpo, sua visão estava turva e seu corpo cambaleante.

Percebendo que era hora de partir, a loira arrastou a amiga para fora da boate, sendo obrigada a ouvir os protestos raivosos da ruiva que insistia em permanecer na festa.

Evitando por todo o caminho que a amiga caísse ou entrasse em alguma lata de lixo que ela jurava ser um cara muito gato, sem conseguir conter as risadas altas, Morrigan a levou até o seu carro.

“Eu amo você, sabia?” A sereia disse, apoiando-se na porta do carro. “Eu realmente não sei o que seria de mim sem você e a Bess.” Prosseguiu, com a voz embargada. Era sempre assim, Morgana bebia e se transformava na pessoa mais carinhosa e afetuosa do mundo, coisa rara de acontecer quando estava sóbria. Ela sentou-se no banco do motorista sob os protestos da loira que tentava a proibir de dirigir naquele estado, mas Morgana, a personificação da teimosia, não cedeu. Berrou apenas um “Morrigan, eu não estou bebada! Estou apenas alegre e um pouco agitada. Vamos, entre logo. Temos que ver se a Bess ainda está viva.” Soltou uma risada ao final da fala, lembrando-se da morena.

O barulho estrondoso do corpo ao bater sob o automóvel era a única coisa que pairava sob a mente de Morgana. O grito da amiga que sentava-se ao lado ecoava em seus pensamentos, agora, mais conturbados que enquanto estava perdida no efeito do álcool. A figura masculina caída meio a estrada foi o suficiente para voltar a sua sobriedade. Com as mãos trêmulas e o coração sofrendo de uma breve taquicardia, ela desceu às pressas do carro, seguida pela loira que parecia estar tão assustada quanto ela. Sua mão pousou no pescoço do rapaz, no local onde poderia sentir a pulsação que permanecia a trabalhar. Um suspiro de alívio quebrou o silêncio entre elas, levando a mão ao coração que batia forte e rapidamente dentro do seu peito.

“O que eu fiz dessa vez?” Pensava Morgana, a culpa já preenchendo seu coração, enquanto tentava com todas as suas forças conter as lágrimas que pediam para sair.

@morthehybrid