produzidos

você pensa em mim?

me pergunto se em algum momento do seu dia, eu entro em suas suposições ou planos futuros. se seu desejo em algum momento é sentir meu toque mais uma vez sobre seu rosto e o estrago que meu olhar faz ao ir de encontro ao seu.
em algum momento no caminho para faculdade você se pergunta o que eu estou fazendo no meu dia ou se simplesmente eu estou bem?
você relê mentalmente as nossas conversas antes de se entregar ao sono ou revê a fotografia do meu sorriso que sempre esteve presente quando estive ao seu lado?
em algum dia, enquanto esteve de olhos fechado tocando o seu corpo, você imaginou o calor produzido pelas minhas coxas próximas as suas?
você já sentiu meu toque em algum sonho e acordou me procurando nesse espaço vazio presente na sua cama, ou em algum momento em que esse espaço esteve ocupado, você pensou em mim enquanto fodia com outro?
você sente falta das minhas mensagens de bom dia, da minha presença presente, dos meus áudios intermináveis ou das minhas insanidades que pareciam se entrelaçar e complementar as suas?
eu quero saber se ainda ocupo algum espaço na sua vida e o que esse espaço representa para você. por menor que seja, me fale se esse espaço é algo fixo e imutável ou se ele te confunde a ponto de se entregar à loucura de não saber o que sente.
o que eu fui para você?
o que eu sou para você?

quero saber se você ainda pensa em mim
como, incansavelmente todos os dias, eu ainda penso em você.

Californication

Viemos aqui em uma lata velha, um mustangue que não dava mais ré. Eu queria ser um guitarrista famoso, ela ia desenhar minhas roupas e palco. Eu acabei produzido, e ela sozinha o tempo todo.
Ela queria a casa,eu queria a liberdade.Eu consegui. Agora eu bebo o que eu quero, cheiro o que eu quero, transo com quem eu quero…
e tudo que eu quero é ela.

One Shot Harry Styles

  • Pedido por - Lary (@1dpreferences-br) - s\n e Harry estão passando por uma super crise, porque ele não sente tanto desejo por ela depois de uma gravidez recente, e ela pede o divórcio por não estar mais feliz, ai entra para a academia e fica bem gostosa (ela fez isso por ela u.u) O final, se eles ficam juntos ou não fica a seu critério, vou adorar qualquer coisa que você escrever :3


O barulho da chave na fechadura da porta me fez suspirar e saber que Harry havia chegado resultou em um branco na minha mente, todas as palavras que eu havia ensaiado para esse momento fugiram para tão longe que eu nem me lembro a primeira palavra que eu pretendia dizer.

Permaneci sentada na poltrona de costas para a mesa apenas me atentando aos sons produzidos, novamente a chave na fechadura, as botas sendo deixadas de lado e por fim o interruptor que deu luz a todo o local.

— (Seu nome)… — a voz dele foi tão baixa que eu quase não consegui ouvir, só foi possível pelo silêncio absoluto da casa — É… Está sem sono? — Harry perguntou depois de limpar a garganta.

— Resolvi esperar você chegar para deixar você saber sobre uma decisão que eu tomei. — eu ainda não virei para olhá-lo, eu quero saber se ele virá se sentar comigo ou fugirá de mim como o capeta foge da cruz.

— Decisão? — ele pareceu ponderar sobre a informação recebida e pela ausência do som de seus passos, constatei que ele ainda estava no mesmo lugar.

— Você pode se sentar aqui… Eu não vou te morder. — eu já o mordi muito, mas foi quando ele parecia gostar. Passado alguns segundos em silêncio, Harry fez um som de concordância e se sentou no sofá a minha frente — Depois que o Avan nasceu eu tenho tido bastante tempo nas minhas noites… Ele sempre foi um bebê bonzinho e não dá trabalho na hora de dormir, o que me deixava sem pregar os olhos é você demorar para voltar para casa. — fiz uma pausa e ele não se atreveu a dizer nada — Eu tinha muitas perguntas e não podia apenas atirá-las sobre você então eu fui buscando respostas das que mais me atormentavam.

— Buscando respostas? — ele repetiu o que eu disse um pouco surpreso.

— Sim, eu falei com Niall. Ele sempre foi um bom amigo e durante um tempo eu pensei que ele estivesse arrancando o seu coro na gravadora, mas ele então me disse que você tem feito horas extras todos os dias por vontade própria. — meus olhos estão pregados em cada movimento de Harry, nesse minuto ele está encarando o chão sem me olhar de volta — Ele me perguntou se estávamos bem,  se estávamos com algum problema em cada e eu não soube o que responder porque eu também estou completamente por fora. Eu sei que tem um problema, mas não sei qual é, sabe?

— (Seu nome)… — eu ainda não tinha terminado então o interrompi.

— Costumávamos ser honestos um com o outro, éramos amigos e então você foi ficando cada vez mais distante que eu pensei que estivesse me traindo. Eu confio em você, mas a situação que estávamos colocou milhões de coisas na minha cabeça que eu apenas não conseguia lidar com elas.

— Eu não estou te traindo, nunca faria isso. — seus olhos encontram os meus rapidamente.

