pose para foto

2

「最近」

「誕生した」 ● 「た・ん・じょう・し・た」 「ta ・ n ・ jyou ・ shi ・ ta」
was created;

foi criada;

「新しい」 ● 「あ・た・ら・し・い」 「a ・ ta ・ ra ・ shi ・ i」

new;

nova;


「写真」

「何」 ● 「な・に」 「na ・ ni」

which, what’s;

qual;

ポーズ = pose; 

「最近誕生した新しい写真ポーズは何?」

「what’s the recent photo’s pose that was created?」

「qual é a pose para foto que foi criada recentemente?」


credits

“ Lo normal a los tres años es verlos en la orilla con el bañador y no vestidos. Lo normal es verlos dando saltos y no tumbados de este modo: boca abajo y de lado, como escuchando el latido de la tierra. Si es que ésta tiene todavía corazón.

 Lo normal a los tres años es que te hagas el muerto y no que lo seas, que sea divertido mojarte, que prefieras las olas grandes a las pequeñas, que le pidas al hermano mayor que te entierre vivo para que saques la cabeza y después, con el cuerpo embadurnado en arena, corras muy deprisa hacia el mar.

 Lo normal a los tres años es que poses para una foto en un lugar como éste que ven y que nadie tenga que pixelarte la cara. […]

 ¿Cuántos niños sin nombre se ha tragado ya el océano? ¿Llevaban una camiseta azul o una verde cuando se ahogaron? ¿Hicieron alguna vez un castillo de arena? […] 

 No vas a entender la fotografía. Pero quiero que la mires y no olvides una cosa: ya te he dicho mil veces, hijo, que en las playas de verano puede hacer un frío hondo y oscuro.“

 –Pedro Simón: “El niño de la playa”

One Shot Harry Styles

  • Pedido por @perrieeeleuk93​ -  Você poderia fazer um do Harry que a (s/n) está grávida mas não conta pra ele, então ela decide fugir e depois de 4 anos por algum imprevisto ela volta pra Londres onde acaba reencontrando ele. O final você pode escolher ✨

(Parte I)

Eu não sei como eu pude ser tão descuidada, até Harry percebeu que eu estava diferente e sugeriu me levar ao médico, ainda bem que ele recebeu uma ligação na mesma hora que iria começar a me arrastar para o carro ou eu não estaria fazendo o que estou fazendo agora.

Uma mala grande está aberta sobre a cama e eu estou esvaziando o meu armário, tenho que ir embora de Londres antes que Harry volte da festa em comemoração as revistas dele para a Another Man. Eu não poderia estar mais orgulhosa e esse é um dos motivos que me fez decidir ir embora enquanto eu pintava as unhas dele de preto.

A vida dele está tomando um rumo diferente agora, afastado do One Direction ele está tomando outra direção, está fazendo o gosta, se entregando a sua alma feminina ao pintar as unhas para sair em público e experimentando coisas novas como modelar. Eu não me sentiria bem tirando de Harry as coisas que ele mais gosta de fazer, eu não quero colocar em risco tudo o que ele batalhou para conseguir.

Ele largaria tudo por um filho e eu estou grávida, poderia ter acontecido em qualquer outro momento, mas aconteceu justamente quando a vida dele está dando uma grande virada e eu nunca iria o atrapalhar.

Com a mala prontas eu a coloco no chão olhando em volta, Harry me acolheu na casa dele assim que começamos a namorar, eu estava a ponto de morar na rua porque o preço do apartamento que eu estava subiu e uma simples garçonete como eu não conseguiria arcar com as despesas.  

Ele vai pensar que eu sou uma má agradecida, mas espero que ele entenda futuramente.

°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•°•

4 anos mais tarde  

Eu mal posso acreditar que estou de volta a Londres depois de passar quatro anos fugindo de um passado muito fresco em minha mente. Há algum tempo eu diria que seria impossível eu voltar a Londres e muito menos trazer minha filha à tiracolo, mas eu estou em Londres e adivinhe… Com minha filha.

Acontece que eu não tinha a melhor condição para criar minha filha e tive que começar a trabalhar de forma que minha gravidez não atrapalhasse, então eu fui selecionada para ser modelo de um catálogo sobre gravidez, mas não era nada muito grande. Eu sabia que se Harry visse as fotos viria atrás de mim e antes de fazer eu me certifiquei se seria apenas para a cidade onde eu morava.

Eu passei um longo tempo me escondendo em Tóquio enquanto fazia uns bicos como modelo até ser de fato contratada para ganhar muito mais e ter visibilidade. Charlie já tinha nascido o que me deu um pouco mais de segurança porque se Harry me visse não teria tanto impacto quanto me ver com uma barriga de grávida.  

Ele poderia achar que eu tinha traído ele e fugido com o meu amante.

