podem casar

Nosso diferente mundo

Capítulo 272 :

 - Mas eles ainda podem se casar, se ela se lembrar vai ser mais fácil ainda. - Davi respondeu.

Arthur acariciou os cabelos de Lua, ela havia adormecido e tinha a cabeça repousada em seu ombro. Querendo ficar mais alguns minutos assim com ela, ele não quis acordá-la.

- Agora falta pouco pra você voltar totalmente pra mim, meu amor. - sorriu.

Lua se mexeu e Arthur achou que ela estava acordando, foi quando a ouviu balbuciar.

- Fogo… Fogo!

- Luinha! - Arthur a chamou.

- Não, não, não, não! - ela empurrou Arthur tentando se desvencilhar dele.

- Lua acorda, você tá tendo um pesadelo, acorda, meu amor.

Lua deu um grito o assustando e seus olhos se arregalaram de medo.

- Luinha!

Ela o encarou e ao ver que ele estava com ela e que ambos estavam na cachoeira, ela percebeu que tinha sonhado. Cobrindo o rosto com as mãos ela começou a chorar.

- Calma, foi só um pesadelo.

Lua o puxou pelos ombros e o abraçou.

- Não foi um pesadelo, foi uma lembrança. - soluçou.

- Do que você está falando? - acariciou os cabelos dela.

- O incêndio no estábulo, eu lembrei enquanto estava dormindo. - ela se afastou. - O fogo se alastrando, a Emanuelle caída, todo o desespero que eu senti. Eu não consegui fazer nada, não deu tempo de pensar e o fogo já tinha tomado todo o lugar. O meu cavalo….

- Calma Lua, calma, você não precisa me contar tudo isso de novo. - Arthur enxugou seu rosto.

- Você sabe como aconteceu tudo?

- Sim, primeiro seu pai me contou e depois você, eu fico feliz por ver que você se lembrou de mais uma coisa, mas triste por ter se lembrado justo disso. Tantas lembranças felizes pra você se lembrar e você se lembrou justo dessa, eu sinto muito Lua.

- A culpa do incêndio foi minha não foi? Eu não devia ter derrubado aquele lampião, não devia ter levado minha irmã para ver aqueles cavalos dormindo. - soluçou.

- Não Lua olha pra mim. - Arthur segurou o rosto dela e a fez encará-lo. - A culpa não foi sua entendeu?

- Foi sim!

- Não, não foi. Armaram aquele incêndio, acredita em mim, aquele estábulo ia pegar fogo de qualquer jeito com ou sem você e sua irmã lá dentro.

- O que quer dizer com isso?

- A única coisa que você precisa saber agora é que armaram pra prejudicar você e sua família.

- Arthur isso que você está me dizendo é sério?

- É, eu não queria tocar nesse assunto, mas você não pode ficar se torturando com essa história, não posso deixar você fazer isso com você mesma. Você carregou essa culpa por tempo demais.

- Mas se a culpa não foi minha, quem fez aquilo?

- É isso que estamos investigando, você não se lembrava de ninguém que pudesse fazer algo assim.

- Mas a única pessoa que tem algo contra meu pai é o Ramon Gardela, é isso foi ele. - Lua ficou de pé.

- Lua a polícia já colheu o depoimento dele, ele está na lista de suspeitos.

- Não, eu tenho certeza que foi ele, por favor, me leva na fazenda dele.

- O que?

- Eu preciso ver ele, falar com ele, por favor, me leva até lá. - suplicou.

Arthur a encarou e sem resistir ao pedido dela a levou até a fazenda de Ramon Gardela. Os dois chegaram lá em poucos minutos. Lua desceu sem se importar com as roupas ainda molhadas, o cabelo bagunçado e o fato de que estava usando a camisa de Arthur.

- Ramon! - ela gritou chacoalhando o portão. - Ramon! - chamou de novo e assobiou.

O portão eletrônico finalmente se abriu e Ramon saiu da casa.

