por un pelo

As 6 coisas que eu poderia ter dito a você, mas não disse

1. Você continua incrivelmente bonito aos meus olhos.


2. O cursinho transformou muitas características da minha personalidade. Nunca marquei encontros pela internet porque sempre achei que, de alguma forma, eles arruinariam a pouca autoestima que me restou ao longo desses 2 anos de luta. Eu nunca deveria ter abaixado a guarda.


3. Não estou, em hipótese alguma, brava. Até fiquei por uns minutos pelo modo como as coisas se desenrolaram, mas depois de algumas semanas de silêncio só me restou ficar um pouco chateada mesmo. Não pelos ingressos (porque eles só mostram o quanto ando ansiosa e impaciente e preciso resolver esse pequeno problema), mas sim por todas as 6 coisas que você poderia ter dito a mim, mas não disse.


4. Permaneci todo esse tempo no silêncio porque procurei colocar na minha cabeça que todas as pessoas possuem seus direitos, e você usufruiu do seu ao desistir aos quarenta e cinco do segundo tempo. Eu também estou cansada, ainda mais nesta época do ano, mas pensei que por você talvez valesse o esforço. Teoria nunca comprovada.


5. Desculpa ter transformado você também em texto, mas esse é um jeito de passar pelas coisas em minha vida sem, necessariamente, esquecê-las.


6. Sem sustos, distorções e ressentimentos: só quero que você se encontre e ache alguém que te faça sentir confortável. Desejo arco-íris e lantejoulas e luzes e um coral cantando o quanto você é um ser humano admirável. Obrigada por todas as risadas proporcionadas. E por todos os momentos que, por um segundo, pensei: acho que talvez tenha encontrado meu caminho.


(iraque)

Spanish Vocabulary - Los deportes y ejercicios

This is a vocab list comprised of sports and exercise vocabulary.

This won’t be a totally complete list in that if I mention a sport I won’t go too far into its particular vocab like “forward”, “linebacker”, “quarterback” and so on, but it’s more for an overview… so I might not include everything you’re looking for.

And as always, if I know that a particular word is a regionalism, I’ll note it.

Sports

  • el deporte, los deportes = sport, sports
  • deportivo/a = sports / related to sports [ej. el estadio deportivo “sports stadium”, los zapatos deportivos “sneakers / sports shoes”]
  • el fútbol = soccer
  • el fútbol americano = (American) football
  • el atletismo = track and field
  • pista y campo = track and field [Caribbean]
  • saltar vallas / obstáculos = hurdles / jumping hurdles
  • el lanzamiento de bala = shot-put
  • el tiro de (la) pesa = shot-put
  • el salto con pértiga = pole vaulting
  • el salto con garrocha = pole vaulting [more Latin America]
  • el maratón = marathon
  • la carrera = a race
  • la esgrima = fencing
  • (las) artes marciales = martial arts
  • la lucha = wrestling
  • la lucha libre = professional wrestling
  • el baile / la danza = dancing
  • el ballet = ballet
  • el golf = golf
  • la gimnasia = gymnastics
  • la gimnasia rítmica = rhythmic gymnastics
  • las (barras) paralelas = parallel bars
  • las (barras) asimétricas = uneven bars
  • el levantamiento de pesas = weightlifting
  • la halterofilia = weightlifting / bodybuilding
  • el baloncesto = basketball
  • el boxeo = boxing
  • el béisbol = baseball
  • el softball = softball
  • el voleibol = volleyball
  • el tenís = tennis
  • el rugby = ruby
  • el críquet = cricket
  • el hockey = hockey
  • el hockey sobre hielo = ice hockey
  • el hockey sobre césped = field hockey
  • el automovilismo / el automobilismo = racecar driving
  • la equitación / la hípica = equestrian sports / horseback riding
  • el ciclismo = bicycling
  • la natación = swimming
  • los saltos [natación] = diving [when it comes to “swimming”]
  • el patinaje = (roller) skating
  • el patinaje sobre hielo = ice skating
  • el esquí / el ski = skiing
  • el esquí alpino = Alpine skiing
  • el esquí de fondo = cross-country skiing
  • el esquí de pista = downhill skiing
  • el tiro con arco = archery
  • el tiro (deportivo) = shooting / sharpshooting
  • el remo = rowing
  • el surf = surfing

Exercises

  • hacer ejercicios = to exercise
  • ejercitar = to exercise / to do drills or repetitions
  • ejercitarse = to get exercise / to exert one’s body
  • hacer ejercicios aeróbicos = to do aerboics
  • hacer ejercicios anaeróbicos = to do anaerobics
  • hacer la calistenia = to do calisthenics
  • hacer ejercicios de calentamiento = to do warm-up exercises
  • hacer sentadillas = to do squats
  • hacer cuclillas = to do squats
  • hacer zancadas = to do lunges
  • hacer abdominales = to do sit ups / crunches
  • hacer lagartijas = to do push ups
  • hacer pesas = to do weights
  • levantar pesas = to lift weights
  • estirar = to stretch
  • hacer estiramientos = to do stretches
  • correr en cinta = to run on the treadmill
  • saltar a la cuerda / saltar a la soga / saltar a la comba = to jump rope
  • brincar a la cuerda / brincar a la soga / brincar a la comba = to skip rope

Verbs

*Please note many of these verbs have irregularities that I can’t simply list all at once, so you may want to consult WordReference to see their irregularities in the conjugation charts.

  • jugar al = to play (masculine noun sport; ej. jugar al tenís)
  • jugar a la = to play (feminine noun sport; ej. jugar a la lucha libre)
  • correr = to run
  • caminar = to walk
  • andar = to walk
  • pasear = to walk
  • dar un paseo = to take a walk
  • correr = to run
  • seguir = to follow
  • perseguir = to pursue / to chase
  • saltar = to jump
  • brincar = to jump
  • tirar = to throw
  • tirar = to shoot (a bow / a gun)
  • disparar = to shoot (a gun)
  • lanzar = to toss
  • lanzar = to pitch (baseball)
  • coger = to catch [Spain; NOT Latin America]
  • pillar = to catch
  • cachar = to catch [very Latin America]
  • golpear = to hit / to strike / to swing (baseball)
  • patear = to kick (soccer / football)
  • luchar = to fight
  • dar (un/unos) puñetazo(s) = to punch / to punch repeatedly
  • dar una paliza = to whoop (someone) / to give (someone) a beating
  • bailar = to dance
  • remar = to row
  • patinar = to skate
  • nadar = to swim
  • competir = to compete
  • hacer = to do / to make
  • hacer (ejercicios) = to do (exercises)
  • alcanzar = to reach / to grasp
  • lograr = to achieve
  • realizar = to make a reality / to finalize / to carry out / to perform (exercises)
  • obtener = to get / to obtain
  • conseguir = to get / to obtain
  • terminar = to finish / to end
  • comenzar (a) = to begin (to)
  • empezar (a) = to start (to)
  • practicar = to practice / to perform (a sport)
  • ensayar = to rehearse / to practice
  • entrenar = to train
  • adiestrar = to train / to instruct
  • aprender = to learn
  • enseñar = to teach 
  • doler = to hurt [functions like gustar when talking about a body part; ej. me duele la cabeza / me duelen las piernas]
  • torcer, torcerse = to twist / to twist or sprain (a body part)
  • lastimar, lastimarse = to injure / to injure oneself
  • herir / herirse = to wound or injure / to wound or injure oneself
  • sudar = to sweat
  • llorar = to cry
  • sangrar = to bleed
  • sentir = to sense (physical) / to see / to hear / to notice
  • sentirse = to feel (an emotion)
  • mejorar = to improve
  • mejorarse = for someone to get better
  • empeorar = to worsen
  • empeorarse = for someone to get worse
  • respirar = to breathe
  • aspirar = to breathe in / to aspire
  • exhalar = to exhale / to breathe out
  • inspirar = to inspire
  • alabar = to praise
  • adular = to flatter
  • ovacionar = to praise / to give an ovation
  • agradecer = to thank / to give thanks to
  • patrocinar = to sponsor
  • financiar = to finance / to sponsor / to provide money
  • infundir = to inspire / to cause / to provoke an emotion
  • emocionar = to excite / to fill with excitement
  • conmover = to excite / to fill with excitement
  • decepcionar = to disappoint
  • hacer una finta = to feint / to fake someone out
  • engañar = to deceive
  • fingir = to feign / to deceive
  • sorprender = to surprise
  • asombrar = to astonish
  • pasmar = to amaze
  • burlarse de (alguien / algo) = to make fun of someone or something / to jeer
  • reírse de (alguien / algo) = to laugh at someone or something / to jeer
  • mofarse de (alguien / algo) = to mock someone or something / to jeer
  • persuadir = to persuade
  • convencer = to convince / to persuade
  • engatusar = to butter someone up / to cajole / to get someone to do something with flattery or trickery
  • soñar = to dream
  • esperar = to hope [or “to wait” if applicable]
  • hacerse realidad (los sueños) = (for dreams) to come true
  • anhelar = to yearn for / to long for
  • usar = to use / to make use of
  • utilizar = to utilize / to make use of
  • aplaudir = to applaud / to clap
  • abuchear = to boo
  • aclamar (a alguien) = to cheer on (someone) [often takes an indirect object]
  • vitorear = to cheer
  • jalear a = to cheer on [Spain]
  • echar porras (a alguien) = to cheer (someone) on [Mexico]
  • animar = to encourage
  • animarse = to be inspired / to cheer up
  • desanimar / desalentar = to discourage
  • desanimarse / desalentarse = to become discouraged
  • silbar = to whistle
  • chiflar = to whistle [Mexico]
  • anotar = to score [in the context of games]
  • obtener = to score / to win a point [in the context of games]
  • marcar = to score [in the context of games]
  • ganar = to win
  • perder = to lose
  • empatar = to end in a tie / for the score to be even
  • ganar por una cabeza / ganar por un pelo = to barely win / to win by a nose
  • pisar los talones (a alguien) = to narrowly nose / to be a close second
  • llevarse de calle el partido = to win a match hands down / to completely win
  • felicitar = to congratulate
  • dar la enhorabuena = to congratulate
  • tener un don = to be gifted
  • tener suerte = to be lucky
  • tener éxito = to be successful
  • esforzarse = to make an effort
  • hacer un (gran) esfuerzo = to make a (huge) effort
  • valer la pena = to be worth the effort

People

  • el / la atleta = athlete [sometimes “gymnast”]
  • el / la deportista = athlete / someone who plays a sport
  • el jugador, la jugadora = player
  • el árbitro, la árbitra = referee
  • el entrenador, la entrenadora = trainer / coach
  • el patrocinador, la patrocinadora = sponsor
  • el jefe, la jefa = boss
  • el / la mánager = manager
  • el gerente / la gerente, la gerenta = manager
  • el director, la directora = administrator / director
  • el / la agente = agent
  • el público = crowd / audience [collective noun]
  • el equipo = team [collective noun]
  • el / la juez | los / las jueces = judge, judges
  • el nadador, la nadadora = swimmer
  • el luchador, la luchadora = fighter / wrestler
  • el corredor, la corredora = runner
  • el bailarín, la bailarina = dancer
  • el / la concursante = competitor
  • el animador, la animadora = cheerleader
  • el patinador, la patinadora = skater
  • patinadores sobre hielo / patinadores artísticos = ice skaters / figure skaters [can be patinadoras artísticas if necessary]
  • el aficionado, la aficionada = a fan
  • el fan, la fan, los fans, las fans = fans [man, woman, plural, etc.]


