pode ser que eu ti perca

Desculpa por eu ser assim, eu sou toda confusa, eu sou toda errada e eu estou chorando agora. Desculpa por me desculpar tanto, porra, só me desculpa. Me desculpa por achar que você não é tão meu quanto diz ser, eu não tenho culpa eu sou assim, eu sou carente, eu sou dramática e birrenta. Eu tenho medo de perder você, mais que eu perca se um dia eu começar a te machucar. Eu queria cuidar de ti como cuida de mim e queria que enxergasse que eu tento da minha melhor maneira deixar sempre tudo bem entre nós. Eu sou tão confusa que você pode me chamar de matemática, mas se você for bom em exatas? Nem disso eu sei, eu não sei quase nada de você, eu só sei que eu te amo, eu te amo muito. Eu não quero perder você por causa do meu jeito, você disse que me ama por quem eu sou e não por quem eu tento ser. Então me desculpa por não ser como eu queria, mas eu juro de dedinho que esse meu jeito todo errado continua sendo sempre o melhor de mim, até nos dias ruins. Eu sempre quero que sempre tenha o melhor de mim, mas eu só peço que não vá embora quando ver o meu lado ruim.
—  Bianca Autran
Gigante Azul.

Você, com toda certeza, deve ter conhecimento disso, mas reforço que as gigantes azuis, de acordo com minhas humildes pesquisas, são as maiores e incrivelmente brilhantes estrelas. Assim como você, se assemelham ao Sol, são quentes e aquecem até o mais íngreme frio, à minha alma assemelho esse frio.
Você é como uma enorme gigante azul que, do nada, me atraiu para sua órbita, com seu brilho imensurável, me ilumina enquanto me aquece, me encanta enquanto abastece com os melhores sentimentos que alguém poderia transmitir.
Algum dia, por fazer parte do ciclo natural desse tipo de estrela, você se tornará uma hipernova e isso pode ser perigo pra mim pois, não demorando muito, virão alguns buracos negros, mas ficará tudo bem se, enquanto buraco negro, deixe que eu seja sugado e me perca dentro de ti.

ao menino das estrelas, salva-lo-ei.

Eu não falo, mas dói. Dói quando você me trata diferente, age indiferente. Parece coisa boba, mas meu coração sente, todo gesto, ato, olhar. Me lembro de quando eu era preferência e não opção. De quando eu era prazer, não passatempo. De quanto eu era amor e não falta do que fazer. Mas eu continuo insistindo, pois mesmo assim não te esqueço. Algo em você me prende, não me deixa desistir.Se um dia você nutriu sentimentos tão bons por mim, por que hoje seria diferente? Eu realmente não consigo entender, procuro nas minhas atitudes algo que possa ter te feito mudar mas não vejo. Me aperta o coração ver o quanto você tem se distanciado, por mais que eu me jogue aos seus pés e esteja ao seu dispor, você continua me tratando como se eu não fosse importante. Não canso de me perguntar o que te fez mudar em relação a mim, eu que sempre me dediquei a te fazer feliz tenho que aceitar toda essa falta de consideração porque por mais que eu tente me desiludir não acredito realmente que tudo seja uma ilusão, e estou sempre naquela de “vai passar, é só uma fase”, só que essa fase já vem durando faz um bom tempo, já vem me matando a um tempo, e esse tempo todo tudo o que eu tenho feito é tentar seguir em frente, mas te levando sempre comigo, apesar de você ir e voltar o tempo inteiro. E eu permaneço na esperança de que você nesse modo iô-iô adaptado volte de vez, volte pra ser o que era antes, aquele que era meu. Largue esse modo indiferente de me tratar. Eu tenho medo, muito medo de que você se perca por aí, ou pior, eu me perca de ti. Tem hora que cansa ter expectativas, querer que você volte, eu só queria entender o que restou essa mudança. Encontrou outro alguém? Se perdeu em outro sorriso? Tudo bem, amor é isso, deixar livre, não é? Só que eu ainda te quero, hoje e mais que nunca. Te procuro nas lembranças, nas fotos, no teu sorriso, que antes era algo tão sereno, tão confortador, parecíamos felizes. Pode ser paranoia minha, aliás, pode ter sido coisa da minha cabeça o tempo todo, eu era a tola enfeitiçada e você ali, por mera caridade ou sei lá o que, não consigo entender. Quero que seja só uma fase, pois não sei o que fazer sem os nossos planos, nosso futuro, nossa vida. Era tudo tão “nós”, e do nada vem se tornando esse “eu e você”, separados. Horrível pensar nessa hipótese de ter perder sem nenhum porque.
—  By: Heloisa, Gláucia, Flávia and Ana Beatriz written in imperfeita-s