praz

Kim Seokjin (Jin):

Você e Hoseok eram amigos inseparáveis, vocês saiam juntos sempre e estavam sempre na casa um do outro e nessas suas idas a casa dos garotos, você e Jin acabaram se aproximando um pouco mais.

Vocês saíram algumas vezes sem dizer nada a Hoseok, Seokjin tinha receio que o mais novo achasse ruim o fato dele estar tendo encontros com a melhor amiga dele, então preferiram manter segredo.  Até o dia em que Jin te pediu em namoro e vocês acharam que era a hora de contar a Hoseok.

Jin combinou com você, pedindo que fosse até a casa deles, assim ele contaria a todos de uma vez. Porém, quando você chegou lá, foi surpreendida com Hoseok te chamando para conversar.

O garoto te arrastou até o quarto dele e fechou a porta, parando por um segundo ali e tomando fôlego antes de se virar e começar falar de uma vez.

– S/N, desculpe fazer isso assim. Mas, se eu não falar agora de uma vez, talvez não tenha coragem para fazer mais tarde…

– Hobi, do que você está falando?

– Eu estou falando sobre eu estar apaixonado por você. S/N, eu penso em você a todo momento, quero estar sempre com você e simplesmente detesto quando você vem aqui e da mais atenção a Jin do que a mim. E tudo isso é por que eu te amo e..

– Finalmente te achei… – Jin falaria baixo, parado ainda com a mão sobre a maçaneta e uma expressão triste no rosto.

– Jin? – Você levantaria preocupada, olhando de Hoseok para Jin a todo o momento.

Jin balançaria a cabeça para você indicando que não deveriam falar nada.

– Os meninos já estão esperando para ver o filme. Por favor não demorem.

Jin simplesmente saiu do quarto, deixando que você conversasse com Hoseok e assim que chegou a sala te mandou uma mensagem dizendo que era melhor esperarem um pouco mais para falar algo e que deveriam apenas agir como amigos hoje.



Min Yoongi (Suga):

Muito cedo! Era sempre essa a desculpa de Yoongi toda vez que vocês conversavam sobre contar aos outros sobre o namoro de vocês. Ele achava que era cedo demais para revelar para os meninos, então sempre que vocês saiam em grupo, se tratavam apenas como amigos.

Porém, de alguns tempos para cá, algo vinha incomodando Suga profundamente. E esse “algo” era a forma como Jin estava se aproximando cada vez mais de você. Te oferecia caronas, sentava ao seu lado nos restaurantes e ultimamente havia começado uma mania de te elogiar demais na frente dos outros.

Yoongi sempre sentia ciúmes, mas tentava não deixar transparecer o máximo que conseguisse e, normalmente dava certo, mas hoje, depois de ouvir dentro do carro Jin dizer um tanto alto ao Namjoon que seu perfume era a melhor coisa que ele havia sentido na vida, ele já estava a ponto de explodir a qualquer momento.

– S/N está muito bonita hoje, não acham?  – Jin disse, assim que todos se sentaram na grande mesa de um dos melhores restaurantes da cidade.

– Ela está sempre bonita! – Yoongi falou em tom mal humorado, fazendo questão de se sentar entre você e Jin.

– Ah, que isso meninos… Obrigada, sou mesmo maravilhosa… – Você falou rindo e fazendo uma cara de convencida.

– Tem razão.  Mas hoje você conseguiu ser ainda melhor.

– Porra, Jin. Será que não consegue se controlar? – Yoongi explodiu, falando em um tom um pouco mais alto do que realmente pretendia.

– Me desculpe, algum problema?

– O problema é você ficar dando em cima da minha namorada.

Jin abriu a boca para falar algo, mas assim que o fez, explodiu em risadas junto com os outros garotos e deixando Yoongi ainda mais nervoso.

– Qual é o problema, cara? Do que você está rindo?

– Estou rindo por que faz quase um mês que vi vocês se beijando na escada de emergência da Big Hit e só estava fazendo isso para ver até quando você iria aguentar esconder isso da gente.

– Caralho… – Yoongi caiu no riso junto com todos os outros – Me desculpa, Jin.