— Eu sei que não. Niall me garantiu isso e ele nunca me deu motivos para duvidar de sua palavra. — falei com sinceridade — Agora eu vou te perguntar e quero que seja sincero comigo em nome de todos os anos em que estivemos juntos… O que está acontecendo, Harry?

— Eu não sei… — ele suspirou e voltou novamente seus olhos para o chão — Eu sinceramente não sei, mas não me sinto como antes.

— Você não me ama mais. — falei com convicção e ele negou com a cabeça rapidamente e olhou em meus olhos.

— Eu amo, eu te amo, (seu nome). Você é minha melhor amiga e eu te amo muito.

— Como mulher, Harry, eu estou dizendo amar como mulher. — eu fiquei um pouco nervosa, mas respirei fundo me acalmando — Somos casados e temos um filho, é sobre essa relação que eu estou falando.

— Eu não sei, alguma coisa mudou e eu não sei mais de coisa alguma. — Harry passou os dedos entre os fios de seu cabelo.

— Desejo. Você não me deseja mais. — eu só quero que essa conversa acabe logo, mas para isso Harry precisa me ajudar a chegar em um ponto específico — Junto com o Avan veio alguns quilos… Você sempre gostou de mulheres magras e eu não faço mais o seu perfil.

— Claro que não, (seu nome)!

— Então me explica o que está acontecendo, Harry? Por que você está evitando voltar para casa? Por que você deixa um vão tão gelado entre nós dois na cama? Não é possível que só eu sinta que tudo está diferente. Não é possível que eu esteja chorando por nada enquanto te espero chegar toda noite. — mais uma vez o silêncio foi minha resposta — Eu não posso e não quero mais viver assim… Eu tenho os papéis do divórcio prontos a algum tempo e só precisava ter essa conversa com você. Eu queria que tivesse sido honesto comigo e me dito antes, iria me poupar bastante sofrimento.  

— Eu não queria te fazer sofrer…

— Você falhou miseravelmente. Eu sofri em dobro e fui castigada por meus pensamentos de todas as formas, mas vai ficar tudo bem, você só precisa assinar o seu nome em algumas folhas.

— Se isso te fará melhor, eu assino.

— Obrigada!

[…]

Um ano se passou até que eu me sentisse totalmente bem novamente, me divorciar de Harry me rendeu mais alguns quilos porque eu não estava sabendo lidar com tudo e descontava na comida. Cheguei a um ponto de não conseguir me olhar no espelho, me sentia feia e indesejável, mas isso era apenas coisa da minha cabeça, eu deixei que o que resultou a minha separação com Harry me afetasse no meu recomeço.

Eu fiz da academia a minha segunda casa, meu trabalho era meio período e de manhã enquanto Avan estava na creche, eu passava todo o tempo malhando para conseguir voltar para o meu antigo peso. Eu queria me sentir como eu novamente, como a muito não me sentia e fiz disso um objetivo que durou meses até finalmente ser concluído.

— Obrigada por ter vindo. — sorri ao abrir a porta para Harry o dando espaço para entrar — Avan está dormindo no quarto e você pode ficar a vontade.

— Não precisa agradecer, não é sacrifício nenhum e você sabe. — ele sorriu caminhando até o sofá onde se sentou.

— Eu vou sair em alguns minutos e deixei a mamadeira pronta, caso ele acorde é só esquentar um pouco o leite no microondas.

— Vamos ficar bem, não se preocupe. — me sentei no outro sofá para calçar meu sapato — Então… Quem é ele?

— Josh. O conheci na academia. — é um pouco estranho falar quem é o seu encontro para o seu ex marido.

— Se ele conseguir, será um homem de sorte. — fiquei em silêncio sem saber o que dizer e a campainha me salvou do silêncio constrangedor.

— Eu tenho que ir, qualquer coisa pode me ligar. — balancei o celular em minha mão em sua direção e caminhei até a porta — Até mais tarde.

[…]

Sair com Josh foi definitivamente uma boa escolha, ele me levou em um ótimo restaurante vegetariano e foi tão bom que eu não senti nenhum pouco de falta da carne. A conversa também foi ótima, ele soube me entreter e eu não fiquei nenhum segundo entediada, pelo contrário, ele me fez rir como a muito tempo eu não ria e marcamos de sair mais um vez qualquer dia. Tenho que confessar estar muito ansiosa para que isso aconteça.

Durante todo o tempo que passei fora de casa Harry me mandou apenas uma mensagem uma hora depois que sai dizendo que estava tudo bem, isso me deixou mais leve para estender o encontro por mais duas horas. Ao voltar para casa Harry estava com Avan dormindo em seu colo, tirei meu sapato na porta, caminhei sorridente e me atirei sobre o sofá.

— Você está com uma cara ótima, isso me diz que ele te ganhou para um segundo encontro. — Harry disse baixo por Avan estar dormindo e não pude deixar de responder.

— Sim. Foi demais, é uma pena ter passado tão rápido. — minha cabeça estava descansando sobre o encosto do sofá enquanto eu olhava o teto perdida em pensamento.

— O tempo passa rápido mesmo…

— E você? Está se relacionando com alguém? — perguntei apenas por perguntar e me sentei corretamente no sofá para olhá-lo.

— Apenas com o trabalho.

— Você tem que parar um pouco, se divertir, ir atrás de um novo amor… — sugeri enquanto pego Avan de seu colo.

