quem b

B.,

Tenho sentido vontade de deitar a cabeça nas suas pernas finas e discorrer sobre as coisas que rodeiam. A rotina desatina todos nós. Vezenquando me sinto em maré alta, logo eu, que sempre temi o mar. Dia desses lembrei daquele roteiro que mais ninguém tomou nota, momentos nossos que já não falamos mais, recordo seus trejeitos com afetuosa gratidão. Eu te conto da vida para validá-la, é necessário te contar cada nó que se fez no meu peito e todos os móveis que mudei de lugar. Coloquei o filtro dos sonhos que me deu na janela para chamar a brisa leve como seus pés quando caminham pela casa.

Ainda vejo riscos vermelhos no céu como lembrete teu. As pessoas sempre passeiam por nós, B. é certo que algumas irão adentrar nossos portões como quem marcou uma visita na hora do chá - nós sempre falamos sobre isso de deixar alguém entrar depois de tudo, fico feliz por te ver conseguir. Tirei o dia para reviver memórias e me vi cada vez mais sã. Gosto de falar em estabilidade porque só você sabe todas as marcas que me fazem e todos os sonhos que se escondem nos confins do peito. Você viu cada cena dos meus anos como num rolo de filme, B. Como quem vivenciou tudo no próprio peito, como quem seguiu o caminho ao lado dos meus pés. Ainda que tortuoso, é bonito dizer que te vi ao lado, as mãos serenas, os olhos lúcidos. Teu nome me é maré mansa porque não há sequer uma gota de tristeza do meu peito na ponta dos seus dedos. 

O calendário anda apertado, as horas têm corrido como quem foge a cada anoitecer. Ainda guardo aquela pena verde que te comprei na feira de rua, espero que não esqueça minhas cartas. Proust ainda me lembra suas citações com ar blasé e continuamos a compartilhar a indignação com Freud. Dia desses encontrei Fred Astaire entre meus filmes, como sempre me veio seu nome em automático. Nossas recordações são bonitas como aquela canção que vivo a dizer que é sua.

Essa carta não tem intenção de nada além de dizer que vezenquando a gente olha para trás e vê desvios e arranhões, mas encontramos um punhado de vida. Então há você para tornar a estrada bonita, então dá saudade e vontade de contar sobre os pássaros da janela, o pranto e o céu - mantenho meu apreço por ele, como bem sabe. 

Quero que saiba que é bonito ver seus braços apoiados na cerca como quem parou para uma visita e gosta de conversar debaixo das nuvens. Aguardo suas cheganças mesmo sem saber, então você vem e recordo que todos os dias senti saudade de toda prosa desde os tempos da insônia desassossegada. B., o portão sempre estará aberto para você.

G.

Quem dera
Éff
Quem dera

Quem dera

Queria tanto poder ficar com você e ver a vida passar
mas daqui a um ano não sei onde vou estar
se precisar, posso não estar lá

Mas eu sinto um vazio
que só você pode ocupar
na minha cabeça,
seu rosto tem sempre um sorriso a me dar
e se eu corro tanto
é em você que quero chegar

Quem dera fosse tudo como a gente quer
de uma vez

A gente tem a esperança boba
que a internet vai nos juntar
que a distancia não é nada
pra a gente não importa

Mas isso é tão frio pra quem quer se tocar
Tenho medo que me esqueça
é dificil até de falar
se eu corro tanto, é em você que quero chegar
se eu corro tanto, é em você que quero chegar

Quem dera fosse tudo como a gente quer
de uma vez

Mas se não for, a gente arrasta o quanto puder

(Composição Fernando Caldas Éff)
(Gravação Estúdio Lado B)

desassomar  asked:

Prefere machucar ou ser machucado?

Ser machucado.. consequentemente se eu machuco alguém, me machuco junto pq me sinto mal.. então se só eu ficar, melhor. :c

Rebloguei

Troquei de theme, manda ask dizendo o que acha ou alguma pergunta que vou reblogar autorias :b

Pra quem quiser bater um papo ou ouvir música, to no Discord.

serfim  asked:

Tem alguma frase que te inspire ?

