punhado

Você tem que aprender, que quanto mais quiser amar, mais vai aprender a sofrer. Porque não existe amor que não traga consigo um punhado de dores, afinal, amar alguém de verdade é negar a si mesmo. A recompensa de tudo isso é saber que você está fazendo o que deve ser feito; amar.
—  Jhonatan Stuartt.
basculantes azuis

eu despejo tudo o que tenho aqui 
deixo escapar pela vidraça minhas ilusões
não me importo nem um pouco
se te pego de jeito e amanhã você
me olha sorrindo e finge que não tá nem ai
eu vejo a tua língua prolongar verbos
que me entregam todo o seu desejo
eu tenho avalanches mentais
um monte de ideias que te fazem arder  
o carnaval que ainda vai chegar
é só um punhado de tiques e manias
eu adoro trocar a noite pelo dia
fazer um caos total no seu coração.

Elisa Bartlett.

Não, você não pode ir dormir chorando hoje. Você até parece que esqueceu quem foi até pouco tempo atrás. Ô! Meu amor! Estava tudo bem sem essa pessoa, e pode voltar a ficar tudo bem mesmo ele indo embora, acalme-se. Você tem tudo que precisa: Deus, um punhado de fé e amor no coração.
—  Jhonatan Stuartt.
Um punhado de personagens literários marcou minha vida de maneira mais durável que boa parte dos seres de carne e osso que conheci.
—  Mario Vargas Llosa.
Eu te espero pra uma conversa na varanda numa tarde arejada com gosto de lar; te aguardo pra um café em casa no dia de chuva e para a oração que ambos temos feito por tanto tempo só que separados. Eu te espero para enfim, juntos, consumarmos sonhos e dividirmos histórias, pra você ser o rapaz que um dia, de coração apertado pedi a Deus tão forte pra me ensinar a esperar. Eu te espero. De xícara e coração na mão, ofereço café  ou chá já lhe avisando que quanto ao meu coração a variação é uma só: antes, ele pertence a Deus.
Te espero, com fé e um punhado de amor. Câmbio, desligo.
—  De verso e alma, escrevinhei. 4º carta ao amor que chegará.
Mas, e quem foi disse que você não vai me amar? Vai sim. Quando o mundo não for um lugar seguro pra você, quando as musicas não te trouxerem lembranças boas, quando o silencio não te der resposta. Você vai me amar, vai sim. Toda vez que tiver um segredo para dividir, toda vez que precisar ouvir um elogio sincero. Coisas terríveis acontecem todos os dias, intermináveis relações nascem de um momento instantâneo, você vai mudar de rumo centenas de vezes, o universo vai dar mais de duzentas e oitenta e oito voltas sem que a vida perceba, e quando menos esperar, você vai me amar. Vai sim. Porque a vida sem ninguém pra dividir o café fica meio morna, as conversas sérias sem alguém para interromper ficam chatas. Porque a cidade sem eu e você, é apenas um punhado de luzes. E então, nesse dia, quando você finalmente tiver certeza do que sente, do que quer e precisa, vai ser tarde demais e você vai me amar, vai sim. Porque vai me ver em todos os rostos, vai me sentir em todos os sorrisos, vai me esbarrar em todos os caminhos, e passar a lembrar todos dias, que é amor. Quando não existir mais abraço apertado, nem toque no ombro ou mão fria nas costas, nem aperto de mãos ou olhares cruzados você vai me amar, vai sim. Na noite mais fria do ano, na foto mais bonita do álbum, na historia mais triste de todas, no seu momento de glória mais incrível, vai faltar alguma coisa. Olhando nos meus olhos ou do outro lado do mundo, a sua vida vai estar inteira e ainda assim vai faltar um pedaço, e mesmo sabendo que não existe mais nenhuma uma chance para tentar ser feliz comigo, você vai me amar. Vai sim, ainda que não queira.
—  Ciceero M.
As vezes você pensa que nunca mais irá conseguir encontrar aquele sentimento que lhe conforta e ao mesmo tempo lhe aflige, que nunca mais irá sentir borboletas em seu estomago voando desorientadamente procurando uma frecha para que possam sair-e-serem-livres.  Você pensa que nunca mais irá amar, que nunca mais encontrará aquela pessoa que lhe encante e fascine. E então, de repente, sem avisar nem titubear, a chama acende, o calor inflama e o ardor se desperta. É como uma auto-declaração de ‘pane’, seu sistema entra em curto-circuito e a única coisa que resta é esperar as sirenes do alarme se amenizarem. A saudade, que antes não passava de uma palavra vaga, se torna um dilúvio de sentimentos alagados e infinitos. Você dorme pensando no punhado de estrelas que existem no céu e acorda com um medo frequente, medo de não ser suficiente, medo de não ser reciproco, medo de sentir. Você caminha sem rumo, com olhar de vazio, mas ainda mantem  as esperanças e o sol lhe acompanha lentamente à medida que anda. Afinal, a vida começa agora.
—  Gabriel Mariano. Um dia, três outonos.

Teu coração
(que começou a bater quando nem teu corpo existia)
prossegue
suga e expele sangue
para manter-te vivo
e vivas
em tua carne
as tardes e ruas (do Catete, da Lapa, de Ipanema)
- as lancinantes vertigens dos poemas
que te mostraram a morte num punhado de pó
o torso de Apolo
ardendo como pele de fera a boca da carranca
dizendo sempre a mesma água pura na noite
com seus abismos azuis -
teu coração,
esse mínimo pulsar dentro da Via Láctea,
em meio a tempestades solares,
quando se deterá?

Não o sabes pois a natureza ama se ocultar.
E é melhor que não o saibas
para que seja por mais tempo doce em teu rosto
a brisa deste dia
e continues a executar
sem partitura
a sinfonia do verão como parte que és
dessa orquestra regida pelo Sol. 

Ferreira Gullar - Morrer no Rio de Janeiro, no livro “Muitas vozes”

sobre mim

sou um punhado de controvérsias. gosto de calmaria, mas calmaria demais é solidão. solidão demais é tristeza. e triste é tudo o que não sou. 
gosto de ter muita gente por perto, mas isso se transforma em multidão, fazendo sugir o barulho, acabando com a calmaria. 
gosto de melado, mas melado demais engorda, e não quero engordar porque me deixaria triste. deixo o melado de lado, e parto pra frente. 
gosto de música. música sozinha. acompanhada. alta. baixa. agitada. calma. com muita gente. com pouca gente. comendo melado. andando em frente. música é música. é tudo o que sou. é tudo o que sinto.

Não me culpo, não te culpo. Não julgo a nossa história. Não tento esquecer, nem voltar no tempo, muito menos nas memórias. Só quero a verdade, os gostos bons, amor saindo pelos poros, um punhado de vontade, falta de vergonha e uma pitada de saudade. Não é pedir muito para uma sonhadora, que de tanto sonhar se torna boba, um pouco doida e amadora.
—  Clarissa Corrêa.
Super população, e dentro dessa multidão só algum punhado de pessoas se salvam, são aqueles que vão contra a ordem das coisas, que não dão um “Bom dia” se de fato não estiverem tendo um. Poucos são  os que dizem o que sente, é tudo meio padronizado, a maioria interpreta um papel que não é seu.
—  Gravetos - I’m sorry but it’s too late