Jung Hoseok (J-Hope):

Hoseok nunca foi muito discreto em relação ao namoro de vocês. Desde que começaram a namorar, o garoto sempre gostou de fazer tudo que um casal pode fazer desde andar de mãos dadas, até usar roupas de casal.

De certo, ele nunca foi tão grato a Namjoon por tê-lo apresentado a uma garota e fazia questão de dizer isso toda vez que a conversa girava em torno do assunto “você”. Namjoon sempre agiu com naturalidade, mas de uns tempos para cá, ele começou a se sentir extremamente incomodado com esses comentários do Hobi.

Namjoon se sentia culpado por gostar de você e se sentia ainda mais culpado por querer dar uns tapas em Hoseok toda vez que ele falava o quanto você era uma namorada maravilhosa. Ele sentia que não podia lidar com isso, então decidiu que se afastaria por um tempo. E você reparou que ele andava meio distante, então em um dia que foi ao dormitório se encontrar com Hoseok, acabou vendo Namjoon no escritório e foi até lá falar com ele.

– Joon? Tudo bem? – Você se apoiou na mesa onde ele trabalhava.

– Ah, sim. Só… Muito ocupado – O rapaz se virou para o outro lado, evitando até mesmo o contato visual.

– Namjoon… Qual é… Por que tem me evitado nos últimos dias? Você não responde minhas mensagens… Te chamei para sair comigo e Hobi e você apenas visualizou… Eu fiz algo de errado?

– Não foi você quem errou, S/N… Fui eu… Me perdoe, mas não posso ficar perto de você por enquanto!

– Me diz o que está acontecendo… – Você andou até ficar de frente para o garoto e colocou sua mão sobre o ombro dele.

– S/N… Eu… – Ele coçava a cabeça, pensando se realmente deveria fazer aquilo – Me perdoe… Eu não sei bem quando, mas me apaixonei por você. Sei que estou errado, mas não pude evitar. E é por isso que eu prefiro me manter longe…

Hoseok havia ido até o escritório te chamar e acabou ouvindo a conversa entre vocês, mas preferiu não dizer nada. Achou que seria constrangedor para o amigo se soubesse que ouviu ele se declarar para a namorada dele. Então voltou para a sala, te chamando de longe e assim que saíram de casa o passeio se transformou em uma conversa sobre o que vocês poderiam fazer para ajudar Namjoon sem magoa-lo e sem precisar que se separem.



Kim Namjoon (Rap Monster):

Namjoon e Yoongi sempre tiveram um gosto parecido para garotas, mas Namjoon nunca iria imaginar que de todas as meninas do mundo, um dos seus melhores amigos iria se apaixonar justamente por você, que é a namorada dele.

De fato, Yoongi costumava esconder muito bem, mas hoje ele havia bebido um pouco mais do que deveria e, quando saiu do táxi e entrou em casa, deu de cara com você e Namjoon aos beijos no sofá.

– Vocês poderiam deixar de ser tão idiotas assim pelo menos uma vez? – Ele falava arrastado, enquanto entrava em casa visivelmente alterado.

– Pelo jeito a noite foi boa… – Namjoon falou, rindo ao perceber que o amigo tinha bebido demais.

– Não melhor do que a sua… Já que passou com a minha garota…

Você e Namjoon ficaram o encarando por um tempo sem dizer nada, ainda tentando saber se entenderam bem a ultima frase.

– Tá bem… Eu sei que você não é minha garota, tá legal?! O que é uma pena. Sinceramente, eu seria um namorado muito melhor que ele.

– Ele está bêbado, S/N. Não sabe o que está falando… – Namjoon tentaria te acalmar, por perceber que estava um pouco assustada com tudo.

– Eu não estou bêbado! E eu sei muito bem o que estou falando sim! – Ele chegaria mais perto de vocês, colocando o dedo no meio da cara de Namjoon – É você quem não sabe que eu amo a S/N. E eu to cansado de ver vocês dois juntos. Eu quem deveria estar beijando ela, eu quem deveria estar fazendo ela sentir praz

– Chega, hyung. – Namjoon levantou, segurando no braço do Suga e contraindo o maxilar. Ele começou puxar Yoongi escada acima – Você bebeu demais. É melhor tomar um banho e dormir.



