presentinhos

One Shot Louis Tomlinson

  • Pedido - Tay quero um do Louis que ela é ex dele e eles têm um filho mas ele não liga para a criança e ambos voltam para a cidade natal e se reencontram


As coisas nunca foram fáceis quando (seu nome) se descobriu grávida, não fazia muito tempo que tinha terminado o namoro de dois anos com Louis e para ele isso foi como se ela estivesse tentando reatar o que tiveram. Ele ajudava em algumas coisas, mas sempre deixava claro que não seria muito presente por ser um filho que ele não desejava, ela não sabe ao certo quando ele começou a ser extremamente indiferente quando se tratava dela, mas era visível que não poderiam nem ter uma amizade.

Assim como os meses de gestação passaram, os anos também foram passando e Louis foi ficando cada vez mais distante. Hoje Christopher tem cinco anos e a última vez que Louis apareceu em suas vidas foi no primeiro aniversário do garoto, depois disso (seu nome) não o procurou e nem insistiu para que ele fosse pai para o seu filho, ela não queria que ele aparecesse e sumisse sempre, isso deixaria seu filho desestabilizado.

(Seu nome) fazia de tudo para que Christopher não sentisse a falta de um pai na sua vida, ela o amava imensamente e fazia questão de lembrar isso sempre para que ele não lembrasse que também poderia ter o amor de outra pessoa. Somente uma vez por ano ela não conseguia o confortar completamente, o dia dos pais sempre foi um pouco triste desde que o garoto entrou para a escolinha.

No primeiro ano estudando, quando (seu nome) foi o pegar em sua sala, ele estava com a cabeça apoiada sobre os bracinhos em cima da mesa e quando ela o chamou pelo nome, ele correu até ela a abraçando enquanto seus olhos e nariz estavam vermelhos por causa do choro. A professora explicou que eles estavam na semana de preparação para a apresentação e presentinhos para os pais e que quando Christopher disse que ele não tinha um, as crianças riram dele causando o choro que não cessou durante todo o resto de aula.

O caminho para casa foi silencioso diferente dos dias em que Christopher se empolgava contando sobre o que havia feito na escolinha e todo esse silêncio cortava o coração de (seu nome) pois ela sabia que podia fazer nada para colocar sorriso no rosto dele, isso infelizmente não dependia dela. Quando entraram em casa, Christopher foi direto para o quarto de brinquedos e sentindo a dor de ver o filho tão triste, (seu nome) buscou o número de Louis em sua agenda, mas o número não era mais dele.

Ele não poderia se importar menos com o filho, nem ao menos ligou para atualizar o contato. Suspirando de olhos fechados, nesse dia (seu nome) decidiu que toda a semana que antecede o dia dos pais, Christopher não frequentaria as aulas para poupá-lo da decepção de se sentir abandonado.

— Chris, amor, vamos logo!

(Seu nome) o chamou do andar de baixo enquanto erguia uma caixa do chão, eles estavam se mudando para a sua cidade natal e o caminhão da mudança já havia ido, ela ficou para trás encarregada de levar a Christopher e a caixa onde ficava os seus pertences mais frágeis.

— Já estou indo, mamãe! — Christopher gritou do andar de cima correndo em direção as escadas.

— Ei, não corra ao descer as escadas. — obediente o garoto parou de correr — Temos que ir logo, o caminhão vai chegar antes de nós.

— A vovó vai estar nos esperando? — ele perguntou caminhando para fora de casa na frente da mãe.

— Vai sim, vamos morar naquela casa ao lado da dela, você se lembra? — o garoto assentiu freneticamente e (seu nome) apoiou a caixa sobre a coxa segurando-a com uma mão enquanto trancava a porta com a outra.

— Na casa da tia vovó que me dava biscoitos sempre que eu ia lá. — ele disse sorrindo ao se lembrar — Vamos morar com ela?

— Não… Ela fez uma viagem para o céu e a mamãe comprou a casa. — ela explicou do mesmo jeito que havia o explicado quando o bisavô morreu.

— Eu nunca mais vou ver ela? — ele fez um biquinho assistindo a mãe caminhar até ele.

— Não, meu amor… Mas ela está em um lugar melhor agora, isso é bom não é?! — (seu nome) tentou animá-lo enquanto abria a porta de trás do carro onde colocou a caixa e logo depois o garotinho o prendendo a cadeirinha.

— Sim, ela pode ficar o pai do vovô. — ele voltou a sorrir seguro de que a senhora ficaria bem.

— Agora vamos para a nossa nova casa. — (seu nome) falou animada depois de entrar no carro e deu partida ligando o rádio em uma música infantil.

A semana na casa nova havia sido muito legal para Christopher, o bairro era bem tranquilo e agora que morava ao lado da casa da avó, ele corria para lá sempre que queria e isso era o máximo no pensamento dele. Quando sua mãe saia para o trabalho que ela havia encontrado, ele podia ficar com a avó sem ter que ficar com as babás chatas que não deixava que ele fizesse nada que gostava, diferente da avó que deixa que ele faça de tudo e mais um pouco.

