pertenceu

Palavras não bastam, não dá pra entender, e esse medo que cresce e não para. É uma história que se complicou e eu sei bem o porquê. Qual é o peso da culpa que eu carrego nos braços, me entorta as costas e dá um cansaço. A maldade do tempo fez eu me afastar de você. E quando chega a noite e eu não consigo dormir. Meu coração acelera e eu sozinha aqui. Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão. Olhos nos olhos no espelho e o telefone na mão. Pro tanto que eu te queria, o perto nunca bastava e essa proximidade não dava. Me perdi no que era real e no que eu inventei. Reescrevi as memórias, deixei o cabelo crescer, e te dedico uma linda estória confessa. Nem a maldade do tempo consegue me afastar de você. Te contei tantos segredos que já não eram só meus. Rimas de um velho diário que nunca me pertenceu. Entre palavras não ditas, tantas palavras de amor, essa paixão é antiga e o tempo nunca passou. E quando chega a noite, e eu não consigo dormir. Meu coração acelera e eu sozinha aqui. Eu mudo o lado da cama, eu ligo a televisão. Olhos nos olhos no espelho e o telefone na mão.
—  Tiê.
Numa total falta de senso, você se pôs a chorar, lamentar pela perda de algo que nunca foi seu. E você esperneou, gritou, bateu o pé e disse que não abriria mão. Mas, meu bem, para que esse auê? Ele nunca foi seu. Não entende? Para quê todo esse gasto de energia? Como você pode não querer abrir mão de algo que, na verdade, nunca lhe pertenceu.
—  Christiellen Pinto.

esse texto não é sobre ti, e sim sobre mim.

pensar em te ter alimenta esperanças que eu nem deveria criar. eu acho que nunca poderiamos ter nos apaixonado, levando em conta que tu vives na Terra e eu no mundo da Lua. nós nunca poderiamos ter nos apaixonado sem nunca termos nos visto. mas há quem diz que o amor é cego e eu concordo.

eu acho que nunca te conheci de verdade e tudo que eu sempre vi era uma ilusão tua feita de palavras bonitas e carinhos falsos. já não sei se tudo o que aconteceu entre a gente foi só tempo jogado fora ou se realmente valeu a pena.

nem sei por que ainda me pego pensando nisso, sendo que tu deves ter tua cabeça estocada com outras coisas agora. coisas mais importantes e com maior valor do que eu. coisas mais bonitas e polidas. coisas que se igualem à ti.

o real problema de eu não ter conseguido me recuperar de tudo, tem a ver comigo. a culpa é minha, só minha e nunca te pertenceu. porque tu estavas afim de ir embora e tu apenas foi e eu ainda tô aqui esperando tu voltar (mesmo sabendo que tu não vai).

e eu penso que talvez eu não tenha sido suficiente (porque eu nunca sou). mesmo eu tendo dado tudo de mim e me esforçado. e tentado ser tudo pra ti.

eu apenas não era.

quando tu sumiu eu deixei tu levar um pedaço meu junto e deixar muito de ti aqui comigo. e a culpa disso é minha. e o pior de tudo é que eu ainda guardo tudinho que tu deixou.

a culpa permanece comigo.

eu comecei a ouvir tudo o que tu ouvias, eu comecei a falar tudo o que tu falavas, eu comecei a escrever tudo que tu escrevias e eu não me dei conta, agora eu não consigo me livrar disso (desses pequenos fragmentos teus). e a culpa é minha.

me pego de novo escrevendo sobre tudo isso, e me pergunto por que? me pergunto se tu sabes a resposta.
[…] mesmo sabendo que tu nunca sabes de nada.
[…] e que tu nunca entendeu nada.
[…] e até agora não entende.

mas pelo menos, eu entendi
que a culpa é minha.
e tudo isso, meu amor,
deixou de ser sobre você
à tempos.

Bárbara Xavier

Um dia eu simplesmente acordei do meu coma profundo. Não conhecia mais ninguém a minha volta. Me sentia a milhões de quilômetros de casa mesmo estando tão perto.  Apenas me perguntava o motivo de ter permanecido tanto tempo naquela vida que nunca me pertenceu. Desde então, vago em busca de respostas, de quem eu sou e em quem quero me tornar. Vago todos os dias na minha mente em uma busca sem respostas. Em busca do caminho de volta para casa.
—  Querido Diário 
Não é bonito ver o céu nublado numa noite que você só pediu estrelas. Não é agradável ter uma tempestade quando você decide ir a praia. Não é prazeroso sentir a chuva quando você está resfriado.
Não é bonito, não é agradável e não é prazeroso te ver e não te ter. Ainda mais quando você me pertenceu, quando eu pertenci ao seu coração.
Que tempo ruim estou passando, não?
—  M.

regra de três

multiplico meu amor pela minha insegurança para descobrir o tamanho do seu. divido-me em partes desiguais e noto que o maior de mim sempre te pertenceu. termino e descubro o resultado: o sentimento que habita teu peito jamais chegou aos pés do que habita o meu.

johnatas brito.

