providenciar

Ele 104 anos e Ela 100. Um casal bem pobrinho, porém muito feliz! Uma cumplicidade que já dura 81 anos. 

Eles nunca tiraram uma fotografia sequer e o sonho dela, era ao menos uma vez, usar um vestido de noiva. 

“um sonho tão simples” que se concretizou, graças a um grupo de fotógrafos, que além de providenciar o vestido, ainda eternizou este momento mágico e imensurável do casal de velhinhos super fofos! 

Quando ele a viu vestida de noiva, correu para dar-lhe um abraço e disse: “como você está bonita" 

O simples não é necessariamente o melhor, mas o melhor deve ser simples. 

Suas tentações não são maiores do que você possa suportar, maior sou Eu que habito em você do que aquele que te tenta todos os dias. Não deixe ele enganar você, não deixe ele roubar de você os sonhos que eu te dei, antes de tudo seja forte e corajoso(a) para enfrentar tudo, saiba que Eu estou com você nisso, mas como um professor fica em silêncio na hora da prova assim Eu também fico enquanto é tentado(a) ou provado(a) mas mesmo em silêncio Eu continuo a providenciar o escape e preparar o descanso para você. Você vale muito pra mim, é meu/minha filho/filha amado(a), Eu te guio e te repreendo quando está errado(a). Eu te ajudo e te esforço quando você se sente incapaz, saiba que tudo isso vai passar, seja paciente e verás o descanso e o escape que estou preparando. Seja paciente na tribulação, resista a tentação e não dê lugar ao inimigo. Ao acreditar em suas mentiras você dá lugar a ele, ao aceitar suas ofertas também está dando lugar a ele. Deixa Eu te dizer uma coisa: cada tentação prova quem você é diante de Mim, cada renúncia às ofertas do inimigo é a prova que você de fato Me segue e por isso não quer Me desagradar. Não pense que você é o(a) único(a), milhões de irmãos passam pelas mesmas coisas que você passa. Seja paciente, cada tribulação faz você crescer e ganhar mais experiências Comigo. Não acredite no que o inimigo tenta implantar na sua mente, antes veja o que Eu digo para você em Jeremias 29.11: Só eu conheço os planos que tenho para vocês: prosperidade e não desgraça e um futuro cheio de esperança. Sou eu, o Senhor , quem está falando.
—  Deus
Capitulo 148

Clara respirou profundamente para controlar o impulso de confirmar aquela retórica. Não era daquele jeito que terminaria sua relação com Eduarda, suas regras de conduta moral não permitiriam tal crueldade.

– Duda você está falando bobagens, não vou continuar essa discussão. Vou providenciar meu visto, e tentarei embarcar o mais rápido possível para lhe encontrar.

Sem dar chances de Eduarda retrucar, Clara desligou o telefone. Se pudesse arriscar um palpite ela acertaria quando imaginou que naquele momento Eduarda lançara o celular contra a parede furiosa com a noiva.

Depois da conversa tensa com a empresária, Clara pressentiu que não seria tarefa fácil definir aquela situação e ficar livre para Vanessa. O mal estar gerado por aquele telefonema só foi minimizado quando dona Joana bateu à porta:

– Doutora, tem um motoboy aqui fora insistindo em entregar-lhe um embrulho pessoalmente.

– Embrulho?

– É, disse que a exigência do remetente era que a encomenda fosse entregue em mãos.

– Se passou pela segurança e pelo raio X não acho que seja uma ameaça não é?


Clara pensou alto.

– A senhora vai ou não receber?


Dona Joana indagou impaciente.


– Faça-o entrar.

O motoboy entrou no gabinete com seus trajes característicos da profissão e o capacete na cabeça apenas com a viseira levantada. Os olhos eram familiares, mas Clara tentou disfarçar o reconhecimento se adiantando para receber o embrulho.

– Quem enviou? – a promotora perguntou.

– Consta no protocolo de entrega.

O motoqueiro de voz rouca exibiu o livro de protocolo para Clara assinar e decretou:

– Tenho instruções para aguardar a sua resposta.

Clara estranhou, e tentando esconder o conteúdo do pacote de dona Joana que curiosa se esticava para conferir o teor da entrega, quando viu quem o enviou sorriu discretamente: Vanessa Andre Mesquita.

Abriu com cuidado a caixa e dessa vez não conseguiu conter o sorriso largo quando conferiu do que se tratava: um pedaço de torta charlote, a preferida de Clara. Fixado na embalagem um bilhete:

–“A sobremesa eu já providenciei, mas o jantar é por sua conta. Janta comigo?”.

– Diga-lhe que a resposta é sim.


Clara disse assinando o livro de protocolo do motoboy. Encantada com o gesto delicado de Vanessa, Clara nem olhou para o motoqueiro que não saiu da sala mesmo já tendo cumprido sua missão.

– O senhor já está dispensado.

Dona Joana praticamente expulsou o rapaz, enquanto Clara esperava ficar sozinha para telefonar para Vanessa. Qual não foi sua surpresa quando coincidentemente ouviu um celular chamar da recepção, sem resposta. Intrigada seguiu o som e percebeu que coincidia com as chamadas do celular do motoboy que se afastava pelo corredor do prédio.