A manhã de sábado havia nascido com um sol radiante e como (seu nome) prometeu a Christopher que o levaria ao parque, às seis da manhã ele estava ao lado de sua cama chamando-a animado para o passeio. Ela havia se esquecido que não podia prometer nada a ele.

Depois de enrolar para que ficasse um pouco mais tarde, eles foram ao parque onde ele foi chegando e fazendo um amiguinho chamado Davi. Eles estavam inseparáveis desde que Christopher chegou, (seu nome) estava procurando uma forma de convencê-lo a ir embora quando desse a hora de almoçar enquanto assistindo-os brincar de pega-pega e às vezes correm de mãos dadas correndo o risco de cair, mas ela não queria cortar o barato deles os mandando parar.

Era quase impossível não sorrir assistindo a inocência dos dois ao brincarem quando nem ao menos se conheciam há muito tempo, ela se perdeu completamente do que havia ao seu redor apenas olhando os dois não muito longe.

— Ele está tão crescido…

(Seu nome) sentiu seu corpo gelar quando ouviu a voz que veio pelas suas costas e quando ela se virou devagar, lá estava Louis olhando para o filho de uma forma que ela não podia identificar. Ela não sabia se havia amor ou algum afeto refletido naquele olhar.

— L-Louis? — ela perguntou ainda surpresa, havia criado dentro de si uma confiança de ele nunca mais voltaria a aparecer em suas vidas — O que está fazendo aqui? — perguntou assim que se recuperou um pouco.

— Eu fiquei sabendo que se mudou e hoje eu estava passando por aqui e te vi, resolvi me aproximar. — foi por acaso, ele não se dispôs nem ao menos bater em sua porta para ver o filho quando soube que estavam na cidade.

— Eu não sabia que você estava morando aqui… — porque se soubesse, ela nunca teria a ideia de se mudar.

— É… Eu me mudei não faz nem três meses. — ele disse e se sentou ao lado da mulher — Isso é ruim para você?

— Não é ruim… É péssimo. — ela foi sincera, não havia porque ser gentil com uma pessoa que não sente amor pelo próprio filho — Christopher não precisa de um pai fantasma. Você nos fazia mal estando longe, não quero imaginar o que fará estando perto.

— Você fala de mim como se eu fosse um monstro. — ele suspirou — Eu não estava preparado.

— Eu também não estava, mas eu não deixei o meu filho, nunca o deixaria. — (seu nome) voltou o olhar para o filho que ajudava Davi se levantar depois que ele caiu e assoprava o joelho ferido do amigo — Ele é a coisa mais preciosa da minha vida, você é um irresponsável, mas me deu o meu maior presente.

— Eu me arrependi de ter o deixado… Tudo bem que não seriamos uma família, mas ele é meu filho. — Louis disse olhando o garoto se aproximar segurando a mão do amigo que tinha lágrimas nos olhos.

— Mamãe, sem querer eu puxei o Davi forte. — Chris disse com um biquinho se sentindo culpado pelo machucado do amigo — Eu não queria fazer dodói nele.

— Tudo bem, querido, vai ficar tudo bem com o Davi. — (seu nome) disse se levantando e se abaixou próxima aos garotos — Onde está sua mãe, doce? — ela perguntou ao menininho que coçava os olhos todo manhoso, ele apontou para o lado e ela pôde ver um homem sentado no banco do outro lado da praça, um tanto irresponsável por estar mexendo no celular e sem nenhuma atenção na criança — Eu vou te levar até lá.

(Seu nome) pegou o menino em seu colo começando a andar em direção ao homem, Christopher iria a seguir, mas Louis segurou sua mão sorrindo para ele e por algum motivo o garoto não ficou com medo do estranho e apenas esperou a mãe onde estava. Ao se aproximar do homem, (seu nome) chamou sua atenção com um pigarreio e assim que o homem se colocou de pé, ela o entregou a criança.

— Bom dia, eu vim trazer o seu filho, ele estava brincando com o meu menino acabou caindo… — (seu nome) apertou os lábios em um sorriso sem jeito.

— Sua mãe já te disse para não ficar correndo. — o homem repreendeu o menino que se encolheu em seu colo — Obrigado, moça.

— Imagina… Qualquer dia desses você e Christopher se veem por aí, Davi. — ela acenou para o menino e ele devolveu o gesto.

Quando (seu nome) se virou para caminhar de volta para o lugar que estava, pôde ver Christopher correndo em sua direção e assim que ele a encontrou, abraçou suas pernas fortemente enquanto Louis vinha logo atrás correndo também.

— O que você fez com ele? — seu rosto assumiu uma carranca no mesmo momento que o garotinho a apertou mais.

