pardais

Prendíamos os pássaros porque invejávamos a capacidade que eles têm de voar. Eles podiam ser o super-homem e nós, homens, não. Éramos covardes. Ainda somos. Mas a vida tratou de nos castigar sutilmente. Passamos a vida inteira comendo alpiste industrial em uma gaiola invisível que nós mesmos criamos. Para a alegria dos pardais, a modernidade matou o estilingue. Para a tristeza dos pais, as crianças agora caçam zumbis sem sair de casa.
—  Eu me chamo Antônio.

#matinal #matutino #Aprisco #ApriscoChurch #birds .
Salmos 84:1-10
​Que bela casa, Senhor dos Exércitos de Anjos!
Eu sempre quis morar num lugar assim!
Sempre sonhei com um quarto em tua #casa , onde eu pudesse cantar de alegria ao #Deus vivo!
Os #passarinhos encontram espaço em tua casa;
os #pardais e as #andorinhas fazem ninhos nos beirais.
Eles botam ovos e criam seus filhotes,
cantando tuas canções no lugar em que adoramos.
Senhor dos Exércitos de Anjos! Rei! Deus!
Como são abençoados por viver e cantar ali!
Como são abençoados todos aqueles em quem habitas:
a vida deles é a estrada pela qual transitas.
Eles passeiam por vales solitários, descobrem riachos
e encontram fontes frescas e lagoas transbordantes de chuva!
Guiadas por Deus, essas estradas contornam as montanhas e,
lá em cima, convergem em Sião! Deus está à vista!
Ouve, ó Senhor dos Exércitos de Anjos!
Ó Deus de Jacó, abre os ouvidos — estou orando!
Observa nossos escudos, reluzindo ao sol,
nossa face brilhando com tua unção.
Um dia passado em tua casa, neste lindo lugar de adoração,
é melhor que várias temporadas nas ilhas mais belas.
Prefiro esfregar o chão da casa do meu Deus
a ser honrado no palácio do pecado.
O Eterno é todo luz e soberania,
generoso e glorioso.
Ele não pressiona seus companheiros de viagem.
Com o Senhor dos Exércitos de Anjos a travessia é tranquila.
UM SALMO DE CORÉ (em Aprisco)

New Post has been published on http://brml.co/1P3HsLp

Sete dos dez pardais que mais multam estão na BR-101

Sete dos dez pardais que mais multam estão na BR-101

Está localizado no quilômetro 23,7 da BR-101, em Três Cachoeiras, o controlador de velocidade que mais registrou multas nas rodovias federais gaúchas desde que foi instalado. Foram aplicadas até agora 69.725 infrações de julho de 2012 a dezembro de 2014. Ele tem velocidade permitida de 80 km/h. Aliás, dos dez pardais que mais multam, sete deles estão instalados na BR-101.

Os outros três estão localizados na BR-386, em Nova Santa Rita. Os dados são do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Porém, o pardal que mais contabiliza infrações por mês é outro. Fica na mesma rodovia, distante 23 quilômetros. É o controlador instalado na divisa do Rio Grande do Sul com Santa Catarina, no município de Torres. Ele só foi colocado no local em julho de 2014 e já registrou 57.309 multas, o que dá uma média de 11.461 advertências por mês. Outro dado que contribui para este número. A velocidade permitida no quilômetro 0,3 da BR-101 gaúcha é de 60 km/h e o motorista que vem do lado catarinense se depara com uma mudança grande de velocidade, já que poucos metros antes a velocidade permitida é de 100 km/h.

Os 261 equipamentos começaram a ser instalados no Rio Grande do Sul em abril de 2011. Os primeiros começaram a multar pouco mais de um ano depois. Eles monitoram 281 faixas de tráfego. A vencedora da licitação de instalação foi a empresa Kopp Tecnologia. O contrato tem vigência até dezembro de 2015. Uma possível prorrogação está sendo avaliada.

Como está previsto no edital, um estudo foi feito pela Kopp para apontar os locais onde os controladores serão instalados. De acordo com o Dnit, este levantamento não foi determinante e os pontos de colocação dos equipamentos tiveram como base um estudo da Polícia Rodoviária Federal.

Segundo dados da Polícia Rodoviária Federal, o número de acidentes e mortes diminuíram na BR-101 no período. Em 2012, quando os 12 equipamentos começaram a entrar em operação, foram registrados 389 acidentes, chegou a aumentar para 399 em 2013, mas caiu para 371 em 2014. O número de mortes era de 29 em 2012. Diminuiu para 20 em 2013. E caiu para 14 no ano passado.

Já na BR-386, que tem 22 controladores de velocidade instalados, o número de acidentes subiu. Foram registrados 1709 ocorrências em 2012 e chegou a 1917 em 2014. Porém, a quantidade de mortes caiu. De 89 para 78.

Há também os que menos multaram. Quatro deles não registraram uma infração sequer. Dois pardais estão instalados no quilômetro 558, da BR-158, em Santana do Livramento, próximo ao posto da Polícia Rodoviária Federal.. Outros dois estão na BR-116, em São Marcos. Já estes controladores estão muito visíveis e em um trecho com pouco movimento, segundo a PRF.