Insistiu na ligação já que não obteve resposta, seguindo o som que ecoava pelos corredores junto com o motoboy que se afastava sem cessar seu percurso mesmo sendo seguido acintosamente pela promotora. Para surpresa de Clara o motoboy entrou no banheiro feminino do andar, a promotora intrigada continuou a perseguição, dentro do banheiro se deparou com o motoboy que de frente para ela retirou o capacete exibindo seus cabelos grandes e loiros e o sorriso estonteante que lhe desestruturava completamente. Vanessa com seu jeito de moleca disse:

– A gente precisa parar de se encontrar nos banheiros da cidade doutora.

Tentando se recobrar do choque, Clara balançou a cabeça negativamente, sorriu e não resistindo ao charme da fotógrafa a empurrou contra a porta, prendendo seu corpo no dela para um beijo faminto.

– Você é louca! E eu amo você ainda mais por isso!

Vanessa envolveu a cintura de Clara devolvendo o beijo quente, sugando a língua da loira acendendo seus desejos.

– Já podemos jantar agora?

Vanessa sussurrou. Clar sorriu e se rendendo aos apelos do seu corpo e tocada pelo gesto apaixonado da fotógrafa respondeu:

– Desde que o prato principal seja servido na nossa cama, sim podemos.

– Será servido onde você quiser meu amor.

Naquele dia, o expediente de Clara foi encerrado mais cedo pela primeira vez desde que assumiu o cargo no Ministério Público. Nos braços de Vanessa, Clara retomou suas energias, outrora abaladas pela discussão com Eduarda. Aninhada no corpo da loira a promotora tinha a certeza que tudo mais era menor, aquele sentimento que unia ela e Vanessa era intenso e forte o suficiente para transpor qualquer episódio desagradável que riscasse seu estado de felicidade plena.

                                   (RE) ENCONTROS E DESCOBERTA

Capítulo 135

Acordei com os primeiros raios de sol, eu não estava acreditando que estava no meu quarto, dividindo a cama com o meu amor. Papai o senhor é dez por me proporcionar tamanha felicidade, observando aquele menino dormindo ao meu lado lindo e sereno, vejo um par de olhos se abrir e revelar um homem feliz e não menos safado.    

- Bom dia Minha Linda.

- Bom dia Meu Lindo, dormiu bem?

- Não podia ter dormido melhor.

- Bom saber, sinal de que sou boa anfitriã com meus convidados.

- Você é muito boa anfitriã, tenha certeza disso, mas ainda está faltando uma coisinha para completar a hospedagem?

- O que Rod?

- Proporcionar um café da manhã inesquecível para esse seu hóspede aqui.

- Ah! Claro vou descer e providenciar.

- Quem disse que você precisa sair desse quarto para fazer isso?

- Não?

- Não, nesse quarto tem tudo que é preciso para o meu café da manhã.

- Muito safado, Senhor Rodrigo Simas. O que meus pais vão pensar?

- Senhorita Juliana Paiva, eles não vão pensar nada, porque eles têm certeza de que estamos muito felizes.

- Rod o que eu faço sem você?

- Sem mim eu não sei, mas comigo eu tenho muitas ideias…

- Você é muito safado sabia?

- Sou, e sei também que você não vive sem esse safado aqui.

- Seu… Segurei seus braços quando ela ia me atacar, e a levei de encontro ao colchão, que seria a o próximo a ter as marcas do amor e da paixão que tínhamos um pelo outro. Na noite anterior estávamos exaustos, mas nessa manhã Juliana e eu éramos pura luxúria, fizemos amor intensamente de todas as formas possíveis e nossa disposição era muita. Após uma sessão revigorante de amor e sexo resolvemos começar o dia.

- Ju, posso te fazer uma pergunta?

- Pode sim Rod, se eu vou poder responder eu não sei.

- Você vai poder sim, é algo muito simples.

- O que você quer dizer com isso?

- Ju por que você revelou no programa que está grávida?

- Rod, você sabe que sempre vou preservar nosso filho, mas quando o Juliano falou dos planos dele de casar comigo e ter filhos, quis deixar claro que esses planos eram dele, nunca o encorajei, e mais ainda quando ele me acusou deliberadamente de tê-lo traído com você ali eu vi que tinha de fazer algo definitivo para acabar com qualquer esperança que ele ainda julgasse ter de uma reconciliação comigo e a alternativa que vi foi a de dizer a ele que você além de ser o homem da minha vida é o pai do meu filho.

- Certo Ju, e acredito que deva ter sido difícil para você admitir publicamente esse fato. Você poderia ser mal interpretada, rotulada no mínimo de volúvel.

- É verdade Rod, mas na hora só o que eu pensava era dar uma prova definitiva de que quem eu amo é você, só você.

- Certo, e como você previu que ele poderia reivindicar a paternidade do meu filho?

- Pra começar pela angústia que você demonstrou pelo simples fato de alguém imaginar que o seu filho não era seu e por saber que você estava muito preocupado com a possibilidade do Juliano dizer pra todo mundo e pra mídia por vingança que ele é o pai do nosso Terceiro Elemento.

