plantamal

eles colocam sonhos em nossas mentes, nos fazem crer que para sermos felizes precisamos de um emprego, de dinheiro que consequentemente pagará as viagens que queremos realizar pelo mundo (queremos?). eles nos fazem acreditar que a felicidade está a uma jornada (de trabalho) de distancia. e quando não conseguimos o emprego eles nos culpam de sociedade preguiçosa e sem estímulos. eles plantam a necessidade por coisas inúteis. eles nos querem doentes, com câncer por comer em fast foods, com depressão por não conseguir viajar pelo mundo, com crises de ansiedade por não conseguir pagar a fatura do cartão de credito. eles nos querem doente pois uma sociedade sadia não gera lucro. somos marionetes nas mãos deles.

e eu só queriam poder diferenciar-los das pessoas como eu. ou talvez eu faça parte de todo esse plano contra nós mesmos.   

O amor, é como uma semente. Você planta, e vai regando todos os dias para que cresça. Mas existem contras: nem todos gostam de jardinagem, e, às vezes as pessoas até plantam, mas esquecem de regar. O nosso cotidiano é tão agitado, não é? Então o que acontece? A flor não cresce. E sabe qual é a desculpa que essas pessoas usam? A de que o solo é infértil.
—  Gabriel Alexandre
7 maneiras de ser mais leve e feliz

1. Desprenda-se das opiniões alheias. Muitas vezes, o objetivo delas é limitá-lo ou acabar com os seus sonhos.                               

2. Dance sem medo. Ninguém sabe tudo. Portanto, quando alguém lhe convidar para dançar, vá logo. Na tua velhice, só irás sentir saudade do que não fizeste mais.                               

3. Nossos familiares são parte de nós, apenas partes. A nossa vida não é semelhante a deles. Antes de ouvi-los, passe a te escutar primeiro.                   

4. Esqueça aquela ideia de que amamos uma só vez na vida. O inesquecível jamais pode ser confundido com um único amor. Sentimentos são acompanhados de intensidade. Jamais se esqueça disso!                               

5. Tempo é algo que não existe. Nós não o temos. Enganam-se aqueles que acham que o tem. Só existem dois tipos de pessoas relacionadas às horas: as que dão jeitos e as que esperam o milagre acontecer.

6. Dinheiro não traz felicidade, apenas ajuda a proporcionar momentos felizes. É diferente. Amor, dinheiro e paz são inconstâncias. Esta relação sempre acontece como casal, jamais em triângulo amoroso. Desejar os três juntos é o mesmo que desejar a compra de uma casa na cidade utopia.         

7. Pratique a caridade, escute com atenção, viva com amor. Porque a vida de alguma forma, sempre recompensa aqueles que plantam harmonia no mundo.

Guilherme Pintto. (amorabusado).

Aos mentirosos

Não se esqueçam de que a mentira beneficia apenas vocês, o prazer de mentir e ver o outro ser enganado, pertence apenas a vocês. A glória de uma mentira bem sucedida, pertence apenas a vocês. E o que sobra para a outra parte? Dor, sentimentos machucados, confiança destruída. Se inventar uma falsa realidade fosse a solução, não haveria tantos estragos, tantos amores desperdiçados, tantas amizades destruídas. Mas olha, se tem uma coisa que eu aprendi observando as pessoas alheias mentindo, é que uma hora a máscara cai. A mentira tem perna curta. Os mentirosos podem até se dar bem no início, mas a mentira não é uma ação, é uma consequência. Então, como dizem por aí, “todos colhem aquilo plantam.”

