preservada

O importante é nunca deixar de acreditar que podemos recomeçar. Mas também é importante lembrar que, no meio de tanta porcaria, existe algumas coisas que valem a pena serem preservadas.
—  Grey’s Anatomy.

Onde pinto leões, os amansa
Onde grito cerejeiras, dizes comprimidos
Aonde escondem-se as vestes, escandaliza
Aonde há febre e fezes fazes um deus unânime


Tenho a boca, coral como Duchamp desbocado
Tenho o olhar abrangente e fixo, contraditório ao gabinete
Temo a praga de Calígula, que já fazes de meus dentes bordeis
Tenho a coloração colorau viajando nas veias


Apoderei-me de teus arqueiros
Para rivalizar ordens paternas
Deixai que lhe prova que a proibição ao fruto és somente fala tua
Em um único disparo, dividirei e dissecarei o pecado ao meio


Beba do querer líquido
Densidade tíner
A que antes de vir antevem-se
E se despede com consultas farmacológicas…


Ceifa-me o pão
E divida-o consigo e suas oito personas
Deixes os filhos sob o efeito de moinhos
A culpa recoberta com panos densos de cortinas


Ouço seus dedos a passear por meus cabelos
Ouço tua boca parafrasear a minha e pedir beijos
Ouço o bis da quentura de teu corpo
Peço por lagostas e Dali avisa-me que virão em atraso…


Eu tive Warhol em minha mesa
Como abreviatura de banquete
Tão pop arte que fomos consumo
Tão infinito que fomos altares de corações e mentes


A paz tens a cor de tua lente de contato
Que com os milagres do céu siliconado
Uma lágrima era cristalizado e uma gota de chuva preservada
A espera de tão inconveniente tornou-se íntima e única companhia…

—  Tendência 0800 - Pierrot Ruivo 

Uma coisa que aprendi com os anos na faculdade e a própria digníssima vida: não damos saúde mental a ninguém, criamos alternativas que contribuem para esse processo.
Não salvamos ninguém que não queira ser salvo, aliás, a ideia de salvar alguém é uma concepção romantizada que é propagada em filmes e séries românticas.
Não somos o herói de ninguém. No máximo damos a mão, oferecemos ajuda, emprestamos nossos ouvidos e até nossas casas. Mas só fica quem quer.
Você precisa saber o momento exato de não insistir mais em alguém, isso não é abandonar, é entender que nossa saúde mental também deve ser preservada.

❥ OLÁ MEUS AMORES, AQUI ESTÁ MAIS UMA EDIÇÃO DA REVISTA TIFFANY’S. O TEMA DA REVISTA DE JULHO É: FÉRIAS!

Nossa capa deste mês é a Beatriz Torres (@xsreia​), ela merece seu follow!

Férias são legais. Você pode dormir até mais tarde, ver TV por mais tempo, sair com amigos, conhecer lugares novos, SE DIVERTIR, seja em casa ou em qualquer lugar.

- O Que fazer no tempo livre.

1. Cozinhe: Uma dica é pensar em refeições temáticas como o dia do sanduíche, da pizza, das saladas, das frutas.

2. Ir a praia: É sempre bom ir á praia, pegar um pouco de sol, ficar com aquele bronze, brincar bastante, comer aquele sanduíche que sua mãe fez.

3. Assista filmes: Veja se consegue juntar um grupo de dez ou vinte. Se o cinema for em um shopping, depois de terminar o filme vocês podem ir fazer compras ou comer na praça de alimentação. Grupos menores também são ótimos, mas ir em um grupo maior é uma maneira ótima de juntar todos os amigos fora da escola.

4. Acampar: Convide alguns amigos para ir acampar. Vocês não precisam acampar no mato – se preferir, pode acampar no seu jardim ou até na praia. Se for acampar em um parque ou no quintal, faça um churrasco ou um picnic. Se estiverem acampando no parque, veja se podem pescar se tiver um lago. Se for acampar na praia, certifique-se de poder acampar no lugar escolhido.

- Como ganhar dinheiro.

1. Venda itens antigos: Aproveite o tempo livre, faça uma geral no seu quarto e separe as coisas que você não usa mais. Procure por sebos ou livrarias, várias delas se interessam em comprar livros, mesmo que usados. Você também pode oferecer os textos e livros da faculdade para seus calouros, eles com certeza vão querer comprar caso o preço seja menor. Separe roupas e acessórios que não servem mais e venda para algum bazar ou brechó, você pode conseguir algum dinheiro, ou ainda trocar por outras peças.