Park Jimin (Jimin):

Jimin e Jungkook sempre foram muito amigos e, por serem dois dos mais novos do grupo, compartilhavam muito de suas vidas um com o outro. Mas Jimin não havia contado ao Kookie sobre o namoro com você, não por mal, mas por vocês terem preferido esperar, já que era um namoro muito recente, que tudo entre vocês ficasse sério o suficiente para contar a todos os amigos de vocês.

Jimin só não contava com a possibilidade de Jungkook também estar apaixonado por você. Então, quando o mais novo veio pedir um conselho sobre o que fazer em relação a o que sentia por uma amiga, Jimin disse a ele que contasse para a garota.  E foi exatamente o que ele fez.

Mesmo com muita vergonha e receio, o mais novo do grupo te chamou para conversar quando te viu chegar à empresa.

– Desculpe, eu estou um pouco nervoso… – O garoto sorriu balançando a cabeça assim que vocês entraram em uma das salas de ensaio que estava vazia.

– Tudo bem, Kookie, relaxa…

– É que, eu tenho sentido algumas coisas ultimamente e não sabia mais o que fazer. Então pedi ajuda ao Jimin e ele disse que deveria te dizer… – Ele falava pausadamente, tentando pensar nas melhores palavras.

– Me dizer o que?

– Que eu gosto de você, S/A.

– Jungkook? – Jimin estava parado na porta olhando para os dois.

– O que você está fazendo aqui? – Jungkook soltou um riso sem jeito.

– Jin disse ter visto a S/N entrar aqui… Kookie, por que não me disse que é por ela que está apaixonado?

Jimin caminhava até o mais novo e fez um sinal com a cabeça para que você deixasse o local pelo caminho.

– Kookie, eu e a S/A estamos namorando… Se eu soubesse que era ela… Eu sinto muito, amigo – Jimin abraçava o mais novo, que estava tão triste quanto ele.



Kim Taehyung (V):

Tae sempre gostou de você e nunca fez questão de esconder isso. Ele sempre estava grudado em ti, fazendo piadas e brincadeiras sobre como vocês formam um casal lindo e estava sempre te abraçando. Não é à toa ninguém ter reparado quando vocês começaram a namorar de fato.

Apesar de Tae ser o que mais brincava contigo, por ser amiga dos outros meninos muitos deles também gostavam de implicar e fazer brincadeiras. Inclusive Jimin, que durante a tarde em que você foi visita-los na empresa, resolveu que iria imitar o Taehyung com todas as gracinhas que fica para cima de você.

Assim que Tae entrou na sala de espera, Jimin correu para o seu lado e te abraçou, começando a fazer carinho em seus cabelos.

– S/N-ah, você é tão linda. – o garoto falava em tom apaixonado, fazendo os outros meninos – que sabiam da brincadeira – caírem na risada.

– Ela é linda mesmo. Agora da licença… – Taehyung tentou tirar Jimin de perto de você que logo o empurrou para o sofá.

– Não, Tae. A S/A é apenas minha. Você não acha que formamos um casal lindo?

– O casal mais bonito que já vi… – Hoseok falou rindo e fazendo corações na frente de vocês dois.

– Meninos, parem, eu estou ficando envergonhada…

– Omo, olha como ela fica tão fofa envergonhada. S/A, você é lind

– JIMIN, VOCÊ PODERIA PARAR DE FALAR ASSIM DA MINHA NAMORADA? – Tae explodiu, puxando Jimin e jogando-o no sofá, depois pulando para perto de você e abraçando-a como se estivesse te protegendo de ataques de gaviões.

– Namorada? – Os meninos falaram em coro, todos olhando para Taehyung e depois para você.

– É.

– Tae – Jimin começou a rir – Desculpe, eu não sabia. Só estava brincando de te imitar…

– Oh… – Taehyung te soltou, sorrindo para todos – Bom então nesse caso tudo bem. Eu e ela fazemos um casal bem mais bonito que vocês dois, a propósito.



