p.textos

   Eu já sabia que não iria ser fácil,mas não achei que seria tão complicado…Minha mãe me disse que a vida era assim, um labirinto sem fim. Mas eu achei que conseguiria dar um “jeito”,que tudo era pura besteira,que não passava daquela velha preocupação de mãe.Pensei que não iria sofrer por amor,que só sofria quem queria,que a vida era simples,e os obstáculos eram fáceis de se passar por cima, ia conseguir me “dar bem”… Mas a vida começou, e eu não esperava por tudo que estava por vir… Tudo começou tão de repente e com tanta força, as desilusões junto com os machucados tomaram conta de mim,mais tarde veio as discórdias acompanhadas de esperanças,os sonhos faltando a realidade,e acompanhados da imaginação…Tento me esconder da realidade,pra tentar fazer com que tudo pareça ser tão simples quanto pensava,mas,tudo se tornou tão complicado e difícil de entender que eu comecei a duvidar de mim mesma, achei que não conseguiria sobreviver nesse mundo,tão cruel,tão dificil… As perguntas começaram a invadir minha mente,será que eu era fraca demais?Não passo de uma inútil?… Mas,depois vieram os pensamentos bons,que me fizeram mudar de opinião,e hoje sou assim graças a eles,e quer saber você aí que está lendo este texto? Não deixe que os outros passem por cima de você,te subestimem,tem palavras que podem ser fortes em te derrubar,mas pode ter certeza que elas só “parecem” ser fortes,e você começa a acreditar em uma ilusão,comece a fazer uma limpa não só nas palavras ,mas na sua vida,você é forte e capaz, qualquer seja o obstáculo,e sabe qual é o segredo para você passar por eles? Acreditar mais em você,do que nas coisas que os outros falam e acham. (rafaela) e (marina)

Sabe, nem sei o por quê desse texto. 

São só meus pensamentos, minhas ideias confusas, de tudo que ouço e vejo, sinto.

Das palavras que eu não esqueço e que machucam, cortam e ferem.

Das lágrimas escondidas, caladas por meus falsos sorrisos, e falsa alegria.

Das verdades jogadas no meu rosto, verdades que eu sei, mas antes não me importava e hoje se tornam insurpotáveis.

De tudo que está na minha mente, reprimida, e ignorada… 

De tudo que sou.

Tem vezes que eu consigo enxergar em você o menino que conheci a alguns anos, mas também você tem do dom de fazê-lo desaparecer em instantes, com atitudes bobas e infantis. Não to pedindo muita coisa, eu só quero meu melhor amigo de volta. É pedir demais?

Paula Caeiro