pão de forma

Porque afinal, amo escrever

Uma vez me disseram que ninguém escreve porque simplesmente gosta escrever, que há uma necessidade por trás disso, seja como o ganha pão, ou como forma de cumprir alguma obrigação interna, e sabe, na hora eu discordei de tudo, disse que haviam pessoas que escreviam só porque gostavam e ponto, porém, depois de uns dias ao terminar de escrever um texto, percebi que o que eu tinha ouvido era verdade, porque eu enxerguei dentro de mim aquilo que me motiva a escrever, eu escrevo sim com uma necessidade, mesmo que ela seja quase inconsciente, ela ainda está lá, porque no fundo cada palavra que escrevo é porque busco ser compreendida, porque quero mostrar ao mundo quem sou, quero explicitar os sentimentos que não consigo dizer de forma espontânea e descontraída, porque quando escrevo mergulho nas profundezas do meu coração, e mesmo que eu escolha cada palavra com cuidado, ainda sou completamente sincera, porque quero que quem leia sinta tudo o que sinto, e assim me conheça por meio das minhas próprias palavras, mas essa necessidade não me impede de gostar de escrever, agora eu sei que faço isso por mais que apenas um hobby, existem coisas dentro de mim que precisam ser mostradas, e a forma maravilhosa que uso pra fazer isso é escrevendo, então há uma necessidade sim, e ela vai além do gostar mas caminha junto a ele, então eu escrevo porque preciso e afinal, porque amo escrever.

Ex são como uma roupa velha que a gente sabe que não nos cai bem, mas mesmo assim insiste em experimentar outra vez…
04:00 a.m. e não paro de pensar em você. Hoje te vi de longe, mas te senti por perto, pena que ao olhar melhor percebi que você estava de mãos dadas com um idiota (que por sinal era o seu ex-namorado). Sam, o passado é como aquela sua blusa da Hello Kitty que você ganhou quando tinha 14 anos. Na época era larguinha e aconchegante, mas hoje em dia é uns três números menor e você não pode levantar os braços sem que ela descubra alguma parte sua. Você insiste que essa blusa ainda te serve, mas no fundo sabe que é apenas um capricho para não se desapegar de algo que já foi muito importante para você. Vou te contar um segredo Sam, ás vezes nós precisamos deixar algumas coisas pra trás para que a nossa vida possa seguir adiante. Eu sou a prova viva de que o passado não faz bem para ninguém. Voltei ao posto de babaca e após ter sido um cretino com uma mulher aleatória o fato de hoje ter visto você com outro é a única coisa capaz de me abalar. Você passou pela minha vida rápido demais, mas me marcou como ninguém. Eu me lembro de tudo. Desde o seu medo irracional de aranhas ao seu humor negro. Lembro que você gostava de tomar sopa em dias quentes, comia pão de forma com batata frita e separava o m&m’s pela cor. Você era detalhista, perfeccionista e calculista. Me lembro de todos os seus istas e das suas peculiaridades no geral. Se saudade trouxesse alguém de volta você estaria aqui cinco minutos após ter saído da minha vida. Suas lembranças são como o seu livro favorito. Quando você o lê pela primeira vez tem a sensação de que nada será tão bom quanto ele, mas ai aparecem livros novos e você se sente assim outra vez, mas no meu caso Sam, você estragou a literatura para mim, pois eu sei que nunca vou encontrar outro livro de que goste tanto.
—  Sorry, I’m not an ice cube.