pjotrechos

Assim que ela saiu, me ajoelhei perto de Annabeth e senti sua testa. Ela ainda estava queimando.

- Você fica uma gracinha quando está preocupado - ela murmurou - Suas sobrancelhas ficam dobradas juntinhas.

- Você não vai morrer enquanto eu te devo um favor - eu disse - porque você tomou aquela facada?

- Você teria feito o mesmo por min.

O ultimo olimpiano.

Eu me vi a encarando, o que era idiota porque eu já a tinha visto um bilhão de vezes. Ela e eu estávamos com mais ou menos da mesma altura esse verão, o que era um alivio. Ainda assim, ela parecia tão mais madura. Era meio intimidante. Quero dizer, claro, ela sempre foi uma fofa, mas ela estava começando a ficar seriamente linda.

Finalmente ela disse:

- Aquela biga voadora.

- O que?

- Você perguntou sobre o que eles estavam lutando.

- Oh, oh, certo.

O ultimo olimpiano.

- Ponha seu boné de novo - eu disse - E saía!

- O que? - ela guinchou - eu não vou deixar você!

- Eu tenho um plano. Vou distraí-los. Você pode usar a aranha de metal… talvez ela te leve até Hefesto. Você tem que contar o que esta acontecendo.

- Mas você vai ser morto!

- Eu vou ficar bem. Além disso, não temos escolha.

Annabeth me olhou como se fosse me bater. Então ela fez algo que me surpreendeu ainda mais. Ela me beijou.

- Se cuida cabeça de alga.

Ela pois o boné e saiu.

Eu provavelmente teria ficado lá o dia todo, olhando para o rio de lava tentando lembrar o meu nome. Mas os demônios marinhos me levaram de volta a realidade.

A batalha do labirinto.

4

(…)

Thalia remexeu seus pés com frustração.

- Que raiva dessas caçadoras! Elas acham que são tão… Argh!

- Estou com você. - eu disse - Eu não confio-..

- Ah, você esta comigo? -Thalia se virou pra min furiosamente - O que estava pensando la no ginásio, Percy? Você teria capturado Dr. Streep totalmente sozinho? Você sabia que ele era um monstro! Se tivéssemos ficados jutos poderíamos te-lo pego sem envolvimento das caçadoras. E Annabeth poderia ainda estar aqui. Você pensou nisso?

Meu maxilar rangeu. Pensei em algumas coisas duras pra dizer, e eu poderia te-las dito também, mas então olhei pra baixo e vi uma coisa azul marinho na neve aos meus pés. O boné de beisebol do New York Yankes da Annabeth.

Thalia não disse mais nada. Ela limpou uma lágrima no rosto, virou-se e marchou ao largo, deixando-me sozinho, com o boné pisoteado na neve.

A maldição do titã.

2

- Percy - Annabeth falou - deixe-me ir com você.

- Muito perigoso - eu disse- alem do mais eu preciso de você com Michael pra organizar a linha de defesa. Eu distraio os monstros. Você reagrupa aqui. Mova os mortais sonolentos fora do caminho. Você pode ir eliminando os monstros enquanto estão focados em min. Se alguém é capaz de fazer isso, é você.

Michael bufou: “Muito obrigada”

Mantive meus olhos em Annabeth. Ela concordou relutante. 

- Tudo bem. Vá em frente.

Antes que pudesse perder a minha coragem, eu disse:

- Eu não ganho nenhum beijo de boa sorte? É tipo uma tradição, certo?

Eu imaginei ela me dando um soco. Ao invés disso ela puxou sua faca e olhou para o exercito vindo em nossa direção.

- Volte com vida, cabeça de alga, então veremos.

2

(…)

- Claro, mas o que poderia dar errado?

- Não sei. Só uma sensação. Annabeth venha comigo…

- Está brincando? - Ela olhou pra mim como se eu tivesse acabado de cair da Lua. Suas bochechas estavam ficando em um tom vermelho vivo.

- Qual o problema agora? - perguntei.

