paulo-bastos

São Paulo 3x0 Ponte Preta

Não foi um jogo intenso e ficou longe dos melhores de Osorio no São Paulo, mas foi o suficiente pra uma vitoria confortável.

Ganso fez sua melhor partida no ano. Eleito inclusive melhor em campo por critérios puramente estatísticos pela primeira vez na temporada. Marcou, assistiu e conseguiu criar chances em contra ataques, aproveitando espaços.

Em alguns momentos Osorio voltou ao esquema 4141. Tinha abandonado após a saída de Souza, provavelmente por não ver outro para ser esse volante central. Lançou Thiago Mendes na função e pareceu interessante.

Ponte Preta vendeu alguns jogadores e demitiu injustamente o treinador anterior. Doriva sabe armar defesas e pode ajudar o time a se manter na primeira divisão. O time conseguiu muitos chutes, mas parou em uma atuação segura de Renan Ribeiro.

Ficha

esportes.yahoo.com
São Paulo vence a Ponte Preta e volta a ser aplaudido no Morumbi

O São Paulo voltou a ser festejado por sua torcida no Morumbi, local de protestos nas derrotas para Ceará e Goiás. Na noite deste sábado, três dias após a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, a equipe comandada por Juan Carlos Osorio se reabilitou também no Campeonato Brasileiro ao fazer 3 a 0 sobre a Ponte Preta. Os gols foram dos até então criticados Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso e do colombiano Wilder.

Após marcar gol, Michel Bastos nega queda de rendimento no São Paulo

Michel Bastos não acredita que o gol marcado na vitória por 3 a 0 sobre a Ponte Preta, neste sábado, seja uma prova de sua reabilitação técnica a serviço do São Paulo. Afinal, o polivalente jogador defende que jamais esteve em baixa no Morumbi.

“Posso ser sincero? Realizei outras funções e não achei que tive um mau desempenho. Fiz aquilo que cabia à minha posição hoje. Quando jogo na frente, tenho que ser decisivo. Como volante ou lateral, cumpro outro papel”, diferenciou.

Por sua versatilidade, Michel Bastos é um dos são-paulinos que mais mudam de posição no rodízio proposto pelo técnico colombiano Juan Carlos Osorio. Ele acha que só foi insultado nos últimos jogos no Morumbi porque atuou mais distante do gol, para onde estavam voltadas as atenções dos torcedores.

Mas Michel Bastos não era o único que vinha sendo hostilizado pelo público são-paulino. O meia Paulo Henrique Ganso, que fez a jogada do gol do companheiro, também deixou a sua marca diante da Ponte e acalmou os seus críticos.

“Chamei todo o mundo para comemorar no banco de reservas, com o professor. Isso mostra que o grupo é unido e amigo”, resumiu Ganso, sem disposição para enaltecer a sua própria atuação. “Vocês escolhem a minha nota.”

Até o lateral esquerdo Reinaldo ouviu aplausos nesta noite. “Gostei do que fiz. Quando estava 0 a 0, saí bem para o jogo. Aí, depois de um primeiro gol, o professor pede para eu ficar mais na defesa. Mas consegui marcar bem. Agora é trabalhar para obter outro bom resultado na próxima partida”, disse, já de olho no compromisso diante do Joinville, na quarta-feira, na Ressacada.

