Todos lloramos al nacer pues salimos del regalo del mundo que es un vientre.
Los felices padres reciben nuestra tristeza inocente en sus brazos.
Y así vivimos, vivimos y crecemos cada día tratando de acostumbrarnos a esa nostalgia.

José Antonio, Vuelta y Giro.

[nº 180] Our Weeds

Show me mine,
I’ll show you yours:
the jealous weed between the eyes,
whose ragged leaves stain the face,
whose rigid stem stabs through the brain,
whose binding roots reach down into the spine,
clench the heart,
vise the liver,
penetrate the lungs,
leach poison in the blood.

They say, with
proper pruning,
weekly watering,
and limited light,
it blooms marvelous petals,
and breathes delicate perfumes.

Timothy Joko-Veltman
21h48 23.3.17
Brasília, Brasil

campo morfogenético

a corrosão da cidade não é coisa de repente.
a nuvem independe da profusão de palavras.
a imaginação atrasa o meio ambiente.
o verbo indecente descubramos sem aspas.

a profusão da verdade não é ambivalente.
a nuvem depende do deserto da imagem.
a concentração abarca a idade e o ente.
a sangue da gente é devido à coragem.

chanson modèrne

a modernidade espanta o homem
trens automáticos
e carros elétricos
e aeroplanos que cortam o céu
até sangrar

não esperava o homem
que os tempos mudassem
mas mudam
não esperava que as próprias mãos
fossem capazes de milagres
ou que a própria cabeça avoada
proezasse o impossível

o homem no entanto
ainda é bicho
- costumava ser,
a modernidade o fabricou gigante.