- Eu…ir com você…pra um “Emocionante passeio de amor”? Que coisa mas embaraçosa! E se alguém me vir?

- Quem é que vai ver? - mas agora a minha cara também estava queimando. Só uma menina mesmo pra complicar as coisas - ótimo - disse a ela- vou fazer isso sozinho.

Quando comecei a descer sobre a lateral da piscina, ela me seguiu resmungando sobre como os meninos sempre complicam as coisas. 

O ladrão de raios.

2

Zeus acenou para Ártemis vir a frente. Ele se inclinou e escutou enquanto ela falava no seu ouvido.

Um sentimento de pânico apoderou sobre min.

- Annbaeth- eu disse em um sussurro - Não.

Ela franziu a testa pra min.

- O que?

- Olha, eu preciso ti contar uma coisa - continuei. As palavras vieram tropeçando para fora de min - Eu não conseguiria aguentar se…. Não quero que você….

- Percy? - ela disse - parece que você vai passar mal.

E era assim que eu me sentia. Queria falar mais. Mas a minha língua me traiu. Ela não se movia por causa do medo no meu estomago. Então Ártemis se virou.

- Terei uma nova tenente - ela anunciou- Se ela aceitar.

- Não. - eu murmurei.

- Thalia- Ártemis disse - filha de Zeus. Você vai se juntar a caça?

A maldição do titã.


Eu olhei para trás. Annabeth estava tentando não me olhar nos olhos. Seu rosto estava pálido. Eu voltei a dois anos atras quando pensei que ela ia se juntar a Ártemis e e tornar-se uma caçadora. Eu estive na beira de um ataque de panico, achando que eu a perderia. Agora ela estava igual a min.

Pensei nas três Moiras e o modo de como vi a minha vida em um flash. Eu poderia evitar tudo isso. Sem envelhecer, sem morte, sem o corpo em um tumulo. Eu poderia ser um adolescente para sempre, em alta condição, poderoso, e imortal, servindo ao meu pai. E poderia ter a via eterna. Quem poderia recusar isso? 

Depois olhei para Annbaeth de novo. Pensei nos meus amigos de acampamento: Charles Beckendorf, Michael Yew, Silena Beauregard, e tantos outros que estavam mortos agora. Pensei em Ethan Nakamura e Luke. Eu não sabia o que fazer.

- Não. - eu disse.

O conselho estava em silencio. Os deuses olharam entre si como se eles estivessem ouvido mal.

- Não? - disse Zeus - Você esta…Negando nosso presente generoso?

Havia um tom perigoso em sua voz, como se uma tempestade estivesse prota pra explodir.

- Estou honrado e tudo - eu disse- Não me entendam mal. É só que…Eu tenho muito o que viver. Eu odiaria não chegar no meu segundo ano.

Os deuses estavam olhando pra min, mas Annbaeth estava com suas mãos sobre a boca. Seus olhos estavam brilhando. Típico pra esse momento.

O ultimo olimpiano.

2

Além disso, ele ficou relutante em compartilhar a sua única memória clara: o rosto de Annabeth, o cabelo loiro, os olhos cinzentos, o jeito que ela ria, atirando os seus braços ao redor dele, e dando um beijo nele sempre que fazia algo estupido.

Ela deve ter me beijado muito. Percy pensou.

O filho de Netuno.

Tyson empertigou-se, como se tivesse tido outra ideia.

- Annabeth! Ela esta ai?

- Ah, bem… - meu coração parecia uma bola de boliche. Tyson pensava que Annabeth era a coisa mais legal desde manteiga de amendoim ( e ele sinceramente amava manteiga de amendoim). Eu não tinha coragem de dizer a ele que ela estava desaparecida. Ele começaria chorar tanto que apagaria sua fogueira. - bem, não… ela não está aqui no momento.

A maldição do titã.

- Eu não entendo. Porque não dormimos também? Porque só os mortais?

- Esse é um ataque muito grande - Silena Beauregard disse. - o quão maior for o ataque, mais fácil é de resistir. Se você quiser fazer milhões de mortais dormirem, você tem que arremessar uma camada muito fina de mágica. Mas com os semideuses é bem mais difícil.

