pressentimentos

por mais que você ame muito alguém, não deixe essa pessoa ter controle total da sua vida.
andei reparando sobre algumas atitudes minhas e algo que me incomoda bastante é a variável do meu humor em função de estar bem ou não com a pessoa que eu amo.
e é tão injusto eu ficar “de saco cheio” ou “mau humorado/ignorante” com outras pessoas só pelo fato de não estar conversando direto com quem eu me importo mais.
ninguém tem culpa disso, a vida nos toma tempo e pra tudo, temos que dar um espaço pra respirar. coisa grudada demais, sufoca.
além disso, cheguei a conclusão de que eu preciso me colocar em primeiro lugar. eu amo fulano, mas antes, eu amo a mim. e amar a mim mesmo implica em estar de bem comigo mesmo. estar feliz, sorrindo, leve, desapegado das desavenças da vida.
alguns sentimentos não valem a pena. alguns pressentimentos não nos deixam viver, como a subordinação ou estar preso demais sentimentalmente a alguém.
é bom e ruim, pra ser sincero.
é confuso.

Sim, as vezes, a ideia mais delirante, aquela que lhe parece mais impossível, se encasqueta na cabeça com tanta força, que você acaba por julgá-la realizável. Além disso, se essa ideia vem junto com um desejo forte e passional, você passa à considerá-la imprescindível, necessária, algo já predestinado, impossível que não seja, que não ocorra. Talvez haja um elo maior: uma combinação de pressentimentos, um certo esforço inabitual da vontade, um auto-envenenamento da própria imaginação, ou talvez outra coisa… não sei.
—  Fiodor Dostoievski  em “O Jogador”.

você gosta do som de corações sendo partidos 

quando você sorriu, eu senti uma pontada no estômago e me questionei se aquelas eram as borboletas que todos descreviam ou se era o pressentimento do estrago que você poderia trazer

o alívio que você me trazia era como descansar após cinco dias andando interruptamente 

eu te perguntei uma vez e não obtive resposta

você continuará procurando se preencher em beijos vazios?

sorria. meu batom borrado indica que você venceu mais uma vez. você sempre vence.

eu disse que te amava porque você tinha bebido demais e não se lembraria. eu não sei se te amo pelo que você é ou se é pelo que eu fiz de você. minhas professoras do jardim de infância costumavam dizer que eu vivia num mundo de fantasias e talvez você seja só mais uma delas. 

você gosta do som de corações sendo partidos

e isso te faz jovem

você me partiu

e seguiu inteiro

amor, eu queria que você fosse o que eu fiz de você

por que a realidade dói

você parte corações sem que te doa de volta

.eu sinto muito por você não sentir nada.

Pedido: Meu pedido é com o Liam, que ele compra ela que é virgem pra ser a “escrava sexual” dele e também pra cuidar da casa e arrumar tudo mas eles acabam se apaixonando - Anônimo

*Aqui nesse link http://hot-1d-imagine.tumblr.com/pedidos vocês podem ver quais e a ordem que em os imagines vão ser postados, se o seu não estiver na lista é porque infelizmente não chegou, vou estar sempre atualizando a lista*

***

PARTE 1

Imagine do Liam

Eu estou passando pelo pior momento da minha vida, meu pai se envolveu com coisa errada e eu estou pagando o preço por isso. Ele ficou sem dinheiro para pagar a dívida e um dos comparsas do maior mafioso da Europa veio cobrar, mas me levaram como forma de pagamento. Eu com meus 20 anos serei vendida em um tipo de mercado sexual, onde várias mulheres são vendidas para os chefões de máfia.

O tal do comparsa, que eu descobrir se chamar Harry, me leva até um porão, lá eu vejo um monte de meninas amontoadas, o lugar é sujo e apenas se escuta choros e lamentações por parte das mulheres.

Eu ainda não derramei nenhuma lágrima, acho que ainda estou em estado de choque e quando a ficha cair não sei o que irei fazer.

- Muito bem, daqui a alguns minutos, iremos levar uma a uma para dar um trato em vocês, do jeito que algumas estão sujas não seria vantajoso para os negócios do chefe – Harry explica e me larga perto de uma garota que está com o nariz vermelho de tanto chorar.

Ele vai embora e eu fico ali encarando cada uma.