— Não estou pronto para isso… E eu acho que nunca vou me desculpar o suficiente, então mais uma vez me desculpa pelo que te fiz passar quando estávamos juntos.

— Esquece isso, Harry, deixe o passado para trás. — sorri tentando passar um pouco de confiança.

— Não é tão fácil assim. — ouvi ele murmurar e achei melhor fingir que não.

— Bem, você já está liberado, não quero abusar da sua boa vontade. — rindo baixo me coloco de pé — Obrigada por ter ficado com o Avan.

— Imagina, não têm problema nenhum ficar com meu filho por um tempo. — ele sorriu sem mostrar os dentes — Eu já vou indo… Até qualquer dia. — ele beijou meu rosto antes de caminhar para fora de casa.

Me peguei pensando o quanto esse simples beijo no rosto faria diferença para mim há um ano atrás, mas que agora não passa de um gesto carinhoso de um amigo. Deixando de lado tudo o que passa em minha cabeça, apenas me permito sorrir por ter esperança em uma relação com o Josh, ele realmente me fez feliz hoje a noite.



Desculpe qualquer coisa, estou passando por um desanimo gigantesco para escrita 😕

- Tay

Você nunca pode dizer o que está incomodando alguém. Até coisas mais triviais podem se tornar terríveis quando você entra num certo estado mental. E o pior de todas as fadigas e tormentos produzidos pelo medo e pela agonia é aquele que você não consegue explicar ou compreender ou até mesmo pensar, apenas se lança sobre você e não tem como sair dela. O suicídio parece incompreensível, a não ser que você mesmo esteja pensando nele.
—  Charles Bukowski.

One Shot Zayn Malik 

  • Pedido por @dudaavitorio​ -  Então amore eu queria um One shot com o Zayn que ele e tatuador e eles são casado e tem um filho e ela quer tatuar o nome do bebe mas tem medo ai ele fala pra ela que não doi e tatua ela …. Obg 😍😍😍❤


— Vamos amor, você tem que se decidir.

A voz de Zayn mais uma vez se fez presente tentando me convencer a tomar uma decisão enquanto eu coloco o corpinho adormecido de Alec no carrinho. Eu apenas comentei que queria fazer uma tatuagem em homenagem ao nosso filho e Zayn se animou todo, foram anos na tentativa de me tatuar, mas eu nunca cedi, então agora ele viu a oportunidade perfeita.

— Zee, eu já disse que foi só um pensamento.

Tudo bem que eu sempre quis fazer uma tatuagem - Zayn não precisa saber, pelo amor de Deus. Não. Ele me encheria a paciência por séculos se soubesse - o grande x da questão é que eu tenho muito medo de agulhas, então não vai ser fácil encarar uma durante algum tempo deixando que ela entre e saia da minha pele repetidas vezes. Sem contar que o barulhinho produzido pela máquina me deixa apreensiva e inquieta, só de ouvir me dá vontade de correr.

A parte engraçada da minha vida é essa, eu sempre temi o barulho da máquina de tatuagem e acabei me casando com um tatuador tendo que conviver com o barulho horrorizante quase sempre, acho que ele nem me deixa mais tão inquieta como antes.

Zayn é um excelente artista, ele desenha super bem e faz o próprio álbum de tatuagens, os clientes dele sempre tem novas opções e talvez isso que acaba os viciando. Eles sempre voltam para olhar as novidades e não resistem em fazer mais uma.

— Ei, presta atenção no que eu estou dizendo. — Zayn estalou seus dedos em frente ao meu rosto algumas vezes — Está pensando em qual tatuagem fará? — ele sorriu segurando minha cintura.

— Olha Zee, não cria esperança. Foi só um pensamento alto e repentino, nada demais. — tento me explicar e convencê-lo de que o que saiu da minha boca não foi de fato importante.

— Pode até ter sido, mas se você cogitou fazer uma tatuagem é porque tem vontade. Esquece o medo, apenas faça o que deseja. — uma de suas mãos vai até meu rosto o acariciando.

— Você quer tanto assim me tatuar? — olho em seus olhos fazendo um bico de leve com meus lábios.

— Eu quero que você pare de ter medo, isso não é bom.

Meu olhos se fecharam automaticamente quando seu rosto foi se aproximando ainda mais do meu, nossos lábios se encontraram e logo eu dei passagem para que sua língua entrasse na minha boca intensificando o nosso beijo. Zayn sempre usa suas melhores estratégias para me fazer ceder, ele é mestre nisso.

— Vai doer…. — sussurro sobre seus lábios ao finalizar o beijo.

— Isso é uma lenda, se doesse eu não teria todas as que eu tenho. — ele riu beijo selando nossos lábios  

— Tudo bem, mas eu não sei se estou preparada… — tento enrolar e fazê-lo desistir.

— Para, (seu nome). — ele me balança de leve — O Alec vai fazer vinte anos e você ainda não estará pronta se continuar assim.

— É porque eu tenho medo, Zayn. Não pode me culpar por isso. — reviro os olhos.

— Podemos começar com algo pequeno, se você não aguentar então não vai ficar incompleto. — ele sugere e eu tenho que concordar não ser uma má ideia.

— O que me sugere tatuar?

