primeiros anos

Qualquer estudante do primeiro ano de medicina, sabe que batimentos cardíacos acelerados são um sinal de problema. Um batimento cardíaco acelerado pode indicar qualquer coisa. De um transtorno de pânico. A alguma coisa muito mais séria. Um coração que bate ou um que pula uma batida. Pode ser um sinal de uma aflição secreta. Ou pode indicar um romance. Que é o maior problema de todos.
—  Grey’s Anatomy.
Fico tentando buscar as palavras certas para descrever o que você me faz sentir. Eu te amo tanto, e você me faz um bem danado, porém não sei descrever isso. Então decidi escrever algo sobre nós; Tá quase fazendo um ano que nos conhecemos, e lembro como se fosse ontem da minha pessoa curtindo todas as suas fotos pra vê se o senhor se tocava to quanto eu queria te beijar - risos -, eu te achava um gato, quer dizer, ainda acho. Mas tínhamos que nos beijar logo no primeiro dia do ano, só pra ficar claro que ia ser pra sempre, ou melhor, eu espero que seja para sempre, e mesmo que dure pouco, pra mim será para sempre. Quantas vezes será que fomos dormir querendo mandar uma mensagem? Minha nossa, dois retardados sofrendo um pelo outro só por orgulho. Gente vai aí um conselho; Nunca, em hipótese alguma tente esconder o que você sente, se não for recíproco eu tenho pena da pessoa e você supera, mas nossa, talvez você pode só estar atrasando a sua felicidade. Sabe eu sou tão grata por ter você, quando eu mais achei que não tinha feito nada de bom nessa vida porque nada de bom me acontecia você apareceu. Quando a gente tá no telefone, porque é mesmo, esqueci dessa parte, ficamos oito meses lutando contra o sentimento pra quando você decidiu ir embora nos abrirmos um para o outro - risos -, a gente foi mesmo bem idiota. Mas enfim, quando estamos no telefone, a quase oito mil quilômetros de distancia, e ficamos em silencio, eu imagino a gente deitados, bem juntinho, em silencio. Você é muito ciumento e isso me irrita bastante, mas você é tão carinhoso, e me faz rir as vezes, sem querer talvez. Mas você também é ignorante, as vezes. Você me irrita, não por ser você, mas por me fazer te amar sendo você, e me sinto a pessoa mais feliz do mundo quando você diz que me ama, soa como a minha canção preferida. E acho que esse texto já esta muito grande, mas eu não disse nada do que queria, mas ainda dá tempo de dizer que te amo, e que dessa vez quero fazer dar certo, e espero que dê.
—  Poesigrafar.
Dar é bom. Na hora. Durante um mês. Para as mais desavisadas, talvez por anos. Mas dar é dar demais e ficar vazia. Dar é não ganhar. É não ganhar um “eu te amo” baixinho, perdido no meio do escuro. É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir. É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar: “Que cê acha, amor?”. Dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito. Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor, esse sim é o maior tesão. Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar o suficiente pra nem perceber as catarradas na rua.
—  Tati Bernardi.
Eu tinha 17 anos e ela 16. Não completou nem duas semanas depois do primeiro beijo e mesmo assim à pedi em namoro. É claro, eu era um adolescente impulsivo e que não pensava direito mas é que estava completamente deslumbrado e apaixonado por aquele sorriso, por aquele olhar e por aquele lindo e encantador jeito de ser. Hoje já se passaram 20 anos e eu ainda a olho do mesmo jeito, e se eu pudesse voltar atrás eu faria tudo do mesmo jeito. Temos um casal de filhos e somos mais felizes a cada dia que passa, e de uma coisa eu tenho certeza: tê-la pedido em namoro naquele pequeno tempo de convivência foi a melhor escolha que eu poderia ter feito em toda minha vida.
—  GABRIEL, 37 ANOS 💕
Rasga, sangra, enche de saudade.
Paixões se esvaem, amizades se apagam, namoros acabam e depois ninguém mais nem se considera amigo. Pessoas vem e vão em nossas vidas, feito uma catraca de metrô. Cada um tem um jeito característico, só seu. Às vezes vamos lembrar daquela piada, daquele beijo, daquela pinta no canto do olho, aquela peculiaridade da pessoa que acaba dando uma saudadezinha. Nos tornamos memórias, simples assim, algumas marcam nossa história em segundos, outros demoram dias e por aí vai. Somos passageiros, você pode discordar, mas deve se lembrar de alguém que chegou de passagem e não demorou pra ir embora. É disso que a vida é feita, de lembranças que nos fazem ficar com ar saudoso, quando estivermos com uns 60 anos e bater aquela saudade de fulano que era o engraçado da turma, ou sicrano que tinha um estilo extravagante pra roupas ou beltrano que você gostava desde do primeiro ano do ensino médio. A saudade nunca tem fim, uns acham que não sentem mais e pensam que esqueceu, mas a verdade é que essa saudade fica guardadinha em um cantinho do seu coração. A saudade é infinita, todo mundo tem a sua. E então, repentinamente, nos reencontramos com aqueles velhos amigos, os velhos amores, as lembranças que se deixam ir pelo dia-a-dia retornam, aquelas lembranças que nunca foram embora, mas foram engolidas pela correria da rotina. Você relembra o quanto foi feliz naquela época, se pergunta se aquilo um dia voltará, mas já passou. Infelizmente, são apenas lembranças que ficaram, de momentos que nunca voltarão, mas que ficarão guardados para sempre em nosso coração.
Está tudo bem?”
“Sim. Ótimo. — respondo com um sorriso, e é como se eu estivesse de volta ao primeiro ano da escola de teatro, dizendo o que os outros querem ouvir para que fiquem felizes mesmo quando eu não estou. Interpretando o papel.
—  Meu Romeu.
Existe amor mais bonito do que amor á primeira vista? Você deve se perguntar várias coisas ao ler essa frase, ele existe? Pode ser possível amar á primeira vista? Amar uma foto? Uma voz? Um olhar? Eu te respondo, é sim possível amar á primeira vista, primeiro toque, primeira risada, primeiro “Alô”. Seus pais amam você á primeira vista, sua mãe te ama antes disso, te ama ao ouvir ler um teste de gravidez, ao ouvir seu coração pelo ultrassom, você ama seus sobrinhos, primos, irmãos á primeiro vista, a primeira vez que você vê aquele pequeno ser tão minúsculo que mal abre os olhos, você ama quando ele suspira, ama quando ele respira, ama por ele ter sobrevivido à gestação, você ama seu cachorro, gato, ou até passarinho ama ele mais do que muitos amigos que tem. Amor verdadeiro é aquele que sentimos quando nem conhecemos, quando você se apaixona pela ideia de amar, mas não fique pensando que tudo será um mar de rosas, que tudo será colorido e bonito todos os dias, porque não é. Seus pais sofrem quando você chora de dor, você chora quando o pequeno ser fica doente, você sofre quando seu bichinho de estimação vai ficando velhinho e sabe que ele irá morrer. Agora uma pergunta que muita gente se faz, ou fará ao ler esse texto, é possível amar alguém que não seja seus pais, irmãos, sobrinhos, primos ou bichinho de estimação á primeira vista? É possível sim! Mas você se apaixonada, ou tem um “amor repentino”, depois vem os problemas, as lágrimas, as diferenças, seja á primeira vista, ou ao primeiro “Alô”, você ama a ideia de amar, você se sente feliz, completo, uma descarga enorme de endorfina, você ama sem conhecer, sem saber dos maiores defeitos, sem conhecer as camadas da pessoa, sem conhecer o caos, a família, amigos, você simplesmente ama. Muita gente pode não concorda com isso, mas amor á primeira vista, ou ao primeiro Alô, pode durar anos, até décadas, se você souber ultrapassar as diferenças que irão aparecer, as brigas que irão acontecer. Você saberá mudar pela pessoa, mas não porque você tem mudar para a pessoa ser feliz e fazer as vontades dela, você vai querer mudar pelo seu bem-estar, pelo bem-estar do seu parceiro, pelo bem-estar em conjunto que os dois terão.
—  Anna Paula Varella.
Texto 1 ano de namoro

