polegares

queria que a vida viesse com manual de instruções pra ter onde procurar respostas quando fico perdida. outro dia eu fui à igreja e me disseram que deus quer cuidar de mim, mas eu gosto tanto de ser independente que fui embora no meio e acendi um cigarro logo que passei pela porta. já me basta a minha necessidade de ser seu, me entregar a mais um é loucura demais e minha cabeça não aguenta tanto. gosto de ter quem olhar nos olhos e esquecer todos os meus medos enquanto passeio por suas costas com meu polegar esquerdo. essa coisa de amar é foda. sempre me doo mais do que recebo em troca, fico partido enquanto pro outro sobra. e uma hora, quando você for embora e largar tudo que te dei quebrado num canto, vou passar metade dos meus dias me montando enquanto torço pra te ver voltar e querer ficar. e ao invés de me destruir, me cuidar.

Sem nenhum medo de te quebrar, tento te tocar normalmente mas sempre acabo tendo um cuidado excessivo. Passo o polegar pela sua bochecha e sinto o calor e a fragilidade de uma pele imperfeita e marcada. Penso em como seria a sensação se ela fosse macia e lisa. Talvez fosse mais confortável ao toque, mas ela ainda contaria uma história? As marcas de acne da sua pele me dizem que você é normal, que passou pelas mesmas inseguranças da juventude que eu. Elas me lembram do quanto somos parecidos e de que eu posso te entender perfeitamente sem que você diga uma palavra, pois me sinto uma parte de ti. E, espero que, assim como na sua pele, eu consiga te lembrar algo no futuro. Farei de tudo para que seja felicidade.
—  Solstício rosado.
Unfinished Business ♛ Trevans Rise

f l a s h b a c k❞ @fallonthesky

Georgia demorou um pouco para compreender que as mensagens que acabara de receber de Fallon eram reais. Custara-lhe segundos para reconhecer que finalmente respondera as mensagens da melhor amiga, sendo que vinha ignorando-a a quase uma semana. Observando o aplicativo ainda aberto, o polegar subindo e descendo para que relesse a conversa, parecia que estava até que bem com aquilo. Inclusive, bem para conseguir se mover e avisar a mãe que dariam um breve passeio.

Enquanto via a mãe se arrumar, estranhamente como se tivesse acabado de saber que teria que dar uma aula extra na universidade, Georgia usou o tempo escorada no batente da porta para ter um parecer de seus sentimentos. A última coisa que queria era estragar mais um encontro na companhia de Fallon. Já estava traumatizada demais e não queria ser a responsável por mais uma reviravolta desagradável. 

Principalmente porque estaria no território dela. Um mundo totalmente diferente da maneira com que vivia e lidava com a realidade. Não podia se dar ao luxo de pagar mico ou de ser antipática, essa última impressão que vinha distribuindo a torto e a direito a quem se atrevia a puxar assunto.

Perdera as contas de quantas vezes tivera que pedir desculpas à mãe por suas grosserias e suas patadas repentinas. Motivos que a fizeram ser perseguida dentro da sua própria casa. Sendo até proibida de passar mais tempo que anormalmente vinha passando enfurnada no quarto. Por terem vivido por 16 anos juntas, agora 17, Prudence a conhecia na palma da mão. Sabia como ativar, reativar e desativar seus sensíveis botões. 

Mesmo que estivesse relativamente bem agora, Georgia sabia que carregava os resquícios da experiência que lhe rendera uma de suas primeiras grandes decepções. Parecia aquele finzinho de resfriado, que deixava o nariz irritado e a garganta coçando freneticamente. A cura só viria com o tempo e não via a hora de se ver livre daquele desconforto agridoce que ainda lhe perturbava durante a noite.

Keep reading

Acting we’re just friends, pretending we’re lovers | YoonJung

Durante todo o caminho de volta do cinema, Dani ficou comentando sobre o filme, ela tinha ficado encantada com tudo o que acabara de ver. Desde criança ela amava o mundo os super heróis, sempre deixando claro a sua preferência pela DC Comics e esse era um dos motivos por seu encantamento perante o filme de Esquadrão Suicida. Uma vez no apartamento que dividia com as outras meninas do HOTPINK, Dani livrou-se dos sapatos e ficou sem saber o que fazer em relação do rapaz que lhe acompanhou até ali, quer dizer, ela sabia bem o que gostaria de fazer, mas não sabia se deveria fazer. - Bom, essa é a minha casa. - Fez um apresentação simples do apartamento moderno, só que ao mesmo tempo modesto.