Cada pessoa, em sua existência, pode ter duas atitudes: Construir ou Plantar. Os construtores podem demorar anos em suas tarefas, mas um dia terminam aquilo que estavam fazendo. Então param, e ficam limitados por suas próprias paredes. A vida perde o sentido quando a construção acaba. Mas existem os que plantam. Estes às vezes sofrem com tempestades, as estações, e raramente descansam. Mas, ao contrário de um edifício, o jardim jamais para de crescer. E, ao mesmo tempo que exige a atenção do jardineiro, também permite que, para ele, a vida seja uma grande aventura. Os jardineiros se reconhecerão entre si — porque sabem que na história de cada planta está o crescimento de toda a Terra.
—  Brida, Paulo Coelho.
Pessoas difíceis, ranzinzas e instáveis são as que mais necessitam urgentemente de amor. A questão é que elas não sabem, ou simplesmente ignoraram este fato. Não sabem pedir um abraço, mas quando são abraçadas é emocionalmente tocadas. Pessoas difíceis gritam em silêncio precisando de amor. Cada um tem sua história, mas muitas vezes esquecemos disto, nem sempre sabemos o que o outro já passou até se tornar a pessoa que és hoje.. Muitos contém cicatrizes e nem sempre souberem lidar com elas, talvez só queiram alguém que cuide no fundo. Não é porque o mundo disse que seria um fracasso, que não se pode viver uma história extraordinária ainda. Não é porque passou o tempo que não se pode viver uma história extraordinária ainda.. O mundo está precipitado em viver histórias, mas a ansiedade não gera paz. E o extraordinário se acontece para os que creem, para os que plantam e colhem de acordo com o tempo. Uma horta não se cresce de um dia para a noite, é necessário adubar, regar e cuidar. E o amor pode se considerar assim e também os propósitos. Em terra seca, jogue uma semente… O amor floresce até nos pontos mais secos da vida.
—  Vitoria Martini.
Alguns querem ter um lindo jardim mas não querem cuidar das flores. Apenas plantam de qualquer jeito e esperam que cresçam. Sem amor, sem cuidado, sem carinho, sem nem ao menos lembrança de sua existência. Então chega a hora da colheita e todos esperam por um lindo ramalhete e desejam sentir um perfume agradável. Mas elas só vão exalar o que receberam. Se foi pouca água ela mal vai crescer, se foi plantada sem amor provavelmente não irá florescer, sem cuidado fica muito complicado, ela ficará frágil e sua beleza não vai existir. Por tanto plante, mas saiba que vai colher exatamente o que você plantou, se cultivas ódio não podes colher amor.
—  Relatos de Oliva.
Seis horas. Seis e pouco, tanto faz. É sempre que o agora se desfaz. E nos muitos mais tardes da rotina, semeamos o incógnito de nossas estatuetas trincadas. O equilíbrio mora num terremoto sísmico, cínico, carrasco. Dessa vez o agora chora, amanhece, mas não me pertence. Sou ventríloquo de bramuras previsíveis, e coloquei todas as linhas na tua mão. Conduza-me! Não me restam mais assim tantas escolhas. Teu toque rouba-me o suposto ser; dou-te todas as cordas de minhas vertentes, menos uma. E esta é o cachecol de meu suicídio, com o peso de todas as minhas vertigens engavetadas na alma. O medo, descartando cada instante da vida, adoece. Meus olhos poentos fitam os teus, através de uma carta manuscrita que sequer terminei; as minhas pálpebras plantam sonhos num jardim futuro, florido, debaixo da tua cama, onde nem faço ideia de como chegar. Planos são assim: falecidos por si só. Consequências doces são necroses pútridas germinando violetas. E eu ainda olho a carta, inacabada. Meus dedos rastejam sobre a mesa, sobre a caneca de café, sobre o pêndulo da ansiedade, da espera, que enferruja a alma nos porões do aguarde. Finco meus olhos sobre essa carta como quem olha a nudez áscua da pessoa amada pela primeira vez. Ou talvez pela derradeira, ciente de uma morte breve, que cabe no silêncio de dois passos. Meu ânimo fraqueja, rendendo-se ao cansaço corpóreo, insiste em dobrar meus cotovelos sobre o marfim da mesa, mas a alma suplica o canto, dos últimos canteiros do peito: extrair tudo que tenho, até que o coração seque, embrulhar e enviar pelos correios junto a minha desmesurável saudade até minha amada.

Quase sete, e a noite decorre lenta. Rasteja. E é assim sempre.