— Como você disse que quer homenagear o nosso menino, você pode fazer um A entre o polegar e o indicador. Aqui! — ele pega minha mão e passa o seu polegar sobre o local que acabou de dizer — Vai ser uma tatuagem discreta e se você não gostar vai ser quase imperceptível.

— A questão não é ‘não gostar’, você tem muito talento, Zayn… Eu só tenho medo que doa muito.

— Eu estou dizendo para você que não dói, não confia em mim? Eu não mentiria para você, (seu nome). — ele olha em meus olhos.

— Eu sei, talvez o que não é dor para você, é dor para mim. — prenso meus lábios um contra o outro o vendo suspirar.

— Ok, não insisto mais. Tenho que atender alguns clientes. — Zayn beija a minha testa e faz menção de sair da sala particular que ele tem no estúdio e então eu seguro seu braço decidida a tentar.

— Eu quero tentar!

— Eu não estou chateado, só tenho que atender alguns clientes.  — Zayn beijou o canto da minha boca.

— Sim, eu sei, mas eu decidi tentar. — sorri confiante.

— Tudo bem, vamos até o estúdio e lá eu faço, não vai demorar nada.

Eu empurrei o carrinho do Alec até a sala de trabalho do Zayn que fica ao lado lado da sala de descanso, que no caso foi feita para mim e para o Alec passarmos o tempo quando decidimos ver o Zayn. Me sentei na cadeira enquanto Zee mexia nas coisas preparando tudo, ele se sentou à minha frente pegou a minha mão e passou no local alguma coisa que eu não fiz questão de perguntar. No momento que ele pegou a máquina de tatuagem eu fechei meus olhos apertados logo em seguida ouvindo o barulhinho angustiante.

— Ai… Ai! — apertei meus dentes gemendo de dor.

— (Seu nome)… Abre os olhos! — Zayn pediu e lentamente abri meus olhos — Eu ainda nem comecei.  — ele me mostrou sua mão segurando a máquina bem afastada da minha mão.

— Eu só estou treinando para quando você começar. — sorri sem graça pelo mico pago.

— Dá tempo de desistir. — eu neguei com a cabeça.

— Eu quero, pelo menos tentar. — falei decida — Pode começar.

Respirei fundo e mantive meus olhos abertos assistindo ele aproximar a máquina da minha pele e começar a desenhar a letra A com bastante atenção. Não posso dizer que doeu horrores, é mais como um ardor suportável, nada como o que as pessoas disseram que seria.

— E então? — Zayn perguntou assim que acabou de fazer o A quase que minúsculo em minha mão.

— Sem dor. Eu quero uma maior, talvez com o nome do Alexander, um anjo ou uma coroa. Melhor, um anjo usando uma coroa, você acha que ficaria legal? Em que lugar do corpo? — comecei a falar de forma animada e rápida querendo começar uma tatuagem de verdade no minuto seguinte.

— Eu acho que você terá tempo decidir e olhar o álbum que está lá na recepção. — Zayn se levantou segurando a minha mão e me ajudando a levantar — Você e o Alec vão ter que me deixar atender as pessoas que estão na sua frente. — ele olhou para o Alec que dormia tranquilamente no carrinho a nossa frente.

— Amor… — choraminguei tentando fazê-lo ceder e me colocar na frente da fila.

— Sem tempo acabou, eu tenho que trabalhar, baby. — ele me puxou pela cintura e colocou uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha — Logo, logo será a sua vez.

Zayn me beijou como uma forma de consolação e logo me ajudou a empurrar o carrinho do Alec para fora do seu estúdio nos deixando na recepção. Uma garota logo entrou na sala que é toda revestida de vidro e Zayn começou a tatuagem dela enquanto eu estava sentada no sofá da sala de espera batendo meu pé no chão ansiosa pela minha vez.

Por que eu não fiz uma tatuagem antes?




- Tay

Você pensa em mim? Me pergunto se em algum momento do seu dia, eu entro em suas suposições ou planos futuros. Se seu desejo em algum momento é sentir meu toque mais uma vez sobre seu rosto e o estrago que meu olhar faz ao ir de encontro ao seu. Em algum momento no caminho para faculdade você se pergunta o que eu estou fazendo do meu dia ou se simplesmente eu estou bem? Você relê mentalmente as nossas conversas antes de se entregar ao sono ou revê a fotografia do meu sorriso que sempre esteve presente quando estive ao seu lado? Em algum dia, enquanto esteve de olhos fechado tocando o seu corpo, você imaginou o calor produzido pelas minhas coxas próximas as suas? Você já sentiu meu toque em algum sonho e acordou me procurando nesse espaço vazio presente na sua cama, ou em algum momento em que esse espaço esteve ocupado, você pensou em mim enquanto fodia com outra? Você sente falta das minhas mensagens de bom dia, da minha presença presente, dos meus áudios intermináveis ou das minhas insanidades que pareciam se entrelaçar e complementar as suas? Eu quero saber se ainda ocupo algum espaço na sua vida e o que esse espaço representa para você. Por menor que seja, me fale se esse espaço é algo fixo e imutável ou se ele te confunde a ponto de se entregar à loucura de não saber o que sente. O que eu fui para você? O que eu sou para você? Quero saber se você pensa em mim como, incansavelmente todos os dias, eu ainda penso em você.
10 dicas que podem fazer a diferença na sua redação do Enem

Uma das primeiras palavras que surge em nossa mente quando pensamos em Exame Nacional do Ensino Médio é redação. O famoso texto dissertativo-argumentativo cobrado pelo Enem é motivo de grande dor de cabeça durante o ano — afinal, para muitos, essa é sem dúvidas a parte mais árdua de toda a prova.