Chegou o dia que tanto esperamos, meu amor!! Não é 1 hora, não é 1 dia, não é 1 mês.. E sim 1 ano. Um ano de muitas brigas, muitas discussões, mas também muito amor, muita felicidade, muita cumplicidade e foi isso o que nos uniu e nos manteve juntos até hoje. E enfim estamos aqui, comemorando esse dia tão especial. Essa data que marca nossas vidas, porque foi quando demos início à uma longa história! Passamos por muita coisa pra chegar até aqui. Muita gente desacreditou, muita gente dizia que não ia dar certo e deu. Porque o Deus une, o homem não é capaz de separar! Somos um completo exemplo de superação e um motivo de orgulho pra muita gente, principalmente para aqueles que torcem pela nossa felicidade! Você foi a melhor coisa que podia ter me acontecido, chegou sem avisar, do nada e foi se tornando tudo, tudo de mais importante, tudo o que eu mais quero. Hoje, sou dependente sua! Quem dera eu poder conseguir expressar em palavras tudo o que você significa pra mim.. ficar ao teu lado pra mim não tem preço, ver esse seu sorriso que completa o meu dia, também não tem preço. A cada dia me sinto mais realizada ao seu lado, me sinto a pessoa mais feliz desse mundo e a mais privilegiada também.. por ter recebido o melhor presente que alguém pode receber e por ter você em minha vida. Mesmo sem merecer, talvez. Nada nessa vida é por acaso, tudo tem uma razão e eu sei que tem um futuro lindo e cheio de surpresas preparado pra nós. Uma história escrita por mão divina, eu e você! Ficar longe de você é como se eu estivesse fora de mim, como se tudo tivesse perdido sentido.. porque meu mundo só gira normalmente, com você do meu lado, porque você é tudo o que eu preciso pra ser feliz. Quero aproveitar pra te agradecer por ser esse namorado tão compreensivo, tão amigo, tão companheiro, tão meu. Estou a cada dia mais apaixonada por você e assim vai ser pra sempre. Você é o homem da minha vida, o que eu preciso pra ser feliz! Não só hoje, como em todos os dias, desejo que nosso relacionamento evolua e que só tenha amor. Que tudo de ruim se afaste de nós e que na nossa vida só permaneçam as coisas boas. Que não nos faltem motivos pra sorrir e que sejamos muito felizes juntos. E por fim, que esse nosso primeiro ano, seja o primeiro de muitos que estão por vir! Você me faz feliz e eu te amo por isso e por mais outros milhões de motivos. Feliz 1 ano, minha vida!“

Eram dois amigos inseparáveis. Desde a infância, faziam tudo juntos. Enquanto Edu subia no pé de jambolão, Andy ficava embaixo, esperando as frutinhas. Tocavam campainha e saiam correndo, Edu sempre na frente, Andy atrás. Eram vizinho, duas casas de diferença. Ficavam até tarde da noite conversando, sobre tudo. Só paravam quando a voz grossa, rouca do pai dele gritava “Andy, pra dentro, vem tomar banho”. Andy ia e no outro dia, se encontravam depois da aula, com a galera. Jogavam bate, brincavam de todas as brincadeiras de criança. Era uma rotina deliciosa. Confiavam cegamente, um no outro. Edu contava tudo pra Andy e vice versa. E assim, foi .Edu deu seu primeiro beijo, aos 15 anos. Um beijo cheio de dentes, nada de língua. No outro dia, nos encontros na calçada, na porta da sua casa Edu contou pra ele.

-Andy, ontem eu beijei a Fernanda. Nossa, que beijo horrível. Será que todos vão ser assim?

Andy parou. Alguma coisa dentro dele berrou. Ele gostava da Fernanda, mas naquele momento, com aquela informação, sentiu raiva. Teve medo. “será que estou com ciúmes dele? Deve ser ciúmes de amigo!”

-Edu, acho que não. É o primeiro, a gente deve ir melhorando com o tempo. Foi só um beijo?

-Foi sim, o pai dela chegou para busca-la, tivemos que parar. Mas amanha vou tentar combinar outra coisa com ela.

