rainny-day

o altar dos loucos

um aperto e o farfalhar de um ato inacreditável. Eu me recuso. Para todos esses momentos que eu queria ser surda, me escorre sangue. Sangue dos olhos tranparecem, vertendo uma alma que ainda teimam em achar que não existe. O que julgas inutilidade, minha paixão. Acariciei lajotas por me identificar, senti o peso de tudo que passou por lá. Admirar um quadro, não é só isso, você morre e vive em outra pessoa por alguns segundos. Admirar um quadro é orar em línguas, pintá-los é fazer se louco e dar razão para a inutilidade da beleza. A beleza que todos apreciam, esquartejam e enterram com a bandeira utilitária dos despertadores.