    Note: For many “players” of sports, you can easily say el jugador de ___ or la jugadora de ___. There are some sports that have an -ista form which are unisex, but they tend to be a bit more formal.

  • el / la futbolista = soccer player / football player
  • el / la tenista = tennis player
  • el / la baloncestista = basketball player
  • el / la beisbolista = baseball player
  • el / la velocista = speed skater
  • el / la comentarista = commentator
  • el comentarista deportivo, la comentarista deportiva = sports commentator

Miscellaneous

  • el gimnasio = gym(nasium)
  • el estadio = stadium
  • el campo = field
  • la pista = track
  • la cancha = a sports field / court / track / pitch
  • el campo de fútbol = soccer/ football field
  • la cancha de fútbol = soccer / football field
  • la cancha de tenís = tennis court
  • la pista de tenís = tennis court
  • la cancha de baloncesto = basketball court
  • la pista sobre hielo / la pista de patinaje = skating rink
  • la pista de hielo / la pista sobre hielo = an ice rink (for hockey or skating)
  • el premio = prize
  • la medalla = medal
  • el oro = gold
  • la plata = silver
  • el bronce = bronze
  • la medalla de oro/plata/bronce = gold/silver/bronze medal
  • la meta = personal goal / objective
  • la meta = finish line
  • el juego = game
  • el partido = a game / match
  • la pelota = a ball
  • la bola = a ball (often used in the sense of bowling or billiards)
  • la piscina = swimming pool
  • la arena = arena [or “sand” if applicable]
  • la victoria = victory / a win
  • la victoria pírrica = Pyrrhic victory: a victory that comes at a very high cost
  • la pérdida = a loss
  • el empate = a tie / when the final score is even
  • el punto, los puntos = point, points
  • la anotación = the act of scoring points
  • contra = against
  • con = with
  • versus = versus / vs.
  • físico/a = physical
  • violento/a = violent
  • sangriento/a = bloody
  • el deporte sangriento = blood sport
  • fuerte = strong
  • débil = weak
  • alto/a = tall
  • bajo/a = short
  • gordo/a = fat / large
  • flaco/a = skinny
  • delgado/a = skinny
  • grande = big
  • pequeño/a = small
  • mejor = better
  • el / la mejor = the best
  • peor = worse
  • el / la peor = the worst
  • atlético/a = athletic 
  • deportista = sporty / athletic
  • los músculos = muscles
  • la cabeza = heat
  • el cuello = neck
  • el hombro = shoulder
  • el brazo = arm
  • la pierna = leg
  • el tronco = torso
  • la cadera = hip
  • la cintura = waist
  • el muslo = thigh
  • la mano = hand
  • el pie = foot
  • la cara = face
  • la oreja = outer ear
  • el oído = inner ear
  • el ojo = eye
  • la nariz = nose
  • la boca = mouth
  • la frente = forehead
  • delantero/a = front
  • trasero/a = rear
  • la complexión = physique / build
  • el cuerpo = body
  • corporal = relating to the body / corporeal
  • la diversión = fun
  • el entretenimiento = entertainment
  • divertido/a = fun
  • entretenido/a = entertaining / enjoyable
  • los Juegos Olímpicos = Olympic Games
  • las Olimpiadas = The Olympics
  • la salud = health
  • el espíritu deportivo = good sportmanship
Capítulo 1.

Él post anterior tuvo 3 notas, eso basta UwU.
Espero que les guste.


Historia de los signos.
Aries: Hombre.
Tauro:Hombre.
Géminis:Mujer.
Cancer:Hombre.
Leo:Mujer.
Virgo:Hombre.
Libra:Mujer.
Escorpio:Hombre.
Sagitario:Hombre.
Capricornio:Mujer.
Acuario:Mujer.
Piscis:Mujer.

Libra:¿Por qué?
Aries:¿Por qué qué?
Libra:¿Por qué siempre tienes que meterte?
Aries:…
Libra:Sabías perfectamente que yo gustaba de Sagitario y le hiciste creer que tú y yo somos pareja, y ahora no quiere ni verme.
Aries:Te recuerdo que él no toma nada en serio, sobre todo en cuanto a las relaciones, así que te hice un puto favor, y además…
Libra:Era mi problema si me lastimaba, no tenías que meterte…Pero no quiero seguir peleando contigo, solo dime, ¿por qué te…
Aries:Hay por favor, cállate ya.

**Y la besó**
Libra quedó muy sorprendida, ya que había terminado con Aries hace ya 3 semanas.
Aries no se separaba, ni la dejaba separarse; ella dejó de resistirse.
Sagitario veía la escena desde el otro lado del cuarto; al cabo de un rato Aries y libra se separaron, y se sentaron a hablar; Acuario llegó al lado de Sagitario.

Acuario:Hola. Oye, acabo de tener…¿te pasa algo?

Sagitario no respondió; Acuario solo miró en dirección en la que Sagitario miraba.

Se dio cuenta de que Libra y Aries se estaban reconciliando, por tercera vez.

Sagitario:Ella estuvo coqueteando conmigo toda la semana y ahora se va con el.

Acuario:…¿Y qué?
Sagitario:¿Cómo que “¿y qué?”? Ella no puede hacer eso y esperar que la respeten.
Acuario:¿Sientes algo por ella?
Sagitario:Asco. ¿Qué ibas a decir antes?
Acuario:Que acabo de tener una fabulosa y divertida idea, pero si no estás de humor iré por Tauro.
Sagitario:Mejor vamos los dos por Tauro. Y parece que no sabes que yo nunca rechazo algo que tiene que ver con diversión.
Acuario:Ya lo sé, solo te estaba probando.
Sagitario:Prueba superada. Vamos.
Acuario:…Busquemos primero en la cafetería.
Sagitario:¿En dónde más podría estar Tauro?

Acuario y Sagitario fueron a la cafetería, y efectivamente, ahí estaba Tauro.

Acuario:Tauro…
Tauro:(Mordiendo una manzana)Mande.
Acuario:Tengo una idea, ¿quieres venir?
Tauro:Vale, vamos.

Sagitario, Tauro y Acuario salieron, y lo que encontraron fue patinetas.

Sagitario:Las patinetas son divertidas…
Acuario:Es que no son solo patinetas.
Les puse un micropropulsor abajo y ahora, con solo apretar este botón, podemos ir tres veces más rápido que normalmente.
Tauro:¿Tú quieres que nos matemos?
Acuario:Quiero que se diviertan.
Sagitario:Aquí hay cuatro patinetas…
Aries:La cuarta es mía.
Sagitario (a Acuario) en voz baja:¿Por qué?
Acuario:No pensé que te molestará, lo invité porque…
Sagitario:Lo invitaste porque aún lo amas.
Acuario:Bájale al pedo, lo invité porque es también mi amigo y es divertido, y si no quieres estar aquí solo vete, Escorpio puede tomar tu lugar.
Sagitario:Al menos Libra no está aquí…Me quedaré, solo para ver quién se rompe algo primero.

Todos subieron a las patinetas y acuario presionó el botón.
Todos salieron disparados.
Acuario y Sagitario tomaron rápido el control y evadían los obstáculos, Tauro hacía lo que podía, pero Aries estaba teniendo muchos problemas para controlar la patineta.
Todos viraron hacia la derecha para evitar estrellarse con el muro.
Aries se salvó por un pelo de golpearse con un buzón.

Acuario a Sagitario: Iba a decirle algo a Aries, pero creo que no.
Sagitario:Aún te gusta.
Acuario para Tauro:¿Todo bien? :)
Tauro:Si aja, como sea.
Acuario:Deja de ser tan borde.
Tauro:Cállate.
Aries:Ah, Acua, lamento interrumpir, pero dime cómo se para.
Acuario:Haaaay, no empieces.
Aries:Dime cómo se para esta mierda, ahora.
Acuario:¿Qué es esto? Un patético intento de orden.
Aries:Ahora tú estás empezando, para esto ahora.
Acuario:A la orden, reina de mierda.

Acuario presionó un botón, pero no era el que detenía las patinetas, las aceleraba aún más.
Sagitario miró a Acuario, mientras Acuario con una sonrisa malvada miraba como Aries se aferraba a la patineta.