2.  Procure por empregos temporários: As férias começam, mas o comércio não para, ainda mais no final do ano. Nessa época, vários lojistas contratam funcionários temporários para atender a demanda das compras de natal. Uma vantagem é que boa parte dessas vagas não necessitam experiência. Geralmente, ter 18 anos e o ensino médio completo são os únicos pré-requisitos.

3. Trabalhe como freelancer: Nada melhor do que ganhar dinheiro fazendo o que gosta! Trabalhar como freelancer é uma ótima forma de faturar um extra nas férias. Tem domínio de design gráfico ou gosta de escrever? Vários donos de sites e blogs procuram por colaboradores em regime freelancer. Manda bem com fotografia? Se ofereça para fazer cobertura de festas e eventos. Use seu talento e encontre oportunidades de negócio!

4. Procure um estágio de férias: Outra boa forma de ganhar dinheiro nas férias e trabalhar na sua área de formação é o estágio. Grandes empresas oferecem programas com curta duração, geralmente, no final do ano. Uma experiência como essa pode somar bastante em seu currículo. Aproveite também o período de descanso para atualizar as informações do seu currículo e enviar para as empresas em que você gostaria de trabalhar.

5. Preste alguma assistência para conhecidos: Você pode ganhar dinheiro nas férias prestando serviços simples para parentes, amigos ou conhecidos. Se você tem conhecimento sobre informática, ofereça serviços de assistência, formatação etc. Domina bem alguma matéria ou língua estrangeira? Dê aulas de reforço para primos, amigos. Serviços de casa ou jardinagem também podem ser rentáveis, basta combinar um valor previamente.

- Lugares para passar as férias.

1. Capitólio – MG: Rodeada de belas paisagens, a cidade é um prato cheio para os adeptos do ecoturismo. A represa de Furnas com seus cânions de 20 metros de altura e as águas esverdeadas é a menina dos olhos da região, que ainda conta com cachoeiras, trilhas, mirantes, grutas e a chamada Lagoa Azul, outro ponto alto do local.

2. Porto de Galinhas – PE: Na cidade de Ipojuca, em Pernambuco, as piscinas naturais de Porto de Galinhas são um refúgio para diversas espécies de peixes, observados constantemente pelos turistas que parecem encantados com o que veem. Este paraíso tem toda a infraestrutura turística necessária, com lojas, restaurantes e hotéis.

3. João Pessoa – PB:

Atraindo mais de um milhão de turistas por ano, a cidade ainda tem praias tranquilas, banhadas por um mar esverdeado. A faixa litorânea da capital paraibana é rodeada de bares e restaurantes, enquanto outras regiões da cidade têm belos edifícios históricos. Se houver tempo, conheça as águas cristalinas de Picãozinho.

4. Trindade – RJ: Um pequeno paraíso a 30 km de Paraty, a vila de Trindade está no meio do oceano Atlântico. Preservada, guarda consigo cachoeiras, trilhas e algumas das praias mais bonitas do país. O ar rústico se espalha por todo o seu território, incluindo as pousadas, restaurantes e o comércio.

SIGNO DO MÊS: CÂNCER!  21/06 - 21/07.

  • Horóscopo mensal de julho.

Com o Sol, Mercúrio e Marte em tensão a Júpiter e Plutão, seu mês já começa cheio de fortes emoções. Pode ser que haja alguma turbulência, afetiva, na família e no amor. Os ânimos podem estar exaltados e você precisará ter calma, equilíbrio e jogo de cintura para manter a paz. Mudanças, reviravoltas, surpresas podem agitar seu início de mês. No amor, com a entrada de Vênus em Gêmeos no dia 5, você pode ficar meio sem paciência para relacionamentos mais sérios. Vai estar mais a fim de curtir sua liberdade e em busca de leveza, sem muita disposição para lidar com cobranças ou para dar explicações. Se já estiver em um relacionamento, o momento exigirá compreensão, espaço, abertura, liberdade, caso contrário, a relação pode não seguir adiante. No dia 6 Mercúrio entra em Leão, e Marte entra no dia 21, aumentando ainda mais sua vontade de curtir a vida, se divertir, estar com os amigos, ir pra balada. Pode ser um bom momento para fazer compras, praticar atividades físicas, cuidar da autoestima. Cuidado apenas com o excesso de gastos, pois você poderá se empolgar e acabar gastando mais do que pode.

Dias favoráveis: 3, 4, 5, 13, 14, 18, 19, 22, 23, 26, 27, 31.

Dias desfavoráveis: 1, 2, 8, 9, 10, 15, 16, 17, 28, 29, 30.

