quem lembra

Vou te contar um segredo

Sabe aquela pessoa que você morre de saudade e sempre que pode, você chama para conversar? Ela é simpática e te trata bem, mas nunca, nunquinha vai atrás de ti. Lembrou de alguém?
Então, essa pessoa não se importa com você. Ela te responde por educação, sabia? Porque quem se importa, mas se importa mesmo, de verdade, vai lembrar de ti. Seja por uma música, seja por algo que viu na TV ou que leu por aí. E quem lembra, procura, diz “oi”, demonstra. Não existe orgulho suficiente capaz de impedir um “oi” na vida de quem se importa. Uns demoram mais, outros demoram menos, mas quem se importa de verdade, cedo ou tarde, te procura. Então, se essa pessoa nunca te procura, abra mão, pois você está se importando por dois.

Paralelepípedos

Tudo em volta remetem ás nossas lembranças ao qual eu deveria está esquecendo. Tenho essa mania de sentir saudades de quem nem se lembra de mim. Se é que algum dia eu fui algo para você. Infelizmente esse sentimento vem atordoando os meus pensamentos. Em cada rosto que vejo tem você, o seu sorriso. E então me perco pensando se realizaríamos todos aqueles planos que um dia sonhamos juntos. As pessoas deviam parar de prometer coisas que não serão capazes de cumprir, pois corações tolos como o meu, são facilmente capturados e enganados por essas palavras ditas ao vento nas quais preciso urgentemente parar de acreditar.
—  Ana Raio e Zé Trovão. Continuador in companhia de Criptografias. 
Não conheço algo mais irritante do que dar um tempo, para quem pede e para quem recebe. O casal lembra um amontoado de papéis colados. Papéis presos. Tentar desdobrar uma carta molhada é difícil. Ela rasga nos vincos. Tentar sair de um passado sem arranhar é tão difícil quanto. Vai rasgar de qualquer jeito, porque envolve expectativa e uma boa dose de suspense. Os pratos vão quebrar, haverá choro, dor de cotovelo, ciúme, inveja, ódio. É natural explodir. Não é possível arrumar a gravata ou pintar o rosto quando se briga. Não se fica bonito, o rosto incha com ou sem lágrimas. Dar um tempo é se reprimir, supor que se sai e se entra em uma vida com indiferença, sem levar ou deixar algo. Dar um tempo é uma invenção fácil para não sofrer. Mas dar um tempo faz sofrer pois não se diz a verdade. Dar um tempo é igual a praguejar “desapareça da minha frente”. É despejar, escorraçar, dispensar. Não há delicadeza. Aspira ao cinismo. É um jeito educado de faltar com a educação. Dar um tempo não deveria existir porque não se deu a eternidade antes. Quando se dá um tempo é que não há mais tempo para dar, já se gastou o tempo com a possibilidade de um novo romance. Só se dá o tempo para avisar que o tempo acabou. E amor não é consulta, não é terapia, para se controlar o tempo. Quem conta beijos e olha o relógio insistentemente não estava vivo para dar tempo. Deveria dar distância, tempo não. Tempo se consome, se acaba, não é mercadoria, não é corpo. Tempo se esgota, como um pássaro lambe as asas e bebe o ar que sobrou de seu voo. Qualquer um odeia eufemismo, compaixão, piedade tola. Odeia ser enganado com sinônimos e