Sagitario:Hey, ¿puedes darle más potencia a la suya? Quiero ver si llora.
Acuario:Lo siento, es to…
Tauro:¡ACUARIO!
-NVRMIND.✖️

anonymous asked:

Como puedo olvidar a la persona que amo...me dejó porque no sentía más nada

Te dejó porque no sentía nada cuando sabía que tú lo/a amabas. Entonces, ¿crees que es justo estar rompiéndote la cabeza por esa persona? ¿Crees que es justo amarlo/a, cuando a él/ella no se le mueve ni un pelo por ti? No, ¿cierto? Entonces queda olvidar a esa persona. Es difícil; es muy difícil, lo sé, pero la vida sigue; la vida sigue dejando personas o no. Comprendo tu caso, soy empático y es muy agobiante lo que pasas, pero hay que aprender a superar a las personas.
Lee, comienza alguna serie, sal con amigos, estudia, estudia por favor, eso es lo único que importa y que te debe importar ahora. Espero que haya transmitido el mensaje que quería.
Dios te bendiga.

-ABT

anonymous asked:

Tinchito hermoso de mi corazón (LaVerdadPrefieroAGuayanaPeroIgualEstasTuGrossoJermozo(?)) Te quería hacer una pregunta de vida o muerte . . .¿Te Gustan Lo picos dulces? -Le da uno. Y de paso le roba un pelo-. Por fin mi colección esta lista(?).

Te amo. Pero a fin de cuentas esta palabra no se acerca ni por un pelo a decirte lo que siento por ti porque es más que una simple palabra y porque posiblemente la persona que invento esa palabra pudo no haberla dicho con sinceridad. Así que he preferido hacerlo cada día con actos y dedicarme en afectos hacia a ti. Porque después de todo; todas las palabras del mundo no alcanzarían a poder decirte lo mucho que te quiero aunque llenara miles y miles de párrafos en un inútil intento por decirte lo que me haces sentir. Así que sólo vivo y en vivirte se me va la vida.
—  Esa palabra no me alcanza, Joseph Kapone
¿Cómo reconocer a Sagitario?

Vería mucho mejor el jardín… si pudiera llegar a lo
alto de esa colina; y aquí hay una senda que va
directamente… por lo menos; pero no, no es así… Pero
supongo que al final llegará. Pero, ¡qué retorcida parece!
Bueno, entonces, iré por el otro lado.

El Arquero es capaz de acercarse, darte una cordial palmada en la espalda y sonreírte amistosamente. Después, te saludará con un comentario del tipo de: “¿Qué demonios haces para parecer tan joven, con la edad que tienes?”; o: “Vaya, que bien te queda este suéter de cuello cisne. Siempre tendrías que usarlo, porque así disimulas la papada”. Después de una de esas alegres aperturas, Sagitario seguirá con su brillante sonrisa, pero la tuya habrá empezado a marchitarse un poco. A él le costará un rato darse cuenta de que fueron sus palabras las causantes de tu seriedad, y más tiempo aún necesitará para entender por qué. Entonces procurará explicarse. Trata de mantener la calma, porque la explicación será peor. Caramba, ¿no entendiste lo que quería decir? Pues que le parece fabuloso que no representes más de veinticinco años cuando en realidad tienes treinta y ocho (seis años más de los que efectivamente tienes). Y en cuanto a lo de la papada, es mucha la gente de tu edad que tiene cierta flojedad en la región del cuello. Si únicamente se te ve de costado, así, cuando vuelves la cabeza. Con no dejar que te saquen fotos de perfil, ya está. Tras haber explicado cuidadosamente sus meteduras de pata verbales, y conseguido que tú volvieras a sentirte bien, Sagitario seguirá alegremente su camino, silbando. Cuando vuelvan a encontraros y tú le demuestres frialdad, se sentirá dolido e intrigado. Con él, de nada sirve enojarse ni molestarse; Sagitario no actúa por maldad. Sus exabruptos verbales son fruto de la más absoluta inocencia y, por lo general, tampoco entiende que cuando trata de arreglar las cosas resulta ofensivo además de hiriente. No le juzgues con dureza, porque está animado de buenas intenciones. Tampoco necesita de tu compasión… ni de la mía. Bajo su falta de tacto hay una mente sumamente despierta y de principios elevados. Su peculiar combinación de ingenio, inteligencia y fogoso impulso lleva por lo común al Arquero directamente al círculo de los vencedores. Lo realmente fastidioso es que para la gente de este signo, varones o mujeres, su torpeza verbal es inconsciente; están convencidos de que son los seres más diplomáticos del mundo. Siempre dicen que son incapaces de herir los sentimientos de nadie y que ponen gran cuidado en no hacerlo, y lo creen sinceramente. Es más, todo lo que hacen lo hacen sinceramente. Cualquier forma de fraude y engaño les produce una gran consternación.

Sus características físicas no son difíciles de reconocer. Busca un cráneo bastante grande, de buena configuración y frente alta y despejada. Los rasgos serán abiertos y joviales, como si invitaran a la amistad y al intercambio de ideas, y los movimientos serán normalmente rápidos (aunque encontraras algunos Arqueros que se mueven de manera lenta y deliberada). Con frecuencia harán gestos amplios y arrolladores, que pueden ser dramáticos y vigorosos, pero es posible que no tengan mucha gracia. Sagitario suele gesticular mientras habla, y puede derramar el ketchup. Cuando avance decididamente con la cabeza alta, tropezará al subir a la acera, y es fácil que al mismo tiempo se le abra la cartera y se le desparramen todos los papeles por la calle. Los ojos de la gente de Júpiter son tan brillantes y alertas como los de un gorrión, chisporroteantes de humor placentero. Los Arqueros suelen ser muy altos y de aspecto atlético, o sino más bajos que la media, de cuerpo fuerte y recio. Los altos te harán pensar en caballos de pura sangre o potros fogosos. En su juventud especialmente, muchos suelen llevar un mechón de pelo suelto que les cae sobre la frente, como la crin de un caballo, y que se echan hacia atrás con una sacudida de la cabeza o un rápido movimiento inconsciente de la mano. Este hábito puede perdurar mucho después de que hayan adoptado otra forma de peinarse, o cuando ya la calvicie es avanzada.

La gente Sagitario es normalmente inquieta; no pueden estar sentados o quedarse quietos. Físicamente, el Arquero no pasa inadvertido, aunque solo sea por su evidente confianza y su desdén del comportamiento convencional. Camina como si realmente fuera a alguna parte, sin vacilación ni detenciones. (Pero recuerda que un ascendente en conflicto puede retardar su paso.) La primera vez que le encuentres, es posible que Sagitario vaya montado a caballo o paseando su perro: ama apasionadamente a los animales. Por lo general, la gente nacida bajo la influencia de Júpiter no teme a nada. Al Sagitario típico le atrae el peligro, ya sea en el deporte, en su trabajo o en sus pasatiempos. Para el Arquero, un elemento de riesgo significa excitación y desafío. Les encanta la velocidad; los coches veloces, los aviones, la montaña rusa, incluso, ejercen sobre ellos una atracción magnética. Los más temerarios pilotos de pruebas suelen ser Sagitarios. Al jupiteriano medio nada le proporciona tanto placer como salvarse por un pelo, en cualquiera de sus variantes, ya sean emocionales o físicas; le resulta euforizante. Se arriesgan en cualquier cosa, a menos que un signo más manso en el ascendente diluya la osadía de Júpiter.
Hay una diferencia entre la legendaria aspereza del Arquero y la brutalidad verbal de Escorpión. Escorpio dice la verdad con plena conciencia de su efecto, y se niega a cualquier tipo de compromiso. Sagitario es totalmente inconsciente del efecto que producen sus palabras, palabras que pronuncia bajo impulso de su honradez compulsiva. Escorpio no se duele demasiado de las heridas que causan sus afirmaciones; para él, verdad es la verdad, y si no puedes soportarla, pues no preguntes. Los regidos por Júpiter, en cambio, se sienten abrumados y desolados por su propia falta de discreción, cuando descubren que han herido realmente a alguien. Resultarían conmovedores, si no fueran tan exasperantes. Lo que el Arquero piensa y siente, lo dice en forma casi inmediata, con la franqueza y seriedad de un niño de seis años Aquel viejo dicho: “Si quieres la verdad, pregúntale a un niño sigue siendo válido introduciendo un pequeño cambio: si quieres la verdad, pregúntale a Sagitario. Es difícil estar durante mucho tiempo resentido con el Arquero, siendo tan patente su falta de mala intención. A estos idealistas encantadores e inteligentes se les encuentra en cualquier momento en casi todas partes. Puedes verle arrojar sus azarosas flechas desde la pantalla de tu televisor algún domingo por la noche, dejando a los astros y estrellas invitados aturdidos, mudos y atónitos ante su franqueza. También puede tocarte como taxista algún lunes por la mañana, y explicarte alegremente por qué le revientan los pasajeros que son tacaños… aunque también te lo puedes encontrar un viernes por la noche de camarero en un restaurante, donde te aconsejará con toda seriedad que no pidas tal plato.

La mayoría de los Arqueros procuran sinceramente levantarte el ánimo. Además, de vez en cuando, Sagitario puede salir con una declaración sensacional que realmente te levanta el espíritu y te compensa todo lo demás. Son capaces de ofrecer consejos profundos y sabios, cuando uno se toma el tiempo de analizar sus opiniones. Como Sagitario es signo de fuego, la mayoría de los Arqueros son extrovertidos, charlatanes y directos. Algunos hay que resultan penosamente tímidos, pero incluso esos están llenos de ideas originales, y pueden ser igualmente torpes. En realidad, los sagitarios tranquilos y de modales apocados son capaces de los sueños más grandiosos y de apuntar a las metas más altas. Introvertido o extrovertido, el Arquero es promotor de corazón. Es posible que ese raro ejemplar que no habla mucho esté planeando algo realmente espectacular con qué sacudir a un mundo desprevenido. Aunque su lengua calle, su mente está ocupada, de modo que es mejor que recuerdes que su signo siempre estará ahí, en el fondo de su naturaleza, si no quieres que Sagitario te tome por sorpresa con su próxima y pasmosa jugada.

