pavimentate

Na batida da porta, o eco da distância pavimentou uma longa estrada de lembranças. O tempo havia colocado um ponto final naquela narrativa que virou a história de nossas vidas. E será que depois de todo fim existe tanto vazio? Por alguns instantes fiquei ali parada, diante da porta fechada, olhando para os meus pés inertes. A solidão é paralítica.
—  Elisa Bartlett
'Lego: Ninjago' tem momentos divertidos, mas é o mais irregular da franquia
(Imagem: divulgação Warner)

A ideia de abrir a franquia Lego nos cinemas gera uma série de possibilidades, tamanha as variações de linhas do popular brinquedo de montar. Se o sucesso de ‘Uma Aventura Lego’ pavimentou o caminho ao receber elogios de crítica e público quando foi lançado, em 2014, este ano já tivemos ‘Lego Batman’, em fevereiro, e ‘Lego Ninjago’, em cartaz a partir deste final de semana.

A partir destes três longas-metragens já é possível encontrar um estilo próprio nas animações: centenas de referências à cultura pop (muitas delas só para o público adulto e cinéfilo), piadas nonsense e, principalmente, um conflito familiar como pano de fundo para a trama de ação.

Este último item aparece com força em ‘Lego: Ninjago’. O filme é, acima de tudo, a história do acerto de contas entre um pai e um filho que vivem em lados opostos da força, assim como em ‘Star Wars’. O jovem Lloyd é motivo de chacota no colégio e tem dificuldade em fazer amigos por ser filho do vilão Garmadon. O que pouca gente sabe, porém, é que ele na verdade é também o Ninja Verde, responsável por comandar um grupo de defensores da cidade.

Assim como os Power Rangers, Changeman ou qualquer um destes grupos, os Ninjas lutam dentro de robôs gigantes no formato de animais. No entanto, à certa altura, uma gata real entra em cena e começa a destruir os prédios da metrópole, demonstração do humor nonsense que citamos anteriormente.

A mistura entre animação e cenas com atores reais é outra novidade na franquia. Jackie Chan aparece como o dono de uma loja de antiguidades no prólogo, e seu personagem é responsável por narrar a aventura. Na versão original, dublada em inglês (não disponível nos cinemas brasileiros), Chan também dubla o Mestre Wu, o típico sábio oriental responsável por treinar os guerreiros.

Ao focar por demais na disputa entre Lloyd e Garmadon, o filme dá pouco espaço para o desenvolvimento de outros personagens. A trama torna-se por vezes cansativa, principalmente para as crianças, que certamente irão se divertir mais nas dinâmicas cenas de ação. Estas chegam a lembrar as brincadeiras caseiras com a coleção de Legos – há coisa mais típica de acontecer em casa do que o animal de estimação passar por cima dos bonequinhos e as casas montadas para eles?