6

1) Cabocolinho índios africanos - 31/mar/1938. Torrelândia, João Pessoa (PB)

2) Roda - 07/abr/1938. Patos (PB)

3) Praiá - 11/mar/1938. Brejo dos Padres, Tacaratu (PE)

4) Reis de congo - 11/abr/1938. Pombal (PB) 

5) Côco de roda - 03/mai/1938. Itabaiana (PB)

6) Caboclinhos (figura de roda) - 04/mai/1938. Itabaiana (PB)

Fotógrafo: Luis Saia

Os Cocos são livres de narrativa definida e possuem diversidade musical e capacidade de expressão de fatos e sentimentos sobre a vida social.         Outros gêneros dramáticos que compõem esse acervo folclórico são as Congadas, os Reisados e as Marujadas, um exemplo é a Barra de João Pessoa.        

Um outro recorte expressivo da Missão de Pesquisas Folclóricas são os repertórios com a presença africana no Brasil, como Xangô, Tambor de Mina, Tambor de Crioula, Babacuê e Pajelança.        

O Babaçuê e o Tambor de Mina de Belém do Pará e de São Luís mostram a incidência musical africana combinada às mudanças em marcha em solo brasileiro, buscando na escolha dos repertórios referências às origens diversas comuns no Xangô do Recife e no Candomblé da Bahia.        

A cantoria é um repertório de violeiros de Pombal e Cajazeiras na Paraíba com produções independentes e dotadas de grande poder comunicativo e valor pedagógico