Eu olhei pra ela.

- Quando você aprendeu tanto sobre mágica?

Silena ficou vermelha.

- Eu não passo o tempo todo no meu vestiário.

O ultimo olimpiano.

- Um meio-sangue filho dos três cães…

- Err…Percy? - Annbeth interrompeu - isso é grandes, não cães.

- Oh, certo.- eu disse. Ser disléxico é uma marca de um meio-sangue, mas as vezes eu realmente odiava isso. Quanto mais nervoso eu fico, o pior a minha leitura é.

- Um meio-sangue filho dos três grandes deuses…chegará aos dezesseis contra todas as chances…

Eu hesitei, encarando as próximas linha. Uma impressão gelada passou pelos meus dedos como se o papel estivesse congelando.

- E verá o mundo em sono sem fim. A alma do herói, pela lamina amaldiçoada sera ceifada.

De repente a Contracorrente pareceu mais pesada no meu bolso. Uma lamina amaldiçoada? Quíron alguma vez me disse que a Contracorrente avia trazido tristeza para varias pessoas. Seria possível que a minha própria espada me mataria? E como o mundo entraria em um sono sem fim, a menos que isso significasse a morte?

-Percy - estimulou Quíron- leia o resto.

Minha boca parecia cheia de areia, mas eu falei as ultimas linhas.

- Uma unica escolha deverá…deverá terminar seus dias. O olimpo per-perseguir…

 Preservar - disse Annbaeth gentilmente - significa salvar.

- Eu sei o que significa- resmunguei - O olimpo preservar ou arrasar.

A sala estava silenciosa. Então finalmente Connor Stoll disse:

- Levantar é bom. Não é?

- Não levantar - disse Silena. Sua voz estava baixa mas eu estava surpreso em ouvir ela falar qualquer coisa. - A-R-R-A-Z-A-R significa destruir.

- Obliterar - disse Annabaeth- Aniquilar. Transformar em pó.

- Entendemos - meu coração parecia chumbo - Obrigada.

Todos estavam olhando pra min. Com preocupação ou pena, talvez até com um pouco de medo.

O ultimo olimpiano.

2

(…)

Thalia me empurrou, um choque percorreu sobre o meu corpo e me jogou a uns 3 metros de distancia dentro da água. Alguns campistas sobressaltaram-se. Um par de caçadoras abafaram a risada. 

- Desculpe! - Thalia disse ficando pálida - Eu não queria-

Raiva rugiu dos meus ouvidos. Uma onda emergiu do riacho, chocando-se na cara de Thalia, e a ensopando dos pés a cabeça.

Eu levantei.

- É - rosnei - Eu não queria também!

Thalia estava respirando pesadamente.

-Basta! - Ordenou Quíron.

Mas Thalia segurou sua lança.

- Você quer um pouco cabeça de Alga?

De um jeito, estava tudo bem quando Annabeth me chamava assim - pelo menos eu ja tinha me acostumado - mas escutar isso de Thalia não era legal.

- Pode vir, cara de Pinhão!

Levantei a Contracorrente mas antes que eu pudesse pelo menos me defender, Thalia gritou, e uma explosão de raios caiu do céu,  atingiu sua lança como um pára-raios, e chocou-se contra o meu peito.

Caí sentado duramente. Avia um cheiro de queimado, tive a sensação que de eram minhas roupas.

- Thalia! - disse Quíron - Já basta!

Coloquei-me de pé e desejei que o riacho inteiro se levantasse. Ele rodopiou centenas de galoes de águas em uma nuvem maciça e gelada em forma de funil.

- Percy! - Quíron protestou.

Eu estava prestes a arremessar tudo em Thalia quando vi algo entre as arvores.

(…)

A maldição do Titã.