- Eu não entendo, o que irá acontecer com a gente? – Uma menina de cabelos vermelhos pergunta.

A porta se abre e uma mulher vestida como empregada entra no local.

- Vocês serão vendidas para os chefes da máfia, serão escravas sexuais e empregadas, mas eu não vim aqui para explicar isso, vim aqui para cuidar da aparência de vocês, façam uma fila… – Cada uma das meninas presas se levanta devagar e formam uma fila.

Depois que a maioria sai do porão só sobra eu.

- (S/n) sua vez, venha – A mulher me chama e eu caminho meio receosa.

Ela me leva para um lugar grande e com vários seguranças que deixam sua arma na mão para poder me intimidar.

A mulher me dá banho, penteia meus cabelos, os enxuga e os deixa perfeitos, ela encara todo meu corpo nu e eu coro com vergonha. Ela passa uma loção em meu corpo e eu fico parada igual estatua sem saber o que fazer.

- Muito bem, querida, quero saber se ainda é virgem – Ela pergunta com uma prancheta na mão onde escreve algumas coisas. Eu fico totalmente vermelha.

- S…sim – Respondo gaguejando. Ela me encara com pena e volta a escrever.

- Quantos anos você tem?

- Vinte – Volto a responder.

- Muito bem, eu me sinto terrível por você, mas não posso fazer nada, (S/n) você é a única garota virgem do leilão de hoje, os homens quando souberem disso vão querê-la como leões famintos, bando de filhos da puta isso que ele são – Ela fala com raiva.

- Mas porque você trabalha aqui se odeia tanto? – Pergunto.

- Eu fui uma de vocês, mas ninguém nunca me comprou então para pagar a dívida da minha família eu trabalho aqui… – Ela responde, mas essa não parece ser a verdade total.

- Mas os homens que trabalham aqui nunca tentaram algo com você?

- Sim, já fui violentada e tive um filho de um deles, e se eu tentar fugir eles matam o meu filho, então esse é o meu motivo maior para ficar aqui – Ela responde e eu entendo agora a verdade completa – Agora venha, vista esse roupão aqui e eu irei leva-la até o palco do leilão.

Visto o roupão de seda por cima do meu corpo nu e isso me dá um pressentimento ruim.

Assim que eu sou colocada no palco eu vejo muito homens na minha frente, o local é muito chique e rico em detalhes dourados e vermelho. Os homens parecem serem os mais ricos que eu já vi, muitos deles bebem e riem com os amigos, mas assim que notam minha presença eles param e me encaram maliciosos.

- Muito bem, senhores, aqui temos uma mulher rara em comparação com as outras, essa aqui se chama (S/n), tem vinte anos, pele macia e bem cuidada, seios duros e empinados, bunda perfeita e por último, ela ainda é virgem – Um homem com microfone fala.

Escuto gritos e os olhares maliciosos aumentam mais ainda. Sinto que a qualquer momento irei surtar.

- Quero ver o corpo dela – Um deles grita.

- Sim, mostre o corpo dela.

- Tire esse robe agora.

Vários pedem para o homem tirar meu robe e eu me agarro com o meu roupão como se minha vida dependesse dele.

Um outro homem, loiro de olhos azuis, sobe no palco e sussurra algo no ouvido do apresentador nojento.

- Ah, desculpe senhores, mas parece que essa virgem já foi vendida – Ele diz e os homens começam a gritar com raiva.

- Quem foi?

- Queremos saber quem foi?

- Eu dobro o preço – Um deles grita.

Eu me assusto com a maneira que eles se tornam animais violentos.

- Foi eu quem comprei – Um homem alto, com cabelos castanhos em topete vestido de com um terno totalmente escuro, sobe no palco e a gritaria cessa – Mais alguém tem alguma coisa a dizer sobre isso? – Ele pergunta com a voz rouca e num tom totalmente frio.

Os homens que antes gritavam agora nenhum ousa falar algo.

- Muito bem, Louis, leve ela para o meu carro. – Ele manda e o tal de Louis se aproxima de mim e me puxa.

Assim que sou colocada dentro do carro, o homem que me comprou entra junto comigo.