Um estudo realizado entre o Dnit e a PRF está avaliando a possibilidade de aumentar a velocidade em determinadas rodovias. Em novembro do ano passado, técnicos dos dois departamentos identificaram as primeiras quatro rodovias que poderiam sofrer alteração no limite de velocidade: BR-158, BR-285 e BR-290.

Todas tem previsão de ter limite máximo permitido de 110km/h. A exceção é a BR-472, que a sugestão é aumentar para 100 km/h.

Porém, nada foi modificado ainda e, segundo o Dnit, não há previsão de quando isso irá ocorrer nestas. Menos chance ainda têm as demais rodovias que não foram incluídas neste primeiro grupo.

Pardal faturador (mais multaram desde que foram instalados):

01º) BR-101, km 023,7 – 80km/h – Três Cachoeiras = 69.725 infrações

02º) BR-386, km 439,2 – 60km/h – Nova Santa Rita = 66.048 infrações

03º) BR-101, km 086,5 – 80km/h – Osório = 64.878 infrações

04º) BR-386, km 428,7 – 80km/h – Nova Santa Rita = 60.591 infrações

05º) BR-101, km 000,3 – 60km/h – Torres = 57.309 infrações

06º) BR-386, km 439,2 – 60km/h – Nova Santa Rita = 50.123 infrações

07º) BR-101, km 085,7 – 80km/h – Osório = 42.769 infrações

08º) BR-101, km 023,6 – 80km/h – Três Cachoeiras = 29.672 infrações

09º) BR-101, km 005,9 – 80km/h – Torres = 19.525 infrações

10º) BR-101, km 062,6 – 100km/h – Maquiné = 18.035 infrações

Pardal faturador (mais multam por mês):

01º) BR-101, km 000,3 – Torres = 11.461 infrações por mês

02º) BR-101, km 023,7 – Três Cachoeiras = 4.980 infrações por mês

03º) BR-101, km 086,5 – Osório = 4.634 infrações por mês

04º) BR-101, km 085,7 – Osório = 3.054 infrações por mês

05º) BR-386, km 439,2 – Nova Santa Rita = 2.277 infrações por mês

06º) BR-101, km 023,6 – Três Cachoeiras = 2.119 infrações por mês

07º) BR-386, km 428,7 – Nova Santa Rita = 2.089 infrações por mês

08º) BR-386, km 439,1 – Nova Santa Rita = 1.728 infrações por mês

09º) BR-101, km 005,9 – Torres = 1.501 infrações por mês

10º) BR-101, km 062,6 – Maquiné = 1.387 infrações por mês

Pardal decorador (menos multaram desde que foram instalados):

01º) BR-116, km 114,9 – São Marcos = 0 infrações

01º) BR-116, km 115,0 – São Marcos = 0 infrações

01º) BR-158, km 558,1 – Santana do Livramento = 0 infrações

01º) BR-158, km 558,5 – Santana do Livramento = 0 infrações

05º) BR-116, km 115,7 – São Marcos = 1 infração

http://brml.co/1ESb32r

Problemas com multas de trânsito? A BrasilMultas é especializada na formulação automatizada de defesas e recursos contra multas de trânsito. Acesse o site, o Facebook.com/BrasilMultas, o Google+ ou o Twitter.com/BrasilMultas

Normas de Boa Convivência

Normas de Boa Convivência

Ainda ne lembro do meu pai na sua eterna janela, já doente, prisioneiro do espaço, encontrar numa pomba a liberdade possível. Sempre gostou de animais. Tinha por hábito dar nomes, por exemplo, aos pássaros. Recordo piriquitos com que o meu pai conversava e batizara de Chico e Chouriço. A pomba vinha às migalhas que ele colocava na janela e ele habitou-a a esse repasto. E assim tinham negócio…

View On WordPress

pardal é nome genérico dado aos pequenos pássaros da família Passeridae, género Passer e Petronia. Os pardais são aves cosmopolitas e adaptam-se bem a áreas urbanizadas e à convivência com os seres humanos. Alimentam-se à base de sementes durante a maior parte do ano e de insetos na época de reprodução. O pardal-doméstico foi introduzido pelo Homem em todos os continentes e é atualmente a espécie de ave com maior distribuição geográfica.

