Não tinha como não me apaixonar, por completo que seja, me deixei por levar pelos seus olhos que me deixam alucinado, pela sua boca, que me deixa desajeitado. Hoje não pedi café, nem água, nem nada ao garçom, pedi apenas você, e como eu queria você pra mim. Não sei o que o destino pretende pra nós, mas bem que ele podia dar uma ajudinha e deixar todo o amor somente entre nós. Acordo meio desnorteado, mesmo assim, penso muito em ti, entre minutos em minutos, sua imagem tão bela vem em mente, desde de cedo até o sol acedente que as poucos vai se camuflando entre serras e montanhas. Hoje traguei demais o seu amor, e agora já não tenho mais nada em mente.
—  Overdose de você.
Minha mente foge para você, com um pensamento que eu espero que você veja. Sinto sua falta a todo momento. Sinto falta do seu cheiro, o seu jeito de me bagunçar, de me revirar. Sinto falta do seu abraço, que ali me aconchegava, sussurrando ao meu ouvido, que iria ficar tudo bem. Nada e nem ninguém pode explicar o jeito que estou sentindo sua falta. Todo dia antes de dormi ouço aquela música, que você dizia ser nossa, mas ela não tem o mesmo som, nem a mesma leveza de quando estava ao seu lado. Meu coração se parte, quando ouço seu nome. Onde está o que sobrou de nós? Já não sei correr dessa saudade que vive a me perseguir, não sei pra onde correr, pra onde ir, sendo que você sempre foi, e vai ser, meu melhor caminho, meu melhor guia. A saudade vai aumentando, e o amor ainda mas.
—  Overdose de você.