Se você me chamar às 4 da manhã, porque está com saudades eu não vou me importar. Se você estiver triste eu vou tentar te alegrar. Se você precisar desabafar aqui estarei eu, pra te ouvir, pra te aconselhar se você pedir, se você precisar. Se você quiser ficar em silêncio, respeitarei seu silêncio e te abraçarei, te confortarei até você cair no sono. Se você precisar chorar, eu estarei aqui para enxugar suas lágrimas, com aperto no peito porque não há nada que me doa mais do que te ver chorar. Se deitada no meu ombro, você cair sono, eu não vou rir se o cansaço te fizer roncar. Se você precisar gritar eu não vou te impedir, eu te apoiarei, eu gritarei junto com você e no fim nos olharemos e riremos disso como dois loucos que somos. Se você ficar com tanta raiva a ponto de precisar esbravejar, bater ou xingar, te deixarei esvaziar sua raiva, mas no fim serei aquele que te acalmará e fará vocêse sentir melhor. Mesmo te achando linda quando está brava. Não importa como, eu vou te amar. Não importa como, eu estarei lá por você, te darei minhas mãos, meus ombros, meus braços, é tudo seu, principalmente o coração afinal ele sempre te pertenceu

se fosse há um tempo atrás, eu teria te procurado, te chamado, me esforçado para te ter mais perto, por mais tempo. mas eu demorei tanto para me remendar, costurar os meus trapos, ficar inteira - conseguir essa paz. eu não mereço alguém que não queira, pelo menos muito estar comigo. eu sou muito intensa para me contentar com migalhas, mensagens ignoradas, decifrar entrelinhas (do que eu queria que você tivesse dito/mas não disse)

decidi não fazer barulho por pessoas tão silenciosas.

é melhor você ir, já que nunca me pertenceu.

Ah, menina. Ele já sumiu faz tempo. Para de tentar achar, para de procurar ele em cada rosto que vê. Para de procurar motivos para ele voltar. Para de pegar o telefone, discar o número dele e ficar muda. Para de sentir falta dele. Para de querer voltar. Para de amá-lo. Ele se foi. Ele te deixou. Entenda isso, e para. Deixa ele ir, se permita ser feliz sem ele. Você consegue. Deixa ir, ele nunca te pertenceu. Deixa ele ir e deixa o amor que você sente por ele ir junto. Menina, você merece muito mais. Você merece alguém de verdade. Um amor de verdade.
—  Menina, deixe que vá
E aconteceu. O que todos me avisaram, aconteceu. Eu me magoei. No fundo eu sabia que acabaria assim, eu aqui e você ai. Cada um para o seu lado, sem ninguém olhar pra trás. Sem ninguém se importar. Mas aqui dentro ainda tem um coração que grita, chamando você. Parece que não entendeu ainda que você nunca ira vim. Nunca ira voltar pros meus braços, o lugar que sempre pertenceu, mas ao mesmo tempo nunca fez parte. Você foi embora, mas levou uma grande parte de mim, uma parte que levara um certo tempo para ser reconstruída. Uma parte que sempre ira pertencer a você. Estávamos olhando em direção diferente, eu queria uma vida enquanto você apenas queria uma diversão, uma noite. Pra mim era mais que gemidos, era uma declaração de amor.. Menos para voce, que não foi esperto o suficiente para me decifrar. Mas agora acabou, eu estou seguindo em frente. Solta meu braço, eu acho que não mereço ter aguentado tanto, pra acabar assim não é? Não foi justo. Eu abri mão de mim, pra poder ter você como minha prioridade. E você preferiu ir… E me deixou na escuridão novamente, me deu tudo e depois tirou. Não sinto meus pés no chão. Eu queria ser apenas sua, mas você preferiu ser de varias. Eu tinha ( tenho ) amor o suficiente para preencher o seu vazio. Por que não foi esperto o bastante? Não acha que eu sou o suficiente? Pois eu sou. Eu fui forte quando te via com ela. Eu fui forte pra te deixar ir. Nessa historia toda eu me destruia, mas no outro dia eu renascia, como uma fênix. Mas eu não posso mais fazer isso, não da pra viver sempre assim. Você sempre vai me afetar, tenho a sensação que sempre irei ter amor por você, mas eu não posso ficar, não posso aguentar, não mais. Foram noites maravilhosas, foram risadas incríveis, foram momentos que nunca vou esquecer, nem como nossas mãos se encaixavam perfeitamente juntas. Eu não queria que terminasse assim, na minha cabeça era um final completamente diferente, eu tinha esperança. Eu tinha esperança que você ficasse comigo, que me quisesse também. Mas essa esperança foi apenas a vida me dizendo que não foi dessa vez. E eu que pedi tanto, rezei tanto.. Nunca havia pedido tanto que desse certo como pedi que desse com você. Mas aqui estou eu, chorando e seguindo em frente, sem sua mão sobre a minha a aquecendo. Com a consciência que fiz de tudo e suportei tudo para que você visse que era eu, a mulher da sua vida.
—  Aquele Outono de 07 de Junho.
Eu tinha que amar você o suficiente para deixá-la partir. Foi a coisa mais difícil que já precisei fazer, e não pretendo passar por isso de novo nunca mais. Mesmo assim, meu coração sempre pertenceu a você. Tenho certeza de que você continuou sentindo isso.
—  Ren, A Viagem do Tigre