Embora esse não seja o real foco do blog, pensando nas muitas almas sofredoras que irão prestar vestibular esse ano e que nos seguem, nós do WW resolvemos reunir algumas dicas que podem auxiliar na elaboração do seu texto e torná-lo diferente entre os milhões produzidos. Preparado(a) para se tornar um ninja da redação e sair com a cara estampada no jornal local por tirar 1000? Então pega um caderninho e anota nossas dicas!

Mas atenção: Essas são apenas sugestões para tornar sua dissertação mais atrativa e bem construída. Estamos presumindo que, ao ler esse post, você já conhece todas as normas cobradas pelo exame e a estrutura do texto. Quaisquer dúvidas, nossa ask está sempre aberta!

Então vamos ao que interessa:

Keep reading

Reaction: deixando-os após uma traição

 

OBS: Desculpem a demora para postar um novo reaction, bolinhos… É que eu tive um sério bloqueio criativo shuashua Mas quero que saibam que todos os pedidos já estão sendo produzidos e logo logo estarão aqui no Tumblr! Obrigada pela paciência  (∪ ◡ ∪)

Keep reading

Probabilidade

Me sinto distraída com a probabilidade de encontrar a pessoa certa para mim, que é 100%. Questiono, será que existe realmente alguém com essa capacidade? Só essa falta de crença diminui minhas chances a 95%. Penso nos meus defeitos: Teimosia, egoísmo, insegurança, tolice, e lá se vai mais 20%.

Só restou 75%, sem constar a falta de organização dos pensamentos, hiperatividade, hipocondria, e bipolaridade. Pronto, fui totalmente rebaixada a míseros 57%, onde se encaixam a minhas qualidades quando comparadas aos meus defeitos?

Questionar, instigar, crescer demasiadamente, perder o foco rapidamente, ser substituível, e pouco criativa, humor instável e falta de senso de humor, gosto por coisas únicas e sem nexo, apaixonada por palavras mais do que por ações, trancada no próprio mundo, sozinha, sem raízes, sem cor, sem desejos, viciada em livros e sensações rotineiras, café e cadernos em branco, sem senso de arte e sem gosto definido para música, mimada e sonhadora, roer unhas, morder a boca, lavar muito o cabelo, cílios pequenos e dentes grandes, baixa, porém sem definição, procurando seu lugar no universo, e amante daquilo que não podemos enxergar, sorrateira, perdida, totalmente perdida, uma viajante dos seus próprios caminhos, desconcertada em um mundo em que a probabilidade de encontrar alguém certo é uma ideia consideravelmente assustadora e pronto.

Chegamos neste final longínquo e sem nexo, com todas as loucuras e pensamentos desalinhados que se envolvem com toda a teia de ideias em minha mente nada clara, somente profunda. A probabilidade de encontrar alguém certo para mim é analisada cuidadosamente e só nos resta 17,2%. Me encontro vazia, então é isso? A pequena chance de encontrar alguém que me aceite em toda as medidas e proporções, em todos os aspectos e dimensões, em toda as fases e insanidade, em todos os conflitos momentâneos cheios de si. Tudo.

É 17,2%. Em um mundo com mais de 8 bilhões de pessoas. Então reflito, penso, decido e entendo que não importa realmente a quantidade e a probabilidade estatística, existe uma pessoa no mundo que é capaz de me amar e me aceitar como sou, uma pessoa perfeita para mim, que está me esperando e eu sei que vou encontrá-la

Só espere

- Texto Fictício produzido por Amanda Carvalho  

É como se o papel e a caneta fossem uma parte de mim. Se os deixo de lado por um dia ou por determinado tempo, me faz uma falta que se transforma num vazio que sufoca. Você me entende? Escrever é como se fosse uma oração exposta, onde eu consigo transbordar e tocar almas tão sensíveis quanto a minha. Conseguir expor o que sente é uma das maiores dádivas do mundo. É mágico como um sentimento triste pode se transformar no mais belo texto já produzido. Transpor para o papel o que até então era inesplicavel, chega a ser sublime! Escrever é pôr um pedaço do teu coração que se transforma na parte que faltava no coração do outro. É tua alma explicando o que é invisível aos olhos.

