postar textos

Mergulhe nos sentimentos. Aprenda com eles. Molde seus pensamentos de forma com que seus sentimentos não sejam massacrados por eles e vice-versa. Descubra emoções. Mas jamais ache que todas as sensações da vida são sobre o amor. Nos filmes românticos, nos livros clichês, nos poemas que lemos por aí, o amor supera tudo. Mas na vida você se destrói. Na vida, você passa mais tempo stalkeando nas redes sociais do que pesquisando destinos do mundo para conhecer e eventos pra ir. Na vida, você cogitaria desistir de uma universidade pública ou de uma oportunidade de emprego longe pra não se afastar do seu amor. Na vida, você passa mais tempo se dedicando a tentar ser correspondido adequadamente do que se dedicando à própria felicidade. Ache tudo aquilo que tira seu fôlego. Encontre o frio na barriga em diversas situações. Mas lembre-se sempre de não entregar isso tudo nas mãos de uma única pessoa. Pule do alto de uma cachoeira, atravesse seu país de trem ou ônibus, valorize todos os seus amigos, convide seus pais para jantar, vá em todos os festivais de música que puder, deixe a loucura te invadir por dentro, evolua em busca de uma carreira que te proporcione conforto e estabilidade para viajar o mundo todo. Mas nunca deixe sua vida parar por uma pessoa, principalmente se ela não colabora com os teus sonhos. Principalmente se ela te cegou de que um dia você teve sonhos. “O amor é lindo e o amor é tudo.” - disseram-te a vida toda, e você acreditou. Acreditou e afastou teus amigos, esqueceu teus desejos, investiu menos na tua carreira… e de tanto amar, não se amou.
—  João Pedro Bueno, Sabedorias.
Eu queria dizer que te amo. Eu realmente amo e você sabe disso. Mas você também tem que saber que meu jeito de amar é diferente e eu não planejo muda-lo. Não está nos meus planos ser fofa, nem carinhosa, e nem passar a mão na sua cabeça toda hora. Eu sou grossa sim, curta também, porém, você deveria considerar os meus ‘’como foi seu dia?’’ ‘’jura que vai tentar?’’ ‘’dorme bem’’ como um ‘’eu te amo’’. Preocupação também é amor e eu sinto muito se você não consegue lidar com meu jeito amorosamente preocupado.
—  galawxy

[…] — O que foi? — Ele perguntou.

— Seus olhos. — Falei, ainda os encarando. — Gosto deles.

— Só dos meu olhos? — Ele sorriu, alisando meu cabelo.

— Dos seus olhos, da sua boca… De você por inteiro. — Ele sorriu. — Gosto de cada pedacinho seu. — Lhe dei um selinho.

Ele encostou sua testa na minha. Fechei meus olhos, focando apenas na sua respiração que estava tão próxima da minha.

— Eu te amo. — Ele sussurrou, como se estivesse me contando o mais secreto dos segredos. — Te amo de um modo inacreditável, de um jeito que eu não sabia nem que era possível existir. — Seus dedos acariciavam meu rosto, provocando um leve formigamento na região. — Nunca senti isso por ninguém. Eu nunca… — Ele gaguejou. — Nunca amei ninguém como amo você. […]

—  Trecho vergonhoso da primeira versão.
Promete ficar? Promete me aguentar sempre? Aturar Minhas manias, minhas frescuras, meus ataques de raiva e estresse, ou então meus momentos melosos? Promete não deixar de me amar? E promete aguentar meu amor? Todo esse amor que as vezes pode parecer excessivo, talvez meio possessivo, mas que sempre será verdadeiro. Só prometa estar comigo. Porque tenho medo de me entregar demais, de amar demais e, do dia pra noite, tudo o que existe possa acabar. Por que eu te amo com todo o meu amor e meu maior medo é de que isso possa não ser o suficiente.
—  Ele prometeu, mas não foi o suficiente
Sobre o Oitavo Planeta

Olá habitantes, tudo bem? Luba aqui ^^ Já faz tempo que estou martelando a minha cabeça pra postar um texto explicando a situação do Oitavo Planeta, então me desculpem pela demora e por ter deixado vocês sem explicação.