Andy sentiu outra pontadinha no coração. “porra, outro beijo? O que ele viu naquela magrela sem peito?”.

O pai dele grita, e Andy, pela primeira vez sente um alivio por encerrar uma conversa com Edu. Se tivesse ficado ali mais um pouco, teria demonstrado sua raiva com a situação.

Naquela noite, Andy não consegue dormir. Um turbilhão de pensamentos passa pela sua cabeça. Ele nem acha Edu tão bonito. Mas Andy tem uma admiração profunda por ele, sua coragem, a maneira como ele sempre protegeu e cuidou dele. Andy é novo, nunca sentiu aquilo por ninguém, e estava confuso, com medo de estar confundindo. Tem um medo enorme de estragar a sua amizade mais sincera, duradoura e a mais bonita. Resolve não comentar. Era o primeiro segredo entre eles.

O tempo passa o tempo de conversa depois da aula, na calçada já não é tão frequente. Chegam às provas. Eles precisam estudar. Sentem uma falta absurda um do outro. Parece que Andy não consegue dormir do mesmo jeito, sem conversar com Edu. Edu trazia uma paz, que ele não conseguia em outro lugar, em outros abraços. Andy tinha nele, naquele grande amigo, um porto seguro que ele não tinha em nenhum outro lugar.

Eles vão pra faculdade. Edu  bate na porta do Anderson, o chama pra conversar na calçada. Estava com saudades dos papos, dele. Eles riam muito juntos. Conversam sobre horas, colocam o papo em dia. E num desses assuntos, Andy repara.

-Edu, vejo que está mais sorridente do que da ultima conversa. O que foi?

Ele ri e diz:

-É garoto, tu me conhece. Andy estou apaixonado. Conheci uma menina na faculdade. Linda, meiga, inteligente e engraçada. Estamos começando a sair agora. Não sei se vai dar certo, mas estou muito afim de tentar algo serio com ela.

O mundo de Andy desaba. Ele deixa cair uma lagrima.

-O que foi Andy?

-Problemas aqui em casa.

Andy desconversa, entra. Pela primeira vez, entra sem o grito do pai.

Noite em claro, choro no travesseiro, uma vontade louca de sumir. Ali, ele toma uma decisão. Ia se afastar, não estava fazendo bem. Andy gostava dele e não tinha coragem de contar. Tinha medo de Edu brigar com ele. Queria ter a imagem daquela amizade de 20 anos, como algo bom. Ele simplesmente ia sumir. Afastar. E colocaria a desculpa no tempo, na correria do dia a dia.

Então assim ele faz.

E tempo vai passando, e eles ficam dias sem se falar. Ele começa a namorar, Andy foca tudo nos estudos. Medicina não é um curso fácil.

Quando Andy começa a esquecer daquilo tudo. Um ano depois daquela conversa com ele, a ultima conversa dos dois, está sentada, estudando. Ouve a campainha tocar. Três toques, como só Eduardo fazia. Ele gela o coração. Arruma-se rapidamente e sai.

-Uma saudade enorme tomou conta de mim, podemos conversar?

-Logico Eduardo, mas coisa rápida que tenho prova amanha.

Conversam sobre algumas coisas. As coisas entre eles nunca mudam. Começam a brincar, riem. Ele percebe que precisa parar se não nunca vai esquecer aquele menino. Tenta saber como está o namoro dele.

-Edu, como está seu namoro?

-Então Andy, foi por isso que vim aqui. Eu terminei.

-Por quê? Você parecia gostar tanto dela?

-Porque ela não era você! Percebi, com o tempo, que eu procurei você nela o tempo todo. Ela não tinha seu sorriso confortante. Ela não tinha esse olhar que você tem que consegue olhar a minha alma e me entender como ninguém. Ela não tinha seu abraço, que com dois braços unem nossos corações e fazem deles um só, por alguns instantes. Ela não tinha seu senso de humor, sua criatividade absurda. Ela nunca me fez rir, Andy. Nem de cerveja ela gostava. Ela era uma pessoa espetacular. Mas tinha um defeito: Não era você. Mesmo você sendo um menino, quero ter você ao meu lado.

Andy  não consegue esconder o sorriso. Ele vai em direção de Edu e dá um abraço longo. O abraço mais demorado entre eles.

-Cara, desde os 15 anos, eu guardo esse segredo comigo. Eu sou apaixonado em você. Ninguém nunca cuidou de mim e me protegeu, como você. Ninguém fez meus deveres de matemática ou tocou violão pra mim, na calçada, como você. Ninguém fez tudo incrivelmente bem feito como você. Só que tenho muito medo de te perder, se tivermos alguma coisa e não der certo. Como fazemos?

-Tentamos. Desculpa Andy, mas não posso perder a pessoa mais incrível que eu conheci na minha vida. Corremos o risco, mas não é possível que esse amor, que tenho dentro de mim a 20 anos, tenha se enganado.

Então, ele se aproxima e tenta beija-lo. Andy afasta. Ele estranha, Andy ri e diz.

-Se vamos fazer isso, vamos fazer com calma e começar diferente. Quero que você traga flores e me busque amanhã. Coloque sua melhor roupa. E no final da noite, se você merecer. Beijamo-nos.

-Combinado, Amanha, as 20:00 te busco.

Edu chega, pegou o carro do pai, Andy lindo. Saem, comem.Edu tenta beija-lo a noite inteira. Nada. Quando está deixando Andy em casa. Ele tira o cinto e tenta o beijo de despedida. Andy nega e diz.

-Desce do carro, abre a porta pra mim.

Edu acha graça, adora ver ele se divertindo com aquilo. Ele abre a porta. Andy o abraça, pega em suas mãos e o leva para a calçada, no mesmo lugar que sempre sentaram.

-Pronto, aqui, no lugar que construímos todo esse sentimento. Beija-me aqui, na nossa calçada.

E naquela noite o pai dele não grita. Nada atrapalha. Porque quando é pra ser, até o universo conspira a favor.

