ok no mas

I think that one of my favorite things as a kid was right after a powwow my ma and I decided to go with her then fiance to an ice cream shop with some of our regalia and leathers still on. Out of nowhere a little girl comes out, points and yells:

“LOOK MOMMY! INDIANS!”

My ma without missing a beat turned around, pointed at her and screamed, “LOOK JEFF! A WHITE GIRL!”

And I think about that moment a lot.

Diceva che non le importava, ma i suoi occhi raccontavano un'altra storia.
—  sorreggimi
Eu jurei que não seria pra você, e agora é

esse não é mais um texto romantizando o que tivemos ou o que eu imaginei que poderíamos ter sido. esse texto não fala sobre juras, tão pouco sobre a eternidade.

[a eternidade nunca foi sobre nós.]

anteontem eu descobri que a pasta em que eu costumava salvar nossas fotos sobreviveu á formatação que meu notebook foi obrigado a passar. eu seria uma grande mentirosa se eu dissesse que nunca houve receio da minha parte em abrir aquela pasta e rever de cabo á rabo o que eu havia salvado. mas eu abri.

alívio. foi o que eu senti por conseguir olhar tudo aquilo e não sentir um aperto que fosse em meu peito. não veja isso como algo ruim, porquê só Deus e eu sabemos o processo doloroso pelo qual eu passei.

e quer saber qual daquelas fotos acabou sendo a minha preferida? aquela na qual você me fitava do outro lado cama, com o sol batendo em seu rosto, tornando o momento ainda mais bonito. foram incontáveis vezes as quais eu desejei que você me olhasse daquele jeito pelo resto dos nossos dias.

[a eternidade nunca foi sobre nós.]

eu sempre achei que a coisa mais difícil de se fazer nesse mundo fosse perdoar. perdoar as pessoas que me chutaram a vida inteira, perdoar minha mãe pelas palavras frias que me fizeram chorar por noites, perdoar meu pai por ter sumido a minha infância toda, perdoar os parentes que me julgaram pelas costas e em minha frente me endeusavam, perdoar você. eu sempre achei o perdão um ato muito corajoso.

eu te perdoei.

perdoei todas as merdas que aconteceram entre a gente. perdoei você por ter me substituído. tirei o papel de vilã que eu havia lhe empregado, porquê afinal de contas, você não teve culpa. nós vivemos em constantes mudanças e consequentemente nossos sentimentos também.

tudo bem se você me amou no domingo e na segunda já não sentia mais o mesmo.
tudo bem se você me deu flores na terça e na quarta achou que precisávamos de um tempo pra pensar.
tudo bem você ter progredido e não ter tido espaço pra mim.

c'est la vie.

Campinas, 09 de julho de 2017

E morreu ao lado do telefone esperando uma única ligação, um único sinal de que alguém se lembraria de sua existência. Ok, não houve morte alguma, mas isso não faz a situação parecer menos triste. É decepcionante perceber que ninguém se importa com você.
—  Os porquês de Amélia Roswell.
5

Allura: Shiro, if you don’t lie still, your fever will-
Shiro: Matt! Dr. Ho-
Allura: Coran, help me hold him, he’s going to hurt himself.
Shiro: NO, MATT! RUN-
Pidge: I-it’s ok, Shiro. It’s me.
Shiro: Ma…att?
Pidge: Y-yeah. It’s Matt. 
Shiro: You gotta- Zar…
Pidge: You were just dreaming, Shiro. We’re at home. You’ve just got a fever. None of it was real.
Shiro: I… thought…
Pidge: I… I know, buddy. You were just having that nightmare again.
Shiro: You’re… al… right…
Pidge: Yeah, I’m all right. We’re all alright. 
Shiro: *squeezes Pidge’s hand*
Pidge: Get some rest, buddy.

So lately I’ve been sending sad Voltron hcs to my friends who got me into Voltron (lol yes, I’m a terrible person). This one is from:

Keep reading

é que sempre fui esse ser humano fodido, sozinho, isolado. e quando te vi, puta que pariu, quando eu te vi. tive que beber umas três garrafas de vinho subsequentes para ter coragem de ir tocar meus lábios nos teus. e nem foi necessário, se não me falha a memória. lembro de ter ido mijar e você apareceu me agarrando e beijando como se o calendário maia dissesse que aquele dia seria o fim do mundo. e eu me apeguei tanto. eu te assustei tanto que caralho, criei uma puta dependência e não tive estrutura pro baque de ver você indo embora sem ao menos eu me dar conta. eu pensava que era forte e tava cagando pra quem entrasse e saísse da minha vida mas você mostrou que no fundo, soterrado em algumas veias e artérias, existe uma parte em mim que sente. e espreme a pálpebra do olho até torcer e cair uma renca de lágrimas e sentimentos e histórias jogadas fora. como uma bomba atômica.

Me deixe ir. 
E, amor, quando me ver partindo, não me peça para voltar e ficar. Pois depois de tudo, se eu não partir, ficarei partida. 
E nós sabíamos, amor, que desde o começo, estávamos destinados a ter um fim. Que depois de tantas tentativas erradicas de darmos certos, daríamos errado.
Porque eu e você, nós, somos parecidos e diferentes demais para ficarmos juntos.
Então, amor, me deixe ir. Ficaremos melhor depois que eu partir.
Não me procure e não se lembre de mim, pois, por mais doloroso que seja, não o procurarei e nem me lembrarei de você.
Então, amor, apenas me deixe ir, e assim, nós dois ficaremos bem.
—  Let her go, man.