Há um tempo atrás postei um vídeo chamado “Um pequeno desabafo” no meu canal, onde conto que estava triste porque percebi que estava, sem querer, deixando o LubaTV e o LubaTV Games totalmente de lado devido a outros projetos. O Oitavo Planeta era um desses projetos, assim também como todas as minhas viagens a trabalho, o meu livro e outras atividades.


O que mais me pesava era que todos os dias eu acordava cedo e precisava pensar no conteúdo do Oitavo Planeta. Era um canal de vlogs *diários*, então era uma preocupação *diária*. Quando eu digo “preocupação” é porque eu não costumo sair de casa durante o dia. Eu preciso responder dezenas de e-mails todos os dias, gravar vídeos para os meus dois canais, editar esses vídeos (e dependendo do vídeo posso ficar até mais de 6 horas editando), publicar e quando tudo isso acaba, já é o próximo dia e eu preciso começar a fazer tudo de novo para os próximos vídeos.


De todos os 31 vídeos do Oitavo Planeta eu editei mais de 80% deles e eu que tinha a iniciativa de pegar a câmera, sair de casa e fazer alguma coisa diferente para postar. Ou até mesmo em casa mesmo, nem que fosse para falar de herpes.


Quando comecei a sentir que o Oitavo Planeta estava prejudicando os meus outros dois canais e meus outros projetos, chamei a Sange para conversar. Eu disse pra ela que não tinha mais vontade de continuar o Oitavo da mesma maneira porque estava sentindo que os meus outros canais, meu livro e todo o resto que construí durante 05 de anos de YouTube estavam sendo negligenciados por mim.


Sugeri que tentássemos trocar um pouco o conteúdo e fazer vídeos um dia sim, um dia não. Sugeri que ela passasse a editar todos os vídeos. Gravar mais os “08 Coisas” e pensar melhor no conteúdo que poderíamos gravar. Pedi para que ela tivesse a iniciativa de pegar a câmera e gravar e o que ela quisesse gravar, eu toparia. Porque além de deixar o LubaTV de lado, eu estava deixando ele de lado por um conteúdo (vlog) que eu poderia postar no próprio LubaTV em ocasiões especiais (como vocês viram o vídeo no Animextreme e no YouTube Fanfest). O Oitavo Planeta foi uma das melhores coisas que eu já fiz. Ever. Por muito tempo coloquei meu coração e alma nele, mas eu não podia mais deixar todo o resto de lado e foi por isso que eu pedi que a pressão fosse aliviada um pouco do meu lado. Até agora, desde Outubro, esse foi o combinado com a Sange, mas não foi o que aconteceu. E eu prometi pra mim mesmo que não iria deixar mais nada interferir no que eu e a minha turma construímos em 05 anos de YouTube.


Esse foi um ano incrível pra mim. Aliás, pra gente! Nós atingimos metas que eu nem sabia que tínhamos, turma. Nunca achei que eu poderia me sentir tão feliz e realizado com o que fazemos no YouTube. Ao mesmo tempo, esse foi o ano mais difícil da minha vida. Hoje, 15 de Dezembro, peguei meu calendário e vi todas as viagens que fiz a trabalho e percebi que faz mais de 4 meses que eu não passava 1 semana inteira em casa, com os meus pais. Comecei a ter medo de avião e cada aeroporto que eu entrava, meu coração apertava. Passei meu aniversário numa cama de hospital, me recuperando de uma apendicite, enquanto meu avô estava em outra cama de hospital, falecendo um dia depois que completei 25 anos. Minha avó, pela segunda vez, teve que se submeter a uma cirurgia para remover um tumor do pulmão e eu nem estava em casa para ficar com ela. Não muito tempo depois foi a vez do meu Mint. Ele se foi no meio das preparações da LubaFest, uma das minhas maiores alegrias até hoje… Mas eu não parei. Não parei em nenhum momento… por vocês.

Foi um ano bom, mas foi um ano muito difícil pra mim e pra minha família.


