observer.com

anonymous asked:

advice for someone starting out at pixel art completely beginner?

start simple! i think if you try to make super complex pixel art in the beginning, it can be discouraging. so i’d suggest finding really simple objects that you’d like to try drawing–-maybe fruits and hearts and things like that? also, making skies can be really good practice (that was what i started out making). 

using bigger pixels/grids can also make things easier, though you can’t add as much detail.  some pixel art maker websites don’t let you adjust the pixel size. if you want one that does, you can try piskelapp.com

observe other people’s pixel art and take note of things you want to learn how to do! find works that inspire you, etc.

another big thing to consider is the color palette you want to use for each work. you can use websites like coolors.co to generate palettes—it’s been super helpful for me

Depois de ter ouvido todas aquelas duras palavras ela observou com tristeza ele se afastar, e quando ele desapareceu completamente do seu campo de visão, ela deslizou suas costas sobre a parede até alcançar o chão, onde escondendo o rosto entre os dedos, chorrou pelo amor que não mais seria seu.
—  Eu sempre vou estar ao seu lado.
flickr

CP Rail the Canadian at the CP station in Vancouver, BC, October 1978 by Marty Bernard
Via Flickr:
Canadian Pacific A Roger Puta Photo

anonymous asked:

O que sabe sobre guerra/batalha espiritual? Como acontece?

O segredo do sucesso na batalha espiritual é encontrar o equilíbrio bíblico. O Apóstolo Paulo instrui os cristãos a começar a luta contra o pecado dentro de si mesmos (Romanos 6), e contra o diabo. (Efésios 6:10-18). Aprendo duas coisas com Efésios 6:10-12, (1) Podemos ser fortes apenas no poder do Senhor, (2) É a armadura de Deus que nos protege. É somente através de nosso relacionamento com Jesus Cristo que nós, como cristãos, temos qualquer autoridade sobre nosso inimigo. É somente em Seu nome que nossa repreensão tem algum poder. Jesus é nosso principal exemplo para a batalha espiritual. Observe como Jesus lidou com os ataques diretos de Satanás em Mateus 4:1-11, a melhor maneira de combater Satanás é como Jesus nos mostrou, ou seja, citar as Escrituras, pois o diabo não pode contra a espada de Espírito, a Palavra do Deus vivo. O maior exemplo em como não se engajar na batalha espiritual foi o dos sete filhos de Ceva em Atos 19:13-16. Qual foi o problema? Os sete filhos de Ceva estavam usando o nome de Jesus. Isto não é o suficiente. Os sete filhos de Ceva não tinham um relacionamento com Jesus, e por isso, suas palavras foram vazias de qualquer poder ou autoridade. Os sete filhos de Ceva confiaram em uma metodologia. Eles não confiaram em Jesus, e não estavam empregando a Palavra de Deus em sua batalha espiritual. Como resultado, receberam uma humilhante surra. Podemos aprender com este mau exemplo, e conduzir a batalha espiritual da forma como a Bíblia descreve. Resumindo, quais os segredos para o sucesso na batalha espiritual? Primeiro, confiemos no poder de Deus, não em nosso próprio. Segundo, repreendamos no Nome de Jesus, não em nosso próprio nome. Terceiro, devemos nos proteger com a completa armadura de Deus. Quarto, nos engajemos na guerra com a espada do Espírito: a Palavra de Deus. Por último, devemos nos lembrar que mesmo estando na batalha espiritual contra Satanás e seus demônios, nem todo o pecado ou problema é um demônio que deva ser repreendido. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” (Romanos 8:37).

