o-miami

3

Photos via O, Miami

If you’re in Miami right now, keep an eye out for stealth (and not-so-stealth) poetry. The 4th annual O, Miami festival kicked off this week and organizers are promising a wealth of poetry in unexpected places – I think my favorite might be the “Murinals:”

Murinals are poems installed in perhaps the least likely place: on urinals across Miami-Dade county. Using classic gold leaf, artist Ian Thomas paints poems onto the porcelain “wall” of Miami urinals. The installations are only completed however by the participation of the “male” audience members who “defile” the hallowed words while simultaneously “exposing” themselves to the poets’ words, thereby creating a tension between dominance and vulnerability. 

Other highlights include “zipodes,” poetry based on south Florida zip codes, and the return of “Wallace Freezins,” who’ll appear at Miami area events selling poetically wrapped ice cream (because the only emperor is the emperor of ice cream, dontcha know).

Sign me up for some ice cream!

– Petra

Você pode, por favor, fazer um do Lou baseado na música that’s what i like do bruno mars?

                                           THAT’S WHAT I LIKE 

           A balada estava cheia, lotada de garotas de todos os tipos, mas os meus olhos apontava apenas para uma, aquela morena com seus cabelos encaracolados e seus lindos olhos verdes, seu vestido preto colado no corpo e seus saltos estavam deixando-me louca e eu sabia que ela também tinha esse mesmo pensamento sobre mim. Tomei o ultimo gole da minha bebida e caminhei até ela, que tinha os olhos fixo em mim. Sorri.

           Ela continuava dançando sem se importa com nada, aproximei-me dela e a garota parou de dançar e sorriu para mim. – Louis Tomlinson o próprio. – Ela tomou mais um gole da bebida. – Quem diria em uma balada de Manhattan.

- Hoje eu sou apenas o Louis, esqueça a fama e tudo. – Não sabia se essa aproximação era por interesse, mas eu estava ali para tentar. – Vamos sair daqui, eu tenho um apartamento em Manhattan.

- Okay, hoje eu só quero me divertir um pouco. – A garota olhou para mim novamente. – A propósito meu nome é s/n.

           Enquanto a garota andava meus olhos foram em direção do seu corpo, seu vestido deixava suas curvas amostra, na verdade você e sua bunda estão convidadas. Eu sabia que hoje iria me dar bem

           Joguei as chaves do apartamento em qualquer lugar s/n não parecia nada impressionada com o lugar. Ela se virou para mim. – Você tem um belo apartamento. – Finalmente disse. Ela continuou caminhando e parou na frente de uma caixa de som que ficava próxima a televisão. – Que tal um pouco de musica?

- Tudo bem. - Apenas concordei e sentei-me no sofá, esperando.

           Assim que ela conectou o seu celular ao som uma musica sexy tocava ao fundo. Ela caminhou de um jeito sensual e se sentou ao meu colo. Essa garota é imprevisível e eu estou gostando isso. Ela rebolava encima do meu corpo, por um segundo tentei segurar sua cintura, mas ela não deixou, apenas continuou com os seus movimentos sexy. Ela virou de costas e foi até o chão rebolando e eu já estava duro, não podia mais aguentar, levantei-me do sofá e puxei ela pela a cintura e comecei a beija-la.

- Você vai rebolar assim agora encima de outra coisa. – Puxei seu vestido para cima. Ela não disse nada apenas continuou beijando-me.

           Assim que abri meus olhos olhei para a minha garota que estava dormindo ainda. Caralho! Nunca tive uma noite dessas na minha vinda, eu precisava demais e estava disposto a fazer de tudo para ter ela só para mim. Levantei-me e fui até o banheiro, assim que retornei ela estava sentada na beira da cama usando apenas uma camisa minha a mesma que eu usei ontem à noite. Aproximei-me dela e a beijei e ela fez o mesmo.

- Vamos para Miami. – Finalmente disse, não sabia se estava sendo precipitado demais, mas precisava ouvir uma resposta dela.

- O que? – Ela tirou o cabelo do rosto. – Não eu não posso. Você é uma ótima pessoa, mas isso é demais.

- Você terá o que quiser, se você quiser pegue a minha carteira, eu vou dá tudo o que você quiser você merece tudo. – Ela sorriu envergonhada. – Só para você sorrir dessa forma.

