quotespordj

Quando entro na vida de alguém minha pretensão é de ficar, não de ficar de vai e vem. Eu nunca saí inteiramente da vida de alguém, apenas os caminhos deixaram de se encontrar em nós. Deixando no ar a saudade dos momentos que já passamos. Não foi algo proposital, simplesmente o destino nos deixou distantes. E eu sei que quando ouvir ou lembrar meu nome, você irá sorrir.
—  (escrevinhar)
Ultimamente está difícil se arriscar por algo ou até mesmo lutar por alguém, é tanta insegurança com um pouco de medo por correr atrás do que você ainda custa acreditar que já perdeu e que não se pode ter mais, entendo. Já ouvi milhões de vezes a frase “Não desista.” mas você tem que ser racionalmente capaz de perceber no que se deve ou não desistir e da mesma forma saber pelo que lutar ou não lutar. Por isso digo, tenha absoluta certeza do que você estará batalhando pois batalhar por alguém que jamais se importou por ti é burrice se arriscar por algo que você acha que não terá futuro é um tiro no próprio pé ou melhor um tiro no seu próprio ser.
—  Olha lá no que você vai buscar. Escrevinhar
Não tenho orgulho para algumas pessoas. Meu orgulho não suporta maus entendidos, ou situações que possam causar um desentendimento com as pessoas que gosto. Sempre pedirei desculpas, mesmo estando certo. Quando vejo que estamos distantes, tentarei me aproximar, mesmo que a resposta não seja recíproca. A questão é que irei atrás para não perder, por motivos banais, algumas amizades que construí. Minha consciência não fica em paz quando sinto que há algo errado entre nós. Pode parecer besteira, mas minha preocupação de estar bem com os outros é grande, pois sei das minhas falhas, dos vacilos, dos erros que comento e magoam aqueles que não deveria, e isso me incomoda. Pessoas já se afastaram de mim pelas minhas confusões e complicações, incoerência e distorções.  Tento consertar tudo que acho que tenha sido comprometido. Não quero me fazer de vítima, mas sei das minhas erroneidades, e estou aprendendo a evitá-las, e quando não deixo ser levado pelo orgulho, meu desejo é que não desacreditem e consequentemente não desistem de mim, mas que confiem que posso fazer certo.
—  (escrevinhar
Nunca pensei que desejaria tanto o beijo de alguém. Os dias passam e minha maior vontade deles é ter meus lábios nos teus, e não faço ideia no que fez, quero dizer, não me entendo do por que me interessei por ti. Foi um desejo automático, que não quer ser desligado, enquanto não ter você por um instante comigo, satisfazendo meus sentimentos instintivos que criei. Sim, criei, com consciência de que poderia não ter o que tanto idealizei claro, isso não é culpa sua, simplesmente não posso te forçar, obrigar a fazer algo que não queira, mas estou bem, pois pelo menos tentei. A questão agora é seguir e deixar está ânsia por ti agora passar, mas se algum dia trocar de ideia sabe onde me encontrar.
—  Eu sinto um desejo por ter seu beijo. Escrevinhar
O silêncio é a ação mais preocupante e dolorosa que se possa ter com alguém. Você não sabe o que se passa na cabeça da outra pessoa, imaginando o que ela quer que você faça ou diga. Assim como não tem ideia do que aquele alguém pensa em dizer ou fazer. É um abismo de insegurança, um poço de timidez. Um tempo silencioso dentre as partes demonstra uma incerteza, um impasse de quem terá a próxima iniciativa, quem dirá a próxima palavra, quem dará o próximo movimento, em que deixará o orgulho de lado e buscará fazer o que coração manda. O silencio nem sempre é uma boa resposta para aquilo que se espera em palavras ou até mesmo em atitudes.
