preciso desmoronar

Quem se mete entre um homem e uma mulher nunca resolve nada, antes complica. Mas não te posso dizer, João. Como dizer: não acreditas nas fadas boas? Como dizer-te que se eu tentasse fazer-vos colar talvez fosse eu o ácido que acabaria por corroer a vossa frágil ligação? As coisas devem passar-se só entre vocês, nunca aceites um conselheiro no casal, João. Como dizer? Quantos lares destruídos por terceiros armados em aprendizes feiticeiros? Destruídos aqueles que tinham os alicerces em ruínas. É o teu caso, João. É sempre o caso quando tem de se pedir o auxílio de terceiros. A gangrena já destruiu os alicerces, a cola não serve para nada, é preciso desmoronar para construir de novo. Sim, mas como dizer?
—  Pepetela, in “Mayombe”
Sobre molas enferrujadas e nuvens que o vento não sopra...

Tem sido dias nada fáceis ultimamente…a época não ajuda em nada… lembranças que deixam meu corpo formigando e querendo entrar em colapso… memórias de uma perda inesperada… de um pedido surpreendente… de coisas lindas e de coisas desesperadoras… e aquele sentimento horrível de ter perdido tudo. Aquele sensação de esmagamento que dá no peito e a gente não consegue respirar… altos e baixos se misturam e eu não sei o que fazer. É uma sensação de fragilidade, de impotência… como se qualquer músculo que eu mova pudesse fazer com que todo o resto desmoronasse e eu ficasse ali, soterrada no.fundo do poço em que caí… a mola lá do fundo não tem funcionado bem, acho que enferrujou com o tempo. Mas com mola ou sem, preciso sair dali, sem desmoronar o resto, e sem esperar um corda, pq ela não vai chegar…
Tenho buscado olhar pra cima e ver o brilho do céu, tentando me inspirar…me fortalecer, porém algumas nuvens escuras de lembranças há muito esquecidas tem se feito presentes e me fazer querer enfiar a cabeça em um buraco que ando querendo cavar lá no fundo…
É, as coisas não tem sido nada fáceis…

#anxiety