atenuantes. Odeia ser abafado, sonegado, traído por um termo. Que seja a mais dura palavra, nunca dar um tempo. Dar um tempo é uma ilusão que não será promovida a esperança. Dar um tempo é tirar o tempo. Dar um tempo é fingido. Melhor a clareza do que os modos. Dar um tempo é covardia, para quem não tem coragem de se despedir. Dar um tempo é um tchau que não teve a convicção de um adeus. Dar um tempo não significa nada e é justamente o nada que dói. Resumir a relação a um ato mecânico dói. Todos dão um tempo e ninguém pretende ser igual a todos nessa hora. Espera-se algo que escape do lugar-comum. Uma frase honesta, autêntica, sublime, ainda que triste. Não se pode dar um tempo, não existe mais coincidência de tempos entre os dois. Dar um tempo é roubar o tempo que foi. Convencionou-se como forma de sair da relação limpo e de banho lavado, sem sinais de violência. Ora, não há maior violência do que dar o tempo. É mandar matar e acreditar que não se sujou as mãos. É compatível em maldade com “quero continuar sendo teu amigo”. O que se adia não será cumprido depois.
—  Fabrício Carpinejar.
O amor nem sempre é para a vida toda, mas algumas pessoas são. O amor não dura para vida toda, pelo menos alguns não, porque amamos muitas pessoas ao longo de nossas vidas e nem todas essas ficaram nela, pessoas partem, coração partem, amor acaba mas não é esquecido. Quem não lembra do seu primeiro amor? Do primeiro beijo, abraço, carinho, seu primeiro eu te amo, a primeira vez que foi amada? Quem esquece aquele eu te amo sussurrado ao pé do ouvido? Ah, isso nunca esqueceremos, tudo a sua primeira vez é para sempre, até o primeiro tombo, primeira briga, primeiro adeus, primeira perda, dor, primeiro coração partido, primeira remenda, curativo, sopro, e tudo passou, mas está lá guardado nas lembranças, no passado, tudo que é bom e até mesmo o que é ruim sempre será para sempre. Todos teremos o nosso para sempre e você talvez seja o meu.
—  Então vá em frente, diga adeus
De todos que eu gostei, você foi o que menos me mereceu. Não digo isso como uma acusação, apenas como uma constatação de um fato, e eu sei que no fundo você sabe. Eu guardava cada detalhe seu, cada passo da nossa história como quem coleciona pedras preciosas. Lembra a primeira vez que ficamos juntos de verdade? Emendávamos um assunto no outro com uma grande afinidade. Lembra a primeira vez que eu abri meu coração e disse que te amava? Eu estava tão nervosa, não tinha certeza se devia dizer, mas eu não aguentava mais esconder. Lembra daquela vez que você chegou triste porque tinha brigado com seus pais e eu fiz de tudo para não te deixar ir dormir naquele estado? Eu só queria mesmo era não te ver tão triste, eu fazia tudo pra te ver sorrir. Eu guardei cada momento importante, mas você não lembra, eu sei. Você nunca lembrou das coisas que eu com tanto carinho guardei para nunca esquecer. O que matou a gente foi o teu descaso, o meu amor era tão grande, mas não era regado. Não na intensidade que eu te florescia. Porque enquanto eu te transbordava, você só me umedecia.
—  Nanda Marques.
Sobre viver:

Falar é fácil
Planeja
Executa.
Amar e fácil
Ama
É amado.
Ser feliz é fácil
Te vejo sempre
Só risos.
Ser bom é fácil
Ajuda
Caridoso.
Viver é fácil?
Se fosse
A gente nunca:
Chorava.
A gente nunca:
Perdia.
As pessoas
Eternas.
Os amigos
Eram
todos fiéis.
E não é só de gente
Humano.
Sangue do nosso
Sangue.
Bicho também.
Vão
E a gente
Fica.
O coração
Quebrado.
A alma
Desestabilizada.
A vida
Para.
Mas sempre
Continua.
Eu aqui
Tu aí.
Mas oro por ti.
Fica na
Lembrança.
Por que
Quem ama
Lembra
Leva
Cuida.
Fica.
Mesmo que não aqui.

₪ STATUS: FIM ₪
  1. Com a nossa amizade não fui eu que acabei. 💔🔨
  2. Esqueceu de quem mais te apoiou e voltou pra quem te pisou. 🙇🏾
  3. Se lembra quando a gente chegou um dia a acreditar que tudo era pra sempre? 🙇🏾💭
  4. Nem desistir, nem tentar, agora tanto faz. 🏳
  5. Ainda faz de conta que não está nem ai pra mim. 😕🗑
  6. Não nos lembraremos das palavras dos nossos inimigos, mas do silêncio dos nossos amigos. 🗣
  7. A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier. 🚗💭
  8. Eu duvido que nós seremos os mesmos algum dia. 🙇🏾💔
  9. Tell me, where are you now that I need you? 💭 (Me diga, onde está você agora que eu preciso de você?)
  10. Feelings fade when people change. 🌬 (Sentimentos desaparecem quando as pessoas mudam.)
  11. I’m tired of fake people, fake smiles, fake hugs. 🙇🏾🎙 (Estou cansado de
  12. pessoas falsas, sorrisos falsos, abraços falsos.)
  13. Fake friends are a real waste of time. ⌛️ (Falsos amigos são um verdadeiro desperdício de tempo.)
  14. Fake love is real waste of life. 💔🔨 (Amor falso é verdadeiro desperdício de vida.)
  15. Everything’s ending eventually. 🎈 (Tudo acabou eventualmente.)
  16. Best friends can become your enemies. 🚧 (Melhores amigos podem se tornar seus inimigos.)
  17. Friends can break your heart too. 💔🔨 (Amigos também podem partir seu coração.)
  18. Always missing people that I shouldn’t be missing. 🙇🏾💭 (Sempre sentindo falta de quem eu não deveria sentir.)
  19. When love and trust are gone, I guess this is moving on. 🚗💨 (Quando o amor e a confiança se vão, acho que isso é seguir em frente.)
  • se pegar/gostar dê like.

é que eu me coloco nas mãos das pessoas
eu me exponho e falo o que não querem ouvir
a cara tá sempre disposta ao tapa,
mas eu também bato
de cara no armário
de cara na porta
de cara no crush
de cara no poste
porque ser raso não me basta
calcular sentimento através do relógio não é muito a minha praia,
eu nado mesmo contra a direção do mar
e já perco as contas de quantas vezes já me afoguei em tentativas,
uma hora eu venço, uma hora eu paro
umas horas eu só me deixo levar.
acontece que esse lance de estar sempre na mão dos outros é uma parada bizarra, porque eu tô sempre dependendo daquele retorno
daquela piscadinha que assegura a minha insegurança
daquela chamada pra uma foda qualquer
daquele poema que a gente recebe indiretamente em formato de beijo
daquela selfie deixando claro o espaço a mais na cama do outro.
e eu vou finjindo que comando tudo quando na verdade eu tô é me fodendo de descontrole,
roendo as unhas
chorando
gritando.
só que eu tô é querendo sair dessa mesmo sabendo que vou entrar na próxima
por que lembra da cara? ela tá sempre disposta pro próximo tapa
lembra do crush? ele tá sempre disposto pra próxima foda
lembra do mar? eu tô sempre imerso
lembra de mim?
você lembra de mim?
você lembra de quem sou?
eu sou o mar que já passou.

(e o crush levou)

lucas.

Perguntem, venham vou responder tudo!

1- Qual o seu nome?

2- Quantos anos você tem?

3- Qual seu signo?

4- Onde mora?

5- Está feliz com sua vida?

6- Qual o último famoso que você viu?

7- Acredita no amor?

8- Você se considera um pessoa…?

9- Qual é o seu maior defeito?

10- Qual é seu maior desejo?

11- Acredita em coisas paranormais?

12- Sua série de TV favorita é…?

13- Qual a coisa que mais te irrita no twitter?

14- Qual foi a experiência mais traumática que você já teve?

15- Já viajou para fora do país?

16-Fala algum idioma? Qual?

17- Quer te filhos? Quantos?

18- Sua matéria preferida da escola é…?

19- Qual é seu filme favorito?

20-Você é uma pessoa ingênua?

21- Posta uma foto sua?

22- Um sonho.

23- O que você queria que fosse eterno?

24- Uma mania sua.

25- Uma pessoa que você admira muito.

26- Qual é a sua inspiração?

27- Viver ou existir?

28- Você não suporta…?