— Ele disse que é o meu pai, mamãe… Ele é o meu pai? — os olhos do garotinho estavam cheios de lágrimas quando ele ergueu a cabeça para olhar a mulher.

— Você disse isso para ele? — (seu nome) falou de forma irritada — Quem você pensa que é para invadir assim a vida do meu filho? Pai você não é porque desde o primeiro aniversário dele você não ligou nem para saber se ele estava vivo. Você não pode simplesmente decidir a hora que sai ou entra na vida dele, ele é uma criança e você está o confundindo.

— Eu pensei que ele se lembrava de mim… Eu não sabia que ele ficaria assustado. — Louis disse um pouco envergonhado e com um pouco de dor por não ser bem recebido pelo filho.

— Há muitas coisas sobre ele que você não sabe, Louis. — (seu nome) pegou seu garotinho no colo — Você abriu mão quando resolveu que não queria a responsabilidade de se manter presente na vida dele.

A mulher deu as costas para o homem e começou a caminhar de volta para casa com o menino fungando em seu pescoço. Ela entendia o filho, o assunto ‘pai’ não é bem visto para ele desde seu primeiro ano na escolinha e isso a chateava bastante, não queria que o seu pequeno guardasse mágoa ou medo do passado.

— (Seu nome)? — Louis a chamou fazendo-a se virar antes que estivesse longe o suficiente — Como posso fazer para voltar ser um pai para ele?

— Só… Vai devagar com isso. — ela respondeu sem saber se era uma boa — E só faça isso se for realmente ficar, se pretende fugir depois de um tempo continue sendo um nada para ele, por favor.

Louis assentiu decidido que se colocaria na vida do filho para ficar, não iria fugir ou desistir de conquistar o lugar que ele reivindicou anos atrás. Dessa vez ele assumiria a responsabilidade e não faria mais o seu filho chorar.




Espero que tenham gostado ^.^

- Tay

Imagine Zayn Malik

Pedido: “Faz um com o Zayn que os dois são cantores e namorados, ele termina com ela e depois ele vê ela no Grammy acompanhada por outro e morre de ciumes e depois faz de tudo para voltar com ela”. - Anônimo.

******


- Terminar? 

- É, S/N. Eu quero terminar o nosso namoro. 

- E eu poderia saber, ao menos, o motivo para isso?

- Porque eu quero curtir a vida, quero ser livre. Eu não quero ficar amarrado. Eu cansei. - eu o olhava indignada. 

- Cansou? - ri cínica. - Você é um canalha, Zayn. Um moleque, insensível. Aposto que é por causa de alguma garota…

- Não viaja! Eu só não quero mais ficar nesse relacionamento.

- Claro! - sequei uma lágrima teimosa que escorreu. - Essa é sua escolha. Depois não volte arrependido quando sua festa acabar. - abri a por para ele. - Adeus, Zayn.


***

Meses depois

***


Confesso que me doeu muito, por um tempo longo eu ainda pensava e lamentava o que aconteceu. Acima de tudo, eu o amava. Mas agora, as coisas estão bem melhores para mim.

Me dediquei cem por cento para minha carreira. Em um dos meu trabalhos, me aproximei muito do Luke Evans. Nós fizemos um filme juntos recentemente, eu fiz a trilha sonora e ele era um dos protagonistas, e nos tornamos bons amigos. Somos como irmãos, embora todos acham que estamos juntos. 

O filme foi um sucesso, e foi indicado para, e ganhou, alguns prêmios. Para esse filme eu compus algumas músicas que fizeram sucesso, e que também teve indicações para prêmios. E hoje é a grade noite do Grammy. Luke iria me acompanhar nessa noite, para me dar um apoio extra. Além do mais, eu sabia que tipo de pessoas eu encontraria. 

Ao estar pronta, fui até o carro que já estava à minha disposição. Luke já estava ali, então fomos direto para o local da premiação. Tinha milhares de paparazzis ali, imprensa, jornalistas, representantes de programas. Estava lotado. Luke segurou minha cintura e caminhamos por todo o tapete vermelho, sempre parando para tirar fotos e dar uma entrevista ou outra.

Já estávamos no fim do tapete quando vi mais um carro parar e dele descer Zayn. Por mais que eu já esperasse e já estiesse preparada para encontrá-lo aqui, meu estômago revirou. Disfarcei minha cara e continuei posando para as fotos. Pude ver ele me encarar com uma carranca no rosto e travou a mandíbula. Ele faz a burrada e é ele quem fica bravinho? 

Seus olhos queimavam de raiva e me acompanhava em cada movimento meu. Posamos para uma última foto e adentramos o grande salão. 

Lá pelas tantas, quando voltava para o meu lugar, sinto meu braço ser segurando, e meu corpo virado para a pessoa. 

- O que você quer? 

- Não podemos mais conversar?

- Aqui não é lugar, nem a hora e nem o momento para isso. Se me der licença, eu vou voltar para o meu lugar antes que comece. - ele riu com a língua entre os dentes. 

