ogum

Hoje eu acordei bem cedo, olhei pro céu e agradeci […]
Agradeci por Oxalá me conceder mais um dia de vida, que por mais que a vida seja dura, as pessoas sejam cruas, o mundo seja cruel. Aos trancos e barrancos, consigo ter forças pra continuar minha missão. Agradeci por eu carregar orixás maravilhosos que me amparam e me chamam a atenção quando preciso. Agradeci por eu ter uma criança/erê com muita luz, força e alegria, um erê que me traz esperança de viver, que só de sentir sua presença já me renova.
Agradeci por ter Ogum me protegendo, Xangô me defendendo, Oxóssi me guiando.
Agradeci por Oxum mãe da natureza, rainha da beleza, Iansã justiceira, Iemanjá minha companheira.
Agradeci pelos Pretos Velhos que me ajudam à cada dia, me dando sabedoria, humildade e fé. Os baianos que me contagiam com seu sorriso e sua dança, os boiadeiros e os ciganos andarilhos das estradas.. que sempre estão comigo,
E como meu boiadeiro um dia disse: Mesmo que a estrada seja dificil meu filho, compare-a com a rosa. Começa pela raíz, primeiro nasce os espinhos, pra depois chegar nas pétalas. E a vida é assim, lutamos, sofremos, apanhamos, pra um dia encontrarmos nossa felicidade.
Que a forças das águas sempre estejam comigo, que antes de eu cair Oxalá me levante.
— 

Saravá!

filho-de-umbanda

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge. Para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me enxerguem, nem pensamentos eles possam ter para me fazerem mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem ao meu corpo chegar, cordas e correntes se quebrem sem ao meu corpo, amarrar.
—  Oração para São Jorge.
Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos, eles possam me fazer mal.
—  Ogum | Um Quê de Negritude.
Se hoje piso em flores é porque já tirei muitos espinhos do meu caminho, se hoje estou protegida, é porque tenho Ogum comigo até o fim, se hoje consigo enfrentar as batalhas é porque tenho a sua espada, se nenhuma mandinga não me alcança é porque tenho seu escudo, se hoje eu tenho sono zelado é porque tenho seu exército ao meu lado. Salve São Jorge, Salve Ogum!
—  Filhos de Aruanda

“(…) Eu sou descendente Zulu
Sou um soldado de Ogum
Um devoto dessa imensa legião de Jorge
Eu sincretizado na fé
Sou carregado de axé
E protegido por um cavaleiro nobre…”


Ogunhê