29- Está apaixonado? Quem?

30- Como você se sente agora?

31- Qual é seu ídolo?

32- Qual sua religião?

33- Já sofreu bulling?

34- Curto as músicas atuais ou as antigas?

35- Uma banda favorita.

36- Um cantor favorito.

37- Torce para que time?

38- Qual profissão você quer seguir?

39- Uma música que marcou sua vida.

40- “Eu te amo”. Essa frase te lembra quem?

41- Quem é sua maior inspiração?

42- Já se sentiu sozinho?

43- Sua paixão é…?

44- Sua alegria é acordar e…?

45- Um apelido seu.

46- Você tem seu estilo ou segue essas modinhas?

47- Tem algum preconceito?

48- O que você acha das pessoas do twitter?

49- Internet ou TV?

50- Quais seus planos pra 2012?

51- Oque você não quer que aconteça em 2012?

52- O que marcou em 2011?

53- Se arrepende de alguma coisa?

54- É uma pessoa humilde?

55- Qual são seus tipos de perguntas preferidas?

56- Tem irmãos? Quantos?

57- Seus pais são separados?

58- Gosta de praia ou prefere montanha?

59- Como você se define?

60- É uma pessoa muito tímida?

61- Entra no msn frequentemente?

62- Qual rede social você mais usa?

63- Tem amigos de outros países?

64- Qual foi sua maior aventura.

65- Já ficou com quantas pessoas?

66- Gosta de Harry Potter?

67- Qual seu maior medo?

68- Brigadeiro ou sorvete?

69- Amor ou paixão?

70- Quantas horas você passa no pc?

71- É mais sentimental ou leva tudo na brincadeira?

72- Com quem foi seu 1° beijo? Gostou?

73- A distância já te impediu de fazer alguma coisa?

74- Qual foi a sua pior fase?

75- Você sempre sorrir para fotos?

76- Prefere assistir filme no cinema ou em casa?

77- Você sente falta de alguém agora?

78- Você já chorou porque você estava feliz?

79- Sorrir ou chorar?

80- Sua cor favorita.

81- Você está bem hoje?

82- Já fumou?

83- Você bebe?

84- Já se drogou?

85- O que fez hoje?

86- Um vício.

87- Você conta tudo que você faz para os seus pais?

88- Que música está ouvindo agora?

89- Tá em que série?

90-Qual o nome da 1° pessoa que você amou de verdade?

91- Seu número da sorte.

92- Gosta de chocolate?

93- Uma qualidade.

94- Um defeito.

95- 3 coisas que quer fazer antes de morrer.

96- Não vive sem?

97- Verão ou Inverno?

98- Saudades de?

99 - 3 países que deseja visitar.

Aparências Mudam

- Park Jimin

- Smut de primeira vez

Originally posted by mvssmedia

A festa estava simplesmente incrível. A música tocava por todos os cantos daquele lugar e as pessoas moviam seus corpos como se não houvesse amanhã. Eu havia bebido um pouco, mas ainda estava bem ciente de onde me encontrava. Resolvi sair para tomar um ar, já que me sentia levemente sufocada.

 Sentei-me em um pequeno muro na frente da casa. A festa havia sido planejada por amigos antigos da escola que queriam fazer um grande reencontro. Vi alguns meninos da minha sala bebendo sentados na grama, rindo de coisas sem muito sentido e conversando sobre assuntos que não me interessavam nem um pouco. 

 Levei um susto quando notei que havia um menino sentado bem ao meu lado. Ele também bebia e seu cabelo estava bagunçado. A camisa caía muito bem nele e me permitia ver os músculos que cobriam todo seu corpo.

-Olá _______ – Ele disse, me arrancando dos meus pensamentos. – Pensei que não fosse vir. – Quem era aquele garoto? Um sorriso surgiu lentamente em seu rosto enquanto bebia mais um gole da sua cerveja.