Agora eu tenho uma sessão de fotos a qual estou um pouco atrasada porque Charlie fez manha para ficar com a babá, ela começou com isso depois que eu fiquei muito ocupada com o trabalho e isso enche meu coração de culpa.

— Desculpem o atraso, eu tive problemas com minha filha. — Eu disse entrando no estúdio e logo me indicaram ir para o camarim me maquiar e me vestir para o ensaio fotográfico.

Diferente das fotos que eu já fiz, essa sessão de fotos será comigo seminua junto a outro modelo que eu não sei quem é. Eu pensei muito antes de assinar o contrato porque eu não queria fazer algo que eu me arrependesse depois, mas o pagamento é relativamente mais alto do que fotos comuns e isso ajudaria e muito para o futuro da minha pequena. Tudo que eu faço é exclusivamente para ela.

Já maquiada, eu me direciono até onde se encontram as pessoas da equipe fotográfica e o modelo, cumprimentando-os enquanto meus olhos se fixam nas costas largas de um homem alto de com cabelos curtos. Assim que eu digo que estou pronta o homem se vira me apavorando ao ver seu rosto.

Não pode ser que depois de anos fugindo, eu dê de cara com ele assim… De repente.  

— Há quanto tempo, (seu nome)…

A voz rouca e com um certo deboche de Harry ecoou na minha mente e eu pude sentir minhas pernas tremerem, mesmo depois de tanto tempo eu não esperava encontrá-lo tão cedo e não ter uma desculpa aceitável pelo meu desaparecimento.  

— Se está pensando em dizer que não se chama (seu nome) e que eu estou enganado, pode esquecer. — meus olhos estavam fixos nele — O tempo passou, mas você continua a mesma.

Eu girei sobre meus calcanhares dando as costas como resposta a Harry ao ouvir o fotógrafo dizer que poderíamos começar que as luzes estavam posicionadas e me direcionei a saída da sala ouvindo meu nome ser chamado por uma das pessoas da equipe.  

Eu mal posso respirar, eu tenho certeza que Harry irá me cobrar uma resposta.

Respirei fundo ao parar em frente ao bebedouro e só reparei que minhas mãos estavam tremendo ao segurar o copo de água o levando em direção a minha boca, fechei meus olhos e contei mentalmente até 10 tentando me acalmar e recontei quando da primeira vez não funcionou.

— Não pense que pode fugir de mim uma segunda vez… Eu não sei em que buraco você se enfiou, mas não vai funcionar de novo. — sinto a grande mão de Harry segurar o meu braço me virando para ele.  

— Eu não quero falar sobre isso agora… — sussurro ainda de olhos fechados.

— Não é como se você tivesse alguma escolha depois de me deixar igual um idiota atrás de você.  

E para a minha sorte o fotógrafo disse que se não voltássemos para o estúdio ele iria embora porque tem outros horários para cumprir, essa foi a deixa que eu encontrei para praticamente correr atrás do homem alguns anos mais velho.  

Já dentro do estúdio Harry não parava de me encarar enquanto recebíamos as instruções de como deveriam ser as poses para as fotos.

Nos direcionamos em frente ao telão e já de costas para Harry, eu tirei o roupão entregando para a moça que estava mais próxima a mim e respirei fundo ao sentir o corpo de Harry bem próximo ao meu. Seu peitoral se encostou em minhas costas fazendo meu corpo inteiro reagir a ele com um arrepio e suas mãos foram de encontro aos meus seios os segurando de forma que não os deixassem totalmente expostos nas fotos. Seu queixo de apoiou em meu ombro e vários flashes saíram da câmera e quase me cegou.

Trocamos de posição ficando de lado para o fotógrafo e Harry me abraçou de frente enquanto olhávamos da forma mais sedutora que podíamos para a câmera. Algumas posições a mais e reações do meu corpo aos toques extremamente profissionais de Harry, nós estávamos liberados para ir para casa.

Vesti novamente o meu roupão antes andar rapidamente para o camarim que era separado do de Harry e começar a me vestir o mais rápido que eu podia, eu precisava sair dali antes que eu fosse mais uma vez abordada e interrogada.

Caminhando apressadamente para a saída, assim que virei o corredor a mão de Harry segurou meu pulso e eu percebi que fugir duas vez não daria certo porque ele já esperava.

— Eu disse que não iria funcionar, então que tal parar de brincar de esconde-esconde e começar a falar o porquê de ter sumido todos esses anos? — Harry falou severamente.

— Eu preciso ir… Tenho uma agenda cheia. — tentei me soltar de seu aperto, mas só resultou em meu pulso sendo praticamente esmagado.

— Eu não vou permitir que continue me fazendo de idiota. Me fala logo a droga do motivo de ter me largado como a porra de um descartável. — sua voz estava ficando alterada a cada palavra.