O moça porque essas lágrimas? Olha aqui para mim, me observe no reflexo do espelho. Esta vendo esses olhos castanhos? Observe com atenção, consegue enxergar a esperança nesse olhar? Eu consigo. Tudo bem chorar de vez em quando, mas moça por que não sorrir? Olha que lábios trêmulos, quantos gritos estão guardados? Mas olha, observe que esses lábios ficam bem mais bonitos e atraente sorrindo. Isso, que sorriso lindo moça. Está sentindo a esperança tranquilizar teu coração? Eu sinto. Deixa a paz entrar, deixa as coisas acontecerem. Lave esse rosto, vamos. Com essa cara limpa fica bem melhor.
—  Géssica Ferreira
flickr

A Westbound Canadian, Kicking Horse Pass, 1982 by Marty Bernard
Via Flickr:
Roger Puta took this interesting 4-photo sequence of CP 1406, VIA 1965, and VIA 1423 with a westbound Canadian in May 1982. Thanks go to Train Orders member cp1400 who wrote this caption for the sequence, “The Canadian is between Yoho and Cathedral on CP’s big hill from Kicking Horse Pass to Field. The train is entering the lower spiral tunnel and will loop to the right and come out underneath this track about where the pile of white rocks are that are seen to the left of the train. Sadly this view is no longer possible because the trees have grown to the point you can hardly see the track.”

“MEDITAÇÃO, A CHAVE MESTRA“

— do livro “Vivendo Perigosamente: A aventura de ser quem você é”.
Por Osho.

A meditação é essa clareza absoluta de visão. É impossível pensar sobre ela. Na verdade, você tem que parar de pensar. Agora, quando digo “parar de pensar”, não vá tirando conclusões apressadas, pois isso é apenas o tipo de linguagem que preciso usar para me expressar. Se eu disse “pare de pensar”, e você já for logo fazendo um esforço nesse sentido, terá errado o alvo, pois mais uma vez terá reduzido a meditação a uma ação.

“Parar de pensar” significa apenas isto: não faça nada. Sente-se. Deixe que os pensamentos se aquietem por si mesmos. Deixe que a mente repouse por conta própria. Apenas sente-se num local silencioso, sem fazer absolutamente nada. Relaxado, tranquilo, sem nenhum esforço; sem ir a lugar algum. É como se você estivesse pegando no sono acordado — embora esteja desperto, todo o seu ser vai relaxando. Você permanece alerta por dentro, mas o seu corpo caminha para um profundo relaxamento.

Os pensamentos se aquietam por si mesmos, você não precisa interferir para tentar silenciá-los. Por exemplo, se a água de um riacho está lamacenta, o que você faz? Você pula dentro da água para ajudá-la a ficar cristalina? Claro que não — isso apenas iria torná-la mais lamacenta. Você simplesmente senta-se na margem e espera. Pois não há nada que você possa fazer; qualquer coisa que fizer deixará a agua ainda mais turva. Se alguém cruzar o riacho e as folhas mortas vierem à superfície junto com a lama, tenha paciência. Simplesmente sente-se na margem. Observe com tranquilidade. O riacho continuará fluindo, as folhas serão levadas pela corrente e, aos poucos, a lama irá assentando no fundo, pois não pode flutuar a vida toda. Então, após algum tempo, subitamente você vai perceber que a água está cristalina de novo.

Sempre que um desejo passa por sua mente, as águas ficam turvas. Portanto, apenas sente-se. Não tente fazer nada. No Japão, este “sentar-se sem fazer nada” é chamado zazen. Apenas sente-se, sem fazer nada; e, um dia, a meditação acontecerá. Não é você que a trará; na realidade, é ela que virá até você. E, quando vier, você irá reconhecê-la imediatamente. O fato é que ela sempre esteve aí, só que você não estava olhando na direção correta. O tesouro sempre esteve com você, mas você estava ocupado com outras coisas: pensamentos, desejos, mil e uma coisas. Você não estava interessado na única coisa que realmente importa: o seu próprio ser.

Quando sua energia se volta para dentro — aquilo que Buda chama de parabvrutti, o retorno da sua energia à fonte — subitamente a clareza é alcançada. Aí, então, você pode enxergar nuvens a milhares de quilômetros, e pode ouvir a antiga música das árvores. A partir desse momento, tudo fica ao seu alcance.

flickr

CP 1406 with VIA’s Waterton Park on the westbound Canadian just west of Canmore, Alberta in May 1982 by Marty Bernard
Via Flickr:
A Roger Puta Photograph