- Muito bem, (S/n), eu sou Liam Payne e posso dizer sem dúvidas que irá ser um prazer ser o primeiro a te deflorar – Ele diz tocando minha perna com possessividade e eu me encolho no banco do carro.

Não acredito que fui comprada pelo maior mafioso da Europa.

Chegando na mansão do Liam, ele me pega pelo braço e me leva para dentro da casa.

Uma senhora vem nos saudar, mas no momento que me ver ela me olha com pena.

- Senhor Payne…

- Agora não, Marie – Ele responde e me leva escadas a cima.

Liam abre a porta de um quarto e me joga em cima da cama, eu rapidamente me levanto e fico encolhida no canto da parede.

- Volte para cama, (S/n) – Ele manda.

- Não – Respondo e percebo que minha voz sai firme.

- Volte agora para a cama – Ele diz – Eu não irei repetir.

- Eu não quero perder minha virgindade com o senhor, um homem que eu não conheço e nem tenho sentimentos por você – Respondo e ele fica vermelho de raiva.

- Eu COMPREI você, você é minha, garota, se eu quiser foder você agora eu irei, agora deita na porra dessa cama antes que eu faça uma loucura e te mate – Liam diz se aproximando de mim.

- Me mate, me mate por favor assim não terei que suportar você tentando me estuprar – Falo e Liam se afasta de mim e eu percebo que ele está cada vez com mais raiva.

- Garota insolente, você foi comprada para me servir, mas agora perdi a vontade de me deitar com você, MARIE VENHA AQUI AGORA – Liam grita.

A senhora aparece pela porta.

- Sim, senhor

- Leve essa garota até o quarto e a tranque lá, amanhã faça ela acordar antes de todos para poder fazer os trabalhos domésticos e se eu ver uma coisinha suja nessa casa ela irá se ver comigo – Liam diz e eu me tremo.

Marie sai me puxando.

- Garota, como você se nega a se deitar com ele? Estou surpresa que ainda esteja viva, ultima que tentou fazer algo assim levou um tiro no meio da testa – Marie diz e eu fico mais assustada.

Os dias passam e eu virei uma empregada, isso é bom porque até agora Liam Payne não veio tentar algo comigo. Mas toda noite quando eu estou varrendo o corredor do quarto dele, escuto mulheres gemendo alto dentro do quarto dele. Isso me dá nojo.

Certa vez durante a tarde eu estava arrumando a sala quando Liam e um amigo dele entrou em casa.

- Muito bem, Zayn, espere aqui enquanto eu pego o documento – Liam passa por mim e eu continuo a limpar a mesinha de centro. No minuto seguinte sinto uma respiração na minha nuca.

- Liam está sendo louco em deixar uma mulher linda dessas trabalhando pesado na casa, você devia ser tratada melhor – Ele diz e eu me viro o encarando.

- Com licença, senhor, tenho muito o que fazer – Falo e tento me afastar. Escuto Liam se aproximando e caminho até o outro lado da sala.

- Bela mulher você tem aqui, Liam – Zayn diz e Liam me encara.

- Sim – Ele responde simplesmente.

- Como você pode deixar ela trabalhar desse jeito, se ela fosse minha estaria sempre na minha cama – Zayn diz passando a mão pela minha coxa. Liam caminha furiosamente até Zayn e o puxa com brutalidade.

- Dá próxima vez que você tocar nela pode ter certeza que eu vou cortar a sua mão – Liam fala e Zayn sorri brincalhão.

- Não sabia que você era possessivo em relação a suas escravas, essa é nova – Zayn diz e Liam o puxa, enquanto isso Marie aparece na sala com um balde com água, ela trava ao ver Liam e Zayn.

- Vai logo para o carro – Ele manda e Zayn sai da casa, Liam se vira e me encara – Hoje quero que me espere no meu quarto, tenho algo para conversar com você – Liam diz e sai de casa me deixando confusa. 

O que ele quer comigo?

Espero que tenham gostado, se sim, deixem uma ask me contando

*Os favoritos são importantes, então se gostou deixa seu fav lindo aí ;D

BTS Reaction: Ao você trollar ele

  Pedido: Faz um reacton do BTS que você trolla ele


Jin

Você estava na piscina querendo a companhia do seu namorado, mas ele ficava sentado na cadeira de praia tomando sol sem vontade alguma de entrar na água. Você cansada de ficar sozinha, resolveu fazer uma pequena brincadeirinha.