- Você está muito bonita, S/N. Eu confesso que fiquei muito feliz em ver você. 

- Me sinto lisonjeada! - sorri cínica. 

- Quem é aquele cara com você? - ele perguntou sério. 

- O Luke? - sorri marota. - Por que o interesse nele? 

- Apenas curiosidade. - ele travou a mandíbula novamente e desviou seu olhar do meu. 

Só ai eu entendi o que estava acontecendo. Ele está com ciúme!

- Curiosidade… - ergui as sobrancelhas. - Bom, acredito que isso não te diz respeito. Quem ele é ou deixa de ser apenas interessa a mim. - ele me encarava calado e sério. - Então… Não é da sua conta! 

- É claro que é da minha conta. - neguei sorrindo.

- Não! Deixou de ser da sua conta há muito tempo, Zayn. Essa foi a sua escolha, não foi?! Agora, aguente a consequências. - pisquei e sai dali. 

***

A noite ontem foi incrível. Eu ainda sentia os resquícios da adrenalina, nervosismo e felicidade que senti ontem. Foi uma noite mágica. 

A campainha tocou e fui abrir. Era uma entrega da floricultura. Um lindo e enorme buque de rosas brancas. Tinha um pequeno cartão junto com elas. 

“Parabéns pelos prêmios de ontem. Você merece cada conquista!”. Assinado: Zayn. Ri com aquilo. Ele só pode estar louco!

Mais tarde, no mesmo dia, outro presentinho veio para mim. Dessa vez era uma caixa de chocolate, um dos meus favoritos. Com outro cartão.

“Um pedido de desculpas. Eu sinto muito por tudo que eu fiz. Me desculpe!”

O que ele quer afinal? Que eu esqueça tudo o que ele fez, tudo que eu passei e volte correndo para os braços dele? Se ele pensa isso, está muito enganado. 

Engano maior ainda foi o meu em achar que pararia por ai. Ele continuou a me mandar presentinhos com cartões. E passou a curtir todas as minhas fotos nas redes sociais. Até o dia que nos encontramos num café próximo da minha casa. Ele pediu para sentar comigo e eu acabei por aceitar. E ficamos conversando.

- Você nunca falou nada sobre as coisas que eu te mandei, nunca disse se gostou…

- E eu deveria? - ele deu se ombros. - Zayn, eu iria amar receber esses presentinhos; mas se fosse pelo motivo correto. Que não é o caso. 

- É claro que é o motivo correto. Eu gosto de você e quis te presentear. 

- Não. Você está fazendo isso porque está com o ego ferido por ter me visto com outro cara no tapete vermelho. O que você espera que eu faça? Que eu me jogue nos seus braços e ache lindo o que você está fazendo? - ele me encarou. - Pois eu te digo que não vai ser bem assim. Você me magoou, Zayn; e muito. Não tem como eu simplesmente ignorar tudo que você fez. E muito menos acreditar que você realmente gosta de mim. 

- Mas eu gosto de você, eu me arrependi. 

- Pois é, mas eu disse que adiantaria você vir atrás de mim quando sua festa e curtição acabassem. Avisado você estava. 

- Mas eu vou te mostrar que eu mudei, eu gosto de você sim. Eu quero você de volta pra mim. - neguei com a cabeça.

- Talvez seja tarde de mais, Zayn. - me levantei e fui embora. 

E de tarde, mais um grande buque de flores chegou na minha casa.

“Me desculpe mais uma vez. Eu estou trocando os pés pelas mãos. Mas eu vou te mostrar que eu mudei, e que eu estou fazendo tudo isso pelos motivos certos. Eu gosto muito de você, e me arrependo por ter deixado você escapar de mim. Nunca é tarde de mais, e eu vou te reconquistar! Eu te amo.”.

E eu vou pagar para ver. Eu quero ver até onde isso vai, até onde ele vai aguentar…


[…]


E ai, o que acharam?!

Eu pensei em continuar… mas quero saber o que vocês acham, se querem ou não. Eu amo saber a opinião de vocês! 

Beijões!

Imagine Zayn Malik

Continuação do imagine em que ele faz de tudo para voltar com ela, depois de ver ela com outro.

*****


Eu pisei sim, fiz ele comer na minha mão. Mas parece que minhas forças acabaram. Eu não consigo mais. Tudo que eu consigo fazer é sorrir boba cada vez que recebo alguma coisa dele. 

Eu tinha completa e absoluta razão. Ele está conseguindo me reconquistar, aos pouquinhos e lentamente. Eu abaixei a guarda e a minha armadura. Talvez ele realmente tenha mudado, talvez ele realmente tenha amadurecido e talvez ele realmente gosta de mim. 

Hoje tem o American Music Awards, e ele estará lá! Estou com um friozinho na barriga, confesso. Me arrumei e fui; e dessa vez quem me acompanhou em algumas fotos no tapete vermelho foi Justin Timberlake. 