Some observers estimate that over 70% of the Cubans inside Cuba are of African descent.  Both the Cuban government and analysts at the US State Department and the CIA used to agree on a number around 63%. In any official census, the proportions are reversed, which any one walking down the streets of Cuba will find absurd. The official census relies on ethnic self identification and across Latin America, everyone wants to be white. Yet these numbers are used to justify racial mixes in many settings, such as professional schools or in the tourism business, where light skinned Cubans hold the preponderance of jobs that pay in hard currency.
—  [“Cuba is no different than many other Latin American countries, where the same racial dynamics and undercounts are at play.”]
Status&Legenda: Livro 365 Dias Extraordinários

• “Carregamos dentro de nós as coisas extraordinárias que procuramos à nossa volta.” ✌️🌄💗

• “Aquele que conhece os outros é inteligente, mas, aquele que conhece a si mesmo é iluminado.” 🍃🌸

• “Um tropeço pode evitar uma queda.” 🌹💫

• “Não me diga que o céu é o limite se há pegadas na Lua.” 🌺🍂

• “Pratique um pouco de amor a cada dia.” 🍀💕

• “Como é extraordinário ninguém precisar esperar um momento específico para melhorar o mundo.” 🌺🍂

• “Nenhum homem é uma ilha, completo sozinho.” 🌺🍂

• “Tudo que você precisa é de amor.” 🍃🌸

• “Ser capaz de olhar para o passado com satisfação é viver duas vezes.” 🌹💫

• “A vida é como uma montanha russa, com todos os altos e baixos.” 🌼🌿

• “Vencedores nunca desistem e quem desiste nunca vence.” ✨✨

• “Para o mundo você pode ser só mais uma pessoa. Mas para uma certa pessoa você pode ser o mundo.” 🍃🌸

• “A vida é como um sorvete de casquinha você deve saborear um dia de cada vez.” 🌹💫

• “Se o plano A não funcionar, lembre-se o alfabeto tem mais 25 letras.” 🌼🌿

• “Aceite e trate bem o que você tem.” ✨✨

• “Você pode reclamar que as rosas têm espinhos, ou pode ser grato porque os arbustos com espinho têm rosas.” 🍃🌸

• “Aqueles que tentam fazer algo e falham são melhores do que aqueles que não tentam nada e tem sucesso.” 🌹💫

• “Descubra qual o seu dom e o alimente.” 🌼🌿

• “Nunca se está sozinho quando acompanhado de pensamentos nobres.” ✨✨

• “Se alguma ver você se sentir perdido, deixe o coração ser sua bússola.” 🍃🌸

• “Há três coisas importantes na vida humana. A primeira é ser gentil; a segunda é ser gentil; e a terceira é ser gentil.“ 🌹💫

• “Você é livre para fazer suas escolhas, mas nunca estará livre das consequências delas.”🌼🌿

• “Aqueles que levam luz a vida dos outros, não podem mantê-la longe de si mesmos.”✨✨

• “Não chore porque acabou, sorria porque aconteceu.”🍃🌸

• “Seja a pessoa capaz de sorrir no pior dos dias.”🌹💫

• “Em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser descoberta.” 🌼🌿

• “Se o vento não estiver favorável, pegue os remos.”✨✨

• “A melhor maneira de fazer seus sonhos se tornarem realidade é acordar.”🍃🌸

• “E, acima de tudo, observe com os olhos brilhando todo o mundo à sua volta, porque os grandes segredos sempre estão escondidos nos lugares mais improváveis. Aqueles que não acreditam em mágica nunca a encontrarão. ”🌹💫

• “Em algum lugar, alguma coisa incrível está esperando para ser descoberta.”🌼🌿

• “Quando tiver que escolher entre estar certo e ser gentil, escolha ser gentil.”🍃🌸

Se pegar/gostar reblog ou dê like, aceito pedidos, obg 🍃✨

A Proposta

Capítulo 12  :

 Era mais barato que pagar estacionamento, mas a fez atrasar- se quinze minutos. Arthur já estava esperando. Lua entrou, se sentou e aceitou um copo de soda gelada. O advogado a observou com atenção.

- Ficou satisfeita com o aconselhamento do outro advogado?-“Satisfeita” não era o termo adequado.