Jeon Jungkook (Jungkook):

Você e Jungkook estavam namorando a poucas semanas, vocês já eram amigos antes, então ninguém desconfiava quando vocês marcavam de sair juntos ou passavam as tardes de folga dele jogando algum game novo. O único motivo para que todos ainda não soubessem do namoro de vocês é que Guk é muito tímido e como nunca tinha se apaixonado antes, sabia que os hyungs reagiriam de uma forma um pouco maternal.

Hoje os meninos estavam de folga e Jungkook te chamou para ir ao dormitório assistir um filme. Assim que você chegou e tocou a campainha, Taehyung abriu a porta para você, se surpreendendo com a sua presença.

– S/N, eu não sabia que viria hoje… – O rapaz falou dando um sorriso um pouco desconcertado e olhou para baixo, se lembrando de que estava vestido apenas com uma calça de moletom.

– Jeongguk me chamou para ver filme. Ele não te contou?

– Não contou. Agora entendi por que ele arrumou o quarto tão rápido.

Ele deu espaço para que você passasse e ficou te observando por um instante depois de fechar a porta e ficar escorado de costas para a mesma.

– Você tem passado muito tempo com Kookie, não é?

– Ham? E-eu? – Você sorriu um pouco sem graça com medo de o garoto ter notado algo diferente entre vocês – Ham, não. Acho que é impressão sua, Tae.

– Não acho que seja. E me arrependo bastante de ter apresentado os dois, já que agora tudo o que me resta é sentir sua falta…  – Taehyung falava de forma exagerada e fazendo um biquinho dramático no final enquanto caminhava em sua direção.

– Desculpa, Tae. Eu tenho mesmo sido uma amiga terrível, não é?

– Tem sim. Mas, sabe, você pode compensar… – Ele se aproximou ainda mais, quase que encostando o corpo em você. Levou uma das mãos ao seu rosto e ajeitou uma mexa de cabelo atrás da sua orelha, aproveitando para acariciar seu rosto.

– Tae… Eu não acho que essa é uma boa ideia…

– Ah, qual é, S/A – Taehyung falava encarando seus lábios – Só, me da uma chance… Larga o Jungkook pelo menos uma vez, dá qualquer desculpa. A gente sai daqui e vai pra qualquer lugar que você queira… Não é possível que ainda não tenha percebido que eu gosto de você..

O barulho de alguém coçando a garganta fez com que os dois se virassem para a escada, onde Jeongguk se encontrava agora com uma cara nada feliz.

– Ela não vai sair com você. – Ele foi caminhando até você e, quando chegou, pegou em sua mão, tirando você de perto de Taehyung que olhava para o mais novo sem entender nada – S/N, me espera lá no quarto. Eu quero conversar com o Taehyung.