- JIN! 

Você gritou logo fingindo escorregar na piscina e afundado como se estivesse se afogando, é claro que ele acreditou e logo pulo na piscina sem  pensar duas vezes para poder te salvar. Com um pouco de dificuldade conseguiu tirar seu corpo da água e te deitou no colo dele, sem saber o que fazer, mas logo percebeu que você ria e se levantou bravo.

- Que brincadeira idiota.

Você percebeu que ele não tinha gostado daquilo e se arrependeu na mesma hora indo até onde ele estava sentado e abraçando.

- Amor, desculpa, era uma brincadeira…

- Muito sem graça por sinal, eu fiquei preocupado com você.

Ele ficaria ressentido por um tempo, e você não desgrudaria dele até eu esquecesse da sua brincadeira idiota.

Originally posted by rapdaegu


Namjoon / Rap Monster.

- Amor, eu preciso falar com você. 

Você bateu no sofá para que ele se sentasse ao seu lado, estava se fazendo de seria, para que ele acreditasse na sua trollagem. Você e Jungkook tinham feito uma aposta, quem perdesse podia escolher o que o outro tinha que fazer, você perdeu e ele decidiu que você teria que trollar seu namorado.

- O Que foi… Aconteceu alguma coisa?

- S-sim. - Você tremia a voz propositalmente e ele te olhou esperando que você explicasse o que tinha acontecido.- Eu… estou gravida.

Ele ficou sério por alguns momentos, como se pensasse na falsa noticia, ficou pálido por um tempo, mas logo sorriu.

- Ta tudo bem… Você não precisa se preocupar, a gente vai cuidar do nosso filho..

Ele ia continuar falando mas você interrompeu.

- Não… eu quero abortar…

- Ah, eu não vou deixar fazer isso de jeito nenhum… Eu sou o pai dessa  Criança, de jeito nenhum eu vou deixar você fazer isso. - Ele falou se levantando do sofá chateado e bravo, Vocês dois continuaram a falar por um bom tempo até que você viu que logo ele perderia a paciência, então o chamou:

- Amor…

- Nada que você me falar vai fazer eu mudar de ideia sobre isso…

- Amor, é brincadeira, eu não estou gravida.

- QUE IDIOTA. - Ele ficaria muito bravo com você por ter brincado com algo delicado e você demoraria para convencer que aquilo realmente era brincadeira e que você queria apenas ver como ele iria reagir, pois se estivesse gravida mesmo, nunca faria isso.

Originally posted by ttaegiis


Jungkook

- Ta bom s/n, mas você pode pelo menos me contar o motivo disso? o que eu fiz?

O Garoto estava muito nervoso, tentava não mostrar mas era visível, ele pensava em todas as coisas que tinha feito tentando lembrar de algo que poderia ter te magoado para concertar tal coisa, mas não se lembrava de nada, até porque não tinha feito nada e você não queria terminar com ele de verdade.

- Amor… quer dizer, Jungkook… Você não fez nada, é que não ta dando mais certo sabe? Uma hora ou outra a gente vai acabar terminando, então seria  melhor a gente fazer isso logo, sinto muito, de verdade, mas a gente não tem mais motivo para ficar juntos.

- Como não? eu te amo, isso não conta como motivo?

Ele estava quase chorando enquanto caminhava até a porta, antes que ele pudesse sair você correu para frente dele.

- Ah amor, é brincadeira, você não sabe nem brincar… eu te amo.

Ele ficaria bem chateado com a brincadeira, mas te abraçaria forte aliviado por você  não querer deixar ele.

- Nunca mais brinque com isso.

Originally posted by theking-or-thekid


Jimin

A Alguns meses atras Jimin tinha te trollado com a ajuda dos amigos, um plano muito bem feito que fez você até chorar, você estava pelo Youtube quando achou um vídeo e teve sua ideia de vingança.

Você tinha pedido para ele te levar para casa da sua amiga, lá você pediu para ela te ajudar a fazer um ‘’ chupão falso’’  com maquiagem e depois de um tempo voltou para casa dele, o encontrando deitado na cama, logo pulou na cama do lado dele e ficou lá conversando coisas aleatorias com seu namorado esperando que ele notasse a suposta marca em você.