- Ele conseguiu esclarecer minhas dúvidas.

- Os resultados dos exames médicos chegaram - o advogado continuou. - Não há nenhum problema em relação a eles - Não poderia haver, e Lua se viu tentada a dar uma resposta insolente.

Mas não era hora para fazer cenas. Assim, se limitou a assentir. - Está pronta para assinar os papéis? O cerco se fechava.

Ela se sentiu como uma das esposas de Henrique VIII, pronta para enfrentar a guilhotina. Lua se concentrou apenas em seu pai e confirmou:

- Sim-Tudo foi feito em poucos minutos. Lua e Arthur assinaram, tendo o causídico como testemunha. Tinha de sair dali. Ficar para trocar palavras de agradecimento não fazia o menor sentido.

- Se me dão licença… - Lua se levantou. - Preciso ir ao hospital.

- Eu também já vou. - Arthur se ergueu, apertou a mão do advogado e a seguiu pela recepção.

- Onde está seu carro? As portas do elevador se fecharam atrás deles.

- Na escola. Peguei um ônibus para cá- Alcançaram o térreo.

- Sendo assim, eu a levo ao hospital e depois passamos para pegar seu automóvel - Arthur afirmou com delicadeza.

- Não precisa ir comigo. - Lua necessitava de tempo sozinha para absorver o que acabara de fazer.

- Meu carro está do outro lado da rua.

- Não - Arthur estava tão calmo que ela sentiu vontade de agredi-lo. Passaram pela porta circular e chegaram à calçada.

- A tinta nem secou e você já quer brigar comigo. Apesar do modo suave como ele falava, ela sabia que ele estava no comando.

- Eu preferia visitar meu pai sozinha. E ficar em meu apartamento esta noite. - Céus, o dia seguinte chegaria rápido demais. - Preciso fazer as malas, limpar o imóvel e avisar a proprietária.

Que não ficaria alegre em receber a notícia de repente, e com certeza exigiria uma indenização - Arthur a observou por um longo momento.

- Não pretendo desistir do contrato - ela tranquilizou-o.

- Espero que não. Saiba que sou um inimigo implacável - Arthur declarou com o olhar calmo.

O farol para pedestres se abriu, e eles atravessaram.

- Muito bem. Já que insiste, leve-me à escola- Lua permaneceu calada durante todo o percurso.

Mal olhou para Arthur ao sair do veículo. Segundos depois, destravou a porta e entrou em seu carro.

De repente percebeu que Arthur a seguira e estava a seu lado. Ela virou e arqueou as sobrancelhas.

- O que foi agora?

- Seria bom você ficar com o endereço de minha casa. Eu a esperarei lá amanhã à tarde - Lua colocou o cartão e a caneta sobre o banco do passageiro.

- Depois das aulas e da visita a meu pai.

- Às seis - Arthur insistiu - no mais tardar - Ela ligou o motor, e ele fechou a porta.

Então, pôs o veículo em movimento. Estava quase escuro quando Lua chegou ao hospital.

flickr

Penn Central GG1 4917 departing Washinhgton, DC by Marty Bernard
Via Flickr:
Train 152, The Afternoon Congressional, April 2, 1969 Picture 2 of 2