5

(…)

- Michael, leve o chalé de Apolo para ponte de Williansburg. Katie, leve o chalé de Deméter para o túnel do Brooklyn-Battery. Plante arbustos de espinhos e envenene o túnel. Faça o que tiver que fazer, mas mantenha longe de la. Connor, leve a metade do chalé de Hermes, e proteja a ponte do Brooklyn. E nada de parar para roubar ou saquear!

- Ahhhh!- o Chalé todo de Hermes reclamou.

- Silena leve o chalé de Afrodite para o Queens- o Metrô.

- Ai meus deuses - uma das irmãs disse- A quinta avenida já étão nossa! Nós poderíamos melhorar, e os monstros, tipo, eles odeiam o cheiro de Givenchy.

- Nada de atrasos - eu disse- e… sobre o negócio do perfume, se você acha que vai funcionar.

Seis filhas de Afrodite me beijaram na bochecha de entusiasmo.

- Ok, chega - eu fechei os meu olhos, tentando me lembrar do que eu tinha esquecido - O túnel Holland. Jake, leve o chalé de Hefesto para lá. Use o fogo grego, monte armadilhas. Tudo o que você puder.

O Chalé inteiro grunhiu em aprovação.

- A Ponte 59th Street - eu disse - Clarisse…

Eu cambaleei. Clarisse não estava aqui. O chalé inteiro de Ares, decisão de Clarisse, eles estavam sentados no acampamento.

- Faremos isso. - Annabeth afirmou-se me salvando do silencio embaraçoso. - Malcolm, leve o chalé de Atena com o plano 23 , durante o caminho, igual ao que eu ti mostrei. Mantenha a posição.

- Você que manda.

- Eu irei com Percy- ela disse- depois me junto com vocês ou iremos a onde precisarem de nós.

Alguém no fundo do grupo disse:

- Sem desvios vocês dois.

Havia alguns risinhos, mas eu resolvi deixar essa passar.

- Tudo bem - eu disse- mantenham-se com os seu celulares.

- Não temos celulares - Silena protestou.

Eu me abaixei, peguei um BlackBerry feminino, e entreguei a Silena.

- Você tem agora. Todos vocês sabem o número de Annabeth, né? Se vocês precisarem de nós, pegue um celular e nos ligue. Use-o uma vez, jogue-o fora, e pegue um emprestado se for necessário. Isso deverá dificultar os monstros de pegarem um de vocês.

Todos sorriam, conforme eles iam gostando da ideia. Travis limpou sua garganta:

- Hum, se encontrarmos um celular muito legal mesmo…

- Não, você não pode pegá-lo. - eu disse.

- Ah cara!

- Calma Percy - Jack Mason disse - Você se esqueceu do túnel Lincoln.

Eu xinguei um pouco. Ele estava certo. Um tanque Sherman e centenas de monstros estavam marchando por esse túnel nesse exato momento, e eu concentrei a nossa força toda em qualquer outro lugar. Então a voz de uma garota chamou do outro lada da rua.

- Que tal você deixar esse com a gente.

Eu nunca fiquei tão feliz em ouvir alguém em toda  a minha vida. Um bando de garotas adolescentes cruzando a Quinta Avenida. Elas estavam usando camisas brancas, calças cinzas camufladas e botas de luta. Todas tinham espadas em seus lados, e arco nas costas com flechas preparadas. Um alcateia de lobos brancos rodeava os seus pés, e muitas tinha falcoes caçadores em seus braços. 

A garota na liderança tinha os cabelos espetados pretos e uma jaqueta de couro preta. Ela tinha um arco prateado na cabeça, como se fosse uma tiara de princesa, o que não combinou com os seus brincos de caveira ou sua camisa Morte para Barbie, mostrando uma pequena boneca Barbie com uma flecha na cabeça.

Thalia! - Annabeth chorou.

A filha de Zeus sorriu.

- As caçadoras de Ártemis, informando serviço.

O ultimo Olimpiano.

2

(…)

Clarisse tirou o capacete e marchou em nossa direção. Uma mecha do seu cabelo castanho fibroso estava fumegando, mas ela parecia nem notar.