— Harry, você está me machucando… — olhei em seus olhos e ele manteve sua expressão fechada.

— O que acha que fez comigo esses longos anos além de me machucar?

— Me desculpe, eu fiz por um bom motivo… — a droga das lágrimas embaçaram minha vista.

— Um bom motivo? Eu não vejo um bom motivo para ter a droga de um coração partido.

Coração partido.

Isso foi tudo que eu consegui para nós dois depois de achar estar fazendo o certo, o melhor para ele. Agora vejo que tudo que eu fiz só piorou as coisas.

— Mamãe?

Olhei para o lado vendo a pequena Charlie nos olhar confusa, o aperto de Harry se afrouxou de meu pulso assim que ele olhou na mesma direção que eu vendo o anjinho que nós dois fizemos juntos.

Se Harry for um pouco inteligente saberá que aquela garotinha é nossa filha, ela é a cópia autêntica dele.



Eu postei esse primeiro porque eu me enganei e escrevi na ordem errada no meu caderno e só depois fui ver que pulei um, mas essa parte já tinha sido escrita.

Espero que tenham gostado :)

- Tay

Quando Dois Corações se Encontra 2ª temporada

Capítulo 450 :

 Natalie: Queridinha, você pode sair do meu lugar? – disse para uma ruiva que estava ao lado de Harry, ela a conhecia, era uma modelo americana. A ruiva ergueu os olhos e fingiu que nem era com ela. Natalie olhou para Harry que estava lhe dando um sorriso debochado. – Harry…

Harry: Seu lugar está ali, na terceira fileira. Aqui estão minhas convidadas… – apontou para a ruiva e mais outras duas modelos que estavam ao lado dela. Natalie fumegou de raiva e jurou que poderia ser capaz de matar Harry ali mesmo, mas ao olhar para o lado percebeu que a impresa distribuia flashes em cima deles.

Ela sabia que ele fez aquilo apenas para humilha-la, mas nunca abaixaria a cabeça para alguém tão idiota quanto ele. Rose abriu um sorriso imenso e acenou furtivamente para ela. – Pose para a foto, meu amor. – beliscou a cintura de Natalie para ela se mover para frente, ela não se moveu, muito menos olhou para a foto. Deu as costas para Harry e se afastou da primeira fileira do desfile. Não tinha nem mais vontade de ver alguma coisa ali, a unica coisa que desejava era ir embora e dormir o resto da noite.

Era o que faria, porém o desfile começou muito antes dela se afastar dos arredores da passarela. Por questão de consideração com o trabalho de sua madrinha, encostou-se em uma pilastra com os olhos cheios de lágrimas por estar se sentindo uma formiga no meio daquilo tudo. Harry tinha pegado no seu ponto fraco e ele sabia muito bem como utilizar isso a favor dele.

O desfile começou com a parte feminina, com modelos trajando calças pantalonas, camisas simples, mas elegantes e vestidos que deixava uma mulher pronta e confortável desde um compromisso até uma corrida de Fórmula 1. A escala de cores tinha variações nos tons de vermelho e outras em branco e preto. O desfile feminino estava lindo e bem feito, mas com certeza a parte que empolgou a todos foi quando as luzes se abaixaram e a primeira pessoa que colocou o pé na passarela foi Arthur, ele estava visivelmente nervoso, mas abriu um sorriso e foi desfilando a linha que Lua fez pensando em algo mais sério, bem distinto daquelas camisetas vermelhas. Eram calças, camisas e blazers inspirados nas tendências do momento e levando a Ferrari em alguns detalhes. Depois de Arthur, o desfile continuou empolgando com Alonso, Schumaccher, Raikkonen e uma serie de pessoas importantes dentro da escuderia que para uma verdadeiro fã da Ferrari eram consideradas lendas. Quando Felipe apareceu no começo da passarela, Natalie abriu um sorriso automáticamente, ela via de longe que ele estava apavorado e sem saber para onde ir.

Ela ouviu umas garotas que estavam na sua frente começarem a gritar e aplaudir ele, comportamente tipico de adolescentes que não conseguem ver um homem bonito na frente sem dar ataques, ela resolveu que aquela não era sua vida, não era o que ela queria para si propria, o que seus pais desejariam para ela, nem o que era justo. O que era justo, o que ela realmente queria, estava agora na ponta da passarela com um sorriso timido e completamente maravilhoso.

Ela realmente mandou tudo ao inferno e desencostou da pilastra. Ela era Natalie Perroni, nenhum homem pisaria nela, ninguém a menosprezaria e ela nunca, mas nunca mesmo, deixaria de mandar em sua vida.