-Desculpe-me, mas quem é você? – Perguntei, colocando minha garrafa no chão. Ele soltou uma risada arrastada, virando o rosto para me encarar. Pensando melhor, aquele garoto tinha alguma coisa que me fazia lembrar de alguém…

-Não me impressiona você não lembrar de mim. Afinal, quem se lembra do nerd quieto da sala? – A imagem do único menino com essa descrição surgiu na minha mente. Eu conseguia me recordar dele agora, mas não conseguia acreditar nos meus próprios olhos.

-Espera, você é Park Jimin? Aquele Park Jimin que estudava comigo?! JIMINNIE? – Perguntei, virando-me melhor para encará-lo. Minha surpresa devia estar estampada na minha cara, porque o menino abriu um sorriso grande.

-Então você realmente lembra. – Ele disse, colocando a garrafa no chão também.

-Jimin… Só me explique como – O garoto ergueu a sobrancelha. – Como um nerd quieto e rechonchudo como você virou…. ISSO TUDO? – Apontei para seu corpo todo, inclusive seu rosto. Ele estava incrivelmente bonito agora. Aquilo fez meu coração bater mais rápido, os sentimentos se misturando dentro do meu peito.

 Na época em que estudávamos juntos, eu tinha uma queda por Park Jimin. Meninos nerds e quietos sempre me atraíram e ele não era uma exceção. Lembro-me de uma vez que Jimin me convidou para o baile de primavera, nos divertimos como nunca naquela noite.

-Aparências mudam, sabe. Personalidades nem tanto. Mesmo que a pessoa consiga mudar a forma que as pessoas a veem, lá no fundo, sempre será a mesma. – Jimin disse, suspirando e se levantando. Levantei-me rapidamente, o que fez o menino me encarar, curioso.

-Aonde vai? – Minha voz estava um pouco baixa. Por algum motivo, Jimin me amedrontava um pouco. Será que estava bravo por eu não ter reconhecido-o?

-Vou para casa, festas não são para mim. – Ele piscou, acenando e indo embora. Minha respiração estava um pouco ofegante pelos vários sentimentos que transbordavam dentro de mim.

-ESPERA! – Gritei, fazendo o menino para de andar. Apressei-me até ele, não podia deixar a história acabar desse jeito. – Você pode… Ficar só mais um pouco? – O garoto sorriu, assentindo. – Podemos ir para outro lugar, se não gosta de ficar na festa.

 Acabamos por ficar na casa de Jimin. Aceitei porque queria conversar muito com ele, não conseguia acreditar que meu primeiro crush (Lê-se: paixão que parece mais um abismo) estava na minha frente naquele momento.

 Sentei-me no sofá, vendo-o pegar uma xícara de café para mim. Suspirei, olhando ao redor da casa. O relógio marcava três da manhã, isso explicava o motivo dos meus olhos estarem tão pesados. Assim que Jimin voltou, peguei a bebida, sorrindo como agradecimento.

-Então, quer que eu pegue mais alguma coisa? Um cobertor talvez? Você parece estar com frio nesse vestido – Ele disse, ainda de pé. Jimin estava certo, eu estava congelando. O clima havia esfriado muito desde que saí de casa. Assenti, bebendo o café. – Volto em um minuto.

 Park se foi e eu reservei esse pouco tempo para fechar os olhos, relaxar um pouco. Memória vieram na minha mente, momentos que passamos juntos e que me fizeram passar noites sem dormir. Sorri, respirando fundo enquanto sentia a sensação quente da xícara entre meus dedos.

 Do nada, imagens começaram a sugir na minha mente. Os músculos de Jimin… Seu cabelo bagunçado… Sua boca… Juntei minhas pernas com força ao perceber a sensação que nascia em meu corpo. Engoli em seco, me sentindo envergonhada. Respirei fundo, tentando esquecer aquilo.

Jimin voltou com um sorriso adorável no rosto, trazendo consigo um grande cobertor que parecia muito quente. Sorri também, agradecendo e me cobrindo rapidamente. Senti meu rosto corar e meu coração bater mais forte no meu peito, mas tentei esconder isso o máximo possível.