Casi siempre, el Sagitario típico es feliz y gregario, pero su temperamento puede estallar como un cohete si se siente importunado por gente que abusa de su forma de ser naturalmente amistosa o se toma demasiada confianza con él. También son habituales las rebeliones contra la autoridad y contra una sociedad opresora. Sagitario jamás escurrirá el bulto ante una pelea o una petición de ayuda. Las mujeres son capaces de perder su disposición normalmente agradable para atacar con la cortina de fuego de un discurso inesperadamente serio que ponga en su lugar a los impertinentes. Los hombres se valdrán de sus puños, desdeñando las armas. No es raro que la persona grosera e insultante que ha jugado con la buena disposición de Júpiter se encuentre despatarrada en la acera, pensando de dónde habrá venido ese cambio. Los gallardos hijos de Júpiter no pueden soportar que se les acuse de fraude. Una acusación injusta que ponga en tela de juicio su integridad hará arder con fiereza su indignación, pero después de sus orgullosas demostraciones temperamentales, el Sagitario típico sentirá remordimientos y pedirá disculpas. Es capaz de ponerte un ojo negro y enviarte al hospital, pero lo más probable es que el Arquero empiece por hablar y actuar, y solo después piense en las consecuencias.

Son muchos los nativos de este signo a quienes atraen los escenarios, y nadie se siente más feliz que ellos concediendo repetidos bises a un público entusiasmado. Es capaz de cantar hasta quedarse ronco, o de gastarse los zapatos bailando, por el puro placer de la representación. El mundo del espectáculo está lleno de Arqueros. Los hombres y mujeres de Júpiter poseen una fuerte vena religiosa, especialmente en su juventud. Se interesan muchísimo por los asuntos de Iglesia, pero a medida que maduran pueden volverse escépticos ante lo dogmático, inclinándose a cuestionar su antigua fe y tendiendo a buscar la perfección de sus valores Es raro el Sagitario que no tenga un juego de maletas de viaje; les encanta viajar, y por lo general tienen por lo menos una maleta, traqueteada en centenares de escapadas, ya preparada y lista para usarla sin pérdida de tiempo. Siempre observarás un aire un poco infantil en el Sagitario típico, ingenuo, bravo y optimista. Se niega a aceptar la seriedad de la vida, aunque hay algunos que en sus últimos años afrontan de forma admirable la responsabilidad. Sin embargo, nunca se sienten verdaderamente felices bajo su peso. La naturaleza de Júpiter se rebela contra el confinamiento, que si es excesivo puede provocar enfermedades graves. Si Sagitario es capaz de sobrevivir a todo eso, y al desgaste provocado por la dispersión de sus energías, vivirá tanto como Matusalén. La mayoría de los Arqueros mantienen intactas sus facultades, refinadas por la edad, hasta el final, y con ellos es muy raro que la senilidad sea el problema. Sus puntos sensibles son las caderas, pulmones, hígado, brazos, manos y hombros, intestinos y pies. El amor a los deportes y a la vida al aire libre que caracteriza a este signo puede hacerles propensos a accidentes debidos al exceso temerario de actividad, pero es raro que en los hospitales se les pueda mantener en cama más de unos pocos días. Sagitario cede de mala gana a la enfermedad, y se recupera con sorprendente rapidez. Es alguien a quien la vida rara vez derrota en forma permanente. Los Arqueros creen que con toda seguridad mañana será mejor que ayer, y hoy es bien interesante. Los ataques de depresión desaparecen casi antes de que las nubes hayan llegado a oscurecer la luz del sol.

A menos que en su carta natal haya alguna influencia cautelosa y conservadora, todo Sagitario tiene algo de jugador. Son muy pocos los que pueden resistirse a arrojar un par de billetes sobre el tapete verde. El repiqueteo de los dados en el cubilete tiene para algunos hombres y mujeres de Júpiter el atractivo de las canciones de Circe. Si su nacimiento estuvo señalado por aspectos diversos entre los planetas, un Arquero puede perder una fortuna en el juego de azar, o tirar el dinero del alquiler a las patas de su caballo favorito. Los casinos de juego atraen a Sagitario como el azúcar a las moscas, y lo mismo sucede con otros juegos más serios, como el mercado de acciones y las operaciones inmobiliarias. Afortunadamente, la mayor parte de ellos mantienen bajo control su tendencia a la especulación, pero no por eso se privan de arriesgar de vez en cuando un billete de lotería. Tanto los tímidos como los enérgicos sabrán aprovechar en cualquier momento las oportunidades amorosas: Sagitario se entrega al romance con temerario abandono, pero es frecuente que cuando se habla de matrimonio se detenga súbitamente en seco; lo piensa bien antes de seguir adelante, y mete la pata después de hacer cuidadosas consideraciones. Aunque en las relaciones amorosas el Arquero es cálido y afectuoso, resulta bastante esquivo a la hora de dejarse atrapar. Simbólicamente, es mitad hombre y mitad caballo, lo que evidentemente le da una cabeza de ventaja en cualquier partida de caza, a menos que tropiece con sus propias patas.

Entre los rasgos más desagradables de Sagitario se cuentan la tendencia al mal genio, el excesivo amor a la comida y a la bebida -que puede llevarles a la obesidad y al alcoholismo-, el hiriente sarcasmo que puede empañar su brillantez mental, o la excentricidad extrema, y la incapacidad para guardar secretos. Sin embargo, ninguno de esos fallos es necesariamente permanente; resultan fáciles de desarraigar para la determinación de Sagitario. El Sagitario medio te hará un préstamo de dinero sin hacerte pasar jamás por la vergüenza de pedirlo, ni siquiera obligar a devolverlo (si no media un signo lunar cicatero). El ama de casa de este signo adoptará al huérfano sin hogar o al animal perdido, y en su mesa siempre habrá lugar para uno más. Sagitario tiene tendencia a salirse por la tangente. El Arquero abrazará con devoción ciega una gran causa, y creerá que las posibilidades superan a las desventajas: una actitud que resulta de su imaginación brillante y su pensamiento progresista. Jamás deja de defender su posición con argumentos fríos y razonables, a veces reduciendo a tiras al adversario con su sátira cortante, y sin embargo, de alguna manera se mantiene por encima de la refriega. Esto no es óbice para que su fuego esté siempre listo para el ataque cuando alguien agrede injustamente a su pupilo o su causa del momento. Como enemigo es formidable, porque se toma el tiempo de poner la mira en su víctima, le apunta directamente. Es raro que sus flechas fallen el blanco; están impregnadas de humor satírico y son lo bastante agudas como para atravesar la más sólida de las armaduras.
Aunque hay algunos decembrinos que son auténticamente divertidos, una curiosa característica de la mayoría de ellos es que, cuando hacen un chiste, no aciertan del todo con el momento y se las arreglan para sacarle toda la gracia. El público, ya sea en casa o en el teatro, se retuerce de risa ante su torpeza, mientras el Arquero piensa, contentísimo, que festejan sus grandes dotes de comediante. De todas maneras, puede resultar muy jocoso. Hombres y mujeres, los Sagitario pueden conducirse en la forma más chapucera, como ya hemos visto, o bien fingir una actitud tan modesta, que le darán a uno la impresión de no ser demasiado inteligentes, o tal vez tímidos. Es verdad que algunos Sagitarios suelen mostrar excéntricos hábitos de reclusión, pero eso les ofrece más oportunidades para aguzar su inteligencia hasta la genialidad.

Aunque tienen una memoria fantástica, que les permite saber exactamente lo que dijeron y dónde estaban un día determinado, y recordar libros y películas con toda minuciosidad, los de este signo pueden olvidar dónde dejaron su chaqueta. La mayoría de ellos constantemente pierden guantes, llaveros, billeteras… y hasta hay quien tiene la maldad de decir que perderían la cabeza si no la tuvieran bien amarrada al cuello. Sagitario jamás puede tener éxito como mentiroso; nadie le cree ni media palabra. El engaño no es parte de su naturaleza y, si intenta explotar esta veta, lo más fácil es que sea desenmascarado rápidamente y sin esfuerzo. Para el es siempre mejor decir la verdad y dejar que las cosas salgan como salgan. Ni siquiera su mentalidad observadora y alerta puede rescatarle de los resultados de una excursión por el territorio del engaño, a menos que tenga ascendente Escorpio. Conozco un Arquero reservado y silencioso que tiene un ascendente Plutoniano, lo cual le convierte en un gran jugador de ajedrez. Este tipo de jupiterianos son excepcionales, pero algunos hay, y prepárate para encontrarlos. Para Sagitario, la vida es secretamente un circo, en el que él es el payaso que rueda y da tumbos, atravesando aros de color púrpura, ataviado con un traje azul cielo. Tiene la cara embadurnada con los brillantes y alegres colores del maquillaje. A medida que la música del organillo va subiendo de tono, él tambalea y se cae; después, con un perfecto salto mortal, se instala sobre el lomo de un airoso caballito. En los dedos de las manos luce tres anillos de turquesas; en los de los pies tintinean cascabeles que suenan como el lejano carillón de un campanario que se pierde entre las nubes. El Arquero hace sonar alegremente un lustroso cuerno de estaño, ese metal blando y maleable al que apenas si afecta la humedad. No importa que sea osado o tímido; la auténtica naturaleza de este idealista generoso es tan alegre como el acebo navideño. Gallardamente se prende un clavel sobre el enorme corazón y curva su arco en dirección al cielo. Cuando apunta bien, sus tiros llegan a mayor altura de lo que puede ver el hombre, más allá de las estrellas, al lugar donde nacen realmente todos los sueños.

Sí, va a doler, pero que importa? Para eso es que esta hecha la vida, para cometer errores, sufrir, enojarse por tonteras, arrepentirte por un corte de pelo, etc. Sufrir es parte de la vida y si te la pasas evadiendo situaciones peligrosas no estas viviendo, estas sobreviviendo.

One Shot ~ Harry Styles (Parte III)

<< Parte II / Parte I >>

Meia hora de show e eu ainda procurava Harry entre a pequena multidão que estava no local reservado. O estádio estava lotado e os gritos quase estouravam meus tímpanos, tudo por causa do Daniel e James. Por que eles tinham que ser bonitos?

- Muito obrigada pela presença de vocês! Foi incrível! - Daniel agradeceu.