Israel observes large scale maritime drill launched in Cyprus - 1 June 2017

A four-day international maritime drill known as Exercise Argonaut kicked off in Cyprus on Wednesday with 22 countries taking part in scenarios such as terrorist hijackings as well as coping with an influx of civilians fleeing a conflict in the Middle East.
Israel has sent representatives as observers and will not participate in the annual maritime search and rescue and non-combatant evacuation exercise, which includes the navies from Cyprus, Greece, France, the United Kingdom, Italy, Hungary, and the United States.
The drill will take place within the territorial, maritime and aerial boundaries of the Larnaca district, within the exclusive economic zone (EEZ) and flight information region (FIR) of the Republic of Cyprus.
Exercise Argonaut will also see 24 departments from eight Cypriot ministries taking part, including personnel from the National Guard, the Joint Rescue Coordination Center, the Civil Defence, and the Cyprus Police.
The US Sixth Fleet, which is stationed in Naples, will participate in the exercise with the Arleigh Burke-class guided missile destroyer USS Mahan and one P-8A Poseidon patrol plane from the Maritime Patrol Squadron.
The fleet is responsible for conducting a range of maritime security cooperation missions with allied countries in order to advance security and stability in Europe and Africa, read a statement by the US Naval Forces Europe-Africa.
Argonaut “is designed to increase interoperability by developing individual and collective maritime proficiencies of participating nations, as well as promoting friendship, mutual understanding and cooperation,” the statement said.
“The exercise helps promote maritime safety and security in the region,” it added, emphasizing that Argonaut is a “regularly scheduled exercise and is not associated with, or a reaction to any real world events.”
While it is not tied to any current events, the exercise will be simulating real-world scenarios which the island nation has faced. In March 2016 an EgyptAir plane with 55 passengers flying between Alexandria and Cairo was hijacked and forced to divert to Larnaca.
After hours of negotiation the hijacker, identified as Seif Eldin Mustafa, released all the passengers and crew before he was arrested.
During the 2006 war between Israel and Hezbollah, thousands of foreign nationals were evacuated from Lebanon with more than 25,000 mainly Western foreign nationals making their way to Cyprus, which had fewer than 800,000 inhabitants at the time. It was described by Cypriot officials as the biggest emergency since the partition in 1974, when Turkish troops invaded the northern part of the island.
Israel, Cyprus and neighboring Greece are close allies and share a number of strategic interests. While all have shared economic interests, such as the ambitious project to build an undersea gas pipeline from Israel to Cyprus to Crete to mainland Greece, the three countries also hope to keep the Russian-Iranian- Hezbollah axis from growing.
In March, Israel participated in a three-day joint military exercise with Cyprus where the Israel Air Force tested the Cypriot air defense.
Named Onisilos-Gideon, it was the largest drill since 2014, when the two countries agreed to hold joint exercises as part of their military cooperation.

Ela fingiu que não viu quem a feriu, não ouviu quem seu coração partiu, nem tão pouco esteve pelo chão quando o sentimento recebido era vil. Ninguém a tomou pela mão, a não ser Deus. Ninguém observou seu olhar com medo, outros fantasiaram força na sua fraqueza, e tentaram usurpar sua pouquíssima alegria. Mas, ela já não estava tão acessível à aquelas alianças injustas, ela aliançou a alma em Deus e tudo o que aconteceu é só um memorial do cuidado que Ele lhe ofereceu, pois, mesmo quando ela decidia por ela mesma, o Senhor sempre acalmou suas dores. Ela sabe bem de quem tem sido desde pequena, mesmo quando não confessava ser.
—  Dois tons de amor.
Imagine Harry Styles

Digamos que muitas garotas invejavam o quarto de Thomas. As paredes eram de um azul claro com alguns detalhes verdes, haviam estantes cheias e completas de bonecas de todos os tamanhos e tipos, ele nunca repetia a coleção.

Bonecas eram sempre destinadas para o público feminino mas isso nunca convenceu Harry e eu de proibir nosso garotinho a brincar apenas com carrinhos e futebol. Porém Thomas nunca teve problemas para criar amizades com outros meninos; tinha até mesmo três melhores amigos: Adrian, Christopher e Matthew; Estes nunca ligaram para o gosto estranho dele, até mesmo não se importavam quando Thomas parava em uma das lojas para comparar mais uma boneca para a coleção.

Meu pequeno garotinho também era um cozinheiro de mão cheia. Thomas queria mostrar ao mundo o quão bem um garoto podia cozinhar. Ele nunca perdia a oportunidade de me ajudar com as sombremesas, e era isso que estava fazendo agora.

Eu o observei em pé encima da cadeira para facilitar o processo de mexer a massa do bolo com a ajuda de uma grande colher de pau. Dei uma leve risada quando ele mexeu fortemente fazendo alguns respingos caírem em seu rosto. Sua blusa verde listrada estava pouco manchada também.