-Amor o que é isso no seu pescoço?- Ele perguntou se sentando na cama e você se afastou para não entregar a trollagem assim tão facilmente.

- O que? Não tem nada no meu pescoço. 

- Então deixa eu ver. 

Você insistiu que não tinha nada e logo cobriu a marca falsa com o cabelo e ele te puxou para ver o que era, você tentou se esquivar  mas logo deixou ele ver a marca já se preparando para briga.

 - Porque tem um  chupão no seu  pescoço? Você tava me traindo? Você tava na casa da sua amiga mesmo? Fala a verdade para mim! Hoje mesmo não tinha marca alguma ai.

Vocês continuaram a discutir por um bom tempo, você negando, mas como aquela marca surgira ali?

- Jimin… Jimin presta atenção. -Ele já estava se descabelando quando olhou pra você e viu você simplesmente limpando a marca que era feita de batom.- É batom seu bobo,  vingança! Ninguém mandou me enganar daquela vez.


Originally posted by kpopidolaegyooo


Yoongi/Suga

- Você ta me enganando né? Essa sua historia não faz nenhum sentido. Você não é lesbica S/n!

- Eu sou sim Yoongi.

- Ah então por que você esta comigo?

O Garoto se virou de costas para você e se sentou no chão, você aproveitou isso para dar uma risada muda antes de responder.

- Porque a minha família não podia saber, ai eles tinham que achar que eu tinha um namorado homem…

Você falava baixo tentando parecer convincente, ele duvidava um pouco, mas já estava prestes a acreditar na sua brincadeira.

- Mas você transou comigo! Mas de uma vez.

- Porque você também não podia descobrir né Yoongi.. Não foi bom para mim.

Falou realmente segurando a gargalhada e não teve resposta alguma do garoto que continuou de costas para você.

Então resolveu entregar o jogo e admitir que era brincadeira. Deu a volta no quarto indo até onde ele estava e se sentando em seu colo, Lhe dando um beijo e rebolando levemente sob seu colo. Ele ergueu o rosto mordendo o lábio e riu.

- Eu sabia que você estava brincando comigo.

Originally posted by imonaworldtour


Taehyung/V

Você não conseguiria trollar ele pessoalmente, ia cair na risada, então resolveu que faria isso por telefone.

Ele estava na casa De Namjoon, te chamou para ir junto, mas você negou, os meninos já sabiam de sua brincadeira.

Você fingiu estar em casa, mas mais tarde foi também para casa de Namjoon ficando escondida no quintal dele, pegou seu telefone e ligou para Tae.

Você disse a ele que tinha que contar algo importante, mas que não conseguia fazer pessoalmente, ele já estava curioso e com um pressentimento de que o que você diria não era algo bom, quando você disse que tinha o traído, mas é claro que não passava de uma brincadeira.

Na sala os amigos dele perguntaram o que tinha acontecido para ele estar tão mal apos desligar o telefonema, ele não disse nada apenas saiu de casa indo para o quintal sem te ver, ele estava muito nervoso, então Jin e Jungkook resolveram contar que era uma pegadinha sua, ele não acreditou em uma palavra dos amigos, achava que eles estavam te dando cobertura e ficou ainda mais bravo.

Até que você saiu de dentre as arvores rindo e correu para abraçar o namorado.

- Droga! Vocês dois estragaram minha brincadeira.

Jin e Jungkook deram ombros e voltaram para dentro da casa deixando vocês dois sozinhos.

- Ah você é muito infantil… Mas vai ter volta, só espera!

Originally posted by toughchim


Hoseok / J-hope

Hoseok sempre pregava peças em você, e isso estava começando a te deixar irritada já que sempre ele inventava uma maneira diferente de te enganar. 

Um dia você simplesmente enjoou de ser trollada e decidiu se vingar, mas para isso, você teria que ser uma ótima atriz.

Estava quase na hora de Hobi chegar do trabalho, como o planejado você se jogou no chão fingindo um desmaio, seria difícil segurar a risada quando ele chegasse e ficasse desesperado ao te ver ‘’ desmaiado’’

E Foi exatamente o que ele fez, assim que entrou deu um grito e correu para te pegar no colo te colocando sob o sofá, sem saber o que fazer.