Horóscopo anual de 2017.

Com Júpiter em Libra e Urano em harmonia a Saturno em Sagitário, a família e a saúde poderão ser temas importantes em 2017. Será necessário se cuidar, fazer aquele visitinha ao médico da qual você sempre foge e procurar melhorar a relação com os familiares para o clima dentro de casa não pesar. A partir de maio, as finanças podem melhorar e se estiver em busca de emprego, pode rolar.

  • Amor:

Tudo começa a se agitar a partir de maio, quando podem rolar novidades, festas, paquera e novas paixões. Mas será a partir de outubro, com Júpiter entrando em Escorpião que o bicho vai pegar de verdade, e se estiver solteira, poderá se envolver em um relacionamento intenso, verdadeiro, daqueles que chegam pra ficar. Até lá, vá preparando o terreno, cuidando do seu jardim.

  • Amizade:

Este setor da sua vida pode ficar um pouco instável ao longo do ano, sujeito a flutuações, altos e baixos. Algumas pessoas podem sair de sua vida de forma definitiva, para que outras que tenham mais a ver com você surjam. Você está mudando e as amizades acompanham este processo. Poderá ser necessário ter mais flexibilidade, diplomacia, paciência para manter a paz.

  • Escola:

Até maio, você estará mais dedicada, focada, atenta aos detalhes – às vezes até demais. Tente ser mais objetiva. Você poderá se dar muito bem nas redações, estará inspirada para escrever. Júpiter em Libra pede mais capricho, cuidado com a apresentação dos trabalhos e a partir de outubro, pedirá também mais profundidade nos conteúdos.

  • Estilo:

Saturno, o regente do ano, pede sobriedade e cores escuras, mas a Lua, que é quem manda no seu signo, gosta de cores claras, delicadas, então, aposte em contrastes no estilo preto & branco, preto e prata, cinza mescla e preto. E abuse do prata e da prata envelhecida nos acessórios. 

FIQUE DE OLHO NAS PRÓXIMAS EDIÇÕES DA REVISTA TIFFANY’S!

Levemos em conta que a própria tradição, ensinamento e fé da Igreja Católica, desde o princípio, dadas pelo Senhor, foi pregada pelos Apóstolos e foi preservada pelos Santos. Nisto foi fundada a Igreja; e se alguém se afasta dela, não é e nem deve mais ser chamado de Cristão.
Santo Atanásio
aconselha-te.tumblr.com
Aconselha-te
Tumblr criado para poder ajudar aqueles que de alguma forma precisa de desabafar. Se você...

Nós sabemos da quantidade de projetos que existem por aí, mas sabemos também da quantidade de frustrações que podem ocorrer em questão de minutos. Não estamos aqui pelo seu follow, queremos apenas a chance de te ajudar. Quantas vezes nos vimos sozinhos quando o que a gente mais precisava era de um apoio?! O projeto foi criado com o intuito de ser esse apoio, te dar aquele abraço virtual mas que possa te acalentar a alma e sufocar seu desespero. Não há psicólogos no nosso grupo mas há pessoas com uma vontade imensa de te ajudar! Não deixe a timidez vencer a necessidade de ser ajudado, venham em anony, em chat, do jeito que for, mas não deixem de pedir nossa ajuda quando for necessário. Sua identidade será preservada! Espero que vocês se identifiquem com o nosso projeto e fiquem a vontade. (Obs: Ainda estamos editando o cantinho pra dar uma cara mais sossegado a ele, e tornar o ambiente o mais agradável possível para te acomodar direitinho, feito colo de mãe) 

Quando tudo estiver dando errado, lembre que você ainda respira, e enquanto respirar, você terá novas chances de dar a volta por cima e ser feliz.

a válvula de escape deixa algumas gotas pingarem

um livro antigo tão orgulhoso do que sabe,
tranca suas abas depois de lido, e não se abre
grava palavras sem tinta, e números sem valor: resquícios.
diz ser solto no tempo, vivendo um eterno momento.

um livro antigo tão cansado do que sabe,
deixou voar embora seu comportamento insidioso.
abraçou as mãos quentes e afloradas de um leitor ávido
cabe em si quando é lido a alegria de ver curiosidade de novo.

um livro antigo tão esquecido do que sabia,
perdido entre as prateleiras escondidas um mau agouro.
sentia falta do frescor da brisa gentil, mas cantava de não querer lembrar
deixando seu marcador de páginas escorregar.

um livro antigo tão desbotado do que sabia,
perde o que não lembra e ainda sim guarda preservada,
uma flor vermelha dormindo entre suas páginas amareladas.
a lembrança aquecida de que no fundo entalhes e capítulos não morrem.