- O que você esta fazendo aqui.

Nosso diferente mundo

Capítulo 192 :

 - O que eu faço pra ela entender que não é porque estou saindo de casa que ela vai me perder.

- Procure uma psicóloga infantil, converse com a Emanuelle, faça ela entender o que está acontecendo. Faça ela ver que um dia vai ser a vez dela de sair de casa.

- Ok, eu vou fazer isso, obrigada Julie. - forçou um sorriso.

Amanda fuzilou Rodrigo e deu um soco na mesa.

- Eu não acredito no que você está me contando, eles não podem se casar Rodrigo, você tem que fazer alguma coisa. - esbravejou.

- E você quer que eu faça o que gênio? Você esqueceu que a nossa melhor chance você desperdiçou?

- Eu desperdicei? Vamos combinar que aquele seu planinho de merda tinha tudo pra dar errado. Era óbvio que o Arthur ia sacar tudo assim que acordasse.

- Então talvez você não devesse ter pego no sono. - Rodrigo devolveu com ironia.

Amanda sentiu vontade de levantar dali e dar um bom chute entre as pernas de Rodrigo. Mas sozinha seria muito mais difícil ela conquistar Arthur.

- Ficar discutindo de quem foi a culpa não vai nos ajudar em nada.

- Ótimo, que bom que você sacou isso. - Rodrigo ironizou.

- Eu vou pensar em alguma coisa pra me livrar dessa Lua, você dá um jeito de descobrir quando eles se casam. A gente precisa saber quanto tempo temos até esse casamento.

- Como vou descobrir isso?

- Você é o irmão dele, dá um jeito. É muito mais fácil pra você do que pra mim.

- Está bem, mas já que reclamou de mim, vê se você faz um plano decente que dê resultado dessa vez.

- Não se preocupe. - sorriu com ironia.

- Só que preste bem atenção no que você vai fazer contra a Lua entendeu?

- Ok! - Amanda assentiu com um sorriso irônico nos lábios.

Luiza encarou Gustavo se vestir. Depois que ele guardou Princesa, os dois tomaram banho juntos e fizeram amor no chuveiro. A forma apaixonada como ele a tocara e beijara e o fato de tê-la perdoado a faziam ter certeza de que Gustavo não estava interessado em Lua, mas as palavras de Ramon martelavam em sua cabeça. E se fosse Lua quem estivesse interessada nele?

- Quer dar uma volta na cidade? Você ficou trancada aqui enquanto eu estava trabalhando.

- Agora não. - respondeu com um sorriso nos lábios. - Queria te perguntar uma coisa.

- O que?!

- Quantos anos a Lua tinha quando ficou com você?

- Por que você quer saber disso? - Gustavo estreitou as sobrancelhas.

- Curiosidade. Responde minha pergunta. - sorriu.

- Uns 14 anos por ai. - respondeu dando de ombros.

- Você foi o primeiro que ficou com ela, não foi?

- Sim!

- Então quer dizer que você foi importante pra ela. - respondeu.

- Acho que foi coisa de momento, como eu te disse eu fui um imbecil com ela logo depois. Ficamos anos sem nos falar, eu fui embora, e só agora que voltei nos reaproximamos.

- Acha que tem alguma chance dela ainda gostar de você? - cruzou os braços.

- Não, de forma alguma, eu já disse amor, ela está noiva. Feliz e apaixonada como nós. - sorriu e se aproximou dela. - Você não tem com o que se preocupar ok?

- Espero que tenha razão. - sorriu. - Eu me arrisquei muito vindo até aqui e te pedindo perdão, não quero que ninguém tire você de mim.

- Eu sempre fui seu, sua boba. - respondeu e a beijou.

~~~~~—-~~~~

No fim da tarde, Lua estacionou o carro na fazenda de Arthur. Um sorriso iluminou seu rosto quando ele abriu a porta da casa e desceu os degraus, vindo encontrá-la. Lua correu até ele e o abraçou.