✖ LEGENDAS LONGAS 1 ANO DE NAMORO ✖
  1. Um ano são 365 dias e 365 noites. Doze ciclos da lua. Quatro estações. Mas este ano com você tem sido 365 lindos pôres do sol, doze luas cheias cor de mel e quatro primaveras.
  2. Há um ano, a minha vida começou a mudar. Com você ao meu lado comecei a sonhar com o nosso futuro, e cada dia com você me dá forças para lutar para construir o nosso castelo de felicidade. 
  3. O seu amor me faz feliz, como quero que seja feliz a nossa vida! Tenha a certeza que se eu pudesse escolher alguém para amar em todo o mundo, escolheria você.
  4. Desejo, com todo o meu coração, que este seja o primeiro ano de amor do resto das nossas vidas. Que nosso amor sempre supere tudo e todos, que nosso amor sempre seja maior que a inveja e mal de todo o mundo.
  5. Espero que este dia seja tão maravilhoso como tem sido estar ao seu lado, neste um ano de namoro.
  6. 1 ano, 12 meses, 54 semanas, 365 dias, 8760 horas, 525600 minutos, 31536000 segundos. Eu te amo e não houve um só mês, uma só semana, um só dia, uma só hora que eu não te amasse. Te amei, te amo e sempre vou te amar, pra sempre e pra vida toda, meu grande amor.
  7. À nós felicidades nesses um ano de namoro. Eu amo você, apenas por ser você, sem precisar de motivos ou um porquê, não tem explicação.
  8. Se passaram 365 dias e é como se tivéssemos começado a namorar ontem, tudo mudou, o tempo passou, nós mudamos, mas e o nosso amor? E aquele amor que surgiu o ano passado? Ele continua tão firme, tão forte, tão grande, tão puro, que eu desconfio que alguém possa fazer ele se acabar.
  9. Nesses um ano, você conseguiu fazer eu me apaixonar todos os dias, com todos esses defeitos que me irritam e me encantam ao mesmo tempo. Engraçado né?
  10. Há exatamente 365 dias atrás eu entreguei meu coração pro cara mais incrível que eu conheci, e esse cara me fez sentir emoções que jamais imaginei.
  11. E no inicio, nós não tínhamos nada a ver um com o outro, além da vontade de ficarmos juntos, o tempo passou, e apesar das diferenças, nós soubemos nos unir, e com isso, finalmente completamos um ano de namoro.
  12. E eu tenho certeza que nossa história foi escrita torta de propósito pra gente se cruzar, e finalmente, estamos aqui, há um ano.
  • Se gostar/pegar dê like.

Originally posted by tomlinsoz

LOUIS TOMLINSON

  • @churrosgostoso:Oii, vc podia fazer um do Louis bem fofo, em que ele e a S/N são amigos e ela não gosta que ele fume ai ele promete pra ela que vai parar de fumar e anos depois eles estão namorando e ele continua comprindo a promessa, pfv ❤
  • Boa leitura!

Sabe aquelas amizades que você tem desde criança, que as mães vestem as crianças iguais parecendo que são gêmeas? Pois é, minha mãe e a mãe do Louis eram assim, ele é dois anos mais velho que eu e hoje nós continuamos melhores amigos, claro que não ficamos grudados o tempo todo, mas nós sempre saímos para festas, hoje mesmo nós iriamos em uma rever o pessoal do colégio e ele ficava me mandando mensagem dizendo que não era para me atrasar porque ele iria passar aqui sete horas em ponto.

Terminei de passar a última camada de rímel e verifiquei no espelho mais uma vez como eu estava, peguei meu celular e eram sete em ponto, então eu desci e logo vejo Louis encostado no seu audi a3 preto e claro que sempre quando nos encontrávamos ele estava com aquela coisa nojenta na boca.

- Você sabe o quanto eu odeio quando você fuma – digo chegando perto dele

- (seu nome), uau você está linda – ele diz mudando de assunto e abrindo a porta do carro para mim.

- E você está sempre mudando de assunto – cruzo os braços e entro no carro com a cara emburrada porque ele sempre faz isso

- Você sabe que eu te amo né (seu apelido) – ele diz entrando no carro e dando partida no carro

- Claro o que seria de você sem mim né – mostro a língua para ele

Depois disso nosso caminho até a casa do Nick foi silencioso apenas com o som de bom jovi tocando na rádio e logo quando chegamos vi uma movimentação dentro da casa, não seria muita gente, só uma reunião de amigos do colégio, toquei a campainha e Nick logo atendeu abrindo um sorriso e me abraçando.

- (seu nome), que saudades minha baixinha – desde o primeiro ano ele me chama de baixinha, apenas sorrio e entro e ele começa a conversar com Louis atrás de mim, entro e vou cumprimentar meus outros amigos e começo a entrar em uma conversa. Depois de um tempo bebendo e conversando eu nem percebi que Louis não estava na rodinha.

- Licença gente – levanto e saio a procura de Louis. Procuro em todos os cômodos da casa e não o acho, olho no jardim e o vejo de costas olhando a cidade iluminada e vejo uma fumaça na sua frente, quando ele estica o braço para baixo vejo o cigarro entre os seus dedos.

- O que aconteceu Louis? – digo e ele olha para trás e vejo-o chorando – Você esta chorando?

- Eu acho que foi a bebida – ele me abraça – tenho que confessar uma coisa (seu nome)

- Espera, vem senta aqui – puxo ele para o banco que tinha ali – bom agora pode falar

- Eu descobri hoje que estou apaixonado por alguém – ele diz e logo sinto uma pontada no meu peito

- E quem seria? Ela está aqui? – pergunto

- Está – e sinto vontade de chorar, mas me seguro. Pode parecer besteira mas não quero perder Louis para outra menina

- E quem é?

- Eu não sei se devo falar, porque ela só me vê como amigo – ele coloca o cigarro de novo na boca

- Fala pra ela, ela pode gostar de você também – digo

- Você acha?

- Sim – ele respira fundo e segura minha mão

- (seu nome) de um tempo pra cá, eu percebi que gosto de você mas não como amigo e sim como mulher, quero você do meu lado, quero casar e ter filhos com você – ele me olha fundo - e o que você me diz?

