quetrupillan

8

Pucón Pt 3: VULCÃO! 


Esse dia foi o mais intenso. Acordamos as seis da manhã e a empresa da excursão chegou ao nosso hostel as 6h30 para nos dar mochila com roupas para neve e também sapatos. As 8h20 começamos nosso trekking até o topo do vulcão Quetrupillán, que duraria em média 8 horas!

A subida começa tranquila, por um bosque com árvores bem altas nos deixando abrigados do sol que castigava naquele dia. Depois de mais ou menos uma hora a paisagem muda: um bosque cheio de araucárias e muita neve. Ai começa a ficar mais difícil. Eu só vi neve uma vez na minha vida (em Farellones, no Chile também), então nem preciso dizer que parecia uma pata caminhando e que caía a cada 3 minutos né?!

E depois de mais duas horas e meia chegamos ao fim do bosque e a subida agora se torna mais íngreme e, apesar de não ter árvores, mais neve. E a neve é traiçoeira, porque pisamos em falso e ficamos atolados até o joelho. Na verdade toda a atividade requere preparo físico pois é subido o tempo todo, sem nenhuma parte plana praticamente,

Mais uma hora de subida e chegamos ao mirador, onde vemos o famoso vulcão Villarica, que é o destino mais famoso da cidade mas está fechado por tempo indeterminado devido à erupção do início do ano. Se vê muitos outros vulcões e também a dimensão da cordilheira dos Andes. É incrível, é como um mar de montanhas sem fim. Neste ponto eu já estava morta e não pude subir por mais 2 horas até o topo do vulcão, mas me contentei com essa vista linda e com a lembrança de que somos muito pequenos e insignificantes perto do mundo.