Não demorou muito para que Zayn aparecesse no tapete vermelho, mas dessa vez acompanhado por uma ruiva sem graça. Dessa vez, tive que conter minha cara de frustração, decepção e raiva e seguir com meu caminho.

Voltei para casa completamente irritada. Eu não acredito que fui boba o bastante para cair na lábia dele. Como eu sou idiota! 

*

A campainha tocou e relutei para abrir. Mas a insistência foi grande que eu acabei me rendendo e fui abrir a porta.

- Oi! - ele disse assim que eu abri. 

- O que você quer?

- A gente mal se viu ontem… 

- Por que será, né?! - disse irônica. - Eu tô ocupada agora. - iria fechar a porta, mas ele segurou.

- O que aconteceu? - suspirei. 

- Você aconteceu, Zayn. 

- O que eu fiz de errado dessa vez?

- Tudo! Você fez tudo errado. De novo. - suspirei frustrada e ele me olhava confuso. 

- Do que você tá falando? - ele entrou e fechou a porta. - Eu juro que não estou entendendo. 

- Tô falando de ontem. Do que você fez ontem. - me exaltei. - Você veio com aquele papo de que tinha mudado, que tinha amadurecido, crescido… Mas você continua o mesmo de sempre. Você não mudou, se quer, um fio de cabelo. - respirei. - Você ficou me mandando flores, chocolates, cartões, fazendo de tudo pra me reconquistar e ontem apareceu com aquela ruiva na premiação, e ficou desfilando com ela pra cima e pra baixo. 

- Você tá com ciúme? - sorriu e arqueou a sobrancelha.

- Eu tô revoltada! Porque eu estava acreditando em você novamente, estava a ponto de de realmente achar que você tinha mudado. Mas dai você aparece com aquela garota. 

- Mas você também estava acompanhada…. - se defendeu.

- Eu tirei algumas fotos com o Justin, porque eu participo de uma música e clipe dele, que estava concorrendo por sinal. É obvio que iriam querer fotos nossas. 

- Ah, quando é com você pode; mas quando sou eu é completamente errado. - olhei para ele com os olhos semicerrados. 

- Vocês fez de propósito? Só pra dar o troco daquela vez que eu estava com o Luke e você ficou possesso de ciúme? 

- Não, claro que não. Só estou dizendo que é a mesma coisa, mas no meu caso eu estou errado. 

- É completamente diferente. Em nenhum momento eu te procurei, dizendo que estava arrependida e que iria te reconquistar. Em nenhum momento eu fiquei te mandando presentinhos, te convidando pra sair. Você nem olhou na minha cara ontem, Zayn; não me dirigiu a palavra. - ele suspirou.

- Me desculpe. - falou baixo. - Eu fui um idiota sim, e você tem toda a razão para me odiar por ontem. Mas eu e ela não temos nada. Ela está iniciando a carreira e me acompanhou na premiação só para começar a entrar nesse meio. Eu juro. Acredita em mim, por favor. - praticamente implorou e eu respirei fundo. 

- Tudo bem, eu acho que peguei meio pesado. - suspirei. - Eu acredito em você! - ele sorriu. 

- Obrigado! - sorri fraco. - Eu vim aqui pra gente conversar… 

- Sobre?

- Sobre nós. - me encarou e imediatamente fiquei com frio na barriga. Ele se aproximou de mim lentamente. - Eu não estava brincando quando disse que mudei e que queria te reconquistar, S/N. Eu amo você e eu quero você de volta. Eu não tô brincando com você, nem com os seus sentimentos. Eu fiz de tudo para conseguir te provar isso. - ele estava bem próximo a mim. Ele passou a língua pelos lábios e me olhou nos olhos. - E eu quero saber se deu certo.

- Se deu certo? - perguntei encarando seus lábios avermelhados e ele assentiu devagar.

Sem continuar a frase e sem dizer mais uma única palavra, me joguei nos seus braços e o beijei desesperadamente. Eu precisava disso. Nós dois precisávamos disso. 

- Graças à Deus! - ele disse de olhos fechados e eu ri. - Eu não aguentava mais ficar sem você, ficar sem poder te beijar. - sorri. - Eu te amo!

- Eu também! - o selei. - Eu também te amo!

- É tão bom escutar você dizer isso! - ri e ele me beijou novamente. - Deus, como eu senti a sua falta!

- Eu tô aqui, bem pertinho! - disse no seu ouvido. 

- E eu nunca mais vou deixar você sair de perto! 


[…]


O que acharam? Gostaram?