Deixou Jimmy encerrando o desfile para trás e fazendo o salão inteiro gritar por ele que com aquela simpatia nata caminhou como se estivesse em um paddock trabalhando e conseguiu deixar todos boquiabertos, principalmente Camila e as adolescentes com os hormonios em fervor.

Ela seguiu para onde seu coração pediu e assim que abriu a cortina do backstage, viu a confusão de sempre e olhou para Lua de longe, vendo o desfile por uma fresta da cortina do cenário.

Ela deu um sorriso e desejou tudo de melhor para ela, mas agora tinha outras coisas a resolver.

No corredor da onde estavam os camarins, ela quase começou a rir pelas caras que os homens que estavam se preparando para desfilar direcionaram a ela, mas resolveu ignorar e continuar procurando a plaquinha com o nome que ela queria.

Quando achou, segurou na maçaneta e fechou os olhos, tentando se concentrar no que faria ali dentro, mas a única verdade era que ela estava pouco se ferrando para o que devia fazer, ela queria depois de muito tempo, fazer as coisas do jeito que ela gostava, sem premetitar tudo.

Ela abriu a porta de uma vez e a primeira imagem que teve foi de Felipe vestindo a calça do próximo figurino, com o peitoral desnudo e de costas para ela. Com o barulho ele virou-se e encontrou Natalie parado no meio do seu camarim. Os olhos dele ficaram tão perdidos e ela podia decifrar tudo o que estava passando na cabeça dele, obviamente ele não estava entendendo nada.  

Felipe: Mas que…? – não completou a frase ao ver o sorriso de Natalie aparecendo. – Natalie… – franziu a testa e ela fechou a porta e deu alguns passos na direção dele.

Natalie: Eu vim ver se você está bem, quase desmaiou na passarela. – cruzou os braços e ele a fuzilou depois de ver o sorrisinho debochado no rosto dela.

Felipe: Você é um terror dirigindo e eu nunca fiquei zoando com você. – cruzou os braços assim como ela e Natalie continuou sorrindo, mas resolveu ajuda-lo, foi até a arara e pegou o resto do figurino dele.

Natalie: Olhe sempre para frente e ache um ponto morto no salão, assim as fotos ficam perfeitas e você menos nervoso. – tirou a camisa do cabide e começou a abrir os botoões dela, enquanto Felipe a olhando pensando em um significado para a presença dela ali.

Felipe: Eu acho que eu nunca falei isso para ninguém… Mas eu realmente estou nervoso. – estalou os dedos e Natalie sorriu ternamente. Ela sabia como ele era com emoções e sentimentos e era um avanço ele estar falando aquilo. – Eu não quero decepcionar a minha mãe e é horrivel quando você não sabe nem o que fazer. – abaixou os olhos e Natalie se aproximou ainda mais dele, oferecendo a camisa para ele colocar os braços, ele fez isso e ela ficou segurando a gola da camisa, aproximando os dois ainda mais.

Natalie: Seja você Felipe. Em qualquer circunstancia seja você… Isso já é a melhor coisa que você pode fazer por si proprio, pela sua mãe e por todos lá fora. – disse seriamente e ele ergueu os olhos a encarando seriamente. Por um segundo ele achou que ela estava falando aquilo mais como um lema proprio, não para ele e quando ela abaixou os olhos e segurou mais forte a gola da camisa dele, ele teve certeza que alguma coisa tinha acontecido.

Será que sua cor preferida ainda é o vermelho ou será que você ainda tem aquela velha mania de comer coxinha ao contrário? Será que você ainda lê alguns livros, mesmo na correria do dia a dia ou então ainda fica se olhando no espelho por longos minutos, deixando seu cabelo ainda mais impecável? Será que você tem um desenho preferido e que ainda dê risadas quando assiste à algum episódio? Será que a sua mania de roer as unhas diminuiu ou continua a mesma coisa? E as poses para as fotos? Continuam as mesmas? A mão no bolso da calça ou um sinal com uma das mãos? Será que ainda assiste aos seus filmes prediletos com a mesma emoção de sempre? Será que usa o mesmo perfume ou até mesmo o seu cheiro se alternou? Disso eu não tenho nem idéia, pois nunca tive oportunidade de sentir seu embriagante cheiro. Será que as suas covinhas em cada bochecha ainda estão acentuadas ou já foram escondidas pela barba que te fez mais homem? Será que seus olhos mantém a mesma intensidade de brilho ou ficou ainda mais ofuscante? Será que você tem uma nova mania? Será que se lembra, todas as noites, da minha promessa de estar para sempre ao seu lado? Será…? Eu me questiono sobre tudo que envolva você e ainda me surpreendo por saber que não enjoo, não desgosto, não paro de amar. Mas se um dia eu tiver oportunidade de gravar detalhadamente cada mero contorno seu, saiba que passarei á te amar muito, mas muito mais! (criadordesorrisos)