- Amamos vocês. - Judith gritou fazendo os gritos dos fãs aumentarem. Eu não conseguia dizer nada, apenas acenei e saí do palco. Eu ainda não sabia porquê estava triste com o fato de Harry não ter ido me ver. Eu deveria mandar ele ir se foder da próxima vez que me fizesse de boba, mas eu não posso mostrar que me importo.

- (s/n)? - Ele disse assim que atendi a sua chamada.

- Oi.

- Desculpa mesmo. Não consegui ir para o show.

- Tudo bem. É só isso?

- Sim.

- Vou desligar.

- Por quê?

- Harry, acabei de terminar o show, não vou gastar meu momento de descanso contigo. Tchau. - Desliguei a chamada e fiquei um tempo segurando o celular. Fiz uma tempestade com isso, com certeza ele vai notar algo.

“Deu algo errado? Você estava mais brava que o habitual.”

“Está tudo bem, Styles.”

Desliguei o aparelho e joguei nas minhas coisas. Logo um dos caras da staff retirou a mochila dali e eu não fiquei na ânsia de ligar o aparelho novamente para ver se ele mandou algo.

- (s/n), você precisa ver isso. - Norah correu até mim no ônibus e ergueu o tablet.

- Depois eu vejo. - Conectei o fone de ouvido no meu tablet e me deitei na poltrona reclinável perto da janela. - Preciso descansar.

- Não quer ver? Tudo bem, eu leio. - Bateu o pé me fazendo bufar. Retirei os óculos escuros e peguei seu tablet.

“Harry Styles foi visto nesta manhã em passeio com a modelo tailandesa Kanya Jittatad, os dois caminharam por uns minutos pelo shopping e em seguida pararam no restaurante para fazer uma refeição, saindo do local apenas às 18h. O que será que (s/n) (s/s) achou isso? Enquanto o Styles passeava com a modelo, a gata fazia um show aqui mesmo em Londres. Veja:” - E embaixo estavam as fotos do show. Que droga!

- E aí?

- Não posso fazer nada. - Devolvi seu aparelho e voltei a colocar meus óculos.

- Como? Liga pra ele, pergunta porque ele fez isso, reage (s/n)! - Praticamente gritou. Parecia que era com ela.

- Não, não vou fazer nada. Nós não namoramos de verdade, Norah. Não posso cobrar nada dele. - Olhei para a paisagem que passava rapidamente por meus olhos.

- Mas vocês passam uma imagem para o público e ele saindo com essa tailandesa bonitona na frente de todos vai fazer você ficar com fama e corna.

- Tudo bem, tudo bem! Eu vou falar com ele.

- O que houve? - Judith perguntou aproximando-se de nós e James vinha logo atrás. Norah contou o que houve e por algum motivo eu fiquei envergonhada, James me olhou de cara feia e disse que eu deveria cancelar esse contrato enquanto há tempo e pagar a multa.

Chegamos no outro lugar do show do dia e descemos do ônibus para ter acesso ao hotel, alguns fãs conseguiram fotos conosco e eu fui questionada por diversos deles sobre o encontro do Harry com a modelo enquanto ele deveria estar comigo. Fui breve e disse que ele apenas saiu pra conversar com ela e que eu sabia.

- (s/n), eu estava pensando que você deveria postar algo em alguma rede social sobre isso com o Harry. - Logan disse.

- Primeiro eu preciso falar com ele.

- E em seguida poste algo.

- Sim, senhor. - Joguei minha mala na cama do quarto. Logan saiu e eu liguei meu celular novamente Haviam 10 mensagens do Harry e 20 ligações.

- (s/n)? Onde estava? Por que não atendeu? - Disparou quando atendeu a minha chamada.

- Eu estava viajando.

- E está onde?

- Não é necessário você saber, mas bem, eu queria falar contigo sobre as notícias de hoje. - Tentei me manter a mais estável possível.

- É eu sei, me perdoe, por favor. É que…

- Eu só quero saber o porquê de não ter sido mais cuidadoso e ter saído com ela, mas sem que os fotógrafos vissem. - Falei e senti meu peito formigar. Eu havia mesmo dito aquilo? Em outros tempos eu não conseguiria aceitar tanto assim meu namorado, mesmo que por fingimento, sair com outra e eu saber disso.

- Eu… Você não…

- Se eu não ligo? - Interrompi-o.

- É.

- Claro que não. Você faz o que quiser, somos namorados de fachada, estamos nessa relação pra promover as nossas bandas. - É nessa hora que a música do Michael Bublé faz mais sentido.

- Tudo bem, na próxima eu serei mais cuidadoso. - Falou mais sério dessa vez, fazendo com sua voz ficasse mais forte e eu não consegui formar mais frase nenhuma. - Só isso?

- Sim.

- Vou desligar então.

- Ok. - Encarei o telefone com a chamada já finalizada. Que merda de vida que eu tenho, nem privacidade e nem um namoro de verdade eu posso ter mais.

(…)

Um mês se passou e eu quase não via o Harry, a história com a modelo cessou depois que o Harry declarou que eles eram amigos e ela estava precisando dele em algum assunto pessoal que eu não dei muita importância e acredito que a imprensa não acreditou, pois foi necessário os nossos empresários subornarem alguns jornalistas para que o assunto morresse.

- O que temos pra hoje? - Perguntei sentando-me à frente de Logan.

- Nada, por enquanto…

- Por que por enquanto?

- Não sei, talvez o Harry venha aqui pra te buscar.

- Talvez?

- É.

- Por quê?

- Porque… Possa ser que… - Tossiu.

- Que o quê?

- Que ele não queira. - Falou rápido.

- Não queira? Quem ele acha que é pra escolher alguma coisa, se é assim eu escolho… Escolho acabar esse namoro.

- Ah (s/n), não é assim. - Coçou a nuca.

- Você está me escondendo algo.

- Eu? Não! - Riu fraco.

- Conta logo, Logan.

- Calma, aconteceu um probleminha…

- Que probleminha?

- Logan, você viu minha jaqueta? - James entrou puxando seu cabelo loiro para trás. - Deixei aquela merda lá pela cozinha e não está mais.

- Não sei, James. Qual é o louco que deixa uma jaqueta na cozinha?

- Eu estava comendo e pra não sujar eu deixei num canto, alguém pegou, só pode. - Eu ainda encarava Logan. O que o Harry fez? - (s/a), você viu?

- Não. Vamos Logan, me diga!

- (s/n), fica pra depois. - Levantou-se, mas não andou.

- O que houve? - James olhou para nós dois com um pequeno sorriso. - Styles fez o quê agora? Assumiu sua homossexualidade e você está querendo saber o que o grande Logan acha que você deve fazer?

- Dá um tempo, James. - Pedi irritada. - Qual foi o probleminha, Logan?

- Ah! Eu sei! - James se meteu mais uma vez na conversa. - Deixa eu dizer, Logan! Por favor! - Bateu palmas como um otário e riu.

- Você sabe? Pois bem, me fale.

- Harry Styles disse que só faria com você o essencial, ou seja, aparecer em algum evento. Nem nos shows dele é pra você aparecer.

- Como?

- (s/n), eu ia te dizer depois, caso ele ainda insistisse nisso.

- Viu que eu te disse que ele não presta? - James riu. - Você foi burra, (s/a). Encontraram pra você o cara errado.

- E quem é o cara certo pra mim? - Gritei. - O Harry não é, eu sei, mas quem é? Você me enche o saco o tempo inteiro com isso. É algum amigo seu? Estão te pagando algo pra você fazer alguma espécie de ponte? Sim, porque isso é a sua cara! Você não é mais o mesmo James de antes! - Falei rápido demais e pude ver de canto de olho o Logan com os olhos arregalados.

- Sou eu! Eu é que sirvo pra você, porra! Sou o único que pode te fazer feliz de verdade. Já percebeu que desde que essa farsa começou que você não teve um minuto de paz? Aquela paz que você tinha antes? Esse homem é a tempestade na sua vida em forma concreta. E sim, eu mudei! Mudei porque você não me notava antes, eu tive que mudar meu comportamento e ser mais agressivo pra você me notar. Se eu sou assim hoje a culpa é sua! - Gritou. - E até tenho que te agradecer, pois eu sou muito melhor assim.

- James, eu…

- Você o quê? Você prefere se arriscar com o Harry? Vai lá, eu vou ter o prazer de te ver quebrada. E sabe pra quem você vai vir correndo? Para o James aqui. - Passou a mão pelo seu rosto. Eu não conseguia formar uma frase em minha mente para lhe dizer. - E quer saber? Eu vou estar aqui te esperando, como fiz desde que te conheci. - Jogou a camisa que segurava no chão e saiu da sala.

Vi James sair e continuei estática em meu canto, Logan segurou meu braço e só aí pude finalmente respirar direito. Eu podia ser uma otária, na verdade eu era, como uma mulher não percebe que o cara está a fim dela? Geralmente esse papel de trouxa é dos homens. Eu convivo com o James há três anos e mais um pouco. Realmente eu fui otária. Ele sempre era carinhoso comigo, até seu carro ele me emprestou quando o meu foi levado num assalto e eu não quis comunicar meu pai. Só depois de tudo o que ele disse eu pude pensar em tudo com clareza.

- Ele não te merece, ouviu? Mesmo que seja de mentira. - Ele voltou e continuou gritando. - Só o fato de ele estar perto de você já é o suficiente para eu dizer que ele não te merece. - Aproximou-se de mim e num momento de surto eu o beijei, com o pensamento de todas as coisas incríveis que ele fez por mim. Logan já deve ter saído da sala, já que não interviu.

- Que porra é essa? - Ouvi a voz grave de Harry próxima a nós. Separei-me de James rapidamente, ele riu e em seguida dirigiu seu olhar pra Harry.

- O que você está vendo.

- (s/n)? - Ele ignorou James completamente.

- Eu… É…

- Eu beijei sua “namorada”, qual o problema? - James fez aspas no ar e riu debochado. Ele não deveria ter feito isso, já que Harry foi até ele, puxou-o pela camisa e acertou um soco no rosto perfeito de James. Eu juro que não esperava por essa reação dele. James cambaleou um pouco, mas logo se recompôs e revidou o soco, mas na barriga de Harry.