Sou tinta e céu, pincelando tua face em acalantos embevecidos, mas minha alma murcha, como um buquê nunca entregue, na guilhotina de saber que nem tenho o teu endereço.
—  Annd Yawk
Meu peito dói, sinto como se meu coração estivesse sendo quebrado em mil pedacinhos, cheguei a conclusão que algumas pessoas são cruéis. Você ama, cuida e protege uma pessoa, pra ela simplesmente vir e te dar uma apunhalada pelas costas, existe algo mais covarde que isso? Acho que não. Só continuo tendo fé em Deus, todo sofrimento é passageiro, se eu plantei amor hoje, vou colher o dobro disso amanhã. Tenho misericórdia daqueles que plantam sofrimento, pois vão colher o dobro disso amanhã, e isso? Isso eu não desejo nem pro meu inimigo. É como dizem, tem que ter amor ao próximo e graças à Deus isso eu tenho de sobra.
—  Tudo que vai, volta pra você um dia.

meu corpo é casa de ninguém.
chegam e fazem moradas
os homens, os bichos…
fazem estâncias, aram a derme,
abrem sulcos, putrefam a carne
plantam suas tristezas
colhem suas alegrias.
depois partem, me partem
em dois, em três, em cacos.

meu corpo é terra de ninguém.

“Algumas vezes o destino não é justo, aliás, tem vezes que a vida não é justa.” E por que será? Todos devemos sofrer? Eu me recuso a acreditar nisso. Ah, por favor, não tem essa! São acasos que começaram por você mesmo, suas escolhas, seus erros, o destino é injusto com quem escolhe errado, pensa errado, e age terrivelmente errado. A vida é uma bola que gira e gira, e tudo o que você fez vai voltar para você mesmo, então qual é? Não adianta colocar a culpa no destino, ô coitado, sofre com a incapacidade de culpa dos humanos. Tolos e ignorantes aqueles que se lamentam e se negam a acreditar que algo que os faz sofrer hoje, pode e é consequência de uma escolha do mesmo no passado. Se você tem um coração partido, talvez você tenha visto tudo desmoronar e insistiu naquilo, talvez você tenha visto amor onde não tinha, talvez você tenha enxergado um alguém que você queria e precisava naquele cara vazio de qualidades. Talvez as coisas deem tão errado por as pessoas serem, grande parte do tempo, pessimistas e deprimidas. Tenha dó de si próprio e comece a enxergar a vida como ela é, sem utopias, sem expectativas, sem príncipes e princesas, sem fada madrinha e cavalo branco. Corra atrás do que é real, do que te traz felicidade, daquilo que vale a pena, ou então, a sua vida continuará sendo um poço infinito de decepções e mágoas. Invista em causas que te enobreçam, a começar pelo perdão. Faça-o a si mesmo como demonstração mais singela do amor ao espetáculo que se traduz vida. A vida é aqui, a vida é agora, então agradeça - todos os dias - ao criador, por conceder a você a sorte de ser o protagonista de um evento tão sublime. Plante esperança nos pequenos detalhes, seja no casal de velhinhos com os braços entrelaçados, na chegada de mais uma primavera, no sorriso de uma criança, ou na lágrima de quem se entrega as emoções mais sinceras. Dessa maneira, se por ventura erros do passado fizerem do seu presente uma tempestuosa confusão, você colherá frutos de esperança capazes de renovar sua alma. E não existe, em nenhum dos quatro cantos dessa bola que gira e gira, algo mais mágico e enriquecedor do que colher o amor que plantamos. Assim tendo consciência das consequências dos nossos atos, tendo em mente que tudo que desejamos seja de bom ou ruim ao próximo é isso que será desejado dos outros sobre nós. A vida é uma guerra de desejos que deveria ser limpa e harmoniosa, mas nem sempre é assim. A maldade tem corrompido a nossa idealização de mundo melhor, do mundo que o nosso Pai criou. Lamentamos aqueles que participam da corrupção desse nosso sonho de sermos um lar de verdade, que todos juntos e unidos somos melhores do que a individualidade que o mundo capitalista nos tornou. Mas o sonho permanece nos corações daqueles que plantam o amor e a verdade em sua vida, por isso vamos á luta de sermos almas melhores nessa realidade que deve ser mudada para a utopia de nossos corações grandiosos.
—  By: Letícia, Stéfanny, Camila and Marcela written in imperfeita-s.

me desculpa, mas não me satisfazem apenas as incompletas químicas, nem o que fazes sem amor, tampouco os abraços de um braço só. metafísicas só agravam a saudade que nem mesmo se plantam em raízes no peito — metades me agonizam, não tem jeito.

no meu céu cabe apenas a lua cheia; amores minguantes sempre falecem no primeiro horizonte, e viram enfeites de prateleira.

—  Annd Yawk