preservada

O importante é nunca deixar de acreditar que podemos recomeçar. Mas também é importante lembrar que, no meio de tanta porcaria, existe algumas coisas que valem a pena serem preservadas.
—  Grey’s Anatomy.
quando o próprio amor vacila

eu sei que atrás deste universo de aparências, das diferenças todas,
a esperança é preservada.

nas xícaras sujas de ontem
o café de cada manhã é servido.

eu quero você agora.

eu te amo pelas tuas faltas,
pelo teu corpo marcado,
pelas tuas cicatrizes,
pelas tuas loucuras todas, minha vida.

eu amo as tuas mãos,
mesmo que por causa delas
eu não saiba o que fazer das minhas.

as tuas roupas sujas é aqui em casa que eu lavo.
eu amo a tua alegria.
eu te amo pela tua essência.

eu te amo nas horas infernais
e na vida sem tempo, quando,
sozinho, bordo mais uma toalha
de fim de semana.

eu te amo pelas crianças e futuras rugas.
eu te amo pelas tuas ilusões perdidas
e pelos teus sonhos inúteis.

eu te amo pelo que se repete
e que nunca é igual.

eu te amo desde os teus pés
até o que te escapa.

eu te amo de alma para alma.

e mais que as palavras,
ainda que seja através delas
que eu me defenda,
quando digo que te amo
mais que o silêncio dos momentos difíceis,
quando o próprio amor
vacila.

fernando pessoa.

Eu insisto por aqui, você nunca pediu pra eu aparecer, nem permanecer. É que eu te vi toda enrolada numas coisas passadas, e esperei até tudo se ajeitar, observei, orei, pedi a Deus que as coisas se acertassem, mas fiquei a te ver caso caísse e estivesse só mais uma vez. E talvez eu nunca consiga explicar realmente, sabe quando você acha um ambiente natural maravilhoso demais para ve-lo perder-se? Sendo extinto? Você de longe é um ambiente que traz paz, ainda que alguns tenham tentar arrancar isto de você. É meu ambiente indiretamente, me faz contente porquê hoje você está tão diferente, mais preservada, renovada e com frutos novos.
—  Dois tons de amor
Não adianta vim só quando a casa está arrumada. Alguns meses, semanas e dias atrás, aqui estava um caos, nem respirar eu conseguia direito. Então como minha mãe sempre fala “Aqui não é a casa da mãe Joana.”, faça me um favor de pegar suas bagagens e sair pela porta dos fundos, pois a casa já está sendo ocupada e muito bem preservada. Passar bem.
—  Pois a minha casa é meu coraçãoDeflagar.

Compartilhe sua historia para quem sente o mesmo que você e encontre apoio.

Projeto Palavras que Abraçam se trata de ouvir o desabafo de quem está sufocando com os próprios problemas e ajudar a carregar esse peso e encontrar a solução correta. Contando sua historia no e-mail terá sua identidade preservada, e para te ajudar um texto será escrito inspirado em você e com conselhos para acalmar sua alma.

Quer entender melhor o projeto? Clique aqui e saiba mais

Alguns “ques” meus

Que os velhos já foram bebês. Que só não chega a velhice quem morre jovem. Que não basta só não fazer o mal, mas em conjunto fazer o bem. Que paixão é derramar-se por inteiro em nome de um sentimento.  Que a inocência de uma criança deve ser preservada, mesmo quando temos que mostrar-lhe a realidade. Que adolescentes podem ser pessoas fantásticas. Que maturidade nem sempre está ligada a idade. Nem imaturidade.  Que amar e ser amado por alguém ao mesmo tempo não garante que ficarão juntos. Que o silêncio pode ser uma benção. Que música é a melhor companhia. Que ser leal nas relações é fundamental, ser sincero nem sempre. Que tem dias que são foda, tem dias que são piores. Que tem dias que são foda de tão incrivelmente bons. Que palavrões quando não usados pra ofender, não deveriam ser considerados palavrões, só palavras. Que impressoras funcionam quando querem. Que a fé e o amor ditam o ritmo dos dias. Que a saúde e a paz interior são tudo. Que Deus não nos deve nada. Que você está com tempo sobrando pra ter lido tudo isso. Que eu adorei que você leu ..

