obteve

@inia-ad

Tinha batido na porta, mas não obteve resposta. Pediu licença e foi abrindo, se deparando com o ruivo cantando. Após uns momentos pensou em chamá-lo, mas a próxima coisa que ia dizer sumiu na garganta. Ficou olhando aquela flor fincada na parede com os olhos arregalados, havia levado um susto! Aquilo era possível ou ela estava sonhando de novo?

Continuou olhando a flor mesmo quando Shuichi chegou perto, só saiu daquele transe estranho quando seu rosto foi tocado, o qu a fez olha-lo. “O que?… Ah, e-estou sim…” Fora o susto, tudo bem. “Sua mãe me deixou entrar.”

Soltou o rosto da menina quando ouviu a resposta. Que perigo, Kurama. Ele puxou com força a rosa da parede e a enfiou de volta nos cabelos. Agora, independente da reação de Inia, afastou-se e foi em direção a cama em silêncio, sentando-se e dando batidinhas ao seu lado no colchão. “Vem aqui, Inia.” A chamou, na maior calma possível, ia precisar mesmo. Mas se a menina conhecia Grimory, que não era lá um ser normal, ela poderia o entender sem ter um troço em sua frente.

“Quero te contar um segredo.”

Estamos vivendo graves momentos de inclinação e desvios no seio do Movimento Espírita. Os compromissos de vera fraternidade e do transbordar da caridade entre membros da mesma grei estão dando lugar a tristes disputas da vaidade, espetáculos de competição destituída de qualquer sentido lógico cristão, debates infrutíferos de questões de menor importância. Com isso esquecemo-nos de que na base do Pentateuco estão as necessárias orientações a seguir (…).
A programação superior de espiritualização da Terra está adentrando em profunda atividade, mais intensa, mais ativa e pede aos sinceros cooperadores sentimento de trabalho e cooperação. Construamos nossas atividades baseadas na profunda certeza de que recebemos o conhecimento espírita para o desenvolvimento e prática do amor com todas as virtudes irmãs. 
O tempo daqueles que se serviam do Cristo para as próprias vaidades já obteve seu clímax no passado. 
Hoje estamos em condição diferente e, pela misericórdia divina, em situação promissora ao nosso adiantamento. Trabalhemos juntos e sem as máculas da triste manipulação dos interesses próprios que já nos custaram graves dores e danosos comprometimentos.

(Nas fronteiras da Nova Era - Suely Caldas Schubert)

Made with Instagram
Perto de mais uma final, Thiago Pereira agradece rivais Phelps e Lochte

Prestes a disputar a final dos 200 metros quatro estilos, o brasileiro Thiago Pereira já fala em tons de despedida das piscinas olímpicas. Na madrugada desta quinta-feira, o nadador publicou em seu Facebook um texto agradecendo a Michael Phelps e Ryan Lochte, com quem vem disputando provas desde 2003.

“Tem sido uma longa jornada com vocês dois, 13 anos competindo juntos, quatro finais olímpicas juntos. Amanhã vai ser nosso último encontro pra mim, uma honra ter competido todo esse tempo com vocês. Os únicos 3 que sobraram desde 2004”, afirma o brasileiro.

Para a final desta quinta-feira, Phelps conseguiu o melhor tempo da classificatória, com 1min55s78. Lochte obteve a segunda melhor marca, cravando 1min56s28 e Thiago Pereira foi o terceiro melhor, com 1min57s11.

Sempre batendo na trava nas medalhas, Thiago terá mais uma chance para conquistar o tão sonhado pódio olímpico na prova. A dupla americana, contudo, domina os 200m medley desde Atenas 2004.

Tanto em Atenas, quanto em Pequim 2008 e Londres 2012, o gigante Phelps levou a medalha de ouro. Lochte, por sua vez, foi prata na Grécia e na Inglaterra e bronze na China.

Prata em Londres nos 400m medley, Thiago foi campeão mundial da prova dos 200m no Mundial de piscina curta de 2004, além de ter conquistado a prata no Mundial de Kazan, em 2015, e o bronze em Barcelona 2013.