Aí Tem
As coisas são como são. Se alguém diz que está calmo, é porque está calmo. Se alguém diz que te ama, é porque te ama. Se alguém diz que não vai poder sair à noite porque precisa estudar, está explicado. Mas a gente não escuta só as palavras: a gente ouve também os sinais.
Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava frio como um iglu. Você falava, falava, e ele quieto, monossilábico. Até que você o coloca contra a parede: “O que é que está havendo?”. “Nada, tô na minha, só isso.” Só isso???? Aí tem.
Ele telefonou na hora que disse que ia ligar, mas estava exaltado demais. Não parava de tagarelar. Um entusiasmo fora do comum. Você pergunta à queima-roupa: “Que alegria é essa?” “Ué, tô feliz, só isso”. Só isso????? Aí tem.
Os tais sinais. Ansiedade fora de hora, mudez estranha, olhar perdido, mudança no jeito de se vestir, olheiras e bocejos de quem dormiu pouco à noite: aí tem. Somos doutoras em traduzir gestos, silêncios e atitudes incomuns. Se ele está calado demais, é porque está pensando na melhor maneira de nos dar uma má notícia. Se está esfuziante demais, é porque andou rolando novidades que você não está sabendo. Se ele está carinhoso demais, é porque não quer que você perceba que está com a cabeça em outra. Se manda flores, é porque está querendo que a gente facilite alguma coisa pra ele. Se vai viajar com os amigos, é porque não nos ama mais. Se parou de fumar, é uma promessa que ele não contou pra você. Enfim, o cara não pode respirar diferente que aí tem.
Às vezes não tem. O cara pode estar calado porque leu um troço que mexeu com ele, ou está falando muito porque o time dele venceu. Pode estar mais carinhoso porque conversou sobre isso na terapia e pode estar mais produzido porque teve um aumento de salário. Por que tudo o que eles fazem tem que ser um recado pra gente?
É uma generalização, mas as mulheres costumam ser mais inseguras que os homens no quesito relacionamento. Qualquer mudança de rota nos deixa em estado de alerta, qualquer outra mulher que cruze o caminho dele pode ser uma concorrente, qualquer rispidez não justificada pode ser um cartão amarelo. O que ele diz importa menos do que sua conduta. Pobres homens. Se não estão babando por nós, se tiram o dia para meditar ou para assistir um jogo de vôlei na tevê sem avisar com duas semanas de antecedência, danou-se: aí tem.
—  Martha Medeiros.

Não pense que você não está recebendo bem algum da Bíblia, meramente por que você não vê este bem dia após dia. Os maiores efeitos não são de forma alguma os que fazem maior barulho, e são mais facilmente observados. Os maiores efeitos são geralmente silenciosos, quietos, e difíceis de detectar no momento em que estão sendo produzidos.

Pense na influência da lua na terra, e do ar nos pulmões humanos. Lembre como silenciosamente o orvalho cái, e como impercebivelmente a grama cresce. Deve haver muito mais coisas sendo produzidas em sua alma pela sua leitura Bíblica. 

—  (J. C. Ryle, Religião Prática (original em inglês Practical Religion), 136)
Ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama menciona o grupo SHINee durante a ‘Conferência de Liderança da Ásia’!

Em 3 de julho, o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, cumprimentou a todos dizendo bom dia em coreano na 8ª Conferência de Liderança Asiática realizada no Grand Walkerhill Hotel, em Seul.

Barack Obama falou sobre como ele visitou Seul como presidente em quatro ocasiões. Ele afirmou então que o fato de ele visitar tão frequentemente reflete a forte aliança entre a Coréia do Sul e os Estados Unidos, bem como o seu amor por kimchi e bulgogi.

O ex-presidente também mencionou o grupo SHINee ao falar sobre a amizade entre a Coréia do Sul e os Estados Unidos. Barack Obama discutiu como os filmes famosos estão sendo produzidos na Coréia e os jovens americanos estão aprendendo coreano para saber mais sobre o SHINee. Ele acrescentou que ele sabe que SHINee desfruta dos hambúrgueres In-N-Out da América.

Barack Obama também abordou o poder do mercado livre, o governo da democracia, a criatividade coreana e mais, como ele falou sobre o grande potencial da Coréia do Sul em comparação com a pobreza e o sofrimento da Coréia do Norte entre outros temas.

Trans (ING/PT-BR): Liakim
Texto e revisão: Liakim
Fonte: soompi
©OMGKPOPOFFICIAL | Não retirar sem os devidos créditos.

❛✿∙∙∙໒ isn't something missing?

   Passos e mais passos podiam ser ouvidos numa frequência irritante, juntamente com diversos conjuntos de vozes que ressoavam pelos quatro cantos da sala. Era hora do intervalo, e por isso, a maioria dos alunos deixavam o ambiente, o barulho produzido por eles a despertou. Kyou abriu os olhos lentamente, apoiando as mãos na carteira onde estava debruçada momentos atrás. Os olhos analisaram o ambiente apenas para que pudesse se situar, mas logo se fixaram em um ponto aleatório, onde pouca coisa entrasse em seu campo de visão… Sonhava com colegas de classe mais silenciosos.

   Como as ambições não se concretizavam, apenas aceitava a realidade, o último mês tinha sido exaustivo, uma constância de adaptações, estava cansada. Havia passado um ano em coma e ao despertar quase terminou de devastar a vida de Zero… Que estava recluso a um tempo por causa do ocorrido. Eram dias sem sentido, não chegava a trocar meia dúzia de palavras com ninguém, dormia a base de remédios produzidos por Nyx, lidava com as responsabilidades de ser uma Guardiã e falhava miseravelmente em tudo que tentava fazer. O rendimento nos treinos estava caindo, assim como as notas, absolutamente tudo ia de mal a pior.