anonymous asked:

qual a sua opinião sobre a este caso do estupro coletivo, o que voce falaria pra vitimas e pros 30 monstros

Achei um crime hediondo, um absurdo bárbaro. Falaria pra ela que eles são os culpados e que ela não tem culpa de nada. Que não se deixe levar por pessoas machistas que irão dizer que sua roupa era “curta”, ou que estava “bêbada”. A única causa do estupro é o estuprador. Para os monstros não diria nada, apenas que a justiça seja aplicada e que sejam punidos pelo crime hediondo que cometeram. Que paguem… já que não se apaga o dano. E que ela seja cuidada, amparada, preservada… que consiga ter todo o atendimento físico e psicológico que a lei prega, que alcance carinho e paz. Que consiga aos poucos se recuperar e um dia se veja forte de novo, com novos sonhos, podendo até tornar-se símbolo de luta, ao lado de outras mulheres que defendem e brigam por esta causa, na intenção de proteger meninas, mães e mulheres do mundo todo. 

Oi?

Se não for pra vomitar as palavras, não tente escrever. Não force a cabeça numa tentativa inútil de impressionar a si mesmo com palavras sem valor. Nada forçado é belo, só é pesado e desgastante. Desgaste. Há tantas coisas que foram bonitas, tão bonitas um dia, mas foram desgastadas ao invés de preservadas e hoje não têm mais um pingo sequer de beleza. O quão idiota é o ser humano por não enxergar a necessidade de cuidar meticulosamente do que tem, de conservar, regar e amar antes que seja tarde demais?

「 walls could talk」jin & sun

 
No mesmo dia em que brigaram as coisas voltaram a se resolver, era sempre assim, e Sun estava contente com isso, já que seria muito pior caso ficassem dias sem se falar. A verdade era que sentiam muito a falta do outro, um dia afastados já era motivo pra uma melancolia, por menor que fosse. Não demorou muito para que o convite para o aniversário da Omma de Jin chegasse a seus ouvidos, com a reclamação de que ela nunca iria desistir da ideia de que os dois eram namorados. Já até havia se acostumado, e qualquer protesto seria perda de tempo. Sun Hee carregava apenas uma bolsa com feitiço de extensão quando ela e Youngjin aparataram no jardim da casa da família Lee. O ambiente familiar tomou seu olhar que antes estava sobre o rosto do melhor amigo, trazendo o sentimento de nostalgia consigo. Seus olhos brilharam ao sorrir para ele. — Lembra de quando a gente decidia correr por aqui até cansar e acabava caindo no chão assim que as pernas falhavam? Não sei como a gente conseguia dançar mais vinte músicas no mesmo dia. — Gargalhou, aproveitando o momento para depositar um beijo na bochecha alheia. — Vamos entrar antes qu… — No mesmo momento ouviu a porta abrir, fazendo seu olhar desviar de forma automática até o local, encontrando a aniversariante com um sorriso contagiante. Aquela mesma pessoa havia se tornado uma segunda mãe pra ela, por passarem quase as férias todas juntas. Yiky, como a chamava durante a infância, sempre demonstrou carinho por ela. Tinha medo de ser apenas uma substituta da filha perdida, mas essa insegurança quase nunca passava por sua cabeça, já que era constantemente tachada como nora. Aquele pensamento a fazia querer rir, já que Youngjin era apaixonado por seu irmão, e não por ela. Largou a mão do melhor amigo, e saiu correndo ao abraço da mais velha. — Ahjumma, você fica mais nova a cada dia. Nem parece que está fazendo aniversário hoje. — Um sorriso surgiu nos lábios da morena, agora com uma franja que provavelmente não iria durar tanto assim. Olhando pra trás de relance, pode perceber um Juntae encostado no corrimão da escada, olhando a porta com um sorriso no rosto. Tentou desviar o olhar, mas com um esforço fenomenal: a tal da genética era maravilhosa mesmo. — Só pra constar, não ache que esqueci do seu presente. Só irei entregar mais tarde. 
Você adora me deixar sem graça, menina. Não venha com essa história de mais jovem, já sou avó! Uma avó muito preservada, mas avó. — Brincou Yi-Kyang, e assim que olhou para seu filho Sun soube que ela iria fazer alguma pergunta inconveniente sobre o relacionamento imaginário dos dois. — O presente é vocês dois assumindo o namoro? Já esconderam muito, crianças. As pessoas não consideram mais segredo. — Choi prendeu ao máximo a risada com aquela pergunta, mas apenas desviou o olhar para o seu oppa em um pedido de ajuda. Mesmo assim, ainda podia sentir o olhar de Tae queimando em sua pele. O encarou outra vez. Os cantos dos lábios curvados perigosamente enquanto ele usava a conversa como entretenimento, a camisa social não totalmente abotoada e amarrotada, além dos cabelos negros e naturalmente bagunçados que se encaixavam perfeitamente com aquele ar que ele esbanjava. Não sabia como, mas naquele período de tempo que ficaram sem se ver, o irmão de Jin havia ficado ainda mais bonito, para seu puro e mais intenso azar. Se já tinha um penhasco por ele antes, agora estava realmente babando. Desviou o olhar e respirou fundo, constrangida por ter encarado demais, e ao mesmo tempo receosa, porque se Youngjin a flagrasse encarando o irmão cabeças iriam rolar. Nunca havia entendido muito bem essa possessividade que ele tinha em relação a ela. Com outros caras era com certeza o instinto de proteção, mas então chegava em Juntae, e as coisas iam pra um nível mais complicado. Jurava que Jin o esfaqueava lenta e dolorosamente com os olhos a cada vez que o olhar de Tae estava voltado para ela. Parecia entrar em estado de alerta a cada risada que os dois davam em uma conversa e só faltava agarrar no pescoço dele. Juntae, no entanto, parecia se divertir com essa situação, não acreditando que o caçula fosse realmente capaz de tomar uma atitude em relação a isso. Era algo curioso, mas preferiu não tocar no assunto.

