que idiotas

Eu estava triste, mas aguentei cada minuto da minha existência sem você. Não foi fácil, eu estava no chão sem ninguém para me levantar. Eu estava quebrado feito cacos de vidros e não havia nada para restaurar aquilo. Eu tive que levantar sozinho - novamente - assim como já fiz inúmeras vezes. Tive que aguentar várias noites de insônia e parecia que cada minuto era uma eternidade. Escutava músicas, lia algumas frases ou ficava olhando suas fotos na tentativa de amenizar sua ausência de algum modo. Era em vão! E cada vez que eu fazia isso, meu coração apertava cada vez mais e eu chorava. Que coração idiota, batendo por alguém que não lembrava da sua existência. Existência! Essa palavra acaba sendo inútil quando percebe que nada mais faz sentido. Falávamos de nós com tanta certeza e amor no coração que até as pessoas sentiam inveja de nós. Parecia coisa de filme de romance. Mas eu tinha medo dessas coisas perfeitas, quando a gente se apaixona, são as ilusões mais lindas e desastrosas que podemos criar no universo. E o pior é que criamos e vivemos nesse mundo de ilusão-perfeita e quando, de fato, tudo se torna real, existir passa a ser apenas mais uma palavra sem significado no vocabulário. Você sabe como eu me senti e como acordei nos dias seguintes. E a cada dia eu esperava por uma ligação ou uma mensagem dizendo que estava com saudade, mas isso não aconteceu. Ninguém percebe esse tipo de dor até senti-la de fato. E hoje, depois de mais uma queda, posso dizer com total certeza que nada é tão perfeito quanto parece. No final, não passa de mera ilusão criadas por nós.
—  K. Shibahara.

Nunca me sentí solo. He estado en una habitación y he tenido impulsos suicidas. He estado deprimido, me he sentido horrible más allá de lo descriptible, pero nunca pensé que una persona podía entrar a una habitación y curarme. Ni varias personas. En otras palabras, la soledad no es algo que me moleste, porque siempre tuve este terrible deseo de estar solo. Siento la soledad cuando estoy en una fiesta, o en un estadio lleno de gente vitoreando algo. Citaré a Ibsen: “Los hombres más fuertes son los más solitarios”. Nunca pensé: “Bueno, ahora va a entrar una rubia hermosa y vamos a tener sexo, y me va a lamer las pelotas, y me voy a sentir bien”. No, eso no iba a ayudar. ¿Has visto cómo piensa la gente común?: “Guau, es viernes por la noche, ¿qué vamos a hacer?, ¿quedarnos aquí sentados?”. Bueno, sí. Porque no hay nada allá afuera. Es idiotez. Gente idiota mezclándose con gente idiota. Que se idiotizan entre ellos. Nunca tuve la necesidad de lanzarme a la noche. Me escondía en bares porque no quería esconderme en fábricas. Eso es todo. Les pido perdón a los millones de personas que habitan ahí fuera, pero nunca me sentí solo. Me gusta estar conmigo mismo. Soy la mejor forma de entretenimiento que puedo encontrar.

Charles Bukowski