- Ah Louis, eu esperava por isso por tanto tempo – digo e sorrio – eu quero muito ficar ao seu lado, me casar e construir uma família, e acho que nossas mães também vão querer

- Então você aceita namorar comigo?

- Sim, com certeza – sorrio e ele me puxa para um beijo.

- Só me prometa que vai parar de fumar – digo e tiro aquela coisa pequena da sua mão

- Eu prometo, olha vou jogar fora agora mesmo – sorri e ele joga a caixinha fora.

5 anos depois

Quando completamos três anos de namoro Louis me pediu em casamento e faz dois anos que estamos noivos, e sim Louis não colocou mais nenhum cigarro na boca mesmo depois de anos que ele me prometeu, e ele estava bêbado quando prometeu, e estava feliz que ele fez esse esforço e conseguiu parar de fumar. Nossas mães sempre diziam que um dia iriamos casar e olha posso dizer que tudo que mãe fala acontece, eu creio que Louis nasceu pra mim e eu nasci pra ele e não importa quantas pessoas passou pelas nossas vidas fomos feito um para o outro.

Plágio é crime!

Venha na ask para dizer o que achou :)

Qualquer estudante do primeiro ano de medicina, sabe que batimentos cardíacos acelerados são um sinal de problema. Um batimento cardíaco acelerado pode indicar qualquer coisa. De um transtorno de pânico… A alguma coisa muito… Muito mais séria. Um coração que bate ou um que pula uma batida. Pode ser um sinal de uma aflição secreta. Ou pode indicar um romance… Que é o maior problema de todos.
—  Grey’s Anatomy

eu não conseguia dormir por causa da chuva e era o primeiro dia do ano, então eu escrevi um poema sobre a lua e as palavras e o dia amanheceu. eu decidi que amanhã vou plantar uma rosa, não tenho a semente e nem a terra, mas amanhã eu vou plantar uma rosa. todos os dias, voltando para casa, eu encontro um menino na mesma rua de sempre, ele sorri para mim e eu sorrio para ele, nós nunca conversamos mas somos melhores amigos. às vezes fica uma música na minha cabeça que eu não conheço, não sei a letra e não reconheço a melodia, mas ela vive confortável aqui dentro e eu me sinto mal quando tenho que pedir para ela se aquietar. eu sei que você não vê nada disso, mas quando te entrego minhas palavras eu quero que você​ sinta como se tivesse ouvido a chuva e visto a rosa e conhecido o menino e cantado a música. eu quero que você veja o mundo que eu vejo e acima de tudo, quero que você veja que o mundo se originou por mim e por você. o mundo só existe por nós.

One Shot Liam Payne

  • Pedido -  Do Liam q ele é um principe mas um tio dle arma pra ele q é acusado de conspirar contra a coroa e a (s/n) de ser cumplice,eles sao açoitados, humilhados e expulsos do reino.O liam implora pros pais acreditarem nele,isso eles tinham uns 16 anos,quando eles ja estao cm 23 anos e conseguiram construir uma familia cm muita dificuldade o tio dele assume o reino,o pai dele fica doente e o reino indo de mal a pior, a unica esperança é ele e todos descobrem da armação e final feliz, os dois sempre junto


Liam não entendia o que havia feito para que seus pais tivessem dúvidas do seu caráter, ele estava tão decepcionado com eles por não terem acreditado em suas palavras e deixado que o maltratassem daquela forma sem nenhuma piedade.

Ele era inocente, mas ninguém além de sua namorada acreditava em sua palavra. Se sentia tão impotente ao ver a mulher que escolheu para estar ao seu lado acorrentada ao seu lado enquanto um dos guardas fazia escoriações em suas costas com o chicote de couro. Ele nem ligava para a sua própria dor, não se importava que estava ganhando vários corte em sua pele causados também por um chicote. Ele só não queria que sua doce (seu nome) passasse por aquilo, ele não merecia isso e ela merecia menos ainda.   

Uma pessoa havia apresentado provas de que Liam planejava se rebelar contra o rei, seu pai o chamou até a sala do trono e lhe acertou um soco no rosto o deixando confuso enquanto derramava sobre ele toda a sua revolta. Assim que terminou tudo que tinha para dizer contra o filho rebelde, o rei ordenou os guardas que o levassem para receber as devidas punições não se importando com os gritos desesperados do filho jurando sua inocência.

Quando Liam chegou na sala que era usada para torturar espiões, encontrou (seu nome) acorrentada e completamente nua chorando sem saber o que estava acontecendo, então a pior cena de sua vida se iniciou. Enquanto ele era acorrentado, assistia um dos guardas presente na sala chicotear e atirar xingamentos contra a mulher que chorava de dor e tinhas as costas lavadas de sangue.

Quando não havia mais lugar nas costas do casal, os guardas pararam de chicoteá-los e jogaram um balde de água sobre seus corpos e os vestiram para que os levassem para fora do reino.

Ainda com correntes prendendo-lhes os pulsos, Liam e (seu nome) tiveram que enfrentar a fúria do povo que estavam indignados com a notícia. O rei Geoff era muito querido por todos, ele sempre fez o melhor para o bem de seu povo, então as pessoas encaravam qualquer pessoa que conspirasse contra a coroa como seus inimigos.

O casal injustiçado caminhavam em passos lentos e cabeça baixa, não por estarem se sentindo culpados, mas por estarem cansados pelo o que os fizeram passar. Seu corpos estavam doendo e cada passo só piorava a dor.

Xingamentos eram gritados pela multidão, mas a grande maioria gritavam “traidores" em alto e bom som. (Seu nome) que continuava a ser puxada sentiu um dor atingir sua cabeça e logo o líquido vermelho escorrer e pingar de sua testa. A grande população não havia se contentado apenas com as palavras duras, eles começaram a atirar pedras também.  

Quando estavam um pouco distantes do reino, os guardas soltaram seus pulsos que eram presos pelas correntes e os abandonaram ali para suas próprias sorte. Liam correu até (seu nome) a abraçando apertado e murmurando alguns pedidos de desculpa mesmo que ele não fosse o culpado.