Acho que é seguro dizer que, pelo menos por enquanto, o Oitavo Planeta acabou. Eu realmente sinto muito por ter deixado todos os habitantes esperando e esperando algum sinal de vida, algum vídeo novo ou até mesmo uma explicação. E muito obrigado por todo o carinho. A minha amizade com a Sange é maior que qualquer canal que criemos no YouTube e talvez um dia ainda encontremos um jeito de equilibrar as coisas.


Por favor, não fiquem tristes. Eu tenho muitas coisas preparadas. Minha loja está quase pronta, estou escrevendo meu livro, vou rodar esse Brasil com a LubaFest e por último, e nem por isso menos importante, farei mais e melhores vídeos. Confiem em mim, okei? Não vou desapontar vocês. Eu prometo.
Obrigado por tudo, turma. Eu amo vocês! Um beijo pra quem quiser.

Migalhas de amor nem quero, nem dou:
Um dia alguém me propôs, me amar um pouquinho
Assim devagarzinho, sem querer correr, como quem não quer sofrer e prefere ficar no zero
Mas amor assim eu não espero, porque viver de metade é um horror
Migalhas de amor, eu nem dou e nem quero!
Mesmo assim ele insistiu, vivia me rodeando
Chegava de vem em quando, depois nem dava satisfação
Vinha um dia sim, o outro não
E esse tipo de coisa eu não tolero!
Na briga eu até modero, mas da ausência ele sentiu o sabor.
Migalhas de amor, eu nem dou e nem quero!
Um dia fui me embora, sumi! Não dei notícias. Ele chamou até a polícia pra saber meu paradeiro. Se atolou num mar de desespero e disse: “O destino severo, levou a mulher que eu venero!”
Ficou só ele e a dor. Migalhas de amor, eu nem dou e nem quero!
Mas ele procurou, até me encontrar e perguntou, de cara lavada: “Porque deixaste a morada sem me dar explicação?”
Eu disse: “Não entrego o coração só pra dançar um bolero! Se quiser os motivos lhe numero, mas não me comprarás com uma flor, porque migalhas de amor eu nem dou e nem quero.
E assim a história acabou! Não fui eu que sai perdendo. Hoje ele que está sofrendo por querer brincar de amar! E eu cansei de avisar que malandro não considero. Lhe ofereci amor sincero, foi ele que não deu valor.

Migalhas de amor, eu nem dou e nem quero!

—  Contos de Mary Jane.
Se eu quiser postar textos românticos, vou postar. Se quiser reblogar putaria, vou reblogar. Se eu quiser postar sobre como foi meu dia, vou postar. Cara, tudo depende do meu humor e não se tu vai achar feio ou não. Quando é que alguém vai entender isso?
Aí vai uma verdade, e vai doer em muitas pessoas: não adianta defender na internet. Não adianta fazer textos e postar no facebook, “curtir” páginas feministas e que prezam a igualdade e compartilhar imagens com dizeres não-preconceituosos. Quem é você na rua? No ônibus, na faculdade, no mercado, em uma festa? Você, que olha para uma mulher de roupa curta e a julga, não é feminista, não quer direitos iguais. Você, que vê uma mulher saindo com um homem diferente do que ela saiu na semana passada e diz que “ela anda com todo mundo, é uma vagabunda”, só faz parte do grupo que tanto despreza nas redes sociais. Me diz: do que adianta escrever milhões de palavras criticando quem é a favor do Bolsonaro, mas ao ver um casal homossexual juntos na rua, é o primeiro a dizer que “seus olhos não merecem ver isso”? Nada, não adianta! Acha que o mundo depende de um post na internet? Se fosse assim, estaríamos num mundo perfeito, porque o que mais temos é isso: palavras e mais palavras. Você não é o que você posta ou compartilha, você é o que tem aí dentro, na sua cabeça, você é o que você sente e pensa. Você não quer um mundo melhor, não quer mais igualdade para as mulheres, não quer uma vida mais justa para os negros e gays, você só quer isso nas redes sociais. É preciso sentar e repensar nossos atos. É contra a corrupção? Ótimo. Agora, devolva o troco errado que o caixa do mercado lhe deu a mais, não peça para o seu colega assinar a lista de presença no seu lugar, não tire o lugar de um idoso ou deficiente no ônibu. Reclama da educação? Desliga o celular e escuta o professor enquanto estiver na sala de aula. A gente precisa olhar para dentro de nós mesmos antes de clamar ao mundo uma mudança gigantesca que, muitas vezes, nem se sabe o que quer exatamente mudar. Só assim poderemos, um dia, quem sabe, ir para frente.
—  Enamorava