– Eu acho que já está bom.– comentei acariciando seus cabelos cor caramelo, ele concordou com a cabeça.– Você tá todo sujinho.– brinquei apertando suas bochechas gordinha e naturalmente vermelhas.

Ele sorriu sem-vergonha mostrando seus dentes- e um da frente faltava- junto às suas típicas covinhas herdadas pelo pai.– Eu sou um chefe de cozinha, e é normal se sujar para nós.– deu de ombros se gabando, como se realmente fosse um adulto e principalmente gastrônomo.

– Então, chefe que tal colocarmos esse bolo no forno, hm?– falei o pegando no colo e colocando-o no chão rapidamente, leve a cadeira em que ele estava em sua posição original; junto a mesa.

– Sim. Vamos.– confirmou limpando suas pequenas mãozinhas no pano que estava na pia.

Coloquei toda a massa do bolo em uma forma prata logo a levando para o forno, Thomas ajustou a temperatura como havia ensinado antes. No mesmo momento ouvimos vozes na sala de entrada da casa e rapidamente ficamos atentos para saber quem é. Thomas me olhou trocando um olhar de ‘quem é’ e eu respondi.

– Deve ser papai, lembra-se?– perguntei, talvez ele tenha se esquecido que Harry havia saído para buscar sua mãe para passar um tempo connosco, já que Gemma havia enfim voltado a faculdade.– Vamos recebe-los.– comentei erguendo minha mão para que ele pegasse de bom grado.

Anne estava alegre como sempre assim que aparecemos, ela agarrou e abraçou Thomas deixando um beijo estralado em sua bochecha.

– Você está todo sujo, meu amor.– ela observou com mais clareza sua roupa.

– Eu tô ajudando a mamãe na cozinha.– respondeu recebendo um riso de Harry que logo bagunçou os cabelos cacheados do pequeno.

– Você está cozinhando?– Anne perguntou alternando os olhares entre mim e Harry.

– Sim sim.– Thomas concordou balançando a cabeça exageradamente.

– Hmm, o cheiro está maravilhoso.– Harry disse e eu sabia que o bolo não havia soltado aroma nenhum, pois acabamos de coloca-lo no forno.

– O primeiro pedaço vai ser seu, pai.– Thomas agarrou a perna de Harry fazendo-o sorrir com seu carinho.

– Venha Anne vamos tomar um chocolate-quente.– sugeri indicando a cozinha e ela me seguiu sem pestanejar.

Ela se sentou à pequena mesa de café da manhã, Anne parecia um pouco absorta em seus pensamentos.

– Algum problema?– perguntei preocupada, ela negou com a cabeça assim que percebeu minha atenção.

– Não, não.– dei de ombros continuando a esquentar a água para o chocolate.– Estou tão sozinha ultimamente.

– Gemma era uma grande companhia, não é?!– falei e ela concordou suspirando.– Mas olhe pelo lado bom, você poderá vim para cá quando quiser; Thomas ama quando está aqui.– tentei anima-la, e pelo jeito eu consegui pois logo seu sorriso se ampliou.

– E onde eles estão?– se referiu a Harry também.

– Harry e Thomas venham aqui.– chamei me sentindo aquelas mães onde chamam os filhos com gritos esperando que seja atendida o mais rápido possível.

Vejo Thomas aparecer em nosso campo de visão com uma linda boneca de porcelana, conhecida e nomeada uma das mais importantes das bonecas, ela trajava um vestido rosa com detalhes em vermelho, os lábios rosados deixavam a boneca ainda mais bonita.

– Está é Lucy, vovó.– apresentou mostrando a linda boneca. Anne entortou o nariz segurando o brinquedo em suas mãos, Thomas estava muito orgulhosos por apresentar sua melhor boneca a vó.

– Ela é sua?– vi Harry chegar a cozinha com outras duas bonecas, elas pareciam mais simples perto da outra. Thomas concordou pela pergunta da vó. Harry veio até mim assim que comecei a distribui o chocolate em xícaras chinesa, ele começou a fazer uma dancinha estranha segurando as bonecas no ar em minha frente arrancado um riso meu.– Garotos não podem brincar de bonecas. – ouvimos Anne falar e o Styles rapidamente se vira em sua direção.