[…]

O casal passou quase uma semana na floresta imensa até acharem um vilarejo um pouco afastado do reino onde costumavam viver. Enquanto estavam atravessando a floresta, sobreviveram com algumas frutas comestíveis que encontraram, água do riacho extenso que tinha cortando quase toda a floresta, com o calor do corpo um do outro nas noites frias e com as orações pedindo que nenhum animal selvagem aparecesse. Não era muita coisa, mas foi o suficiente até encontrarem o vilarejo e a família receptiva que os receberá.

Em um ano o casal já havia conseguido o próprio lugar para chamar de lar. Liam trabalhou duramente para conseguir conquistar a pequena casa onde pretendia criar seus filhos com (seu nome), eles não queriam abusar da hospitalidade de Louis ficando mais que o necessário em sua casa, precisavam de um cantinho para cuidar o pequeno bebê que estava a caminho. A mulher de Louis, Skylar, passava seu tempo ensinando (seu nome) a fazer roupinhas de crochê para o bebê, elas haviam se tornado grandes amigas e só de pensar nas coisas que o jovem casal havia passado antes que os encontrasse, o coração de Skylar doía como se ela tivesse vivido todo o momento no lugar dos seus agora amigos.

Aos poucos Liam foi conseguindo mobiliar a casa de sua família, ele trabalhava arduamente no vilarejo vizinho para que tocasse sua vida da melhor maneira possível juntamente com sua família que estava aumentando. Depois que o seu primeiro filho completou um ano, (seu nome) estava grávida novamente alegrando o marido tanto quanto a primeira vez.

Louis trabalhava no comércio de farinha. Com a carroça carregada de sacos, ele viajava de vilarejo em vilarejo fornecendo suas mercadorias e também comerciava para o reino ao qual os amigos foram expulsos.

Certo dia, ele chegou até Liam com a informação de que o rei estava muito doente e que a população já esperava pelo pior. Mesmo que Liam tivesse todo o motivo do mundo para odiar seu pai, ele sentiu o peso no coração em pensar que não o veria nunca mais.

[…]

Os meses foram passando e a barriga de (seu nome) crescia cada vez mais, Liam estava muito orgulhoso da vida que tinham construído longe de toda aquela gente que lhes viraram as costas. A vida foi cruel, mas também soube recompensá-lo com uma família maravilhosa e amigos incríveis, e ele nunca deixaria de agradecer.

As notícias que chegaram do reino eram as piores possíveis. Depois da morte do rei Geoff, seu irmão se tornou-se rei e estava levando o reino a ruína, Liam - que sempre achou seu tio um homem de caráter e pulso firme - não acreditava que ele havia destruído tudo de bom que seu pai havia criado e saber que sua mãe havia se casado com ele o deixou abismado. Eram muitas informações repentinas e pelo o que conhece de sua mãe, sabe que alguma coisa estava errada naquela história toda.

[…]

Mais algum tempo se passou até que guardas do reino chegassem ao vilarejo montados em seus cavalos negros a procura de Liam. (Seu nome) atendeu as batidas na porta e paralisou quando viu alguns dos homens em frente a sua casa procurando por seu marido, em sua cabeça, eles haviam ido atrás deles para que tirassem suas vidas como não fizeram quando tiveram chance.

Com o coração quase saltando do peito, (seu nome) foi até o filho pequeno o aninhando em seu colo enquanto seus olhos eram tomados por lágrimas causadas por seus pensamentos negativos, ela se perguntava se eles teriam coragem de matar uma criança ou até mesmo ela que está grávida, mas o que mais doía era pensar que se eles poupassem-os, não poupariam Liam.

Como um tornado, (seu nome) assistiu seu marido entrar na casa e se posicionar em sua frente pronto para atacar qualquer pessoa que tentasse fazer mal a sua família e totalmente pronto para morrer protegendo-os.

— Senhor Payne, viemos em paz. — um dos guardas disse — Temos ordem de sua mãe para levá-los de volta ao reino seguros.

— Não vamos a lugar algum com vocês, não vamos voltar para o lugar onde todos nos querem mortos. — Liam disse firme e tomado pela raiva.

— Ninguém os querem mortos, todos já sabem que tudo não passou de um plano de Patrick para tirá-lo da linha de sucessão e matar seu pai para que pudesse assumir o trono. — Liam franziu o cenho não acreditando que seu tio seria capaz de tal ato — Ele foi enforcado em praça pública depois que toda a sua armação foi descoberta. O seu povo o agrada para pedir o seu perdão, futuro rei.

— Nós não vamos voltar! Temos uma vida muito melhor agora e não precisamos estar com pessoas que nos matariam se tivesse chance. — Liam continuava com sua postura em frente a família.

— O povo precisa do senhor, eles precisam de um rei e você é o melhor para liderar o reino. — Liam queria rir pelas palavras ao pensar em tudo que fizeram com ele e sua mulher.

— Procure outra pessoa que queira realmente esse cargo. Eu não estou disposto.

— Por favor, senhor. — o guarda se ajoelhou de frente a Liam de cabeça baixa — Sabemos que a injustiça do passado deixou marcas em sua alma, mas aquelas pessoas precisam de um líder que os dêem o que lhes foi tirado. O reino está um bagunça, há crianças passando fome e não há outra pessoa confiável para ser o rei. Tem que ser o senhor.

Liam pensou durante alguns segundos para que pudesse tomar a decisão certa, pensou nas crianças que poderiam estar sofrendo, ele pensou em seus filhos e no quanto quer que eles cresçam saudáveis e alegres e se colocou no lugar dos pais que não têm o que dar para os seus filhos comerem. Ele e (seu nome) há muito tempo deixaram a dor do passado no passado para que pudessem construir uma vida nova e talvez esse seria o encerramento de um ciclo para que um novo começasse.

O casal que foi expulso e saiu de cabeça baixa, retornou com a cabeça erguida acompanhados de seu pequeno filho e de seus dois amigos - que não ficariam para trás - sendo aplaudidos e reverenciados.

Liam assumiu o seu posto de rei e proporcionou às pessoas que colaboraram para sua humilhação e dor, uma vida digna e justa sem mais injustiças.



Espero que tenham gostado  

Esse não é um assunto que eu conheça bem, então me perdoem qualquer coisa, eu fiz o que eu pude.