Pedido: Eu queria um vom o Liam em que eles estavam super felizes que iam ter um filhinho mas ela acaba perdendo e como se ja nao bastasse tanta tristeza a Cheryl deixa escapar que ela conseguiu ter um bebe do Liam e ela nao. Dai ela entra em depressão mas com a ajuda do Liam ela consegue passar por cima

           Ainda doía olha-me no espelho e vê que o meu pequeno bebê não estava mais dentro do meu corpo. Fechei os olhos com força para não deixar nenhuma lagrima cair, mas estava cada vez mais difícil suportar toda essa dor, nunca imagine que perder alguém que eu nunca vi ou cheguei a tocar iria doer dessa maneira. Sentei-me na beirada da cama e coloquei minhas mãos nos meus cabelos curtos e os puxei para trás, minhas olheiras estavam fundas e meu rosto que já é magro por natureza estava mais fundo ainda, nem mesmo parecia que eu estava na casa dos vinte anos, eu parecia mais uma mulher de quarenta anos acabada. Perguntava-me como o Liam ainda estava me aguentando dessa forma se eu não se nem mesmo capaz de dá um filho para ele.

           Assim que escutei os passos do Liam vindo da escada, arrumei-me eu corpo e limpei as lagrimas que caiam, não queria que ele me visse dessa maneira, ele não merecia passar por isso comigo. Liam entrou no quarto e nas mãos tinha um buque de rosas vermelhas e chocolates, é incrível como depois de tanto tempo ele ainda me trás flores e presentinhos.

- Suas preferidas. – Liam deixou um selinho nos meus lábios. – Você precisa sair com suas amigas e comigo, não acha que está ficando muito tempo em casa? – Liam parou de falar e olhou serio para mim. – Eu sei que você tem motivos para isso, mas é…

- Eu estou bem, eu juro só estou cansada, apenas isso. – Levantei-me da cama e passei meus braços ao redor do seu corpo e o puxei para mim. Liam beijou o topo da minha cabeça eu pude o sentir sorrindo. – O seu bebê vai chegar daqui alguns minutos, nós três podemos sair para passear, tenho certeza que ele vai gostar muito.

           Há alguns anos atrás Liam teve um relacionamento rápido com a Cheryl e eles tiveram um bebê, e ele é o menino mais fofo que já conheci em toda a minha vida, ele se parece muito com o Liam e principalmente com o jeitinho doce e carinhoso. Todos os finais de semana ele fica na nossa casa e ele é a única pessoa que me faz esquecer um pouco de toda essa tristeza.

           Quando o relógio marcou uma hora da tarde a porta principal da nossa casa se abriu e o filho do Liam entrou correndo pela a sala e venho direto na minha direção me abraçando com força, sorri ao senti aquelas pequenas mãozinhas me apertando com força. Ele usava uma touca do Mickey Mouse e botinhas coloridas. – Papai disse que você estava triste e precisava de muito carinho, então vou da muitos abraços até você voltar a ficar feliz. – Quando ele disse essas palavras segurei-me para não chorar, como ele conseguia ser tão doce e fofo?

           Cheryl entrou depois de alguns minutos, seus saltos batiam contra o chão de madeira e assim que entrou tirou seus óculos de sol, qual é o problema dela? Esta fazendo dezenove graus.

- Cadê meu beijo? – Ela disse assim que viu o seu filho no meu colo. Pelo menos ela é uma boa mãe para ele porque normalmente ala age como uma verdadeira bruxa com as outras pessoas e principalmente comigo. Ela se virou na minha direção e sorriu. – Ah minha querida, eu soube da sua perda, espero que supere rápido. – Ela dizia as palavras com um tom de ironia.

- Obrigada. – Disse sem graça.

- Sabe pelo menos eu consegui da uma filho para o Liam…

- Ok, ok, acho que já deu a sua hora, segunda levo ele para casa. – Liam disse guiando a Cheryl até a porta.

           Quando ela saiu pela a porta, todos os meus medos voltaram, um choque de realidade tomou conta de mim, depois de alguns dias quando finalmente pensei que tudo isso tinha acabado essa sensação horrível voltou a tomar conta de mim, aquela frase ficava rondando minha cabeça ‘’Pelo menos eu consegui da um filho para o Liam. ’’

UM MÊS DEPOIS…

           Meu corpo inteiro doía àquela cama de hospital não poderia ser considerada uma das melhores do mundo. Olhei ao redor do quarto e vi Liam sentado na poltrona para visitantes, ele não saiu do meu lado desde daquele dia, ele esta magro e parece bem pior que eu, como eu estou conseguindo matar o homem que eu amo pouco a pouco? Nem para morrer eu presto, eu sou uma inútil eu nunca consigo fazer nada direito se eu não estivesse aqui ele poderia ter se casado novamente e ter filhos e ser feliz, mas eu sou um fardo da vida dele.

- Você acordou? – Liam se aproximou de mim com um sorriso. – Como você se sente?

- Estou muito bem. – Menti.

- Ainda bem, nós vamos para casa hoje.

           Depois daquele dia, eu fui piorando cada vez mais até que em ataque de loucura cortei meus próprios pulsos, e eu só sobrevivi porque Liam me achou jogada no banheiro, eu tive algumas paradas cardíacas, mas sobrevivi.