           S/n puxou-me para um beijo quente. – Eu simplesmente não posso fazer isso Lou.

           Sentamos na sacada do meu apartamento para tomarmos café e o meu coração doía só de lembrar que ela poderia ir embora. Eu podia dá tudo a ela, joias de ouro, champanhe de morango no gelo, sexo na frente da lareira á noite, lençóis de seda e diamantes branquinhos. S/n mordeu o morango com chocolate e olhou para o sol que brilhava forte às nove horas da manhã.

- O que você acha de viagens para Porto Rico?

- Porto Rico? – Ela olhou para mim e depois olhou para o horizonte. – Miami, Porto Rico o que você vai inventar mais?

- É só falar e nós vamos. – Sorri. – Eu nunca farei uma promessa que eu não possa cumprir.

           Ela passou as mãos na barra da minha camiseta. – Desculpa, mas eu não quero nada além de curtição.

           O sorri sumiu do meu rosto, como eu poderia trata-la como uma verdadeira rainha. Sair para fazer compras em Paris, tudo de 24 quilates. Ela é a garota mais bela que eu já conheci.

- Ok, se você quer assim, assim que vai ser. Ei ainda estou aqui, querida.

           Fiquei a olhando saindo por a mesma porta que ela entrou, eu não sabia se um dia eu iria a vê novamente, mas tudo o que eu vivi nesse dia foi perfeito, extremamente perfeito. Sua silhueta sumindo a cada passo sorri comigo mesmo. Sorte a dela que eu gosto disso.

One Shot - Zayn Malik (Especial de aniversário)

- Ei, onde você está? - perguntei assim que Zayn atendeu a ligação.

- Voltando pra casa, o que houve?

- Nada, eu só queria saber. Já faz uma hora que você mandou uma mensagem dizendo que tinha saído do estúdio.

- É, tive que falar com umas pessoas. - explicou e ri. Ganhei algumas coisas hoje.

- Que legal, amor. De fãs?

- Não, das pessoas do estúdio. Mas tem de fãs também, elas deixaram aqui mais cedo.

- Bom, vai demorar muito pra você vir? O Tyler está impaciente. - encarei o menininho de 4 anos com os braços cruzados na altura do peito e de cara amarrada.

- Dez minutos e eu chego aí.

- Ok. - desliguei.

- Cadê o papai, mamãe?

- Já vem.

- Ainda?

- É, ele teve um imprevisto.

O menino subiu as escadas como um furacão. Tyler esperava por Zayn a um tempo e não aguentava mais esperar o pai pra jogar videogame. Eu ainda estava confusa. Por que as pessoas estavam dando presentes ao Zayn? Sim, das fãs eu até entendo, mas não é sempre que os funcionários do estúdio presenteiam ele.

- Olá, cheguei. - Zayn gritou exatamente dez minutos depois da ligação.

- Papai! - ouvi Tyler responder e em seguida seus passos descendo a escada. Saí do meu quarto e fui até a sala onde encontrei os dois abraçados. - Vamos jogar agora?

- Sim, claro. - sorriu brevemente para o filho e me olhou. - Oi.

- Oi. - respondi dando um selinho nele. - Quer comer alguma coisa?

- Sim. - Zayn me olhou de maneira maliciosa e depois riu. - Um sanduíche, por favor.

- Pra mim também. - Tyler disse feliz enquanto se sentava no sofá e pegava os controles.

Fiz o lanche dos dois e entreguei para eles minutos depois de começarem a jogar. Passaram a tarde fazendo isso e eu tinha um sentimento de que eu estava esquecendo algo, porém não fazia ideia do que seria. Zayn recebeu diversas ligações e eu apenas o ouvia dizer obrigado. Será que… Não! Ri com o meu pensamento.

- Amor. - me chamou e eu saí de meus devaneios na cozinha.

- Oi?

- Vou precisar viajar.

- Quando?

- Hoje e agora. - riu fraco.

- Por quê?

- Acredita que eu tinha uma entrevista marcada pra hoje à noite e ninguém me avisou? Só lembraram desse pequeno detalhe agora. - explicou colocando a mochila nas costas.

- Traz brinquedo pra mim, papai?

- Trago. - respondeu o filho, pegou-o no colo, beijou sua testa e o colocou no chão novamente.

