que sou mesmo

Eu amo a voz dele. Mais do que já amei qualquer outra voz no mundo inteiro, em toda a minha existência. E o jeito como ele me faz sorrir… é inexplicável. Eu o olho e pela primeira vez na vida, me sinto sortuda. Somente por ter alguém como ele ao meu lado. Porque ninguém nunca me viu tão claramente antes. Ninguém me aceitou tão facilmente antes. E ele insiste em dizer que eu sou linda, mesmo com cara de sono ou descabelada. E eu só consigo rir. Porque nunca vou conseguir acreditar que alguém consegue me achar bonita, sem maquiagem, ao acordar. Ainda mais se tratando dele. Ele conheceu até as minhas partes obscuras. E mesmo assim, ficou.
—  Sofia, consteleis.
Chega uma hora em que a gente se pergunta: será que eu sou bom mesmo? Será que sou boa pessoa? Será que faço as coisas certas? Será que fiz as escolhas que devia ter feito?
—  Clarissa Corrêa.
Talvez um dia apareça alguém...

Provavelmente esse alguém será o oposto do que sou e mesmo assim, me completará. Pode acontecer que ele deteste Zeca Baleiro e goste de comer lasanha fria no jantar. Quem sabe esse sujeito calce 42 e seja sexualmente agressivo. Se porventura o cara for muito alto, usarei salto agulha que é menos ofensivo. Choveu dentro de mim por muito tempo, quiçá ele traga sol e eu vire um girassol. Decerto que terá olhos brilhantes, será um ótimo dançarino e seremos eternos amantes. Sim, talvez um dia apareça alguém.

Hoje eles dizem que sou frio, egoísta, até mesmo calculista. -Tudo bem, essa frase é rotineira da minha vida-. Porém, foram estes mesmos que sempre me disseram pra seguir adiante, que eu precisava superar os traumas do passado. Viviam encorajando-me a se livrar daquilo que me atrasava e fazia mal. Insistiam que o passado não poderia mais assombrar meu futuro, e eu simplesmente os ouvi. Passei a viver por mim mesmo. Ingeria doses diárias de amor próprio misturado com bem-me-quero, livrei-me dos malditos pesos que viviam me afundando, estes que me impediam de retornar a margem. Passei a ser livre. Hoje eles falam de mim, até julgam-me pelo que me tornei, porém, esquecem de que foram eles, os verdadeiros culpados de tudo isso.
—  Oratório de Um Poeta.
Eu quero casar com você.
Eu quero ver como você vai estar daqui a 50 anos e saber que eu me casei com a garota mais linda do mundo e com uma alma que jamais poderá morrer.
Eu quero ouvir quando você estiver brava e ser o motivo da sua felicidade quando você estiver feliz, eu quero saber que tenho alguém que entende a bagunça ambulante que eu sou e mesmo assim é capaz de me amar.
Eu quero saber que no fim da minha vida, eu tive alguém que pude amar intensamente e que amou na mesmo intensidade.
—  versos de cada esquina
Eu aprendi que meu coração é como uma flor no jardim de Deus, e aprendi que no jardim de Deus não existem flores iguais.
Ele sabe quem eu sou, mesmo que hajam milhares de outras flores. Ele sabe dos cuidados que preciso e quão delicada e sensível sou. Eu amo ser flor no jardim de Deus e não me imagino em outro lugar. O problema, é que vez ou outra vem alguém querendo me colher do jardim e confesso que já caí na armadilha de sair da terra fértil do meu Jardineiro. Foi cilada, quase morri. Sorte que Deus com suas mãos de criador me plantou novamente em seu solo bem cuidado, e eu com uma força que nunca tive antes, refloresci.
—  Bruna Gabriela.

Querido Nath, percebi o quanto tem sido difícil esses dias, sem a sua voz sonolenta quando tenta ficar conversando comigo até as cinco da manhã por telefone. Mas como hoje você foi dormir mais cedo e eu me peguei ouvindo umas músicas sentimentalistas, vim lhe escrever algo digno. Algo bonito. Saiba que por mais que eu brigue com você todos os dias, seja por motivos idiotas ou sérios, você nunca deixou de habitar meu coração, nunca deixou de ser um homem muito incrível e que me faz sorrir por uma simples mensagem de bom dia. Você meu querido Nathaniel me deixa sem saber o que dizer quando me desarma em uma discussão, dizendo apenas que me ama e que sou tua. E sou mesmo. Sou completamente tua, porque desde que entrou em minha vida toda turbulenta eu não me imagino sendo de ninguém mais, eu não sei se me interessaria por outro cara que não fosse você. Um tipinho malandro, mas que tem muito amor no coração. Que tem uma alma linda e leve. Sabe o que mais me chamou atenção em você? O seu sorriso largo. Sim, é o meu preferido. Ainda mais quando esbanja esse sorriso olhando pra mim. Você tem olhos de criança e tem umas atitudes também e isso faz meu coração se derreter. Você derreteu o gelo que tinha em meu coração e lhe agradeço por isso. Por me proporcionar tanto amor assim. Lhe agradeço por ser esse homem maravilhoso. Eu te amo e pra sempre serei sua. 