- Parem! - Vi Harry se inclinar com a dor e James se aproveitar pra derrubá-lo. - Para James, por favor. - Tentei puxá-lo pela camisa, mas foi em vão. - Logan, ajuda aqui, pelo amor de Deus! - Gritei continuando a tentar puxar James. Logo Logan e Daniel apareceram correndo, sendo seguidos de Norah e Judith.

- Gente! O que foi, (s/n)? O que houve? - Judith me puxou para longe dos dois. - Fica aqui, você pode levar um soco de graça.

- Eu… Droga.

- Você e o James se beijaram e o Harry viu. - Norah completou.

- Como sabe? - Pelo menos consegui formar uma frase.

- Eu ouvi, mas não sabia que deu em briga, se não tinha aparecido logo com o Daniel.

- Eu vou te matar! - James gritou para Harry. Olhei-o assustada. - Você não gosta dela, você é gay! Essa ceninha é só pra tentar impressionar a moça, não é? Mas a (s/n) já sabe quem você é! - Tentou se soltar do aperto de Daniel.

- Logan, me solta. - Harry pediu de dentes cerrados e com uma voz calma, daquelas de dar medo, estilo psicopata.

- Harry, acalme-se. - Logan pediu. - Daniel, leve o James para o quarto e tente acalmar ele. Teremos uma conversa, James.

- Que se foda! - Gritou. - Ele não vai mais ficar com ela, ouviram? Chega dessa mentira, nem a (s/a) aguenta mais. - Olhou pra mim. - (s/n), acabe com isso, não pra ficar comigo, eu não estou te pedindo isso, só quero que você se livre desse peso, dessa humilhação que esse cara te faz passar diariamente. Não faça isso com você mesma!

- Cale a boca! Você não sabe de nada! - Harry soltou-se de Logan e foi pra cima de James. Eu fiquei ainda mais surpresa, Harry tinha a fama de ser um cara calmo, nunca imaginei que ele pudesse virar um selvagem desses quando está com raiva.

- Para! - Gritei já no meu limite e Harry cessou os movimentos me olhando. - Solta ele agora. - E assim ele fez. - Daniel, leva o James. Logan, vai com as meninas pra qualquer lugar. - Pedi olhando para Harry e ele devolvendo o olhar da mesma forma. - O que deu em você hein?

- O que deu em mim? O que deu em você pra achar que pode me trair? - Gritou.

- Primeiro, abaixa o tom! - Ergui o dedo bem próximo do rosto dele. - Segundo, trair? Nosso relacionamento é apenas promocional.

- Mas temos algo.

- Então eu também fui traída com aquela tailandesa lá.

- Ah, então é isso? Você fez sua vingancinha? Tava demorando. - Arrumou o cabelo bagunçado rapidamente.

- Vingancinha? - Ri. - Acha que eu me importo com isso? O que aconteceu aqui foi porque eu gosto do James e ele gosta de mim, o que é completamente diferente entre a gente.

- Mas você me beijou também!

- Eu te beijei? - Gargalhei. - As duas vezes foram por iniciativa sua.

- E eu gosto de você. - Disse um pouco mais alto.

- É mentira. - James gritou. Eles estavam ouvindo?

- C-como?

- Sério que você não percebeu? - Ergueu uma sobrancelha. - Porra! Você é bem lerda, não é?

- Gosta de mim, mas queria se afastar. Só queria fazer o essencial, não era?

- Eu fiquei bravo porque você não deu a mínima com a história da Kanya, nem triste você ficou. - Claro que eu fiquei, passei semanas numa tristeza horrível, mas eu não podia demonstrar nada, não queria ser tachada como idiota. - Quando você cancelou sua ida ao meu show aqui em Londres eu fiquei realmente triste, tudo piorou quando eu descobri que você na verdade estava numa festa com suas amigas. Eu sabia que estava misturando as coisas, mas aconteceu! Me aconselharam a te afastar porque seria melhor pra mim, já que você não dava a mínima e isso me magoaria. Eu me apego fácil, (s/n).

- Eu também. - Sussurrei e Harry arregalou os olhos.

- Você também o quê?

- Harry, eu preciso que você vá embora agora.

- Mas me diz, por favor… Você o quê?

- Depois. - Fui até a porta e abri. - Por favor.

- Amanhã eu volto. - Saiu sem esperar por resposta.

Sentei-me no sofá e soltei todo o choro que eu segurava. Momentos com o Harry confrontavam minha trajetória de três anos com o James, o que um fez por mim era comparado com o que o outro fez e eu não conseguia escolher. Judith aproximou-se junto com Norah e as duas me abraçaram.

- Você vai ter que se decidir logo antes que os dois estourem e prejudique todos nós.

- Eu sei. - Desabei novamente. A minha banda estava por um fio por minha culpa, talvez o certo seja que eu saia.

(..)

- Esse é o seu último aparecimento em público com o Styles. - Logan disse. Havia se passado três dias, no dia seguinte a briga eu pedi para que Logan avisasse ao Harry para não vir ao meu encontro,eu não estava preparada. Esses dias não nos falamos e James pediu para que entre nós dois ficasse tudo normal, pois ele não queria um clima ruim na banda. Eu concordei sem hesitar.

- Ok.

- Depois disso é adeus contrato.

- Ótimo. - Coloquei mais um pouco de rímel e levantei-me.

- Está linda.

- Obrigada.

- Só melhore um pouco esse rosto. - Segurou meu queixo. - Tudo vai se acertar. - Concordei e ele fez menção de sair, mas voltou.

- Você gosta dele?

- Qual dos dois? - Ri fraco.

- Harry.

- Gosto. - Respondi depois de pensar um pouco.

- E o James?

- Gosto também. - Suspirei. - Mas é um gostar de irmão, sabe?

- Sei. E por que você não conta pra ele?

- Não quero magoá-lo.

- E você se magoa no lugar dele?

- O Harry não gosta de mim.

- O que ele disse não vale?

- Será que era mesmo verdade?

- Bem, eu acredito nele. Mas isso é com você, minha querida. - Beijou minha testa e foi até a porta. - Ah, só mais uma coisa. - Ergueu o dedo. - Você é a minha preferida. - Piscou o olho me fazendo rir e saiu.

- Oi. - Harry disse encarando a rua quando entrei no carro.

- Oi.

- Quer ir pra onde?

- Pra casa. Posso?

- Não. - Trancou as portas e riu. - Você sempre tentando fugir de mim. - Finalmente olhou pra mim. Eu disse mesmo finalmente? Não, eu não preciso do olhar dele sob mim.

- Eu não. - Ele sorriu. Sim, eu preciso. - Podemos ir numa festa, lá está cheio de gente famosa e fotógrafos, como você gosta.

- Eu não gosto. - Fez careta.

- Mas temos que cumprir o contrato.

- Foda-se. - Sorriu de canto e dirigiu rapidamente pelas ruas desertas. Eu assustei-me com isso. Por quê? Só porque o Styles era um péssimo condutor e dirigia muito, mas muito devagar. - Bem-vinda.

- Uou. - Saí do carro antes de ele abrir a porta pra mim. - De quem é?

- Minha. - Abriu a porta principal da sua casa, ou melhor dizendo, mansão. - Em breve você terá uma assim também. - Riu e segurou na minha mão para que eu entrasse já que eu estava parada no hall como uma boba.

- Você não se perde aqui, não?

- Sim, às vezes uso plantas da casa, gps, rastreador… - Olhei-o surpresa e ele gargalhou. - Brincadeira. Eu já conheço cada canto daqui.

Conversamos por um bom tempo e não falamos sobre o ocorrido há três dias atrás, Harry pediu ajuda para preparar o jantar, mas na verdade quem fez fui eu (muito mal feito) e ele só atrapalhou. Não éramos muito bons nisso. Rimos ao experimentar a comida, realmente estava uma porcaria, mas era comível e assim fizemos, comemos.

- Se eu disser que tem um pouco de molho na sua boca, isso vai ser clichê demais? - Ele perguntou e eu gargalhei. Tudo fruto das quatro garrafas de vinho que tomamos.

- Você quer me beijar? - Perguntei. Só falei isso porque estava bêbada, com certeza.

- É, eu quero. - Riu saindo do sofá em que estava e sentando ao meu lado no chão. Sim, eu preferi ficar sentada no chão e até isso na casa dele era agradável.

- E por que não faz?

- Estou com medo de você me bater depois disso. - Sorriu e eu ri. Fiquei de joelhos, segurei seu rosto com as duas mãos e o beijei. Durante o beijo as mãos de Harry ficaram grudadas na minha cintura e a minha direita saiu do seu rosto para os seus cabelos. - Dois a um. - Falou após quebrarmos o contato.

- Oi?

- Você que me beijou agora.

- Ah, nojento! - Bati em seu ombro. - Isso foi um plano, Styles? - Rimos. Meu Senhor, o que a bebida não faz?

- Foi. - Puxou-me para seu colo e nos beijamos novamente. - Eu gosto mesmo de você, (s/a).

Acordei com uma dor horrível de cabeça. Isso era típico de quem bebeu a noite toda e só lembra de pequenos pedaços do que aconteceu. Óbvio que quem bebeu demais não esquece o que aconteceu no dia anterior, mas eu não lembrava de tudo e ver Harry ao meu lado num quarto que eu deduzo ser o dele não me ajudou muito.

- Harry? - Chamei-o cutucando seu braço. Eu pelo estava vestida do mesmo jeito de ontem.

- Hm.

- Acorda. - Chacoalhei mais forte e ele abriu apenas um olho e sorriu. Se eu não estivesse sentada provavelmente cairia ao vê-lo dessa forma. Só eu acho que ele deveria ser proibido de fazer essas coisas?

- Oi.

- Oi. É… O que eu estou fazendo aqui?

- Estava dormindo, certamente. E agora está atrapalhando o meu sono.

- Você sabe o que eu perguntei.

- Bebemos ontem e eu te trouxe pra cá. - Abraçou o travesseiro.

- E…

- Não. - Me cortou e riu. - Você bem que tentou.