O vi o céu amarelo e quando menos esperei, voei. É, eu voei, que nem fazem pássaros, borboletas e pinguins geneticamente modificados. É, eu pulei do penhasco e planei bem perto da água. Vi a cor do ar. O som dele. O assovio do vento. A mão do oxigênio na minha garganta me forçando a cair enquanto deixava seu amigo, carbônico, escapando pelo meu nariz. Eu senti o cheiro do sal deixando o fundo do oceano e encolhi meus olhos querendo espreitar a sombra de um tubarão baleia que podia estar passando por debaixo da água azul turquesa. Não desperdicei minha chance e, quando voei, tentei entender a mecânica das coisas, a começar pela razão dos pássaros passando pela engenhosidade de asas com pena e indo de encontro ao complexo sistema de voo das moscas e dos grilos verdes. Foi minha consciência que me fez pousar, mas eu não queria. Voar é o maior sonho do homem, de todo homem, porque seres com asas ainda o superam e eles têm inveja dos anjos, dos pardais e das águias. Criaram o paraquedista, o balonista, o aviador, mas nenhum deles é tão gracioso quanto um beija flor ao bater as asas perto do um cacho de flores vermelhas ou quanto um coro de bem-te-vis esperando a alvorada. Pois ninguém sabe o que se esconde no céu, nem no mar, nem em lugar algum. São as coisas, que continuam sendo mistério, que fazem o homem alçar seus voos dentro de si, fora de si, para si. Não somos pássaros, nem poderíamos ser, porque ainda não aprendemos a ter leveza que faz a vida passar rápido-devagar, quase como se tivéssemos céus, terras, universos particulares. Ainda não temos nosso próprio tempo e sim, sim, eu temo o escuro e prefiro as luzes acesas para voar dentro do meu quarto, encoberto por camadas e mais camadas de sonhos misturados com lençóis e cobertores. Tenho a sensação, somente a sensação, de ser livre no meu próprio céu.
—  Theu Souza 

Coração  

A esperança é uma asa, voe com ela.   O passarinho tão pequenininho em meio o céu poluído, estufa o peito e canta.   Há uma lenda muito antiga que diz; “ Os pardais se transformam em Fenix ”  

A rosa é bela, mas , tem espinhos.   O pássaro dificilmente pousa em uma rosa, ele prefere os galhos firmes.  

Não há flores que não murcham com o tempo,   O reflexo do céu é azul porque o Sol reflete os oceanos no qual as pérolas permanecem intimamente escondidas.    

Porém as cores mudam de acordo com nossa capacidade de enxergá-las.  

O caminho dos pássaros não deixa rastros assim como o caminho das almas.  

Rhenan Carvalho

Oh, my God… This human is trying to invade our castle again! Empada, please, call our sparrows army. We are going to attack. | Oh, meu Deus… Esse humano está tentando invadir nosso castelo de novo! Empada, por favor, chame nosso exército de pardais. Nós vamos atacar. | 😂😂😂 #amazonparrot #funny #parrots #pet #petsofinstagram #bird #birdsofinstagram #papagaio by diariodeumpapagaio https://instagram.com/p/4ee86gmygO/

“Arrojaste o lençol da tua cama
Deitaste-te de costas, e esperaste;
Dormiste, e a noite revelou-te
As milhentas sordidas imagens
De que a tua alma era formada;
Voltejaram tontas contra o tecto.
E quando o mundo todo regressou
E a luz se infiltrou entre as portadas,
E ouviste os pardais pelas sarjetas.
Tiveste uma visão da tua rua
Que a própria tua rua não reconheceria;
Sentada na borda da cama, onde
Tiraste os papelotes do cabelo
Ou pegaste nas plantas amarelas dos teus pés
Com as palmas sujas das mãos ambas.”

T. S. Eliot

Imagem: Andrew Wyeth

congratulações

thank you very much
pelo peso de papeis que você deixou
sobre o coração de lã
que confunde-se com o peso
dos caminhões que carregam peças de catavento
para os parques de ventania
se esquivando a mm
de abismos e ribanceiras
nas horas em que todos dormem
e o orvalho nasce vindo de outra dimensão
o resultado é o trancar de asas
dos origamis multicoloridos
que assim não incendeiam em vôo
e permanecem adestrados
sobre a escrivaninha
sem dar um misero piu


thank you
assim é mais difícil tomar nota
nas horas rasantes
agora uso a caneta esferográfica
para escrever na areia das mãos
anoto diários, notas de rodapé, lista de afazeres
adagas ensanguentadas, números de telefone,
quotes dos meus amigos pardais
mas as mensagens se desmancham
com o suor da maré alta que sempre vem
e assim esqueço de ligar para os príncipes anarquistas
ou de comprar rum para afogar os besouros rola bosta


thanks
pelo peso morto
que agora reside entre meus calafrios
nas estações me travisto de cantor meloromântico
carregando no lombo duas toneladas de poros insanos
que irrompem sem aviso prévio em magma
e enquanto os homens esperam o próximo trem
admirando espelhos negros
eu sussurro as crianças grandes
o fenômeno experimental
que é o regresso dos cisnes de papel
aos seus ninhos de nuvens macias

Prendíamos os pássaros porque invejávamos a capacidade que eles têm de voar. Eles podiam ser o super-homem e nós, homens, não. Éramos covardes. Ainda somos. Mas a vida tratou de nos castigar sutilmente. Passamos a vida inteira comendo alpiste industrial em uma gaiola invisível que nós mesmos criamos. Para a alegria dos pardais, a modernidade matou o estilingue. Para a tristeza dos pais, as crianças agora caçam zumbis sem sair de casa.

Leia o texto completo no site da @intrinseca by eumechamoantonio https://instagram.com/p/4sqIs5FuAW/