Com amor, Mel.

—  Nath e Mel.
#ClassA [parte 1]

Vou te contar o que eu consumi até chegar aqui pra te dizer…

Eu pedi pro garçom uma dose de amor ❤

Essa mina é só loucura 😍

Esse mundo é uma eterna gangorra.

Eu deixo ela solta porque eu sei que ela volta.

O destino brinca com rotina 🌴

Duvido que tu nega que tá tega 👌

Sempre que nós se vê, parece nunca ter fim!

Eu sem você, é como ter o boldo sem seda 💔

Ela é um mistério e eu quase nunca sei se ela vai querer de novo 🤔💕

Ela me procura pra ser cura no meio da noite escura 🌚

Ela aparece de novo, querendo de novo, dizendo que eu sou melhor mesmo sendo louco ❤

Minha língua no teu corpo é poesia 🔞

Então deixa assim nesse clima, linda 👌

Ela gosta dos crias com a pegada diferente 😏

Eu não sou comprometido, mas eu sou do mundo todo 🌎

eu já não sou mais o mesmo, amores líquidos requerem que sejamos correntes. eu me transformo tal como me firo com flechas que me atravessam me deixando ferimentos que sou obrigado a carregar.
não sou mais o mesmo.
até quando as cicatrizes tentam provar que sou o mesmo enquanto habitar esse corpo familiar.
mas não sou.
o tempo se encarregou se me carregar e me transformar e me reensinar a viver de forma bruta e eficaz.
eu aprendi a ir e agora eu não sou mais o mesmo.
eu aprendi a deixar ir quem me obrigava a ser o mesmo.
eu simplesmente decidi mudar.
as dores continuam iguais, mas eu as sinto em realidades diferentes.
acredite:
nem toda decepção que te atravessa vai te causar o mesmo estrago quando você se adapta ao sofrimento causado.