           Vários testes de gravidez estavam jogados sobre a pia e Liam batia sem parar na porta do banheiro e eu apenas dizia para ele esperar eu acho que ele estava mais ansioso que eu nesse momento. Assim que abri a porta fiquei parada na frente da pia e ele me olhava com curiosidade.

- Então? – Liam disse tenteando vê o que eu escondia atrás do meu corpo.

           Tirei todos os testes de trás do meu corpo e todos tinham os dois riscos. Liam pegou-me no colo e sorriu e me beijou. – Eu sabia. – Ele dizia sorridente enquanto me beijava. Depois de tanto tempo finalmente iria realizar meu sonho de ser mãe.

Antes de casar, de constituir família e cumprir com toda a formalidade, namora-se, e o verbo é de uma delícia de matar de inveja, namorar, experimentar, entrar em alfa, curtir, viajar, brigar, voltar, se vestir pra ele, se exibir pra ela, telefonar, enviar torpedos, dar presentinhos, apresentar mãe, pai, amigos, ocultar ex-ficantes, declarar-se, agarrar-se no cinema, não ter grana para morar junto, ausência dolorosa, ver-se de vez em quando, um dia tem faculdade, no outro se trabalha até mais tarde, quando então? Amanhã à noite, marca-se, aguarda-se. Namorados. Que fase.
—  Martha Medeiros
💛 Hora do Até Logo 💛

Oi, amorzinhos. Depois de muito pensar e discutir, tomamos uma decisão de, por agora, sair do Tumblr. Desde o início a Kard foi muito bem recebida pelos followers e sempre demos o nosso melhor para ajudar cada um de vocês. Afinal, a nossa união dentro da Kard e ajudar quem precisava de algo, sempre foram nossos principais objetivos. Temos o orgulho de dizer que foram cumpridos com muito sucesso e nós só temos a agradecer por nos deixarem ajudá-los. Só temos a agradecer por moldarem a Kard do jeitinho que ela é hoje. Devido à falta de tempo e disponibilidade das integrantes, resolvemos então deixar esse “até logo” com todo o carinho do mundo e não deixar de lado quem tá aqui e não pode ajudar, colocamos a nossa amizade em primeiro lugar. Talvez a Kard volte em um mês, talvez não… a gente não tem uma estimativa de quando as outras coisas vão dar espaço pra Kard novamente. É com dorzinha no coração de cada uma aqui que deixamos um beijo e, sempre que precisarem de algo, vocês podem sim pedir. Foram quase dois anos preparando atividades e presentinhos para os nossos followers e de muito amor e carinho. Somos muito gratas à vocês! Até logo.

- Com amor, as Kardzinhas. (bossevil, naipedfelina, sarvage, favbling, usbitchh, donadropada, onluxe e estreladinha). 💛✨ A UNIÃO FAZ A FORÇA E NÓS FAZEMOS A KARDASHIANS! ✨💛