- Aaah fala comigo S/n Pelo Amor de Deus!

Você não aguentou e caiu no riso, abriu os olhos e viu ele frustrado por ter caído na pegadinha.

- Você é muito boba.

- Você já fez brincadeira piores, agora o jogo virou amor.

- Eu prometo que nunca mais te engano se você nunca mais me der um susto desse! Eu quase morri do coração Jagiya!

Originally posted by nnochu


~Bela | Pedidos abertos

De repente do riso fez-se o pranto silencioso e branco como a bruma. E das bocas unidas fez-se espuma e das mãos espalmadas fez-se o espanto. De repente da calma fez-se o vento que dos olhos desfez a última chama. E da paixão fez-se o pressentimento e do momento imóvel fez-se o drama. De repente, não mais que de repente, fez-se de triste o que se fez amante e de sozinho o que se fez contente. Fez-se do amigo próximo o distante. Fez-se da vida uma aventura errante. De repente, não mais que de repente.
—  Vinicius de Moraes
Imagine Harry

Faz um com o Harry q ele acha q ela ta traindo ele(so q ela ñ tava).E pra se vingar, ele trái ela com a irmã gêmea dela. O final vc decide…


- (S/n) onde você estava?

 Mal fechei a porta, meu noivo, Harry me olhava sério de braços cruzados esperando uma resposta. -Responde!

- Boa noite para você também, meu amor. -beijei seu rosto. - Você sabe muito bem.

- Conta outra, que essa não colou. - empurrou meus braços que tentavam os envolver. 

- Harry, o que você acha que eu estava fazendo? Eu trabalho, esqueceu? 

- Deixa pra lá, não estou afim de conversar. -Harry subiu para quarto, sem ao menos me desejar uma boa noite. 


 Depois de jantar, sozinha, subi para fazê-lo companhia, por mais que ele estivesse me rejeitando. Harry estava virado de costas, ele sempre me abraçava para dormimos, mas dessa vez foi diferente. Eu o abracei. - Seu braço está pesado. -disse me tirando de cima dele. 

- Me desculpe, boa noite. -me virei de costas também.

 Nenhum dos dois dormiram de imediato, mas também não nos comunicamos. 


- Amor você está pronto? 

 O dia passou, estava anoitecendo quando saímos de casa para ir a uma festa de um amigo em comum. Harry mal falava comigo, eu não estava animada, na verdade eu estava com pressentimento, ou intuição de que algo de ruim aconteceria naquela noite. 

- Sim, pronto. -respondeu, sempre lindo. 

- Antes de sairmos vamos conversar? -me aproximei. - Não quero ser rejeitada por você mais. 

- Você merece coisa pior que uma rejeição. -passou pela porta, fechando-a, sem me esperar. 


 O que está acontecendo com Styles? Seus olhos indecifráveis estavam corroendo meu coração aos poucos, a cada desprezo era uma pontada forte que eu sentia no estomago.  

 Entramos ao carro e fomos até a festa de Willy, calados. Como se estivéssemos acompanhando um estranho.

 Chegamos a casa dele, a festa aconteceria no seu belo e enorme jardim. Cumprimentamos todos, abracei minha irmã gêmea, (Sua irmã). 

 - Wow, você está linda. -Harry disse sorrindo, ao abraçar minha irmã. Fazia tempo que eu não o via sorrir.  

 Cumprimentei Gemma e com ela fiquei a noite inteira, Harry havia sumido e minha irmã ao que indicava tinha ido embora. Notei que minha cunhada também estava estranha. 

 - Gemma, está tudo bem com seu irmão? Ele anda me evitando, sabe de alguma coisa? 

 Ela esquivou seus olhares por alguns segundos, buscando suporte. - É… (S/n)… Harry acha que você o trai.

- O QUE? ELE É LOUCO? -me assustei.

- Você não o trai? Você jura? -Gemma me olhava com uma certa aflição. 

- Eu jamais faria isso, meu Deus, que loucura. Cadê o Harry??? -tentei o encontrar.

 Buscamos ele por toda casa, Gemma sabia exatamente o que ele estava fazendo, notava-se pelo seu desespero ao gritar o nome dele. 

- O que está acontecendo Gemma? 