Quem fez os gols de falta do Brasileirão 2015

Marquinhos - Avaí

Source: Gazeta Press

Hernani - Atlético-PR

Source: Gazeta Press

Cléber Santana - Chapecoense

Source: Gazeta Press

Biro-Biro - Ponte Preta

Source: Gazeta Press

Valdivia - Internacional

Source: Gazeta Press

Charles - Cruzeiro

Source: Gazeta Press

Ricardinho - Figueirense

Source: Gazeta Press

Rodrigo - Vasco

Source: Gazeta Press

Victor Ferraz - Santos

Source: Gazeta Press

Michel Bastos - São Paulo

Source: Gazeta Press

Gustavo Scarpa - Fluminense

Source: Gazeta Press

Alan Patrick - Flamengo

Source: Gazeta Press

Luan - Grêmio

Source: Gazeta Press

Rafael Galhardo - Grêmio

Source: Gazeta Press

Tiago Luis - Chapecoense

Source: Gazeta Press

Camilo - Chapecoense

Source: Gazeta Press

Jadson (2) - Corinthians

Source: Estadão Conteúdo

Marcelinho Paraíba (2) - Joinville

Source: Estadão Conteúdo

Quem fez os gols de falta do Brasileirão 2015
São Paulo vence a Ponte Preta e volta a ser aplaudido no Morumbi

O São Paulo voltou a ser festejado por sua torcida no Morumbi, local de protestos nas derrotas para Ceará e Goiás. Na noite deste sábado, três dias após a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, a equipe comandada por Juan Carlos Osorio se reabilitou também no Campeonato Brasileiro ao fazer 3 a 0 sobre a Ponte Preta. Os gols foram dos até então criticados Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso e do colombiano Wilder.

O resultado levou o São Paulo aos 34 pontos ganhos na tabela de classificação, ocupando provisoriamente a quarta colocação – a vaga no G4 fica ameaçada pela sequência da 21ª rodada, no domingo. Já a Ponte Preta, que vinha de eliminação na Copa Sul-americana, permaneceu com 27 pontos.

Os dois times já terão compromissos na quarta-feira. Enquanto o São Paulo irá à Ressacada para enfrentar o Joinville, que figura na zona de rebaixamento, a Ponte Preta jogará contra o Cruzeiro no Moisés Lucarelli.

O jogo – Ninguém cobrou raça do São Paulo desta vez. Quando o time de Juan Carlos Osorio subiu no gramado do Morumbi, o apoio do pequeno público que estava nas arquibancadas foi total, conforme pedia Juan Carlos Osorio.

O time tentou corresponder, acuando a Ponte Preta nos minutos iniciais de partida. A primeira oportunidade de gol ocorreu aos oito, quando Reinaldo passou por Felipe Azevedo e fez o cruzamento da esquerda. Wilder cabeceou com estilo, mas para fora.

Logo em seguida, a defesa visitante sofreu uma baixa. Tiago Alves se lesionou e precisou ser substituído por Diego Ivo no momento em que a Ponte Preta procurava se organizar para contra-atacar.

Sem se importar com o desfalque do lado adversário, o São Paulo ficou próximo de abrir o placar aos 12 minutos. Após cobrança de escanteio e defesa de Marcelo Lomba, Wilder acertou a bola na trave. Alexandre Pato ficou com a sobra e parou em nova intervenção do goleiro.

A Ponte, então, começou a diminuir o ritmo da partida para esfriar o São Paulo. O objetivo era seguir o exemplo de Goiás e Ceará e aproveitar as deficiências defensivas do adversário quando exposto no Morumbi.

Aos 18, a Ponte enfim incomodou Renan Ribeiro. A equipe de Campinas subiu em velocidade, e Bady aproveitou para concluir com firmeza, obrigando o goleiro são-paulino a trabalhar.

Com o jogo mais morno, o São Paulo demorou um pouco para se aproximar outra vez da meta ponte-pretana – o que foi suficiente para impacientar um e outro torcedores. Aos 32, no entanto, Michel Bastos só não colocou a bola na rede com a cabeça porque Marcelo Lomba, de mão trocada, executou bela defesa.

O gol veio em dois minutos. Até então apagado em campo, Ganso se deslocou do meio para a direita e fez grande jogada, calando quem o criticava ali perto, e finalizou em cima de Lomba. Michel Bastos ganhou assistência na sequência e completou para dentro.

Ganso comemorou o gol de Michel Bastos timidamente – só abraçou o companheiro depois de amarrar as chuteiras –, porém o São Paulo não se acomodou com a vantagem. Aos 44, Pato fez um desarme na esquerda e disparou até dentro da área. De lá, concluiu por cima de Lomba. A bola morreu do lado de fora da rede, iludindo alguns torcedores.