- Você volta quando?

- Amanhã.

- Ah. - ele aproximou-se de mim e beijou minha testa.

- Amo você.

- Eu te amo. - falei antes de beijá-lo.

(…)

O fim de tarde se passou, a noite deu o ar da graça e eu decidi fuçar a internet até me deparar com algo que cortou meu coração em um milhão de pedaços. Vi diversas postagens em blogs que hoje era o aniversário de Zayn. Como eu havia esquecido do aniversário do meu marido? Burra! Otária!

- Tyler! - chamei o menino às pressas enquanto pegava minha mochila.

- Oi, mamãe.

- Lembra que a mamãe ensinou como arrumar a mochila?

- Sim. - balançou a cabeça freneticamente. - Corra e vá fazer isso.

- Por que mamãe? Estamos fugindo de algum monstro? - isso é o que dá deixar crianças verem seriados.

- Não, amor. Vamos fazer uma surpresa para o papai.

- Por quê?

- Hoje é o aniversário dele. - olhei para Tyler que tinha a boca aberta. Depois de sorrir, Tyler correu para o quarto.

Depois de estarmos prontos, corri para o carro e praticamente voei pelas ruas em busca de uma loja de bolos aberta e comprei um decorado com coisas de quadrinhos. Zayn adorava. Tyler insistiu que comprássemos balões e fomos numa loja especializada em coisas de aniversário.

- E o presente, mamãe?

- Calma, no aeroporto vemos isso. Meu Deus, que vergonha! Arrumar tudo de última hora.

Chegamos no aeroporto em 30 minutos e eu corri pra uma loja de presentes, mas comprei só pra Tyler. Eu não daria um urso de pelúcia a meu marido. O urso do Hulk foi escolha do nosso filho e eu não pude dizer que não. Ele havia escolhido o presente do pai e isso foi muito fofo.

- Você sabe que horas sai o voo para Miami? - perguntei na recepção. Eu sabia que ele iria para Miami porque havia mandado uma mensagem como quem não queria nada para ele.

- O voo já foi chamado, senhora. - a mulher disse.

- Ai meu Deus, eu ainda posso ir?

- Creio que não.

- Moça, por favor, me deixe ir. Meu marido está fazendo aniversário hoje, ele só volta amanhã e eu esqueci. Eu e meu filho precisamos estar com ele, por favor, nos ajude. - pedi com aquela carinha de mendigo na chuva e após suspirar ela pediu que eu a acompanhasse e nos levou para dentro do avião. - Muito obrigada.

- Obrigado. - Tyler disse.

- Por nada e boa sorte. - piscou o olho.

Procurei a poltrona de Zayn e logo o vi de olhos fechados escutando música. Eu havia reservado as duas poltronas ao seu lado e eu e Tyler nos sentamos com pressa.

- Espero que não se importe de sentarmos aqui. - eu falei um pouco alto para que ele ouvisse e então ele arregalou os olhos ao nos ver.

- Feliz aniversário! - Tyler gritou e ao ver o pai parado em espanto ficou confuso também. - Não era hora de dizer?

- Era. - sussurrei de volta. - Parabéns, amor. - ergui o bolo e Tyler ergueu os balões e o presente embrulhado.

- Oh meu Deus… - ele sussurrou retirando o fone de ouvido e sorriu. Nos abraçou e recebeu o presente do filho. - Eu adorei, filhão. - piscou para o menino que sorriu orgulhoso.

- Fui eu que escolhi.

- Uh! Bom gosto está no sangue. - os dois riram.

- Desculpe por…

- Não há problema, eu sei que você tem muitos problemas e acaba esquecendo de outras coisas. Não te culpo por nada e o fato de você vir até aqui em cima da hora me faz pensar que você é mais louca do que eu achava e me faz te amar ainda mais. - me deu um beijo. - Agora vamos comer esse bolo maravilhoso que eu acho que o Tyler escolheu também.

- Sim, fui eu. - tocou o peito e eu ri.

- Ele te conhece melhor do que eu, acredita? - falei.

- Acredito. - os dois deram um high five. - Muito obrigado por virem, eu realmente estou muito feliz. Foi o melhor presente. - sorrimos e seguimos a viagem que foi regada à bolo de aniversário.

#HappyBDayZen! 

Jess