- Eu sinto muito. -disse em tom baixo. 

 Por fim o encontrei na garagem, estava de costas sem camisa, pressionando alguém contra o carro enquanto beijava. 

- HARRY!!! -gritei, mal conseguia respirar. 

 Ele se virou, revelando sua amante, MINHA IRMÃ. Eu não conseguia acreditar.

- Que porra está acontecendo aqui? -cruzei os braços, ainda conseguia controlar minhas lágrimas. 

- A culpa é sua!!! -ele disse voltando a beijar (s/i).

- Harry não. -Gemma implorou.

- O que? Você está do lado dela? -ele a questionou. 

 Me aproximei dos dois o arrancando de perto da minha irmã. - EU. -o empurrei. - NUNCA. -empurrei de novo. - TE TRAÍ. -empurrei com mais força. - estúpido. 

- Mentirosa, você está ficando sim com aquele seu amigo o trabalho, Mike, não assim que você o chama?

- O Mike é gay Harry, pelo amor de Deus, eu te odeio. -disse incrédula. - A propósito odeio vocês dois. -apontei para (s/i). - Nunca imaginei que você faria isso comigo. 

- Ele estava tão carente, dizendo que você tinha arruinado a vida dele, eu não resisti. 

- E você preferiu acreditar nele do que confiar em mim, vocês dois são patéticos. 

 Sai daquela garagem sem um destino, não voltaria para casa. . 

 Dois dias se passaram, eu ainda estava muito mal, não voltaria a viver com meu noivo (ex), não iria para casa dos meus pais, (s/i) vive lá. Eu só tinha Gemma. A unica que se importou em me ajudar. Estávamos na sala do apartamento dela, conversando. Meu celular não parava de vibrar, era Harry em sua 38ª ligação desde que fui embora. Nós duas já não nos incomodávamos mais. Até que a porta foi aberta bruscamente. - Gemma, me ajuda, por favor… (S/n)? -era Harry desesperado, com olhos fundos como se não tivesse dormido. 

 Me levantei para ir embora novamente, não consegui passar pela porta, ele segurou meu braço. - Me solta.

- Vamos conversar.

- Me solta. -repeti. - Não há conversa. 

- Vamos voltar para casa.

- Nunca mais.

 Olhei para sua feição derrotada, sem motivos mais para viver. - Eu imploro (S/n), eu preciso do seu perdão.

- Isso não cabe a mim. Você está me machucando. -ele me soltou. 

- Eu preciso de você lá em casa comigo, rindo das minhas péssimas piadas, mandando eu calar a boca quando não aguenta mais me ouvir falar, dizendo que me ama todo santo dia. Sinto falta da gente se amando em cada canto daquela casa, volta para mim, por favor. -dizia em meio a lágrimas.

- Eu não posso ficar com alguém que não confia em mim. -caminhei em direção a porta. 

 Harry correu para me impedir de partir novamente. - Eu falhei, me senti inseguro com medo de te perder, fiquei cego com tanto ciume. -colou nossas testas. - Só você me faz enxergar.

- Harry para. -seus olhos me hipnotizavam.

- Por favor, vamos apagar tudo, começar de novo.

 Suspirei como resposta, ele havia entendido como um sim. Me apertou em um abraço e nos beijamos determinados a viver uma nova história juntos. 