- Como você sabia disso?

- Tenho minhas fontes.

- Ju, como é que você soube disso? Qual dos dois te falou isso?

- Nenhum dos dois.

- Como assim?

- Nenhum deles diretamente.

- Qual das duas?

- Rod, eu não vou dar nomes, mas seus irmãos estavam preocupados com a sua angústia e estavam bolados por isso.

- Tudo bem Ju, não vou fazer você trair suas amigas.

- Rod, não culpe seus irmãos nem minhas amigas. Eles só querem o seu bem.

- Certo Juliana, e por causa disso você me fez pagar um mico?

- Que mico?

- Juliana você me fez acreditar que era preciso eu fazer um exame para ajudar o nosso filho quando nascer.

- Pra você fazer um exame para ajudar o seu filho quando nascer é um mico, é isso?

- Ju, porque você me fez acreditar que era preciso eu fazer aquele exame? Você tinha duvidas de…

- Rodrigo, nem termina essa frase, por que se você concluir ela nos termos que eu acredito que você vai usar eu saio desse quarto agora e você nunca mais me vê na sua vida.

- Ju, o que você quer que eu pense? Você me leva a um exame que eu descubro que foi usado para outro fim que não o que me foi dito em princípio.

- Rodrigo eu admito que levei você a fazer um exame que você não queria fazer, usei o argumento de que era necessário para o bem estar e a saúde do nosso filho. Rod, quando eu soube que você tinha medo da simples possibilidade do Juliano reivindicar uma paternidade que não é dele, é sua, só sua. Eu procurei meu médico, confidenciei a ele toda nossa história e pedi para que ele me ajudasse nessa questão.

- Então você envolveu seu médico numa questão nossa?

- Envolvi sim Rodrigo, sabe por quê? Por que eu tenho certeza que você é o pai do meu filho e não suporto a ideia do Juliano por vingança inventar que é o pai dessa criança, por isso eu procurei o médico e ele me sugeriu que você fizesse aquele exame, ele me questionou porque eu não abria o jogo com você e esse exame seria feito voluntariamente. Eu disse a ele que não queria que você além de angustiado ficasse ansioso quanto ao resultado e disso eu não precisava.

- Então você…

- Então eu tinha quase que convicção que o Juliano ia falar pra mídia que se eu estava grávida, quem garantiria que o filho não é dele, só não imaginava que ele fosse fazer isso em rede nacional. Quando saiu o resultado que eu sempre soube eu guardei esse resultado para usar no momento certo, só não tinha certeza que fosse usar ele hoje. Quando o Juliano começou a falar aquele monte de mentiras, você não percebeu, mas já havia dado um jeito de fazer chegar às mãos do Renato o envelope lacrado e disse a ele que se fosse necessário ele poderia abri-lo e daí pra frente você sabe tudo o que aconteceu. Agora eu vou descer e preparar o seu café da manhã, encontro você lá embaixo.

- Juliana estava chegando à porta magoada comigo, (Rodrigo você é muito babaca, você não pode deixar a mulher da sua vida sair assim, não depois de tudo que ela fez pra te provar que o ama verdadeiramente). Antes que ela abrisse aquela porta me coloquei na frente impedindo que ela saísse.

- Ju me perdoa.

- Rodrigo, por favor, eu preciso descer.

- Não Ju você não precisa. Eu é que preciso que você perdoe esse babaca que só faz besteira, mas que não consegue viver sem a mulher mais maravilhosa que existe. Eu sou muito burro de duvidar da garota mais sincera, honesta e digna que já cruzou o meu caminho. Ju, por favor, perdoa esse idiota apaixonado.

- Rod, tudo que eu fiz foi pra …

- Eu sei Ju, foi pra provar o seu amor por mim e eu não tive sensibilidade suficiente pra perceber, sou muito babaca mesmo.

- Rod você tem certeza…

- Ju, eu tenho só uma certeza: certeza que eu amo você mais que tudo e a certeza de que você me ama acima de qualquer coisa. Por favor me perdoa.

- Eu perdoo você sim, mas…

- Mas…

- Eu quero que você entenda de uma vez por todas que eu te amo mais que tudo, que posso ter feito escolhas equivocadas na vida, mas a escolha mais acertada que eu fiz foi você, só você que além de tudo me deu o meu melhor presente nessa vida, nosso Terceiro Elemento, E que fique bem claro uma coisa: você nunca mais deve duvidar do que eu sinto por você seu babaca, seu idiota, seu imbecil, lindo, gostoso.

- Então eu estou perdoado?

- Você é lento mesmo, quer que eu desenhe?

- Não, eu prefiro marcar esse momento de outra forma.

- Que forma?

- Essa forma.  E foi então que a peguei de surpresa e a beijei como se desse beijo dependesse a minha vida.

 E posso dizer que aquela manhã que havia começado maravilhosa, se tornara nebulosa e voltava a ser radiante depois que o babaca aqui entendeu que a garota dos seus sonhos só queria livrá-lo de uma angústia maldita.