-Você estragou tudo!- berrou ela pra min- Eu tinha tudo sob controle!

Eu estava atordoado demais pra responder. Annabeth resmungou.

- É bom ver você também, Clarisse.

- Argh!- gritou Clarisse- Nunca, NUNCA, tente me salvar de novo!

Annabeth agarrou a minha mão. Em circunstancias normais, eu estaria embaraçado, mas eu sabia como ela se sentia. Queria se assegurar de que alguém mais estava vivo naquele barco

O ladão de raios.

A mão de Annbeth escorregou para minha. Sob circunstâncias diferentes, eu teria me sentindo envergonhado, mas aqui no escuro eu estava feliz por saber onde ela estava. Era a única coisa da qual eu tinha certeza.

A batalha do labirinto.

2

Então bem atras de mim eu escutei um agudo Chhh! como a voz de um esqueleto. Sem pensar destampei a minha contracorrente e girei, golpeando com a minha espada. A garota que eu tinha acabado de tentar fatiar ao meio ganiu e deixou cair seu guardanapo.

- Ó meu Deus!- ela gritou - Você sempre tenta matar as pessoas quando elas assoam o nariz?

A primeira coisa que veio na minha cabeça é que a espada não a tinha machucado. Havia passado lisa através do seu corpo, inofensivamente.

- Você é mortal!

Ela olhou pra min incrédula.

- O que isso quer dizer? É claro que eu sou mortal! Como você passou essa espada pela segurança?

- Eu não… espera, você pode ver que é uma espada?

A garota rolou os olhos que eram verdes como os meus. Ela tinha o cabelo crespo, castanho avermelhado. Seu nariz também estava vermelho, como se tivesse gripada. Ela vestia um grande moletom grená de Harvard  e jeans cobertos de manchas de canetinha e pequenos buracos, como se ela usasse os tempos livres pra espetalo com garfos.

- Bem, ou é uma espada ou é o maior palito de dente do mundo.- ela disse - e porque não me feriu? Quero dizer, não que eu esteja reclamando. Quem é você? E uau! O que é isso que esta vestindo, é pele de Leão?

Ela me fez tantas perguntas, tão rápido, que era como se ela estivesse jogando pedras em mim. Eu não conseguia pensar o que falar. Olhei para as minhas mangas para ver se o casaco de Leão Némeia tinha de algum jeito voltado a ser pelo, mas continuava parecendo um casaco marrom de inverno para mim.

Eu sabia que os guerreiros esqueletos ainda estavam me perseguindo. Não havia tempo a perder. Mas eu apenas encarei a menina ruiva. E lembrei do que Thalia avia feito em Westover Hall para enganar os professores. Talvez eu pudesse manipular a névoa.

Eu me concentrei bastante e estralei os dedos.

- Você não vê uma espada -  eu disse a garota - é apenas uma caneta estereográfica.

Ela piscou.

- Hum… não. É uma espada seu esquisito.

A maldição do titã.

2

Eu lhe mostrei e Contracorrente, e expliquei como se transformava em uma caneta em uma espada bastando tirar a tampa.

- Legal! Será que nunca caba a tinta?

- Hum, bem, eu realmente não escrevo com ela.

- Você é realmente filho de Poseidon?

- Bem, sim.

- Você pode surfar muito bem, então?

- Caramba Nico.- eu disse- Eu nunca tentei realmente.

- Ele continuou fazendo perguntas. Se eu brigava muto com Thalia, sendo ela uma filha de Zeus? (eu não respondi essa). Se a mãe de Annabeth era Atena, a deusa da sabedoria, então porque Annabeth não sabia nada melhor do que cair de um precipício? (tentei não estrangular Nico por ter perguntado isso). Annabeth era minha namorada? (neste ponto eu estava preste a colocar a criança em um saco sabor de carne e atira-lo para os lobos)

Imaginei que a qualquer momento ele iria me perguntar quantos pontos de danos eu tinha, e eu perderia o controlo completamente, mas então, Zoe Nightshade veio até nós.

A maldição do titã.