-Finalmente – Ele disse, se sentando e suspirando. Seu suspiro me fez ter que respirar fundo para manter o controle. – Sabe, é estranho estar sentado ao seu lado depois de tanto tempo. – Um sorriso foi plantado em seu rosto e o garoto riu.

-Pois é, parece que foi ontem que saímos da escola. – Falei, então um silêncio estranho tomou conta do lugar. Podia sentir o olhar de Jimin sobre mim e não sabia direito como agir.

-Acho que essa é uma boa hora… – Jimin disse, respirando fundo. – Eu sempre gostei de você quando estávamos na escola – Aquele comentário me pegou totalmente desprevenida. Encarei-o, surpresa. O garoto assentiu, sorrindo. – É, um tanto quando surpreendente.

-Por que nunca me contou?! – Perguntei, tirando um pouco do cobertor de cima de mim. Jimin deu de ombros, encarando o teto. Seu maxilar ficou completamente definido, me fazendo desviar o olhar.

-Pensei que você gostasse de outra pessoa – Ele virou a cabeça para mim. – Estava errado? – Assenti, me aproximando de Jimin. O garoto respirou fundo, vendo-me engatinhando até seu corpo sobre o sofá.

-Estava. Eu sempre gostei de você, Jimin. Se tivesse me falado, talvez não fôssemos tão distantes como somos agora… – Falei, passando as mãos no cabelo bagunçado de Park. O menino sorriu, acariciando minha bochecha.

-Ainda temos tempo… – Meu rosto se aproximou lentamente do de Jimin e então nossos lábios finalmente se juntaram. Foi melhor do que eu jamais havia imaginado. Passei as mãos pelos braços definidos de Park, sentindo seus músculos tensionarem assim que me sentei sobre seu colo. – Você tem certeza de quer fazer isso? – Assenti, voltando a beijá-lo com intensidade.

  Dentro de mim, eu ainda estava um pouco confusa. Virgem e perto de não ser mais com alguém que não via há anos. Esses pensamentos me fizeram hesitar e me afastar, mas não consegui olhar nos olhos de Jimin.

-O que aconteceu? – Ele perguntou, tocando minha bochecha. Neguei com a cabeça, suspirando. – Virgem? – Assenti, encarando-o. Jiminnie sorriu de leve e beijou meu nariz. – Tudo bem, está tudo bem. Não vou fazer nada para machucá-la.

-Eu só estou com medo de me arrepender…

-Vou fazer de tudo para que não pense isso. – Ele piscou e beijou meu pescoço, fazendo-me suspirar. Segurei seus cabelos, colocando a minha cabeça mais para o lado, lhe dando mais visão da pele do meu ombro.

  O garoto beijou-me, deixando leves marcas em mim. Sorri, passando a mão pela sua nuca, sentindo-o se arrepiar. Jimin segurou minha cintura com força, levantando-me e provavelmente nos levando para seu quarto.

 Fui colocada na cama com calma, Jimin ficando de pé na minha frente. O menino tirou sua própria blusa, permitindo-me ver toda aquela obra de arte. Suspirei, sentindo a mesma sensação de antes crescendo dentro de mim mais rápido.

 Após estar só de boxer, subiu sobre a cama, tirando o cabelo do meu rosto. Sorri, corando. Ele ergueu um pouco da barra do vestido, pedindo silenciosamente para retirá-lo. Assenti, deixando com que visse minha barriguinha não tão definida.

 Jimin sorriu, deixando beijos por ali e me fazendo arrepiar. O garoto tirou meu sutiã, sem hesitar nem alguns segundos em chupar e lamber a área. Suspirei, erguendo um pouco as costas por causa da sensação que aquilo proporcionava.

 Suas pequenas mãos desceram pelo meu corpo até a parte interna da minha coxa. Voltamos a nos beijar, dessa vez pude sentir o suor fazendo meus cabelos grudarem bem de leve na minha testa. O mesmo acontecia com Jiminnie.