The romantic treatment of death asserts that people were made singular, made more interesting, by their illnesses.  "I look pale,“ said Byron, looking into the mirror.  "I should like to die of a consumption.”  "Why?“ asked a friend who was visiting Byron in Athens in October 1810.  "Because the ladies would all say, ‘Look at that poor Byron, how interesting he looks in dying.’”  Perhaps the main gift to sensibility made by the Romantics is not the aesthetics of cruelty and the beauty of the morbid (as Mario Praz suggested in his famous book), or even the demand for unlimited personal liberty, but the nihilistic and sentimental idea of “the interesting”.  Sadness made one “interesting.”  It was a mark of refinement, of sensibility, to be sad.
—  Susan Sontag, from Illness as Metaphor
Even if we exclude the vulgar sense in which a ‘romance’ means simply 'a love affair’ (Peer and Film Star Romance) I think we can distinguish at least seven kinds of things which are called 'romantic’.
     1. Stories about dangerous adventure—particularly, dangerous adventure in the past or in remote places—are 'romantic’. In this sense Dumas is a typically 'romantic’ author, and stories about sailing ships, the Foreign Legion, and the rebellion of 1745, are usually 'romantic’.
     2. The marvellous is 'romantic’, provided it does not make part of the believed religion. Thus magicians, ghosts, fairies, witches, dragons, nymphs, and dwarfs are 'romantic’; angels, less so. Greek gods are 'romantic’ in Mr. James Stephens or Mr. Maurice Hewlett; not so in Homer and Sophocles. In this sense Malory, Boiardo, Ariosto, Spenser, Tasso, Mrs. Radcliffe, Shelley, Coleridge, William Morris, and Mr. E. R. Eddison are 'romantic’ authors.
     3. The art dealing with 'Titantic’ characters, emotions strained beyond the common pitch, and high-flown sentiments or codes of honour is 'romantic'… In this sense Rostand and Sidney are 'romantic’, and so (though unsuccessfully) are Dryden’s Heroic Dramas, and there is a good deal of 'romanticism’ in Corneille. I take it that Michelangelo is, in this sense, a 'romantic’ artist.
     4. 'Romanticism’ can also mean the indulgence in abnormal, and finally anti-natural, moods. The macabre is 'romantic’, and so is an interest in torture, and a love of death. This, if I understand them, is what M. Mario Praz and M. D. de Rougemont would mean by the word. In this sense Tristan is Wagner’s most 'romantic’ opera; Poe, Baudelaire, and Flaubert, are 'romantic’ authors; Surrealism is 'romantic’.
     5. Egoism and Subjectivism are 'romantic’. In this sense the typically 'romantic’ books are Werther and Rousseau’s Confessions, and the works of Byron and Proust.
     6. Every revolt against existing civilisation and conventions whether it look forward to revolution, or backward to the 'primitive’ is called 'romantic’ by some people. Thus pseudo-Ossian, Epstein, D. H. Lawrence, Walt Whitman, and Wagner are 'romantic’.
     7. Sensibility to natural objects, when solemn and enthusiastic, is 'romantic’. In this sense The Prelude is the most 'romantic’ poem in the world; and there is much 'romanticism’ in Keats, Shelley, de Vigny, de Musset, and Goethe.
—  C.S. Lewis, The Pilgrim’s Regress

justplainscott  asked:

I saw the Praz-de-fort post you reblogged - I guess I missed it the first time - and it's beautiful. I see lots of innovative houses like it on Dwell. I'm curious though: are there examples like it built around the US? They always seem to be abroad: Scandinavia, South America, Europe...

I agree the Paz-de-Fort is a very cool adaptive reuse project, it is very specific to Europe and the inventory of older wood structures that exist in this part of the world. In the US you will find a different version of adaptive reuse, some are similarly rustic while others are more modern, but none are going to be as old as the oldest structures in Europe or for that matter South America.

Check some examples of US residential renovations or adaptive reuse projects:

House Renovation in Boston Intadesign

Keep reading

As long as skies are blue - Część IV

Autorka: theboyfriendstagram (tumblr)

Tłumaczenie: Madeleine

Opis: Summer Camp!AU. Louis był instruktorem piłki nożnej na Lake District Camp przez trzy lata, gdy dwudziestoletni Harry Styles - najnowszy nabytek zespołu - nie tak wdzięcznie pojawia się w jego życiu. To nie tak, że Harry jest wszystkim, czego Louis nie może znieść. Z wyjątkiem tego, że jest. Ale to nie powstrzymuje go od trafiania na gołego chłopaka zbyt wiele razy, by było to przypadkowe.


Część IV  <<masterpost>>

Od tłumaczki: Więc tak, o to nie-tak-niespodziewana-niespodzianka! Chciałabym zadedykować tę część Marcelowej, która pomimo, że już to czytała wciąż zagląda do mojego tłumaczenia i komentuje jakby po praz pierwszy widziała to na oczy!  A poza tym doszły mnie słuchy, że w tej części jest jej ulubiony fragment. Ale również ten rozdział jest dla moich anonimków, w podziękowaniu za tyle miłych słów i wszystkich którzy czekali, so nie przedłużając, enjoy! (✿◠‿◠)


Minęły trzy dni  incydentu z blowjobem i Harry nie wykonał ruchu, by Louis mógł mu się odpłacić. I to w ogóle nie powinno przeszkadzać Louisowi, z wyjątkiem. Z wyjątkiem, że trochę to robiło.

Zawsze widzi Harry'ego chodzącego w tych swoich obcisłych spodniach do jogi, które uwydatniają jego wypukłości i nie może nic poradzić, ale zastanawia się, jakie to by było uczucie mieć go w ustach, lub wewnątrz jego.