Na etapa complementar, a ordem no São Paulo era continuar em cima da Ponte Preta. E foi seguida à risca. Aos quatro minutos, Pato recebeu a bola de Ganso, enfrentou a marcação e exigiu defesa de Lomba. Ganso ficou com o rebote e arrematou com tranquilidade para o gol. A celebração agora foi com outro profissional que se tornou alvo de contestações – Juan Carlos Osorio.

O técnico colombiano logo vibrou outra vez. Pato fez cruzamento da esquerda, e Wilder mergulhou para cabecear e desencantar, anotando o seu primeiro gol desde a chegada ao São Paulo.

Aliviado, Osorio começou a fazer as suas alterações. Mandou a campo os jovens Matheus Reis e Auro nos lugares de Reinaldo e Wesley, ambos acarinhados pelo público. Já Doriva apostou em Keno e Léo Costa nas vagas de Cesinha e Diego Oliveira para buscar a reação.

Àquela altura, contudo, o São Paulo já mantinha o controle da partida sem se expor muito. Foi só fazer o tempo passar para finalmente toda a equipe da casa escutar merecidos aplausos no Morumbi.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 3 X 0 PONTE PRETA

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)

Data: 29 de agosto de 2015, sábado

Horário: 21 horas (de Brasília)

Árbitro: Marcelo Aparecido de Souza (SP)

Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (Fifa/SP) e Vicente Romano Neto (SP)

Público: 12.145 pessoas

Renda: R$ 296.669,00

Cartões amarelos: Wilder, Thiago Mendes e Lyanco (São Paulo)

Gols: SÃO PAULO: Michel Bastos, aos 34 minutos do primeiro tempo; Paulo Henrique Ganso, aos 4, e Wilder, aos 8 minutos do segundo tempo

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Hudson (Lyanco), Rodrigo Caio, Luiz Eduardo e Reinaldo (Matheus Reis); Thiago Mendes, Wesley (Auro), Michel Bastos e Paulo Henrique Ganso; Alexandre Pato e Wilder

Técnico: Juan Carlos Osorio

PONTE PRETA: Marcelo Lomba; Rodinei, Renato Chaves, Tiago Alves (Diego Ivo) e Gílson; Fernando Bob, Elton e Bady; Felipe Azevedo, Diego Oliveira (Léo Costa) e Cesinha (Keno)

Técnico: Doriva

Soccer-Vasco appoint third coach of the year after another loss

SAO PAULO, Aug 16 (Reuters) - Vasco da Gama appointed their third manager of the year on Sunday when Jorginho was named to replace Celso Roth a day after the club lost 1-0 at home to Coritiba.
Jorginho, who was assistant to Dunga at the national side between 2006 and 2010, took over from Roth, who lasted less than two months at the helm of the Rio de Janeiro club.
Vasco’s defeat left them rooted to the bottom of the table with 13 points.
The Vasco fans protested the result but there was more unrest at Sao Paulo where fans attacked players’ cars after they went down to their heaviest defeat of the season, a 3-0 home loss to Goias.
Fans shouted abuse at Colombian manager Juan Carlos Osorio and kicked the cars of former Brazil players Michel Bastos and Paulo Henrique Ganso following Saturday’s loss.
Corinthians maintained top spot at the halfway stage of the season with a 2-1 win at Avai on Sunday and opened up a four-point lead over Atletico Mineiro, who lost 2-1 at Chapecoense.
Young striker Luciano got both goals with two great strikes but the league leaders were lucky to see a second goal from Avai ruled out for offside.
Gremio won their third successive league match by coming behind to beat Joinville 2-1, while Fluminense moved into fourth with a 2-1 win over Figueirense.
Palmeiras jumped to fifth when they beat Flamengo 4-2 in front of the biggest crowd of the day, 37,739 at the Allianz Parque.
(Reporting by Andrew Downie; Editing by Greg Stutchbury)