- Tay

Aluna n°1 - Suga (Yoongi)

Categoria: Hot 

2204 palavras 

 OBS: “Mano do Céu! Demorou pra kct hein…” Eu sei gente… Eu sei… Me desculpem pela demora desse imagine! Eu já tinha o feito, mas achei que estava uma bosta e acabei não postando, só que eu decidi posta-lo agora e ver o que vocês acham… Espero que gostem e não esqueçam de me dizer o que acharam depois, okay? Kissus~~ 

 - Então você acha que pode ser a favorita da professora e nada de ruim vai te acontecer? - Jehyn um dos garotos encrenqueiro do último ano me ameaça atrás da escola. 

 Eu tinha sido arrastada contra minha própria vontade pelo mesmo até lá. Eu sabia que ele não gostava do jeito que a professora me tratava. Mas ele nem era da minha sala! Eu era uma segundanista e ele já estava no último ano! 

 - Po-Por que se importa? - gaguejei tentando tomar coragem. 

Keep reading

Ser vestibulando é estar sempre na expectativa de conseguir realizar um sonho, de ter um futuro melhor. Quando decidimos tentar, não sabemos o que virá pela frente, apenas acreditamos e vamos. Com o passar dos dias, a ansiedade e o medo são os sentimentos que mais crescem dentro da alma. Você se empenha, acorda cedo pra estudar, abdica de uma grande parte da sua vida social: das saídas com os amigos, do tempo nas redes sociais, dos encontros com a família e das coisas que você mais gosta de fazer. Além da sua auto cobrança, existe a pressão vinda da família que está sempre torcendo por você, mas que sempre irá falar “Você não está estudando o suficiente!” ou quando você acaba não dormindo pq tem que estudar “Para de estudar e vai dormir!”… Na verdade, para os que estão de fora, que não vivem o que vivemos, nada está realmente bom. As perguntas sobre as provas e todas as críticas vão te fazendo mal, te consumindo por dentro, mas você não desiste. Há quem passe no primeiro ano de tentativa e há quem fique 2,3,4 (…) anos tentando. Imagina como é difícil… A esperança de conseguir concretizar um sonho não morre, mas o mundo torna essa trajetória massante, dolorosa.
Apesar de toda a dificuldade, continuamos tentando pq a nossa felicidade está em questão e guardamos as lágrimas para a hora da aprovação.
Há 2500 anos, os primeiros filósofos passaram a questionar o mundo ao seu redor, e passaram a se questionar qual a natureza do que quer que exista. O princípio de todas as coisas, denominado de arché, era interpretado de vários modos diferentes. Para Anaximandro de Mileto, por exemplo, essa partícula comum a tudo é o infinito, enquanto outros defendiam que essa partícula seria o ar, ou o fogo, ou os números, ou os átomos. Não sei qual a partícula fundamental de todas as coisas. Não sei o que faz com que tudo exista, e creio que não cabe a mim saber. Porém, sei que compartilho de uma opinião com Aristóteles: em todas as coisas da natureza existe algo de maravilhoso. Há algo de maravilhoso em tudo, cabe a cada um de nós a habilidade de extrair o belo em todas as coisas. A beleza está nos olhos de quem vê.
—  Lola, 23 de Abril de 2017.
Meu signo nasceu para amar momentos e não eternidades. Eu sou o primeiro signo do zodíaco, vindo de seu primeiro dia e hora, a prova de que experiências com amor por signos do elemento fogo são tão quentes à ponto de gerar dor e não prazer como muitos pensam. Quando o primeiro signo ama ele leva muito afeto e depois deixa muito a desejar, no começo do amor ir embora é uma especialidade, ser de alguém é uma prisão, não que sejamos vadias sem coração ou cafajestes, claro que queremos um amor para a vida toda, mas é difícil para nós amar alguém completamente, a ponto de ficar e aturar rotinas com essa pessoa. Eu vou lhes dar alguns exemplos, meu primeiro amor tinha 17 anos e eu 5, a coisa mais difícil de acontecer que não aconteceu, ele subia na metade do caminho do meu ônibus e eu lembro de observá-lo da minha cadeira sorrindo enquanto ele percebia e sorria de volta, mas é claro que não levaria a sério a inocência de uma criança, afinal era apenas uma admiração, uma fantasia, ele era meu príncipe das histórias que costumava lembrar à noite. Anos depois no inferno chamado “ensino fundamental” ainda acreditava no amor, ô signo idiota, na quarta série dos meus pesadelos, a professora nos pediu para fazer arte com material reciclável e um dos alunos mais bonitos, porém problemáticos fez uma flor e me pediu para que eu adivinhassem para quem era, e mesmo com 10 anos de idade eu sabia que aquela flor foi feita por ele para mim, mas eu não a queria, sei que sonhava muito com a magia do amor como todas as outras garotas, mas desde cedo eu sabia que era preciso ter muita coragem para enfrentá-lo e aceitá-lo e eu não tinha coragem. Decidi falar o nome de todas as garotas metidas da classe uma por uma e para todas ele insistia em dizer não e eu também insistia em não aceitar seu afeto, enfim ele se virou e deu a flor para outra garota e eu juro que não me arrependi. Mais um ano se passou e eu fui para um inferno maior chamado “fundamental 2”, eu confesso que foi um ano bem estranho, algumas pessoas da série seguinte à minha fizeram uma brincadeira como aquela de “vai dar namoro”, foi um evento autorizado pelo colégio, o que fez todas as turmas presentes. Eu lembro de estar observando do lado de fora da quadra pelas suas grades um garoto sentado ao lado de duas garotas e uma mulher o perguntando de quem ele gostava e quem ele queria beijar, a primeira garota tinha cabelos longos e parecia  ser uma patricinha, enquanto a outra parecia ser mais liberal e engraçada, e ele era loiro, alto, bonito e confuso entre as duas. Minhas amigas na época começaram uma aposta interna de com quem ele ficaria e eu participei em minha mente, era óbvio que ele ficaria com a patricinha, meninas assim eles podem controlar não é mesmo? Ou não? Bem na época eu pensava assim, e foi isso que aconteceu, e a mocinha de cabelo curto deu a entender