   Enquanto a mente listava uma série de coisas que a relembravam o quanto estava levando uma vida miserável, sentiu um pequeno arder no pescoço, imediatamente levando a mão direita até o curativo que havia ali. Trincou os dentes, grunhindo raivosamente, como se não bastasse tudo que estava passando, precisou ceder o próprio sangue ao líder do Dormitório da Lua na última noite… Não importava o quão gentil ele fosse naquele aspecto, a sensação era sempre desagradável, sempre. Shizuka Hiou certamente tinha conseguido marcá-la… Não só fisicamente.

   Subitamente alguém se moveu, sentando-se ao seu lado e no mesmo instante Kyou parou para fita-la, era difícil não deixar um olhar melancólico cair sobre ela… Sanka Rea. A única que vinha até Kyou todos os dias, insistentemente, mesmo recebendo frieza, silêncio, irritação e mau humor em troca, ela estava sempre ali. Com o passar dos dias, a ruiva praticamente se acostumou, tornando-se passiva ao fato de tê-la por perto, não mais correria ou a dispensaria… Na verdade, sentia que no fundo, em algum momento, teria um arrependimento intenso quanto a forma que a tratava, Rea era gentil demais, merecia mais do que sua deplorável existência como companhia.

      ❛ Então você veio… De novo“ Sussurrou, voltando a se debruçar desajeitadamente na carteira. ❛ Não devia estar aproveitando o intervalo com os outros? Já… Comeu algo? ❜ Eram questionamentos bastante significativos vindo de alguém que costumava expulsá-la dias atrás… Seriam mudanças? Rea estava conseguindo ter algum reflexo sobre o ser que havia se tornado? Seria uma pequena luz em meio a penumbrar que insistia em arrastá-la? Esperava não estar sendo otimista demais, não queria sofrer decepções mais tarde…

Sempre que nos agarramos às paredes do mundo, e na fase mais sombria da ressaca, eu penso em dois amigos que me aconselharam sobre vários métodos de cometer suicídio. Quer prova melhor de amor e companheirismo? Um dos meus amigos tem cicatrizes de navalha ao longo de todo o seu braço esquerdo. O outro enfia baldes de comprimidos pra dentro de uma massa de barba preta. Ambos escrevem poesia.
Tem qualquer coisa em escrever poesia que leva o homem pra beira do abismo. Contudo, provavelmente, todos nós três viveremos até os noventa. Consegue imaginar o mundo em 2010 DC? A forma que ele irá tomar dependerá muito do que for feito da Bomba. Eu suponho que os homens estarão comendo ovos no café da manhã, terão problemas sexuais, escreverão poesia, cometerão suicídio. Bom, sexta-feira parecia um dia tão bom quanto qualquer outro. Aí vislumbrei a manchete: “PRIMO DE MILTON BERLE ATINGIDO NA CABEÇA POR UMA PEDRA”.
- Agora, como é que você vai se matar quando eles escrevem manchetes como essa? Até as coisas mais triviais podem se tornar terríveis quando você entra num certo estado mental. E o pior de todas as fadigas e tormentos produzidos pelo medo e pela agonia é aquele que você não consegue explicar ou compreender ou até mesmo pensar. Apenas se lança sobre você como uma chapa de metal e não tem como sair dela. Nem mesmo por $25 a hora. Eu sei, suicídio? O suicídio parece incompreensível, a não ser que você mesmo esteja pensando nele. Mas falar sobre suicídio vence a vontade de fazê-lo. Ou será o contrário?
—  Charles Bukowski.

O básico que você deve saber sobre a redação do Enem

A prova de redação exigirá de você a produção de um texto em prosa, do tipo dissertativo argumentativo, sobre um tema de ordem social, científica, cultural ou política. Os aspectos a serem avaliados relacionam-se às competências que
devem ter sido desenvolvidas durante os anos de escolaridade. Nessa redação, você deverá defender uma tese – uma opinião a respeito do tema proposto –, apoiada em argumentos consistentes, estruturados com coerência e coesão, formando uma unidade textual. Seu texto deverá ser redigido de acordo com a modalidade escrita formal da Língua Portuguesa. Por fim, você deverá elaborar uma proposta de intervenção social para o problema apresentado no desenvolvimento do texto que respeite os direitos humanos.

Quem vai avaliar a redação?
O texto produzido por você será avaliado por, pelo menos, dois professores, de forma independente, sem que um conheça a nota atribuída pelo outro.

Como a redação será avaliada?
Os dois professores avaliarão seu desempenho de acordo com 5 competências

Como será atribuída nota à redação?
Cada avaliador atribuirá uma nota entre 0 (zero) e 200 pontos para cada uma das cinco competências, e a soma desses pontos comporá a nota total de cada avaliador, que pode chegar a 1.000 pontos. A nota final do participante será a média aritmética das notas totais atribuídas pelos dois avaliadores.

Quais as razões para se atribuir nota 0 (zero) a uma redação?
A redação receberá nota 0 (zero) se apresentar uma das características a seguir:
- fuga total ao tema;
- não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;
- extensão de até 7 linhas;
- cópia de texto motivador;
- impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação;
- parte deliberadamente desconectada do tema proposto;
- desrespeito aos direitos humanos; e
- folha de redação em branco, mesmo que haja texto escrito na folha de rascunho.

