o segredos dos seus olhos

Eu desenho você com palavras

Eu olho profundamente nos seus olhos
Quero enxergar o que os outros não vêem
Quero entender o seu motivo de ser triste em segredo
Quero ver o que está por trás dos seus olhos
Por que tem tanto prazer em ser triste?
Mas por que você tem tanta vida
Escondida, empilhada e desprezada?
O que você quer contar?
Para quem você quer contar?
Por que não se importa?
Por que o seu segredo se parece tanto com o meu?

—  In Manual de Sobrevivência para Suicidas (Nick Farewell)
Em Seus Olhos - Cap 36

Acordei durante a noite toda, sempre com um aperto no peito, Vanessa estava em meus braços com a mão na minha. Tomamos banho e resolvemos não sair do hotel ate que desse a hora de irmos.

Eu não sabia o que fazer, eu não queria mostrar minhas fraquezas, minha vontade era de jogar o celular dela fora, e levar ela para longe, só eu  ela, mas isso não impediria o canalha.

Ela estava deitada no meu peito, me apertando no abraço, eu não queria olhar para o relógio, mas eu sabia que estava chegando a hora, eu respirei fundo.

-Vanessa, assim que você chegar ao Brasil, você vai para onde?

- Para a casa  da minha irmã, ela vai me buscar no aeroporto

- Passe o meu numero para ela, e eu quero que você me passe o numero dela também – eu me mexi para pegar meu celular, e vi que já estava na hora de ir para o aeroporto, e quando ela pegou seu celular ela viu o mesmo.

Peter nos levou para o aeroporto, fomos abraçadas na parte de trás do carro, temendo os minutos seguintes, eu tinha levado uma mochila com dinheiro e Luis iria nos encontrar lá, eu queria que meu irmão também estivesse aqui, com dois advogados seria melhor, mas foi tudo em cima da hora.

- Você vai precisar traduzir o que eu preciso dizer a ele Vanessa.

- Ele fala inglês também Clara, não se preocupe – eu assenti para ela. Quando chegamos Luis já estava lá, e com os papeis na mão, caso o ex dela aceitasse o dinheiro ele teria que assinar um termo, perante o advogado confirmando a entrega do dinheiro, e que não procuraria mais por Vanessa.

O vôo dele era o próximo a chegar, já tínhamos passado por toda burocracia do aeroporto porque a diferença de horário para o vôo dela seria de quarenta minutos após a cegada do canalha.

- Oi Vanessa, oi Clara.

- Oi Luis, - Vanessa disse e eu acenei para ele, esperamos sentados e em silencio, eu percebi que Luis queria falar, mas no momento eu não queria. Depois de vinte minutos, o celular dela começou a tocar, meu coração deu um salto, ela atendeu e falou em português, mas ela não alterou a voz, foi uma conversa rápida.

-Era minha irmã pedindo para que eu ligasse para ela assim que o avião pousasse em São Paulo – eu concordei com ela e a abracei, fazendo uma oração interna pedindo que ela não precisasse ligar para a irmã, para que ela não precisasse entrar naquele avião, mas dez minutos depois o celular dela voltou a toca, e pelo rosto dela eu pude ver que ela sabia que não era uma ligação que ela quisesse atender, ela mal atendeu e desligou.

- Ele disse que já chegou – meu coração estava totalmente despedaçado, e ele ainda batia, mas cada batida doía, eu apertei Vanessa no meu peito, Luis ficou ao nosso lado, e depois de uns dez minutos vi que ela virou o rosto e encostou no meu peito, um homem começou a se aproximar de nós, ele era mais baixo do que eu, parecia ser quase do mesmo tamanho de Vanessa, talvez alguns centímetros mais alto, branco, olhos castanhos e os cabelos escuros, ele estava com uma mochila nas costas, e ao ver Vanessa em meus braços vi a fúria em seus olhos, era ele, o ex dela, eu tive que me segurar para não arrebentar a cara dele, olhei para Luis que acenou com a cabeça para mim, o homem parou na nossa frente.