- O quê?

- Brincadeira. - Riu mais ainda.

- Preciso ir embora. - Fui levantar da cama, mas ele me segurou.

- O nosso contrato acabou ontem.

- Eu sei.

- Mas eu não quero perder o contato contigo.

- Nem eu.

- Ótimo. - Sorriu e eu também. Ajeitei-me rapidamente e fui para casa do Logan.

- Finalmente chegou. - Judith disse.

- Olá.

- Safadinha. - Norah riu. - Dormiu com o Styles, não foi?

- Você dormiu com ele? - James gritou. - O que você tem na cabeça, (s/n)?

- Fala baixo. - Toquei a minha cabeça.

- Está de ressaca? - Daniel gargalhou me entregando o seu copo de água. - Vou pegar um comprimido.

- Então calma aí, ele se aproveitou de você, foi isso?

- Não, James. Para!

- Você sabe que o contrato acabou, não é?

- Sei.

- E sabe que está livre dele e não tem mais nenhum compromisso, não sabe?

- Sei, porra. Agora me deixa. - Peguei o comprimido da mão do Daniel e fui para o corredor que dava acesso aos quartos. - Aliás, depois aparece no meu quarto que eu quero falar contigo. - Disse pra ele que assentiu.

“(s/n) (s/s) foi vista essa manhã saindo da casa do seu namorado, o cantor Harry Styles. A cantora chegou acompanhada do Styles ontem à noite e só hoje deixou o local. Os dois mesmo com vários compromissos não deixam de se ver, algo bastante incomum hoje no meio artístico, mas há quem diga que o casal enfrenta conflitos e que o namoro está por um fio. Será mesmo?” - A apresentadora do programa disse. O que ela acha de se preocupar em trocar o silicone caído dela? Desliguei a TV ao ouvir uma batida na porta do meu quarto.

- Entra.

- Oi, você disse que queria falar comigo. - James entrou sem jeito.

- É. Senta aqui. - Apontei para a minha cama.

- O que houve?

- Quero falar sobre nós. - Ele sorriu.

- James, o que temos é algo… De irmãos. - Seu sorriso sumiu. - Eu descobri ontem que o que eu sinto por você é amor sim, mas de irmão, entende? Eu me preocupo contigo, considero tudo o que você fez por mim, mas isso não me faz sentir amor por você como homem, um cara pra namorar comigo. Você pode me fazer feliz sim, mas ao meu lado como o amigo que você sempre foi.

- Tudo bem. - Respirou fundo. - Eu sabia que você iria optar por ele.

- Não escolhi ninguém. Eu escolhi eu mesma. - Ri. - Não vou ficar com o Harry, seremos amigos também.

- Sério?

- É.

- Sabia que ele era gay! - Bateu na cama e riu. - Olha amor, não estou irritado contigo por sua escolha. Só queria que você me desse uma chance, mas se não há sentimento da sua parte, eu não posso te obrigar. O que me resta é sair por aí passando o rodo. - Gargalhou.

- Estou com o pressentimento que você já tem alguém em mente.

- Um garota aí. Conheci ela ontem.

- Que bom, James. - Sorri e segurei sua mão. - Você e Daniel são meus amigos, mas há uma diferença de sentimento entre vocês. Você é como um irmão.

- Obrigado. - Beijou minha mão. - E desculpe por tudo.

- Quero que você seja feliz.

- Eu também quero que você seja feliz. E não vá achando que eu vou deixar de me preocupar contigo.

- Eu não quero.

- Bom. - Riu e beijou minha bochecha. - Pelo menos beijei você e tirei a vontade de anos, agora posso morrer em paz. - Gargalhou e eu joguei meu travesseiro nele. - Fui. - Soltou um beijo no ar e fechou a porta. Fiquei feliz com a reação dele e me senti mais livre realmente. Eu estava livre do sentimento de estar maltratando o James e livre do Harry…

“(s/n) e Harry anunciam fim do namoro. Fãs do casal pedem retorno nas redes sociais e até sobem tags no Twitter.” - Dois dias depois do contrato acabar eu li a primeira notícia sobre o fim do namoro.

- Vai ficar tudo bem, depois elas se acalmam. - Logan disse.

- É.

(…)

- Sabe o que temos pra hoje? - Norah gritou correndo até nós.

- Já sei. - Ri sendo puxada para um abraço.

- Vamos nos apresentar na premiação da Billboard! - Norah disse para Judith.

- (s/n), por que você não me disse? Que droga! Agora você ter que retocar meu cabelo as pressas. Estão vendo essa cor de salsicha? Cruzes. - Saiu correndo e nós rimos.

- Norah, vem fazer minhas axilas. - Daniel gritou.

- Calma, seu palhaço. Não precisa gritar pra casa inteira ouvir.

- A casa não tem ouvidos. Vem logo. - James chegou na sala e se sentou rindo.

- Bom, tudo voltou ao normal. - Sentei-me ao seu lado e ele me abraçou pelos ombros.

- Verdade. Eu estava com saudades disso.

“Será um prazer me apresentar ao seu lado hoje à noite.

Um grande abraço do seu fã número 1.”

- Fã número 1? - James ergueu uma sobrancelha.

- Harry. - Bloqueei o celular.

- Ah. Vocês continuam tendo contato?

- Só por mensagens, às vezes.

- Hm. Você gosta dele?

- Gosto.

- Como… Bem, como homem?

- É. Eu acho. - Ri.

- Olha, seria uma pena se… ele fosse gay.

- Jesus, quando você vai parar com isso? - Perguntei rindo e ele me acompanhou.

- Eu estou só brincando.

- Eu sei bem.

A hora da apresentação foi se aproximando e cada minuto que se passava eu ficava mais nervosa. Essa era a nossa primeira apresentação em uma premiação, nós já havíamos ganhado três prêmios e não podíamos estar mais felizes. Eu não desgrudava o sorriso do rosto.

- Os amadores ganharam prêmios? Que novidade! - Louis provocou rindo. - Olá, querida. - Me abraçou.

- Olá.

- Os velhacos até agora só ganharam um. - Daniel revidou.

- Por enquanto. - Liam disse.

- Me prometam que um dia vão parar com essas briguinhas?

- Sim. - Louis e Daniel disseram.

- Mostrem as mãos.

- Ah (s/n), qual é? - Louis revirou os olhos.

- Ele estava de dedos cruzados. - Niall entregou.

- Viu só? Agora prometam, por favor. - Após bufarem eles prometeram. - Obrigada.

- O mundo inteiro agradece. - Harry disse. - Você está lindíssima.

- Valeu. E você nem tanto. - Olhei-o dos pés a cabeça fazendo-o rir.

- Deixe uma fã minha ouvir isso. - Piscou o olho. - Vamos subir?

- Já? - Arregalei os olhos e Louis riu.

- Amadores. - Sussurrou.

- Oi Louis? O que disse?

- Eu? Nada, querida. - Sorriu e beijou minha bochecha. - Adoro você.

A música que iríamos cantar falava de um amor perdido, que foi levado por uma escolha feita errada. Logan fez com que Daniel e James se juntassem com os rapazes para compôr. O resultado ficou incrível e havia uma parte que eu e Harry cantaríamos juntos, portanto nem preciso dizer que a imprensa inteira estava esperando por esse momento.

Logo a melodia soou e eu sentei-me em um sofá que fazia parte da decoração do palco. Harry após terminar seu solo sentou-se ao meu lado, depois de Louis e Judith era a nossa vez. Ele sorriu e segurou minha mão sussurrando um “fica calma que vai dar certo” e ao terminar nossa vez chegou. Cantamos um olhando para o outro justamente na parte que falava sobre dar uma segunda chance para o que poderia se tornar amor de verdade. Nem preciso dizer que gritos e mais gritos foram ouvidos.

- Vocês foram muito bem! - Logan bateu palmas quando chegamos aos bastidores. - (s/n), Harry… Eu estou arrepiado. A parte de vocês foi a melhor.

- É verdade, tenho que concordar. - Louis chacoalhou a cabeça me fazendo rir.

- Obrigado. - Dissemos juntos.

- Bom, vamos beber uma água pessoal. - Logan acha que não, mas eu vi ele piscando o olho para os outros enquanto os puxava.

- Eu disse que você canta muito. - Harry elogiou.

- Disse mesmo. - Ri olhando para o chão. - E você também. - Levantei o rosto para olhá-lo e ele tinha um sorriso enorme no rosto.

- Eu acho que não tivemos oportunidade pra nos conhecer como todas as pessoas normais, então eu queria…

- Nós já nos conhecemos e estamos na frente das pessoas normais. Eu te conheço tanto que já sei o que você quer, Harry. - Ele riu coçando a cabeça.

- Eu quero uma segunda chance. Na verdade a primeira, se pensar bem.

- E você acha que a minha resposta é qual?

- Que não.

- É… Realmente você não me conhece. O que acha de recapitular o que estava dizendo sobre encontro de pessoas normais mesmo? Você precisa me conhecer. - Ri da sua cara de surpreso. - É claro que eu quero essa segunda chance pra gente.

- Uma oportunidade verdadeira agora.

- É. - Continuamos nos encarando. - Você está com bloqueio?

- Por quê?

- Droga, me beija. - Puxei-o pela nuca e o beijei. Pude ouvir alguns sussurros perto de nós e podia jurar que todos estavam perto de nós vendo e ouvindo tudo.

- Dois a dois. - Ele disse rindo após o beijo.

- Para com essa contagem de babaca.

- Fico feliz que vocês voltaram. - Logan riu batendo nas costas de Harry.

- Agora é de verdade, Logan. - Ele disse.

- Cuida dela, ouviu? Não quero bater em você de novo. - James falou acompanhado de duas mulheres loiras como ele.

- Até parece. Eu acertei mais socos em você e foram todos nessa cara aí. - Harry disse fazendo Louis gargalhar.

- Vocês brigaram? - Liam perguntou.

- Sim.

- Mas é caso passado. - James disse erguendo a mão pra ele. - Não vou ser seu amiguinho, ver futebol ao seu lado e nem dividir uma cerveja contigo, mas você vai namorar minha melhor amiga, então quero tirar esse clima chato entre a gente. - Olhei pra Harry e ele apertou a mão de James.