O Professor e a aluna

Sou professor universitário e tenho 27 anos, essa foi mais uma das muitas histórias que tenho ao começar a lecionar. Não sei o porquê do fato de ser o professor despertar interesse nas alunas, mas enfim…Em uma manhã de uma quarta-feira chuvosa e fria, após o término de uma aula no período matutino de uma classe de administração, uma aluna (por sinal, a mais gostosa da sala. Irei chamá-la de D., cabelos castanhos e longos, 19 aninhos, olhos castanhos, 1,70m, seios pequenos e firmes, mas com uma enorme bunda, chegou até minha mesa após todos os demais alunos terem saído e disse:“- Oi professor, tenho um presentinho para o sr.”eu lhe disse:“ – Sério? Que legal, o que é?”Ela simplesmente tirou a calcinha na minha frente me entregou e disse:“ – esse é o primeiro de muitos presentes que vou te dar, gostoso”Era uma calcinha minúscula vermelha e quase transparente. Segurei aquele belo presente e no momento fiquei sem palavra com o fato, já havia sido assediado várias vezes por alunas mas não desta forma.D. saiu da sala rebolando aquela enorme bunda. Fiquei louco de tesão. Como aquela putinha foi ousada, me deixou sem palavras e com o pau duro. Dormi cheirando aquela calcinha e bati uma gostosa punheta imaginando: “seu eu pego aquela loira gostosa, ia meter gostoso, faria dela minha putinha”.No outro dia, uma quinta-feira de sol, estava eu em uma outra sala, mas não parava de pensar naquela aluna gostosa, foi quando, no final da aula estava terminando de guardar o meu material e todos os alunos já haviam saído, ouço:“ – Psiu. Oi professor, gostou do presente?”Era ela com um vestidinho rodado preto, de pano mole e leve, e com aquela carinha de safada. Nem consegui responder, fechei a porta e a agarrei e lhe dei um longo beijo e ardente, ela suspirava e alisava meu cacete, coloquei meu pau para fora e ela fez o seguinte comentário com uma sensual voz, quase que sussurrando:“- Nossa, eu e as meninas comentávamos que devia ser grande, mas é enorme.”Mal terminou a frase e abocanhou o meu cacete iniciando uma deliciosa chupeta, fiquei maluco de como chupava gostoso aquela loira vadia. Após ter chupado por longos 5 minutos, eu a coloquei de quatro e comecei a meter a língua naquela bucetinha gostosa e molhada. Ela gemia loucamente:“- Isso gostoso, mete a língua na minha bucetinha, me fode com essa língua gostosa.”Pedi para ela gemer baixinho para que ninguém ouvisse, ela obedeceu e mordeu o pano do vestido para abafar os gemidos, ambos já não aguentávamos mais quando ela disse:“- Me fode professor, estou louca de tanto tesão não posso aguentar mais.”Meti meu cacete dentro daquela xaninha molhada , um vai e vem delicioso e ela rebolava e pedia para que colocasse tudo dentro dela, metia tudo ate o talo e começamos a meter com mais intensidade e com movimentos rápidos. Ela gemia gostoso.Tudo isso era uma loucura mas estava delicioso aquela aventura, ela pedia várias para meter tudo sem dó, eu obedecia cegamente, foi quando me surpreendi com mais um de seus pedidos:” – Coloca esse pintão gostoso no meu rabinho e come meu cuzinho apertado, pois ele tá piscando querendo a sua rola. ”Imediatamente obedeci a sua ordem, passei a língua no naquele cuzinho delicioso para lubrificar e mandei vara, estava um pouco apertado e ela pedia para ir devagar, mas depois que entrou tudo, ela pediu para que eu metesse com mais força.Nossa que delicia que era a D. Uma verdadeira puta, depois de comer sua buceta e seu cu de quatro, sentei na cadeira e ela veio por cima, estava cavalgando na minha rola com uma vontade imensa de esfolar a buceta e dizia:“ – Está gostando da sua aluninha safada gostoso, sempre tive vontade de dar para você assim, aposto que nunca fez uma loucura destas antes”.Ela começou a sentar com mais força e eu com o dedo todo enfiado naquele cuzinho gostoso que já estava mais larguinho do depois de meu cacete ter passado por lá , estávamos num tesão tão alucinado quando ela disse:“ – Ai….vou gozar , mete mais rápido professor, mete, vai.”Comecei a meter mais rápido e com mais força, quando senti o gozo dela escorrer pela minhas pernas, e sem sair de cima continuou até que chegou a minha vez de gozar.“ – Ahhhh, que delícia.”Suspirei depois dessa deliciosa foda. Subi a minha calça e fui surpreendido com um novo presente de D., desta vez a calcinha era preta e estava molhadinha muito mais que a outra. Saímos da sala sem levantar suspeitas e ao deixá-la no estacionamento da faculdade trocamos telefone.

• AMIGOS

Ainda bem que eu tenho você!

O nosso santo bateu, sua melhor amiga sou eu 💗

Da nossa amizade só a gente entende ❤

Ainda vou retribuir sua amizade com um adesivo 💘

Minha comparsa, não me trapaça, não existe farsa, me da a graça..

O que seria de mim sem suas loucuras?

Sem ela não dá pra viver 💘

Sua amizade foi um presentinho que a vida me deu 💗

Meu fechamento certo 💕

De todas as trouxas do mundo eu escolhi você 💗

E quando tudo der errado estarei ao seu lado segurando sua mão…

elendiaas  asked:

Oi, faz um textinho de 6 meses de namoro ,não precisa ser tão grande ☺..

Oi meu amor.. mais um mês estamos completando, e isso é apenas o começo de muitas histórias que ainda iremos criar. Mais uma vez, queria te agradecer por tudo que tem feito por nós até aqui e por ser quem você é pra mim, melhor presentinho que Deus me deu, sem dúvidas! Obrigada por sempre estar ao meu lado, e por permitir que eu faça parte da sua rotina, construindo com você o começo de uma vida que vamos ter pela frente! “Te prometo cada batida do meu coração, prometo teremos problemas, mas nunca sem solução.. Promessas à parte, ficaremos sempre assim, eu gostando de você e você gostando de mim.” Feliz 6 meses pra nós, eu te amo muito!!6⃣👫🎈🎉

instagram

Presentinho 😍
#feetlovers #feetfetishworld #feetslave #feets #dedinhos #archedfeet #ayak #ayakfetiş #pies #pieds #teamprettyfeet #feetqueen #divulgapezinhos #pezinhosdedinhos #pesdemulher #instafeetlove #footfetishworld #feetgirl #prettyfeet #perfectfeet #beautifulfeet #podolatria #higharches #footfetishworld #pes #pezinhos #latinafeet #füsse #footfetishnation #toescrunch

Made with Instagram