Finge com os braços que não
tem saudades dos meus abraços,
finge ao virar o rosto que não sente
falta dos meus beijos e carinhos,
mas eu sei que tem saudades até
do que não chegamos a viver.
Eu sei disso, eu sei porque os olhos
não conseguem esconder o que
o coração grita querer.
—  Gustavo Pozzatti
Não é bonito quando o coração acelera,
a barriga gela, as pernas tremem,
as pupilas dilatam, o amor desabrocha,
é impressionante como nosso corpo
reage a aproximação da pessoa amada,
o mundo invisível existe e ele se
apresenta em momentos assim,
quando o amor toca, nosso corpo
é como sino, nossa alma como melodia.
Somos vibrações percorrendo pelo
vento, sentindo amor através do
espaço e do tempo.
—  Gustavo Pozzatti