O menino tirou minha calcinha devagar, fazendo questão de ter seu dedo trilhando todo o caminho. Park foi até minha intimidade, primeiro provocando-me pela parte interna da minha coxa. Suspirei alto, quase gemendo. Estava me trancando de fazer isso por vergonha, não sabia o que ele poderia pensar. Jimin fez seus pequenos dedos se moverem pelos lábios da minha intimidade. Fechei as pernas, agarrando seus cabelos.

 Jimin gentilmente me fez abri-las de novo, voltando aos movimentos lentos com seus dedos. Os olhos de Park estavam em mim, o que fez o clima esquentar mais umas cem vezes. Assim que eu, provavelmente, já estava quase uma piscina, o garoto colocou um dedo dentro de mim, juntando no mesmo momento, sua língua.

 Uma explosão de sentimentos surgiu dentro do meu peito e se espalhou por todo meu corpo. Minhas unhas agarravam seus cabelos e minhas costas estavam subindo e descendo. Sorri, sem conseguir segurar, enquanto soltava um gemido.

 Senti Jimin sorrindo também, então, do nada, o menino se afastou. Ele foi até o banheiro, pegando uma camisinha. Enquanto estava longe, continuei me tocando para não terminar com aquela sensação. Park voltou, rindo baixo ao me ver daquele jeito.

-Impaciente você, não? – Sorri de olhos fechados, mordendo os lábios. O garoto já estava sobre mim e posicionado entre minhas pernas.

 Seus olhos encontraram os meus, então simplesmente o beijei, me preparando mentalmente para o que estava por vir. Senti uma dor percorrer todo meu corpo e me tensionei. Jimin parou e passou a mão em minha bochecha.

-Relaxa… – Sua voz em meu ouvido fez meu corpo todo ficar calmo de novo. Respirei fundo assim que senti-o continuar. A dor continuava percorrendo-me, deixando-me sem ar.

 Finalmente, Jimin se colocou por completo dentro de mim. Ficamos parados por um momento, então falei para que continuasse. Os movimentos eram lentos, e aos poucos a dor foi se transformando em prazer. Segurei suas costas, arranhando-o, enquanto gemia.

 Jimin também gemia, sorrindo ás vezes. Nem percebi, mas quando minha sanidade voltou levemente, a cama estava batendo contra a parede com força e ambos gemíamos alto. Os lábios de Park mordiam meu pescoço e minhas unhas arranhavam todo seu corpo.

 Senti a sensação do orgasmo se construindo dentro de mim e percebi que ele sentia o mesmo. Arqueei minhas costas quando Jimin acertou meu ponto G, praticamente gritando. Movi meus quadris, tentando pegar mais velocidade, o que fez o menino rir. Sorri ao ouvir sua risada, não acreditando no que acontecia.

 Tensionei e relaxei o corpo quando senti aquela sensação forte percorrer todo átomo meu. Suspirei, caindo na cama. Jimin ainda continuava me penetrando, mas depois de alguns segundos ele caiu sobre mim, gemendo alto. Ambos nossos corpos estavam suados e os corações batiam rápido.

-Nós deveríamos ter nos confessado antes. – Ele disse, rindo. Comecei a rir, acertando seu ombro.

-Deveríamos mesmo… Podemos continuar depois de descansarmos? – Perguntei, encarando-o. O suor ainda fazia os cabelos grudarem em sua testa. Jimin sorriu, me trazendo para perto.

-Pode ter certeza que vamos continuar muitas vezes. - O garoto disse. Sorri, mordendo o lábio e esticando minha mão para tocar em seu membro. 

//MinSuga
Lembra que foi Ele quem criou o mundo…
Lembra que Ele tem o controle de tudo…
Lembra que foi Ele que soprou este ar…
Que passa ai dentro e te faz respirar…
Entre milhões de orações, pode sim te escutar…
Enquanto você dorme, continua a trabalhar…
Não é segundo suas expectativas…
Deus fará além, além, além, além do que você imagina.
—  Marcela Taís