Aquele silêncio me deixava aflita. Eu ficava paranoica, achando que a qualquer momento você iria embora, que a qualquer momento, você finalmente diria algo. Diria que havia deixado de me amar. No final das contas, não era paranoia. Era, de certa forma, um pressentimento.
—  Bósnia, 1999.
Tu pertences ao pequeno número de mulheres que ainda sabem amar, sentir, e pensar. Como te não amaria eu? Além disso tens para mim um dote que realça os mais: sofreste. É minha ambição dizer à tua grande alma desanimada: levanta-te, crê e ama: aqui está uma alma que te compreende e te ama também. A responsabilidade de fazer-te feliz é decerto melindrosa; mas eu aceito-a com alegria, e estou certo que saberei desempenhar este agradável encargo. Olha, querida; também eu tenho pressentimento acerca da minha felicidade; mas que é isto senão o justo receio de quem não foi ainda completamente feliz? Obrigado pela flor que mandaste; dei-lhe dois beijos como se fosse a ti mesma, pois que apesar de seca e sem perfume, trouxe-me ela um pouco de tua alma. Sábado é o dia da minha ida; faltam poucos dias e está tão longe! Mas que fazer? A resignação é necessária para quem está à porta do paraíso; não afrontemos o destino que é tão bom conosco. (…) Depois… depois, querida, queimaremos o mundo, porque só é verdadeiramente senhor do mundo quem está acima das suas glórias fofas e das suas ambições estéreis. Estamos ambos neste caso; amamo-nos; e eu vivo e morro por ti.
—  Machado de Assis.
Odeio esse sentimento, parece que algo está faltando, uma ansiedade que aguarda algo que não acontecerá, como um pressentimento, bom ou ruim, não sei dizer, mas odeio. Odeio não saciar essa sede por algo que não sei o que é. Talvez eu saiba, ou sempre soube, descobri em meus dias de solidão, nas noites mais escuras e frias. Esse sentimento é por você, mas não é sua culpa, você nem ao menos pode suspeitar, nem pode sentir algo recíproco, pois você não sabe, não tive coragem de dizer. É um amor platônico que alimentei por ti, a cada pequeno gesto carinhoso, sem importância a você, mas enormes a mim. Fui tola, sou apenas uma sonhadora, viajando no mundo que eu criei, construindo sentimentos que não podiam existir. Foi assim que cavei minha cova, tão profunda, para o dia que eu percebesse que estava sonhando sozinha e que a ansiedade por algo real crescesse, mas nada o que eu construí era sólido. Agora estou aqui, com um buraco no peito, deitada em minha cova, escrevendo esse texto que poucas pessoas vão ler, com a certeza de que você não vai ler, afinal, esse site não tem pessoas como você, mas como eu, sonhadores que fogem da realidade que nos faz cavar covas.
—  Um desabafo

anonymous asked:

Você acha que existe conexões entre pessoas? Eu conheço um garoto, e a gente trocou algumas frases, mas toda vez que vejo ele, pessoalmente ou só através de uma foto, eu juro que posso enxergar como ele é por dentro. É estranho. Eu vejo uma tristeza nos olhos, e tenho pressentimentos sobre ele. A gente nem é íntimo e eu sinto um carinho infinito, entraria na frente de um tiro por ele. É loucura minha?

Claro que não. Isso talvez seja amor. Tenta criar laços com ele. Pode dar certo entre vocês.

sigam meu instagram.

NCT U + Yuta + Johnny + Hansol + Kun Reaction to you having to kiss a male in a drama. //Quando você tem que beijar um cara num drama.

Taeyong: It’s just a technical kiss, right…? // É só um beijo técnico, certo…?

Originally posted by taebrze

Jaehyun: I don’t have a good feeling about this… // Eu não tenho um bom pressentimento sobre isso…

Originally posted by yoon-to-the-oh

Doyoung: Do you really have to do it, Y/N? // Você realmente tem que fazer isso, S/N?

Originally posted by taesyong

Taeil: You won’t be kissing for real, right? // Vocês não vão se beijar de verdade, certo?

Originally posted by nctech

Ten: Why? // Por quê?

Originally posted by yoon-to-the-oh

Johnny: Why didn’t you tell me sooner? //Por que você não me falou antes?

Originally posted by chokemewinwin

Yuta: If it’s just for the drama… // Se é só pelo drama…

Originally posted by sr16b-rain

Hansol: As long as it’s just acting, it’s fine. // Se for só atuação, tudo bem.

Originally posted by soltaeil

Kun: Can’t they cast another actress to do that? // Eles não podem contratar outra atriz pra fazer isso?

Originally posted by jonginka


~Adm Hiyeonji

Sabe aquele medo, aquela insegurança aquele pressentimento ruim que tudo irá da errado de novo? É exatamente isso que sinto quando penso em nós.
—  Ame-nizei

Sentada na arquibancada do campo de futebol americano, apertando a tela de seu iPhone e apagando o número de amores randômicos e terminados, Marlee observou o horizonte, suspirando. Quando havia ficado tão frio? - Porcaria… - Murmurou, puxando o zíper do casaco mais para cima. Estava com um pressentimento ruim, embora não soubesse exatamente o motivo dele.