“Entenda, é tudo novo pra mim. Nunca precisei tanto de alguém como preciso de você, nunca desejei tanto um sorriso como desejo o seu, nunca esperei tanto por um beijo como espero pelo seu. Eu nunca fui tão eu mesma como sou com você. Perdão se às vezes meu jeito infantil de reagir te assusta ou te incomoda. Repito, é tudo novo para mim. Sinto-me uma criança confusa diante desse sentimento, sinto-me frágil diante do medo de te perder, sinto-me pequena diante da perfeição que a cada dia descubro em você, sinto-me cega diante da luz e magia que flui naturalmente dos seus olhos e do seu sorriso. Eu não sei o porquê de tudo isso. Não compreendo a imensidão do meu desejo. Desculpe pela infantilidade que te amar despertou em mim.”

O melhor lugar do mundo, é dentro do seu abraço. Não existe praia paradisíaca, cidade iluminada ou viagens românticas pra qualquer lugar que seja. Nada é melhor do que sentir o calor do seu corpo no meu, sentir nossos corações lado a lado, em sintonia, virando um só. Me sinto protegida nesse mundo que criei onde só existe eu e você, e é pra lá que eu sempre quero ir quando tudo parece perdido. A gente cresce e percebe que o nosso mundo, às vezes, está em uma pessoa. O meu está em você.
—  Mand.
Não sou de postar textos, mas leiam esse, pfvr.

Infelizmente, o BRASIL ainda não sabe o que está acontecendo aqui em Minas Gerais. Os veiculos de “des-informação” continuam omitindo fatos e números importante para amenizar a tragédia em Mariana. Sugiro que aqueles que tem amigos virtuais em outras cidades, estados e paises, informem melhor e alertem o Brasil de que são centenas de milhares de pessoas afetadas pelo fato. Toda a economia dos municipios está comprometida. As escolas suspenderam as aulas, a agricultura está comprometida, porque não tem chuva, o comercio já quase parou, pois não tem água, nem para os banheiros; bares e restaurantes estão adotando material descartável para servirem, mas não existem panelas descartáveis e essas precisam ser lavadas. A contrução civil também foi afetada; não há água para o banho das pessoas. Hospitais e asilos, presidios e serviços essenciais estão sendo abastecidos por caminhões pipa, que precisam ir a outros municipios para se abastecerem de água, o que está onerando os cofres públicos com o alto consumo de combustível - isso quando conseguem passar pelas estradas bloqueadas pela manifestação de caminhoneiros.

O Rio Doce, um dos MAIORES DO BRASIL, está morto! As populações, desde Mariana-MG até Linhares-ES (e depois no Oceano Atlântico) estão sofrendo as consequências do que talvez seja a maior tragédia ambiental, ecológica, econômica, hídrica, já ocorrida no país. E as consequencias serão sentidas por muitos décadas. Somente em Governador Valadares são 260 mil pessoas afetadas. Alguém ja imaginou uma cidade de 260 mil pessoas totalmente sem água? E o pior: a água está correndo no Rio Doce, mas completamente envenenda por arsênico, mercúrio e outros metais.

Todos - eu disse todos - os peixes morreram envenendos e já se pode sentir o “cheiro” a kms de distância. Esse é o quadro que o BRASIL precisa saber. Divulguem para que outras tragédias possam ser evitadas. Talvez a próxima seja a dos lixões, ou das enormes pastagens que avançam derrubando as florestas, ou quem sabe, as imensas lavouras de soja??? Informem, manifestem a indignação pacífica, sem revolta ou violência. Chega de violência contra povo Brasileiro, menos ganância, é o que precisamos. Obrigado por me ler!