quem b

quem esbarra comigo por aí não sabe da metade de tudo que explode e arde dentro de mim. fico pensando se eles imaginam que um toque nunca é só um toque e uma palavra nunca é só uma palavra, já que tudo que adentra meus ouvidos aflora assustadoramente dentro do meu coração. por isso eu passo muito tempo tentando não explodir, porque o mundo não suportaria o peso desses detalhes infinitos que me abrigam. não entenderiam o quanto eu preciso desesperadamente de refúgio e liberdade, assim, tudo ao mesmo tempo, antes de enlouquecer de vez com tamanha inconstância. eu queria dizer tantas coisas. contar sobre o meu pânico de lugares lotados porque eu sinto que meu corpo é pisoteado por tantas pessoas perdidas e eu fico desesperada pensando que eles nunca vão encontrar um lar e já sinto um aperto misturado com vontade de afogar toda a multidão na imensidão de mim. e contar que lugares altos não me fazem sentir medo, mas me despertam uma tremenda vontade de voar e ao mesmo tempo de chorar por não ter asas que alcancem tudo o que eu almejo. e conseguir explicar a sensação de quando eu deito pra olhar as estrelas, como se elas despencassem e viessem cintilar dentro de mim. contar que navegar me deixa extremamente enjoada, mas que nunca foi tão lindo sentir náuseas, só pelo prazer de encarar o infinito azul. quem me vê por aí dançando pela vida não sabe dos abismos, dos breus, da correnteza que deságua de dentro pra fora e ninguém vê. do corte que me abre da cabeça até a ponta do pé e me faz querer alçar voo de mim sempre que a solidão me aperta a laringe e sufoca a minha vontade de sorrir. e quem é que suportaria tamanha insanidade vestida de amor? eu sou transparência vestida de mistérios. eu não nasci pra ser desvendada, mas me encanta quem se arrisca ao tentar compreender.

eu sou o furacão e a brisa mansa que permeia os dias compridos.

Para com isso.
Manda mensagem sim.
Chama de madrugada.
De manhã, à tarde.
Manda foto do seu prato de arroz e
feijão.
Ou daquele
macarrão
de cento e trinta e quatro reais.
Mostra que tá aí.
Confessa que tem saudade.
Compartilha seus assuntos banais.
As crises existenciais.
Quem não se comunica,
não existe.
Fraco não é quem vive,
mas
quem não se permite.
—  Arthur Zambone, Carpe Diem.
Quem dera
  • Quem dera
  • Éff
Play

Quem dera

Queria tanto poder ficar com você e ver a vida passar
mas daqui a um ano não sei onde vou estar
se precisar, posso não estar lá

Mas eu sinto um vazio
que só você pode ocupar
na minha cabeça,
seu rosto tem sempre um sorriso a me dar
e se eu corro tanto
é em você que quero chegar

Quem dera fosse tudo como a gente quer
de uma vez

A gente tem a esperança boba
que a internet vai nos juntar
que a distancia não é nada
pra a gente não importa

Mas isso é tão frio pra quem quer se tocar
Tenho medo que me esqueça
é dificil até de falar
se eu corro tanto, é em você que quero chegar
se eu corro tanto, é em você que quero chegar

Quem dera fosse tudo como a gente quer
de uma vez

Mas se não for, a gente arrasta o quanto puder

(Composição Fernando Caldas Éff)
(Gravação Estúdio Lado B)

É quando a gente está junto com
um monte de gente, que
percebemos o quanto sentimos falta de alguém. E dói, porque você sabe que não vai ter quem substitua.
—  Tati B.
A vida é uma longa jornada. É fácil ? Não. Não é, pois há perigos e dores. Às vezes você será macerado, mas não desista ainda. Logo depois da tempestade de facas, um luar e um novo amor vai aparecer.
—  Quem me dera ter nome de escritora