Dirigiu-se até a geladeira, onde pegou uma garrafa d’água. - Quer alguma coisa? Água, refrigerante, soju… Eu não sei… - Passava a unha do polegar entre os dentes da tampa da garrafa de água. Estava se sentindo nervosa, claro que aquela não era a primeira vez que a loira ficava sozinha com um garoto e muito menos com Yoonchan, mas apesar do que mostrava pro mundo, ela nunca foi muito boa em ter iniciativas e isso era uma das sequelas de sua infância, quer dizer, parte daquela insegurança vinha de tudo o que tinha sofrido em parte de sua vida escolar.

Procurando Por Seu Amor Perdido

Capítulo 26  :

Uma parte dela se negava a continuar com essa pantomima, mas lhe custava dizer que não. Sacudiu a cabeça para negar-se, mas Arthur, que seguia com a mão em sua bochecha, deteve o movimento enquanto lhe acariciava os lábios com o polegar.

– Não vai haver nenhum tipo de pressão, promessas nem obrigações. Estaremos os dois sós em um complexo hoteleiro na praia. É um começo, é tudo o que te peço. Só o que estiver disposta a me dar.

– Mas o bebê…

– Nunca faria nada que pudesse pôr em perigo seu bem-estar. Terá que ir ao médico para que ele te dê um bom parecer para viajar.

Tinha que reconhecer que a ideia era muito tentadora. Arthur estava pedindo que fosse com ele, não o ordenava. Essa situação a devolveu ao passado durante uns segundos e recordou quão carinhoso tinha sido sempre com ela. Mas sabia que não tinha futuro, nunca poderia estar com um homem que não confiava em sua palavra, e sabia que lhe custaria muito trabalho despedir-se dele depois de passar uma semana juntos na praia.

Ficaram uns segundos em silêncio. Depois, decidiu que o faria.

Não sabia muito bem por que, pensava que não iam esclarecer nada, mas queria passar esse tempo com ele antes de seguir adiante com sua vida. Assentiu com a cabeça e viu que Arthur suspirava aliviado.

Acreditava que fingia muito bem a sua preocupação com ela, mas não acreditava possível. Se fosse assim, nunca a teria afastado de seu lado e seguiriam juntos, esperando com ansiedade a chegada de seu primeiro filho.

– Iremos esta tarde ao médico. Se nos disser que pode viajar, voaremos amanhã mesmo. Assim deveria aproveitar esta tarde e esta noite para descansar. Assim que chegarmos ao hotel, o mais duro que terá que fazer cada dia será caminhar do quarto à praia e da praia ao quarto.

— Quero quartos separados – pediu ela.

– Já reservei uma suíte. — Franziu o cenho ao ouvi-lo, mas decidiu não protestar. –Não se arrependerá, Lua – disse Arthur– Podemos fazer isto, podemos arrumar as coisas.

Fechou os olhos ao ouvir suas palavras. Arthur falava com tanta intensidade que não era difícil deixar-se seduzir pelo que dizia.

Mas sabia que não iam poder avançar até que falassem do que tinha ocorrido no passado. E ela não queria ter que recordar o pior dia de sua vida, quando não encontrou ninguém que acreditasse.

~~-~~

O médico lhes disse que uma semana de descanso e relaxamento era justo o que Lua necessitava e recordou que devia ir ao hospital mais próximo se os pés inchassem mais ou tivesse algum outro sintoma de pré-eclâmpsia.

Enquanto falavam com ele, Lua olhou de vez em quando para Arthur. Este escutava com atenção cada palavra do doutor, como se fosse um preocupado marido e pai. E não lhe agradava vê-lo tão interessado, justamente o contrário.

Quando retornaram ao apartamento de Arthur, encontraram várias bolsas no vestíbulo. Eram de lojas de moda feminina, inclusive uma da loja de lingerie mais famosa da cidade.

– Maravilha, parece que Chay trouxe o que pedi – comentou Arthur ao ver as bolsas– Tudo isto é para você, para a viagem.

Levou-as a sofá e fez um gesto para que se sentasse e fosse olhando as coisas. Um pouco confusa, foi ao sofá.

Encontrou vários vestidos de gestante para a praia, algum de noite, trajes de banho, sandálias e vários conjuntos de lingerie.

Arthur tinha pensado em tudo e tinha acertado com os tamanhos.