O homem converte-se aos poucos naquilo que acredita poder vir a ser. Se me repetir incessantemente a mim mesmo que sou incapaz de fazer determinada coisa, é possível que isso acabe finalmente por se tornar verdade. Pelo contrário, se acreditar que a posso fazer, acabarei garantidamente por adquirir a capacidade para a fazer, ainda que não a tenha num primeiro momento.
—  Mohandas Gandhi, in ‘The Words of Gandhi’. 
Fui embora porque você não me deu nenhum motivos pra ficar. Fui mas com a certeza de que fiz o que pude, que tentei o máximo, que me dei por completo, e não me arrependo de nada que fiz porque sou assim mesmo, ou me entrego por inteiro ou nem me dou o trabalho de entrar em algo se não for pra transbordar. O problema é que você não queria somar, cê queria ser metade e metade pra mim não basta, meu bem. Não há nada que eu me arrependa, eu só não faria de novo tanto por alguém que não deu quase nada.
Será que vão ouvir a nossa história, contada do fundo da alma? É sobre um homem, que uma mulher partiu seu coração. Ela foi fria, calculista, fez com que ele fosse seu melhor passatempo, porém passatempos passam, vira o tempo e tudo se desfaz. E ela desfez o coração do pobre homem. Ouvindo das bocas de outros, os quais ouviram essa história que você contou do fundo da sua alma, vejo como eu era, pode esfregar na minha cara que eu era sem coração. Já não recordo desse meu lado, não me reconheço; porém nada irá mudar, o jeito que lhe deixei foi injusto, insano, pode-se dizer que eu sou má, mesmo hoje tendo outras coisas em minha mente, não há como negar que fui sem coração contigo. Conosco. Mas eu te avisei dos meus defeitos, eu disse que era impulsiva, eu disse que as vezes parecia um vulcão em erupção, eu tentava me controlar, mas as vezes não dava. Você também é um mistério, muitos pensamentos passavam por mim, eu ficava neurótica. Você pode tentar entender este meu lado? Tenta entender que mesmo agindo de forma errada e te dando todas as dicas para ir embora eu quero que você fique. Não é fácil de entender, mas todas as vezes em que me perdoou eu consegui ser um pouco melhor e me doar mais a nossa historia. Eu não quero que parta para sempre, não mesmo, sou apenas alguém impulsionando sentimentos, estes que nem sei se sou capaz de suportar, sentimentos que acabo deixando de lado de vez em quanto, por que eu me canso, dessa rotina, de coisas prontas, eu sempre soube que isso acabaria comigo, assim como eu acabei com você, esse meu impulso não me deixou ser apenas, eu, bela e perfeita para você, mas será que alguém pararia para me entender? Entender nós dois? Juntos ou não, fomos uma história como outra qualquer.
—  Escrito por Paula, Samara, Lorrayne e Aline em Julieta-s.
É preciso abstrair para não sucumbir — li em algum lugar. Inventar fórmulas mentais refinadas para ocultar a realidade, construir subterfúgios cognitivos para resistir à vida como ela é: dura, petrificante. Concordo. Só é possível viver plenamente bem assim, com uma lente positiva atarraxada ao olho, ofuscando as agruras da existência. Mas não consigo me adaptar ao artifício. Acho impossível viver como Cândido. É preciso abstrair para não sucumbir, sim, mas abstraindo, me parece, acabo por sucumbir com mais facilidade. Me sinto um mentiroso, atuando para uma plateia que sou eu mesmo — esse eu verdadeiro que assiste tudo da primeira fila com semblante de reprovação e escárnio. Não suporto viver enrodilhado pelo autoengano voluntário, envolvido pela roupagem do embuste. O Eu que sou Eu grita lá da poltrona: ah, cara, qualé a sua? Que merda você está tentando fazer aí? Você não precisa fazer isso porque todo mundo tá fazendo. Sai fora. Você não tem nada a ver com isso. E então, consciente da minha própria voz, volto-me a mim mesmo e abraço a minha própria sombra. A realidade começa a me incinerar a carne lentamente, sim, mas de alguma forma seguro as pontas. Tomo uma água, aciono uma sonata e contemplo a força da minha recusa, do meu anacronismo fulgurante. Todos os meus problemas giram em torno disso: da incapacidade de mentir pra mim mesmo, da resistência à fantasia, ao mascaramento, aos adereços comuns, aos simulacros, à embromação, à mendacidade, à irreflexão. A realidade me é insuportável, sim. Insurge na carne, me martela os ossos, me corrói as vísceras. Claro. Mas mais insuportável é a teatralidade que o senso coletivo exige sob a ideia de normalidade — exigência arbitrária que só pode ser compreendida por quem frequentemente se coloca do lado de fora. Quem está dentro não enxerga com a amplitude de quem está a observar de fora, panorâmico, contemplativo. Não me sinto bem assumindo um papel que não é meu, um papel que exigem que eu faça. E por um momento, à deriva, fico feliz pensando nisso, reconhecendo-me, sabendo que tenho sido sempre eu, apesar de tudo. Sorrio, então. E fico em paz, mesmo sabendo que só até daqui a pouco, até a realidade aflorar de súbito e voltar a me comprimir o espírito. Mas tudo bem. Tudo bem.
—  Edson Junior.
É estranho sentir saudades de alguém que não deve nem lembrar mais que eu existo, e machuca saber que essa pessoa era seu melhor amigo. Dói ter que falar que era, porque é aí que eu percebo que nossa amizade acabou. Até hoje eu não entendo o porque de termos nos afastado tanto, éramos tão felizes juntos, lembra?
Um sempre animando o outro é prometemos que nada ia estragar a nossa amizade. Então me explica o que você fez com todas essas promessas, pois eu não vejo elas sendo cumpridas, acho que não devo ter significado nada para você.
Dói todos os dias saber que eu não sou nem mesmo sua última opção quando você precisar de ajuda e dói mais ainda saber que uma amizade de tantos anos acabou assim do nada. Sabe o quanto é difícil encontrar amigos verdadeiros hoje em dia? Principalmente manter a amizade por anos?
Apesar dos problemas, brigas, discussões, passamos por tanta coisa, pra você jogar tudo pro alto sem nenhum motivo.
Você me fez desacreditar que amizades duravam para sempre, muito obrigada por mostrar que na minha vida nada vai durar para sempre, nem mesmo as coisas que eu tinha certeza que seria e pensei que fosse verdadeiro.
Mesmo que eu ainda te ame muito, no momento eu te odeio por tudo o que você fez, não comigo, mas sim pelo o que você fez com a gente.
E sabe o pior dessa história toda?
É que apesar disso tudo, se você viesse arrependido dizendo que queria nossa amizade de volta e prometendo que tudo voltaria a ser como antes, eu seria a idiota que te perdoaria e seria a pessoa mais feliz do mundo por ter sua amizade de novo.
💭💔
Tenho que ser honesta a mim mesma, e a você, errei inúmeras vezes, me vi trancada no quarto, olhando o nada, pensando, pensando, e percebi que penso de mais, esse é meu maior erro.
Queria que você estivesse aqui agora, para olhar em seus olhos, e dizer que apesar de nada sentir, sinto muito.
Exato, sinto muito por ter te usado, achado que era um brinquedinho, brincado com seus sentimentos, mas o pior deles mesmo você sabe qual foi, esse nós cometemos, que foi pensar demais.
Quem me dera ser impulsiva, sentir ciúmes e explodir com você em uma crise desse mau, quem me dera sentir saudades e te falar que sinto sua falta, quem me dera te amar, e te fazer feliz, sou igual um robô, inabalável, será mesmo que sou?
Venha até aqui, e tire suas próprias conclusões, só peço para não sentir pena ou se assustar com o estado que me encontro, ou ao menos não demostrar o que sente, enfim se disfarce de mim, um robô sem sentimentos.
—  J