—  (escrevinhar)
Recebi uma pergunta certa vez que me indagava da seguinte maneira: “O que uma pessoa deve fazer para que lhe faça feliz?” – atrasado sempre no raciocínio dessas perguntas – demorei certos segundos para responder uma pergunta tão simples que naquele momento pareceu anos se passando na minha cabeça para que algo saísse como uma resposta decente de minha boca. Nesses pequenos segundos obtive certa resposta para aquela indagação, mas no fim tive que dizer alguma coisa essa coisa foi a seguinte: “um livro” até agora estou tentando entender o porquê de ter dito aquilo que não era a resposta mais digna que gostaria de ter pronunciado, mas estava sendo tão pressionado que não tive muita escolha. Minutos depois fazendo uma reflexão sobre aquela interrogação acabei formando a verdadeira resposta que deveria ter respondido, mas pensando bem foi certo em ter “escondido” a resposta correta. Quando me perguntaram: “O que uma pessoa deve fazer para que lhe faça feliz?” a resposta tinha de ser e é: “Quando me fazem rir”. Algo tão simples tão normal que às vezes me sinto um idiota por não ter falado isso antes, porém tais palavras foram bem ocultadas naquele momento. Amo quando me fazem rir, me sinto bem, feliz, me coloca num ambiente completamente distraído, longe dos problemas pessoais e é melhor ainda quando tudo se torna natural quando me fazem rir de maneira espontânea mesmo que seja por coisas bobas, tudo isso se torna verdadeira sem nada estar planejado. Só não disse isso tudo antes, pois quero que todos sejam espontâneos comigo pelo modo que elas são e não pelo que fingirem ser só para tentar me agradar.
—  Me façam rir. Escrevinhar
Não tenho vergonha de dizer que meu maior medo é o futuro, ou melhor, na insegurança que ele poderá me afetar. É complicado, porém não muito incomum o futuro surgir com uma realidade que você nunca imaginou viver. É como se você tivesse criado expectativas no escuro e quando tudo resolver clarear você não sabe onde se encontra e tentar retomar o caminho no qual não se sabe o ponto no qual se perdeu. O que resta é seguir de onde você estar sem pensar no futuro, seja a curto ou em longo prazo.
—  (escrevinhar)
Eu não tive a sorte de ter um dom. A frase “Ele nasceu com o dom.” não poderá ser aplicada a mim. Não tenho nenhuma habilidade inata, diferente de alguns que já nasceram com essa pré-disposição para realizar algo por uma vida inteira. Pessoas que não tiveram o trabalho de pensar o que gostariam de fazer na vida, porque já tiveram essa resposta desde pequenos. Quando não se tem o dom, a gente busca a capacidade de ter talento. O pior é que não se sabe nem por onde começar a adquirir habilidade de ser bom em algo. Não é por falta de opção, mas sim indecisão de escolher a melhor. Alimentar uma prática do zero é complicado, requer esforço e dedicação para chegar a ser reconhecido como experiente naquilo que decidiu fazer. Principalmente quando percebe em outros a facilidade que você não teve, por mais que tente, não consegue desenvolver de uma maneira que te agrade. Por isso digo que o mais difícil é saber o que fazer, pois é desanimador admitir para si mesmo que não se pode ser excelente em algo. Porque ao mesmo tempo em que acredito na minha pessoa de ser bom em algo, sinto o gosto amargo da descoberta que não sou.
—  Quando
não temos o dom, podemos ter talento?
(escrevinhar)
Cresci e aprendi a não esperar elogios e o reconhecimento de outros quando avanço mais um degrau na escada da vida. Foi nessa mesma escada em que subi vários degraus importantes e que ninguém esteve ao meu lado para comemorar tais vitórias, mas todos estavam ao meu redor criticando e dizendo que não conseguiria alcançar meus desejos e dentro de outras coisas. Vivo todo esse tempo sem conselhos sem orientações de como viver e de que fazer para viver, no começo me tornei acomodando por coisas pequenas que quando fui buscar algo maior ninguém me deu o apoio de que precisava e que agora estou tendo de me virar nesse mundo sem uma dica se quer. E foi assim que aprendi a fazer de mim mesmo o maior julgador das minhas ações o maior conselheiro, orientador e apoiador dos meus sonhos e objetivos tendo ninguém melhor do que eu para comemorar meus grandes feitos e aprender com meus próprios erros fazendo com que o meu ser seja o mais coerente para mim. E dessa maneira compreendi andar na vida, sozinho, praticamente sem a ajuda da boa vontade de ninguém para seguir em frente e nesse ponto me isolei, tornei-me frio, pois fiz das minhas vitórias que deveriam ser compartilhadas com todos, se tornarem emoções reprimidas deixando a minha razão e meu coração se satisfizer daquilo que eu realmente mereça ser reconhecido por mim mesmo.
—  Quando digo que não sei reagir a elogios falo sério. Escrevinhar