A comunicação é o fator primordial de um bom relacionamento. Todos nós devemos respeitar e aceitar a condição de haver pensamentos diferentes do seu, contudo, é importante preservar os seus próprios princípios e idealizações para que seja preservada a sua individualidade em uma sociedade complexa.
—  R. Martins
Onde a afeição mútua não existe, isso não é digno do nome de casamento. A dor e a angústia de tal relação seriam uma carga pesada para qualquer coração suportar; mas onde há verdadeiro e genuíno amor, este é o modo mais doce e mais feliz de vida. É uma das bênçãos do paraíso, que foi preservada para nós após a queda.
—  Charles Spurgeon | Sermão Nº 762, A Relação de Casamento.
Los trapiches de caña, una tradición que aún se conserva en Garagoa.

Aquellas familias que aún preservan esta tradición han cambiado las pailas por hornos y los bueyes por motores pero sin olvidar el origen de esta maravillosa técnica.


En el Valle de Tenza los trapiches de caña son cada vez más escasos. Sin embargo, en una enramada en Garagoa se hace la molienda todos los meses.


Oculto tras la montaña se encuentra un pueblo místico y maravilloso rebosante de cultura y tradición, donde entre el trabajo del campo y la vida urbana se resaltan algunas de las aún preservadas tradiciones gastronómicas. Garagoa se encuentra ubicado al suroriente de Boyaca, en la región del Valle de Tenza.

Nada más poner un pie en el territorio garagoense implica adentrarse en un mundo de historia, una historia escrita con sudor y olor a caña donde aún se recuerdan los antiguos trapiches, las largas y duras jornadas de trabajo y canciones para la producción de aquel néctar dulce que se conoce como miel. ¿Pero es esto así en la actualidad? En realidad algunas pocas familias luchan arduamente por preservar la  tradición detrás de este trabajo. Sin embargo, no todo se mantiene intacto y hoy algunos de los trapiches son solo un recuerdo de aquello que es parte de la sangre y el trabajo boyacense.

Aquellas familias que aún preservan esta tradición han cambiado las pailas por hornos y los bueyes por motores pero sin olvidar el origen de esta maravillosa técnica y es que hace solo unas décadas en aquellos días de molienda, los cantos abundaban en medio del trabajo y se celebraba con bebidas típicas los resultados de una ardua jornada que consta de 60 horas para la producción de miel, es así como hoy en día se recuerda en Garagoa la magia de los trapiches aún preservados en algunos lugares como recuerdo de nuestra historia, la historia boyacense.

Para mi dar un recorrido por estos trapiches me recuerda el antiguo arte de una técnica gastronómica y se me hace agua la boca de solo recordar estas delicias que se han pasado como tradición de generación en generación, que conservan el toque rústico de la tradición y que hoy en día son difíciles de encontrar.

En ocasiones vienen turistas y allí en ese simple momento es donde se puede observar la magia de una comida tradicional boyacense, esa magia única que tiene la comida de unir culturas, de unir mundos… y hoy recordando estas tradiciones es difícil aceptar que una maravilla como lo son los trapiches permanezcan en el olvido y el anonimato.  

Sim, eu aceito!

Sim, meu amor. Eu aceito.

Aceito te amar, respeitar, na saúde e na doença.

Na alegria e na tristeza. Nos momentos difíceis e aqueles que merecem ser comemorados.

Aceito não só porque tenho plena certeza de que é você a mulher da minha vida. Aceito porque acredito que algo que começou tão natural, que não teve nem um momento forçado, seja errado. Aceito porque quero ser sua amiga, sua mulher, parceira, porto seguro.

Aceito porque o que temos é uma relação tão pura que deve ser preservada. E não é nem alguns dias que vão determinar o momento certo para demonstrar todo esse amor. Para o amor não há tempo, não há hora e nem momento certo. Simplesmente acontece.

Então, meu amor. Eu me comprometo estar com você em todos os momentos da nossa vida. Em crescermos juntas, e criar nossa família, nossa vida. E se nesses 31 dias foi possível ver 6 anos de relacionamento, eu quero a eternidade com você.

Eu te amo, meu amor.

Ingrid Figueira – 27/09/2016