Traigo un desmadre en la cabeza
se puede agrupar por estaciones
colores, canciones
y situaciones que no fueron
y cuando busco en mí
me encuentro como un cuerpo
del cristal más fino
mi agonía reclama una partida
mis ojos se cubren de lagunas
todos los planetas de mi sistema
están deshabitados
como si alguien me hubiera
despojado de lo que soy
¿Qué le pasó a todas mis ganas?
¿A dónde se dirige la felicidad
que ahora me debe la nostalgia?
Y a la hora de recordar
me inundo de pesadez
y no sé a hacia que dirección
se debe caminar para cicatrizar
—  La composición sentimental del universo, Quetzal Noah
Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o  amor ainda nao foi embora, mas o amado já.
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um  presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida.
Saudade é sentir que existe o que não existe mais.
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para tras,
é o gosto de morte na boca dos que continuam.
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
“aquela que nunca amou.”
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.

“O maior dos sofrimentos
é nunca ter sofrido.“

 Pablo Neruda