- Está tranquilo. - Pôs a mão na minha cintura. - Ele é bem bobo, não é? Apertar as mãos não vai tirar a raiva que eu tenho dele por me chamar de gay. - Eu ri junto com ele recebendo mais um beijo. Desse jeito eu não vou conseguir ficar um dia sem ele. O cara tem um beijo maravilhoso, me faz rir sempre, tem um cheiro incrível, cabelos que dá vontade de mexer o tempo todo, olhos que se você olhar por muito tempo você perde a noção de onde está e até do que está dizendo… Eu tenho sorte por ter ele agora.

“Aleluia! Harry Styles e (s/n) (s/s) atendem o pedido dos fãs e anunciam o retorno do namoro. Harry postou uma foto com a namorada em sua conta do Instagram com a legenda ‘estamos de volta’, e apenas isso incendiou o fandom esta manhã. Felicidades ao casal!”

Jess

E mais: continuou absorvendo o problema de todos embora soubesse que não haveria ninguém capaz de fazer o mesmo por ela. Menina tola, sabia que toda ação possuía uma reação, e que nem toda reação seria um espelho de sua ação. Enquanto distribuía abraços não encontrava uma mão amiga. Enquanto falava palavras bonitas o seu estoque de amor próprio estava em falta por pelo menos uns dez anos, e isso não parava por aí não, quem dera se parasse. O seu amor próprio estava em falta por pelo menos uns dez anos, e a cada dia se tornava mais difícil conseguir recuperar-se de toda essa podridão.
—  Os porquês de Amélia Roswell.
A verdade é que eu te amo e irei amar por pelo menos uns 50 anos, nunca irei desistir de nós, porque quando te olho ou até mesmo quando penso em você, tenho a certeza de que é contigo que eu quero passar o resto da minha vida, assim como diz a nossa música: “nós deveríamos ficar juntos”, e eu tenho toda a certeza do mundo de que vamos.
—  Eduarda Batista.
CAPÍTULO 18: O REENCONTRO

Clara: Oi Van, tudo bem?

Vanessa sabia que reencontrar Clara não seria fácil, tinha consciência de que apesar do pouco tempo que conhecia a loira já havia de certa forma se envolvido, mesmo não querendo admitir o tamanho do envolvimento. Mas foi quando escutou novamente aquela voz, aquela vozinha que tanto havia encantado Vanessa desde a primeira vez que Clara havia aberto a boca, foi que Vanessa percebeu que teria que ser muito mais forte do que havia imaginado, teria que buscar forças de algum lugar pra afastar aquele sentimento de saudade, de desejo… Optou por se agarrar à raiva que ainda sentia, era a melhor forma de impor uma barreira entre elas.

Van: Oi. Tudo ótimo. – Disse friamente.

Aquele tom de voz foi um banho de água gelada em todas as expectativas que Clara pudesse ter criado para aquele reencontro. Havia imaginado que se Vanessa tinha aceitado fazer as fotos era porque já não estava tão brava com ela, mas a forma como Vanessa a olhava, de maneira distante, e o jeito rude com que falou deixaram claro que a raiva ainda estava ali presente e que Clara estava longe de ter sido perdoada por algo que ela sequer tinha culpa.

Clara sabia que no meio do saguão do aeroporto não era o melhor lugar pra tentar puxar assunto e talvez esclarecer as coisas, decidiu que esperaria até estarem no avião, afinal, lá Vanessa não poderia fugir da conversa e elas teriam tempo para colocar os pingos nos is.

Clara: Fico feliz em ouvir isso, pena eu não poder dizer o mesmo. – olhou com uma carinha triste ameaçando fazer biquinho.

Aquilo quase derreteu Van, ela teve que pensar rápido em uma forma de desviar o olhar daquela boca e daquele olhar de cachorro pidão, aquilo já era demais, beirava a maldade.

Van: Hum… Estamos atrasadas, vamos que não quero perder o voo. – disse se afastando de Clara e caminhando em direção ao balcão para fazer o check in.

Já no avião as duas se sentaram lado a lado, Vanessa até havia tentado trocar de lugar mas a aeromoça havia explicado que todos os demais acentos estavam ocupados e que não havia possibilidade de atender o pedido de Van. Clara preferiu ignorar a atitude infantil da loira e esperar até que pudesse iniciar a conversa. O avião já havia decolado, e Van, que estava sentada na poltrona ao lado da janela, fingia olhar as nuvens. A mão de Clara estava suando de nervoso e ela estava inquieta, mas tinha que tomar uma atitude.

Clara: Van, precisamos conversar! – soltou de uma única vez.

Van: É sobre as fotos que iremos fazer? – perguntou sem nem mesmo tirar o olhar da direção que olhava.

Clara: Claro que não, Vanessa! Você sabe muito bem sobre o que! –

Van: Não Clara, eu não sei! Nós não temos nada a tratar que não seja relacionado com questões profissionais, fora isso não há mais nada! – disse virando o olhar e encarando Clara.

Clara: Poxa Van, não precisa me tratar desse jeito. Eu pensei que por você ter aceitado vir nessa viagem estaria aberta a esclarecermos as coisas… – disse cabisbaixa.

Van: Pensou errado Clara. Vou esclarecer as coisas pra não ter mal entendido durante essa viagem: Eu só vim porque essa é uma excelente oportunidade de trabalho e como já havíamos combinado com a Fabrícia eu não iria quebrar o contrato e depois ficar mal vista por ela e pela empresa contratante. Você sabe como é difícil se firmar neste meio e qualquer besteira você fica mal falada e nunca mais consegue um trampo…

Clara: Mas…

Van: Ainda não terminei! Esses foram meus motivos para estar aqui e se não houvesse um contrato eu teria pulado fora. Então espero que entenda que nosso relacionamento nesta viagem é estritamente profissional e qualquer coisa além disso não me interessa. Iremos fazer essas fotos, darei o melhor de mim e tenho certeza que você também, o trabalho ficará perfeito e depois disso não seremos obrigadas a nos ver novamente.

Vanessa termina de falar e coloca um fone de ouvido virando o rosto novamente para a janela, sem dar a mínima chance de Clara falar uma palavra sequer. Aquilo havia doído em Van, ela teve que virar o rosto pra não voltar atrás, aquele olhar triste de Clara a amolecia e ela não podia ser fraca, não agora!! Ela sentiu Clara se levantar e sair em alguma direção e foi então que se permitiu deixar uma lágrima escorrer pela sua face.

Clara não aguentou, teve que sair dali… Ter que escutar tudo aquilo já era muito, não iria desabar bem na frente da responsável pelo seu desespero. Ela foi para o banheiro, ficou lá por pelo menos uns 20 minutos chorando, tinha que deixar as lágrimas caírem, era sua forma de desabafar já que ali não podia gritar.

Clara não entendia o que estava acontecendo, ela era uma mulher casada, amava seu marido, que era um homem que também a amava e a respeitava, aceitando sua forma de viver e amar. No campo amoroso ela era uma pessoa completa, pelo menos era o que ela achava e repetia para si mesma. Mas então porque ela estava ali, em um banheiro minúsculo de avião, com os olhos vermelhos e inchados de tanto chorar e sentindo uma dor no peito ao lembrar as últimas palavras de Van: “… depois disso não seremos obrigadas a nos ver novamente.”.

Clara: Então vai ser assim? Vai me ignorar e jogar tudo fora sem nem mesmo me deixar falar? Sem eu ter a chance de explicar? – Clara falava sozinha no banheiro.

Clara: Se é tão fácil assim então eu não significava nada pra ela! Só eu gosto dessa puta, ela não gosta de mim! Quer saber de uma coisa? Eu vou esfregar na cara dessa vagabunda o que ela tá perdendo, vou fazer ela ver tudo o que ela tá abrindo mão! – disse abrindo um sorriso safado no canto dos lábios e limpando as lágrimas.

Van podia até gritar para os 4 ventos que não queria mais saber de Clara, mas a loira tinha certeza que o desejo de Van por ela ainda estava presente, não havia como Vanessa ter perdido em tão pouco tempo todo aquele tesão que ela havia demonstrado naquela noite, e Clara usaria isso a seu favor. As fotos seriam sensuais e essa era a oportunidade perfeita para Clara de provocar Vanessa sem que a loira pudesse fugir. Se havia uma coisa que Clara sabia fazer era usar o corpo, e naquele momento decidiu que faria o estúdio fotográfico pegar fogo!


Nota da Autora:
Obrigada a todos que acompanham a fic! Fico muito feliz com os comentários que recebo e estou sempre a disposição de vcs!! Qualquer coisa falem comigo por aqui ou pelo TT @LulacaVilaca. Beijos :*

Math, me desculpa por te escrever de novo, é que quando te olho nos olhos eu vejo dor e esperança. É estranho e encorajador. Me dá vontade de ficar por perto. Seu coração parece ser bom. E não sei se te parabenizo ou te abraço e choro contigo. O meu coração ainda dói um pouco. Sinto como se tivessem esvaziado meu reservatório de amor por pelo menos uns 2 anos. Eu sei que você sabe como me sinto. Um amigo me falou que ainda existem pessoas “de verdade” por ai, mas elas estão amando as pessoas “de mentira”. Ele deve ter razão. Espero que, como eu, elas tenham o colo de alguém pra desabar. E que tenham sempre força pra recomeçar. Porque o mundo tá lotado de gente ruim. As vezes eu deito e me pergunto quando tudo isso vai acabar. Math, eu não tô mal. Hoje eu até ri bastante. E me sinto feliz de verdade. Sem aquela ansiedade estranha de que tudo aquilo pode acabar. Feliz comigo, entende? Mas de vez em quando uns lapsos de memória me machucam. No meio do riso. No final do filme. Na introdução daquela música do Henrique Cerqueira. Mas sabe aquela ferida exposta? Tá quase completamente cicatrizada. Ainda bem que tudo passa, Math. Ainda bem.
—  A menina e o violão.