Chce po prostu zobaczyć nagiego Harry'ego pod sobą. Tylko to jest wystarczająco fair.

Jest wtorek i Louis myśli, że zaraz wybuchnie. Chce być na kolanach przed Harrym w tej chwili. Nie chce oglądać, jak Nick bezwstydnie flirtuje z nim ponad stołem, ciągle dotykając jego ramienia i odsuwając mu włosy z oczu.

Louis chce ssać siniaki na tych ramionach i ciągnąć za te długie włosy, aż jego knykcie staną się białe. To doprowadza go do szaleństwa, bo tak kurewsko mocno tego chce.

Nie jest pewien, czego dokładnie chce; wie tylko, że chce go teraz. I nie jest do końca pewien, jak ma zamiar go dostać. Nie może tak naprawdę podejść do Harry'ego po kolacji i powiedzieć mu, że chce go ssać, prawda? Z kilkoma drinkami prawdopodobnie by mógł. Więc.

- Wyjdźmy dziś wieczorem nad molo, kiedy zgaszą światła - sugeruje głośno i teraz wszyscy go słuchają, przerywając swoje rozmowy.

- W porządku - wzrusza ramionami Zayn i Louis kiwa głową, wszyscy w końcu zgadzają się z nim.

Ma plan.

Dwie godziny później i każdy siedzi na trawie przy molo, przekazując między sobą butelkę Jägermeistera, wszyscy oprócz Harry'ego z papierosem w ręku.

I oczywiście, dzięki perswezyjnym wielkim ustom Nicka, rozmawiają na temat dawania i otrzymywania blowjobów.

- Mówiąc o blowjobach, co się dokładnie stało w sobotę przy twoim domku? - pyta Zayn i Louis chce go uderzyć.

- Co masz na myśli? - pyta zdezorientowana Perrie.

- Nic, zamknij się.

- To nie wyglądało jak nic - chichocze Zayn i Louis popycha go tak, że teraz leży na trawie, a on się śmieje.

- Poważnie, co się stało w sobotę? - naciska Jade i Louis przewraca oczami.

- Harry mnie ssał, to nic. Zmieńmy temat.

- Harold! - woła Nick i oczy Louisa dosłownie okrążają jego głowę - Ty sprośny chłopcze.

Harry rumieni się teraz i Louis może zobaczyć to nawet w ciemności.

- Czy było dobrze? Czy jest duży? Potrzebuję szczegółów!

- Oh, zamknij się, Nicholasie.

- Czy był mały? Pomarszczony? Czy to dlatego, nic mi nie powiedziałeś?

Louis celuje pustą puszką po piwie w głowę Nicka, zabrakło cala.

- Nie… to było. To było okej - mruczy Harry i teraz Louis bierze to osobiście.

To było okej? To wszystko, co ma do powiedzenia? Oh, kurwa nie.

Nick wybucha śmiechem i Louis posyła Harry'emu rozczarowane spojrzenie. Rozczarowane spojrzenie, które oznacza również ‘wkrótce ci udowodnię, że się mylisz’.

- Zmieńmy temat, dobrze? Dlaczego ty nie powiesz nam co ty robiłeś z szesnastoletnim Horanem w krzakach, hm? - Louis pyta złośliwie Zayna, który jest teraz śmiertelnie poważny.

Wszyscy wybuchają śmiechem i Louis jest szczęśliwy, że udało mu się odsunąć od siebie uwagę.

Postanawiają wrócić do swoich domków trochę po północy i wtedy również Louis postanawia wziąć sprawy w swoje ręce. Ale nie jest pewien, co dokładnie powinien zrobić. Czy ma po prostu podejść do niego i go pocałować? Czy popchnąć Harry'ego na ścianę i opaść przed nim na kolana?

Na szczęście, że jest wystarczająco nietrzeźwy do podjęcia decyzji, więc w minucie w której Nick mówi dobranoc do Harry'ego i znika w swoim własnym domku, Louis chwyta go za biceps i ciągnie go za sobą.

Keep reading