que estava satisfeita, mas eu sabia que não, naquele momento eu soltei “o amor é mesmo uma merda” e fui embora. Em casa comecei a pensar naquele garoto e secretamente escondi uma paixão por ele, descobri que ele era amigo do meu primo, descobri que ele acabou não ficando com aquela garota e até descobri o nome dele, mas eu não me recordo mais. Ah e também me lembro que que deixei o ano inteiro passar por mim sem tentar uma aproximação dele. No ano seguinte havia um peso no ar, ele não estava mais no colégio, mas eu parecia satisfeita, para mim era melhor não alimentar mais essas coisas, por que o amor é um morto de fome, quanto mais você alimenta, mais ele fica insatisfeito. No caminho para o colégio havia um garoto bem parecido com ele de costas andando na minha frente, eu fiquei feliz e com uma ponta de esperança, esquecendo de tudo que eu havia pensado sobre isso na semana anterior e o segui até que ele entrou no meu colégio, ele subiu as 7 rampas na minha frente, mas algo me fez perdê-lo de vista, então eu lamentei e segui em frente, ao chegar na porta da sala de aula alguém me cutucou e quando virei lá estava ele, tímido e risonho e não se parecia mais com o garoto que acabava de sair da minha mente, “essa é a sala do 7° ano?” ele falou restirando sua timidez “sim” eu respondi e entramos juntos na sala onde todos nos olhavam, a garota tímida e anti-social junto com o novato bonito? Ninguém aceitaria esse fato. Alguns dias se passaram e nós nos aproximamos muito, mas não deu para sermos os “melhores amigos contra o mundo”, aquele garoto virou um encosto na minha vida, ele me perturbava a cabeça e o coração, estando presente ou não. Lembro que ele ficou com uma garota mais velha e todos pareciam radiantes com o novo “pegador”, mas eu tinha a impressão de que ele não estava tão feliz. Nos dias seguintes ele veio brigar comigo e teria ficado por isso se eu não tivesse a belíssima ideia de dar um tapa em suas costas, o que o fez voltar e ficar na minha frente, eu levantei e ficamos alguns segundos encarando um ao outro, mas fomos empurrados por uma antiga amiga e eu tive o reflexo mais rápido do mundo que me fez perder de beijá-lo, mas ele continuava na mesma posição, a garota o repreendeu dizendo para ele que todos sabiam que ele gostava de mim e ele ficou bem envergonhado, mas eu deixei passar, mais uma vez eu não queria contato. Todos os dias depois desse ele me pedia uma bala e dizia “eu te amo” e é claro que eu levava na brincadeira, na verdade ninguém nunca sabia quando ele estava falando sério. Depois disseram que eu era estranha e ele desmentiu falando que eu era bonita, me puxou no meio da sala para pedir uma opinião sobre a cor de um objeto e eu sem saber de nada disse que era branco, e ele sorriu para seu amigo e disse “está vendo? é branco”, depois ele perguntou por mim no meio da sala e todos viraram caçadores me procurando, quando me acharam não exitaram em falar “Olha ela lá, está com saudades?” e ele permaneceu calado, tímido. Logo depois ele me puxou novamente e me disse que queria falar comigo, mas isso nunca aconteceu, ele nunca me chamou e isso me fez perceber o quanto eu odiava seu silêncio, mas adorava o meu quanto a isso. Depois nos afastamos e eu nem sei o por que direito, acho que a vida tomou novos rumos e fomos por caminhos tortos e diferentes. Alunos novos entraram e eu vou resumir para vocês que alguns gostaram do meu cinismo e rótulo “anti-pessoas”, não me perguntem como. Todos perguntavam de quem eu gostava e isso me irritava, então acabei inventando que gostava de um dos amigos dele, e esse amigo falou que não me queria, por que óbvio se você conta algo para amigas falsas elas contam para todo mundo. Enfim eu o ignorei completamente e depois disso ele começou a me perseguir, até esbarramos na porta, o coitado achava mesmo que eu me sentia afetada por ele, mas na verdade eu escondia o quanto gostava de outro. No último dia de aula, no meu último ano naquele colégio apenas um que dizia gostar de mim me abraçou, eu lembro que seu abraço foi forte e ele não queria me soltar, pedi para que ele me largasse, mas depois aceitei abraçá-lo por mais um tempo, foi o abraço mais simples e verdadeiro que já recebi, mas eu o soltei e o ouvi dizer que sentiria muitas saudades, e eu como “rainha do gelo mirim” não respondi, apenas sorri. Depois fui para outros colégios, conheci outros garotos, decidi tirar o “bv”, mas acabei me enjoando do garoto antes disso e o ignorei por uma semana, o que o fez ficar bastante chateado, ignorei todos que passaram pela minha vida, até os que tentavam uma aproximação amigável e só agora pude perceber que tantos garotos passaram por mim gostando de mim por algum motivo que eu desconheço, que adoraria saber, mas que não os dei a oportunidade de falar. Eu não os dei voz, apenas silêncio e eu odiava silêncio. De uns tempos para cá ainda encontrei o garoto de quem consegui gostar por mais tempo no ônibus, mas eu fiz questão de ignorá-lo, por que no fundo não sabia como olhar para ele, como falar com ele sem desabar pelo tempo perdido, pelas conversas enterradas, pelas voz que ele tinha, mas que não usou e pela coragem que eu não tive, na verdade não tivemos, quando o encontro ele parece triste, parece afetado, põe seu fone e escuta alguma música, mas eu o observo mesmo com ele pensando que eu o ignoro, o observo com a certeza de que ele será feliz com alguém, mas que esse alguém não será eu. Esse meu signo não deixa, me prende na solidão e na frieza, no desamor fácil, mas eu sei que nunca deixei de amá-lo e nunca deixei de sentir medo disso, mas eu e meu signo nascemos para não amar o amor, nascemos para gelá-lo e deixá-lo quieto e para que se um dia amarmos alguém, alguém do elemento “ar” como ele, sempre amar momento (como os que carrego dentro da cabeça), e nunca eternidades (como as que levo em meu coração).
—  Poesografa.