Eu insisto por aqui, você nunca pediu pra eu aparecer, nem permanecer. É que eu te vi toda enrolada numas coisas passadas, e esperei até tudo se ajeitar, observei, orei, pedi a Deus que as coisas se acertassem, mas fiquei a te ver caso caísse e estivesse só mais uma vez. E talvez eu nunca consiga explicar realmente, sabe quando você acha um ambiente natural maravilhoso demais para ve-lo perder-se? Sendo extinto? Você de longe é um ambiente que traz paz, ainda que alguns tenham tentar arrancar isto de você. É meu ambiente indiretamente, me faz contente porquê hoje você está tão diferente, mais preservada, renovada e com frutos novos.
—  Dois tons de amor
Não adianta vim só quando a casa está arrumada. Alguns meses, semanas e dias atrás, aqui estava um caos, nem respirar eu conseguia direito. Então como minha mãe sempre fala “Aqui não é a casa da mãe Joana.”, faça me um favor de pegar suas bagagens e sair pela porta dos fundos, pois a casa já está sendo ocupada e muito bem preservada. Passar bem.
—  Pois a minha casa é meu coraçãoDeflagar.

Eu estava confortável, o suficiente para sequer lembrar o que eu estava fazendo. O fim do conforto começou quando o incômodo gradualmente veio se destacando, como o amanhecer, porém, de imediato sem a promessa de esperança senão de cegueira. O incômodo era uma dor de dente que enquanto estava no auge do crescendo eu pensei que já era o auge, mas infelizmente, o auge foi tão insuportável que eu realmente quis perder o controle por mero desespero, afinal, a dor aguda parecia atravessar meu cérebro com uma agulha gélida. Até que, diante a perda de noção de tempo encontrei uma noção diante aquele caos, eu tive a curiosa idéia de manter um foco em sentir de maneira analítica e assim descrever a dor, fiz isso até que a dor continuou, mas não meu desespero e foi nesse momento que me questionei se aquilo foi meu sadomasoquismo, mas me decepcionei rapidamente ao ver que eu sequer estava tendo orgasmos, eu apenas estava tão inerte quanto eu estava quando confortável no começo de tudo, porém, dessa vez, sem noção de tempo, mas um foco pleno nos detalhes do sentimento. No centro daquela dor de dente eu enxerguei e senti eu mesmo, da maneira mais pura possível, meu reflexo enquanto meus sentidos enlouqueciam por resposta da dor, foi esse o contraste que me motivou relatar tal experiência, eu encontrei a mim entre a dor e o sofrimento. Refleti sobre isso na minha vida em si e até então notei que tal estado de consciência em determinado momento é crucial não só para eu suportar melhor a situação como melhor me conhecer ao me ver e me sentir numa ocasião no qual geralmente eu passo despercebido de mim pela distração causada pelo desespero e sofrimento em si. No fim desse fim daquele conforto, aqui estou, no último ato da auto-aprendizagem: a memória preservada da outra distração que nos evita aprender melhor sobre nós mesmos: o comodismo cotidiano.