Recorte perfeito: como fazer? por Looksgreat

Aqui no LG temos 3 tutoriais sobre como recortar o fundo de imagens: o #1 ensina a fazer recorte com a Caneta, Laço e Magic Wand, o #2 usando Refine Edge e o #3 usando o método Cálculos. Mas as questões que mais surgem são “qual método é melhor?” e como não deixar serrilhado ou com erros que possam acontecer pelo caminho. Esse post não é bem um tutorial, mas mais um guia sobre qual método usar e como deixar “perfeito”.

  • Espero que seja útil. Se sim, dê like ou reblogue para compartilhar com outras pessoas ♥
  • Caso tenha alguma dúvida ao final do tutorial, não hesite em deixá-la em nossa ask;
  • Tutorial por Looksgreat. Não copie, repost ou credite a si mesmo.

Keep reading

Máquina de amar

Subestimo os versos de amor
e os clichês que os possam compor
mas não os condeno, é verdade,
são apenas versos sem vontade
de sair da estrada comum
dos que escrevem sem rumo algum.
Quero um amor inabitado,
sem esse hábito cansado
de narrar rotineiros atos
que nem ocorreram de fato
e, entre aos montes produzidos,
vejo poucos comprometidos
com algo além do popular.
São apenas máquinas de amar!
Duvido dos versos de amor
pois pouco podem me propor
além de sentimento leigo.
O amor não é para ser meigo!

anonymous asked:

Oi! Venho estudando o radfem há alguns dias e tenho 2 dúvidas, que apesar de muita pesquisa não consegui respondê-las. Ambas se trata da galera trans no feminismo. Sei e concordo que é uma luta das mulheres pelas mesmas, mas como dizer à respeito das "mulheres-trans" que fizeram a redesignação sexual? Indo para esse lado, entendo que exista a socialização feminina, mas como isso se aplicaria a uma criança que já começou a transição nessa fase? Ela seria "educada" como tal, certo ou errado?

Oie!

Que ótimo que você tá estudando! Fico feliz. Espero que o blog seja útil nesse estudo. Vou ver se consigo responder suas perguntas. Qualquer dúvida, mande outra ask.

Mulheres trans que fizeram redesignação sexual continuam sendo biologicamente machos. O nosso sexo é biológico, não é construído, nem mutável. Ele se manifesta na diferença dos nossos cromossomos, nas gônadas, nos hormônios que são produzidos naturalmente pelo corpo, nas características sexuais secundárias - como na nossa estatura média, nossos ossos, nas estruturas da nossa pele, - mas também principalmente nos nossos sistemas reprodutores internos e genitália externa. Machos não tem útero, nem ovários. E neo-vaginas continuam não sendo vaginas. Ter vagina não é um tipo de “estética”.

Muitos trans ativistas costumam usar pessoas intersexuais para tentar legitimar o discurso de que “sexo é uma construção social”. Sendo que pessoas intersexuais não são trans. São pessoas que nasceram com variações biológicas entre fêmeas e machos, mas não um terceiro sexo e que continuam também sendo socializadas a partir das características mais dominantes.

Bem, sobre crianças trans, eu acho muito triste esse novo fenômeno. Crianças deveriam estar se divertindo, brincando, se expressando da forma que as convêm, sem que isso se tornasse uma questão para os pais ou para a sociedade. Até que elas começam a acreditar no que falam e a pensarem que elas realmente estão com algum “problema”.

As pessoas são tão neuróticas que vivem inventando justificativas para tudo que acham que “desvia da norma” e assim só vão criando caixinhas e mais caixinhas.

Little boxes on the hillside
Little boxes made of ticky tacky
Little boxes on the hillside
Little boxes all the same
There’s a pink one and a green one
And a blue one and a yellow one
And they’re all made out of ticky tacky
And they all look just the same 

Falando sobre a transição de crianças, os bloqueadores de puberdade para crianças e adolescentes (segundo o ECA, a adolescência é a faixa dos 12 aos 18 anos) é uma forma de abuso e total irresponsabilidade dos “responsáveis” e médicos. Não só por não confortarem crianças, tentando explicar que não há nada de errado com elas, como também por induzirem o contrário - de que a transição é necessária.

Além disso, os bloqueadores também podem impossibilitar uma futura “redesignação sexual”:

Jazz Jennings está permanentemente com um pênis pré-púberes que não pode ser transformado numa neo-vagina, médicos se preocupam com possíveis complicações.

Tome bloqueadores de puberdade, eles disseram. Isso vai levar algum tempo, eles disseram. Não tem riscos! Não tem complicações! Vai ficar tudo bem.

Agora, até se a criança destransicionar, ele será um jovem homem gay com um micropênis. Tudo que ele queria é ser capaz de namorar meninos. Essa pobre criança.

Sobre a socialização: meninas trans (meninos) sendo socializados como meninas, porque não se encaixam com uma ideia de gênero que foi estabelecida socialmente para seu sexo, é nada mais do que a perpetuação do sexismo. 

E o ponto da discussão é exatamente essa diferença de tratamento e socialização entre homens e mulheres/meninos e meninas. O que no caso, continua sendo a reprodução dos papéis sexuais de acordo com o que a pessoa “se identifica”. Sendo que nossa opressão continua sendo baseada no sexo e não por identificação.

😘