Você é mais forte do que pensa e será mais feliz do que imagina.

Já li essa frase aqui tantas vezes, sempre parava e pensava nela bem..

N achei link de autorias :c

Troquei de theme, manda ask dizendo o que acha ou alguma pergunta que vou reblogar autorias :b

Pra quem quiser bater um papo ou ouvir música, to no Discord.

E de longe o cheiro dela predominava. Uma mistura de cigarros e baunilha. Era o tipo de cheiro que geralmente me incomodava,porém nela se tornou uma combinação perfeita. O sorriso raramente aparecia. Ela trocava a gargalhada por um olhar profundo e hipnotizador. Na sua mão direita sempre um copo cheio de bebida que ela virava e enchia a cada três minutos,e na esquerda o vigésimo cigarro da noite. A impressão é que ela sabia tudo que qualquer pessoa ao seu redor estava pensando. Observei aquela menina durante toda a noite. O mistério que tomava conta do seu ser me encantou. E em um momento de euforia,eu me aproximei e perguntei o seu nome,ela apenas desviou o olhar e bateu a ponta do cigarro no canto da mesa e as cinzas voaram e se espalharam como se nunca tivessem existido …
—  B-ipolar15
É quando a gente está junto com
um monte de gente, que
percebemos o quanto sentimos falta de alguém. E dói, porque você sabe que não vai ter quem substitua.
—  Tati B.

Um professor de economia em uma universidade americana disse que nunca havia reprovado um só aluno, até que certa vez reprovou uma classe inteira. Esta classe em particular havia insistido que o socialismo realmente funcionava: com um governo assistencialista intermediando a riqueza ninguém seria pobre e ninguém seria rico, tudo seria igualitário e justo.

O professor então disse: “Ok, vamos fazer um experimento socialista nesta classe. Ao invés de dinheiro, usaremos suas notas nas provas.”

Todas as notas seriam concedidas com base na média da classe, e portanto seriam ‘justas’.

“Todos receberão as mesmas notas, o que significa que em teoria, ninguém será reprovado, assim como também ninguém receberá um A." 

Após calculada a média da primeira prova todos receberam B. Quem estudou com dedicação ficou indignado, mas os alunos que não se esforçaram ficaram muito felizes com o resultado.
Quando a segunda prova foi aplicada, os preguiçosos estudaram ainda menos - eles esperavam tirar notas boas de qualquer forma. Já aqueles que tinham estudado bastante no início resolveram que eles também se aproveitariam do trem da alegria das notas. Como resultado, a segunda média das provas foi D. Ninguém gostou. Depois da terceira prova, a média geral foi um F. As notas não voltaram a patamares mais altos mas, as desavenças entre os alunos, a busca por culpados e palavrões passaram a fazer parte da atmosfera das aulas daquela classe. A busca por 'justiça’ dos alunos tinha sido a principal causa das reclamações, inimizades e senso de injustiça que passaram a fazer parte daquela turma. No final das contas, ninguém queria mais estudar para beneficiar o resto da sala. Portanto, todos os alunos repetiram aquela disciplina, para sua total surpresa.

O professor explicou: "O experimento socialista falhou porque quando a recompensa é grande o esforço pelo sucesso individual é grande. Mas quando o governo elimina todas as recompensas ao tirar coisas dos outros para dar aos que não batalharam por elas, então ninguém mais vai tentar ou querer fazer seu melhor." 

Tão simples quanto o exemplo de Cuba, Coréia do Norte, Venezuela. E o Brasil e a Argentina, que estão chegando lá. Conclusão:

1. Você não pode levar o mais pobre à prosperidade apenas tirando a prosperidade do mais rico;
2. Para cada um recebendo sem ter que trabalhar, há uma pessoa trabalhando sem receber;
3. O governo não consegue dar nada a ninguém sem que tenha tomado de outra pessoa;
4. Ao contrário do conhecimento, é impossível multiplicar a riqueza tentando dividi-la;
5. Quando metade da população entende a ideia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, então chegamos ao começo do fim de uma nação.