– E porque não?– meu marido perguntou se aproximando deles. Fiz o mesmo levando as xícaras em uma bandeja e Harry passou a servir cada um, não tirando seus olhos da mãe.

– Porque não, oras.– respondeu.– Neto meu brincar de bonecas?! Isso nunca existiu; meninos não cozinham, meninos não dançam ballet, meninos não passam maquiagem e principalmente eles não brincam de casinha e bonecas.– negou bufando, colocando de qualquer jeito o brinquedo na mesa.

Neguei desacreditando e olhando para Harry esperando uma atitude do mesmo, ele apenas pede para que Thomas vá para a sala levando com ele sua xícara. Eu limpo a garganta recebendo sua atenção.

– E por que ele é menino ele não pode brincar do que quiser? Qual o problema de querer brincar com uma boneca rosa?– indaguei enrugando a testa visivelmente irritada.– Se ele é menino, pode gostar de rosa, brincar de boneca e escolher o que quiser ou até mesmo beijar meninos se assim desejar! Quem você pensa que é para determinar do que ele pode ou não pode gostar?!

Seus olhos estavam arregalados e surpresos, e até mesmo Harry parecia surpreendido pelas minhas palavras.

– (S/n) eu jamais eduquei o Harry desta maneira. Isso afeta as sexualidade das crianças quando crescerem.– argumentou batendo levemente seu punho na mesa. Pude ver Thomas sentado no sofá balançando suas perninhas enquanto assoprava sua xícara sentindo o sabor do líquido em sua boca.

– Crianças tem a mente mais pura do mundo. Acha mesmo que isso os afetaria a partir de agora?– perguntei recebendo um breve sim.– Pense bem senhora Anne, a pessoa que brinca com bonecas, tem um olhar maternal, cuidadoso e respeitoso… Sabe amar aquela boneca com todas as forças.
Assim como uma garota que brinca de boneca, sabe transferir a ela o melhor de si, é uma doçura maternal e pura, o garoto também pode ter essa mesma sensação de proteção.

– Não estamos tentando mudar em nada a sexualidade de Thomas.– Harry finalmente disse.– Apenas queremos deixa-lo livre de qualquer esterótipos que a sociedade cria. Ele é uma criança, oras deixe ele brincar do que quiser.– Anne negou entortando a boca enquanto revirava os olhos.

– Exatamente, são poucos os pais que se propõem a romper a sociedade. Brincar com bonecas ou carrinhos não vai determinar a escolha sexual de ninguém.– completei recebendo o olhar gracioso de Anne, ela parecia ingerir todas as informações lentamente.

– Talvez, só talvez vocês estejam certos.– contou, Harry suspirou bebendo enfim um gole de seu chocolate-quente, Anne começou a refletir um pouco.– Só pessoas desavisadas, ignorantes e machistas pensam assim e eu não quero pensar igual a elas. – disse e nós concordamos respeitando, ela deu um gole em seu chocolate e sorriu.– As vezes eu ainda penso como os tempos antigos, sei que as coisas mudaram agora.

– Muitas coisas mudaram.– a voz rouca de Harry soou, e nós duas concordamos.

– Mamãe eu já posso entrar.– Thomas pediu educadamente se escondendo atrás do batente da porta.

– Ah, claro…– respondi genuína, ele ficou ao lado de Anne e a mesma sorriu acariciando seus cabelos.

– Eeer…– Thomas parecia envergonhado pelo que ia dizer.– O bolo já deve tá pronto, mãe.

– Oh é mesmo, o bolo.– levantei rapidamente indo rumo ao forno, desliguei o mesmo e abri a  sua pequena porta.– Está no ponto.– suspirei aliviada.

– Eu sabia, mãe. Eu pedi pro papai marcar no meu relógio.– Thomas contou mostrando o relógio em seu pulso, logo sorrindo para o pai.

Anne observava tudo com um sorriso no rosto. E eu sabia que no fundo ela pensava igual a nós, pois não estamos querendo mudar nada em nosso filho apenas querendo que ele seja ele mesmo.

❤?

/MaYa