- Vanessa – ele chamou por ela, mas ela me abraçou mais forte.

- Austin? Esse é o seu nome não?

- Sim, e você quem é?

- Eu sou namorada da Vanessa, me chamo Clara Aguilar – ele fechou os punhos.

- Namorada? Vanessa, que merda é essa? – Vanessa que tinha ficado em silencio no meu peito ate então se virou.

- Eu não devo explicações a você, Clara é minha namorada e é só isso que você precisa saber – ele deu um passo a frente, e Vanessa recuou.

- Eu acho bom você nem encostar suas mãos nela, você esta me ouvindo? – e dessa vez foi eu quem avançou um pouco.

- Você nunca mais vai encostar suas mãos nela, você esta me ouvindo? Nunca mais, eu não sei porque você gastou seu tempo e dinheiro fazendo isso, sendo que você não vai mais tê-la, você não tem mais nenhuma chance com ela.

- Você não me conhece, não conhece a Vanessa, você acha que sabe alguma coisa sobre ela? Mas foi comigo que ela passou oito anos juntos, eu conheço ela e sei que é o melhor para ela e não vo… – Vanessa interrompeu ele apertando minha mão.

- Você nunca me conheceu, nunca, e chega dessa merda Austin,vamos logo com isso, mas perca suas esperanças.

- Você quer dinheiro? É isso? – eu perguntei, Luis se aproximou e mostrou a mochila aberta para ele.

- Você pega o dinheiro, assina um termo e some, volta pro Brasil e some.

- Dinheiro? Não seria uma má idéia, mas não eu tenho minha dignidade e eu não saio daqui sem ela.

- O que você ganha com isso? Você quer que ela seja infeliz?

- Olha, eu não tenho tempo para isso, preciso fazer umas coisas antes de embarcar, eu não vou mudar de idéia, ela volta comigo hoje. – Você espera aqui, eu já volto, se você não estiver aqui, eu vou para a embaixada – ele saiu, provavelmente para fazer o necessário para a saída do próximo vôo.

- Eu não gosto de sentir isso, mas eu odeio ele, me odeio por ter deixado alguém como ele entrar na minha vida, eu odeio ter passado tanto tempo da minha vida com ele.

- Shhh calma, isso é passado, não importa mais e nós vamos resolver essa situação, eu juro pra você. – eu mantive ela nos meus braços, durante todo o tempo, Luis tentou tranqüilizar Vanessa e disse que os papeis para conseguir a cidadania dela estavam quase prontos, o que fez com que ela sorrisse um pouco, eu pedi acenando com a cabeça que Luis nos deixasse a sós, ele concordou e nos deixou, eu coloquei minhas mãos no rosto dela e puxei para que ela me olhasse nos olhos.

- Vanessa, eu preciso que você saiba o quanto eu amo você, preciso que você saiba que quando eu a vi pela primeira vez eu não pude me conter, é como se eu já soubesse quem era você, entende? Você completou o meu coração naquele exato momento, mas eu ainda ia descobrir isso, e hoje eu sei, que eu não amei ninguém, porque eu já te amava desde o inicio eu só não te conhecia ainda. Se você soubesse como eu amo ouvir o som da sua voz e conversar com você,  fazer besteiras e coisas bobas e conhecer um pouco mais que seja quando você deixa algum segredo sobre você. Você tem que saber como o brilho dos seus olhos iluminam a minha vida, eu amo tudo em você, sem tirar ou por, Vanessa, eu sei que outras pessoas quiseram te muda, mas eu não vou fazer isso, porque é desse jeito que eu amo você, eu não peço nada em troca, não quero provas, mesmo que você tenha que partir agora.. o amor estará aqui, comigo e cada segundo longe de você será doloroso, eu garanto, mas o amor vai estar comigo sempre, eu vou dar um jeito para que possamos ficar juntas, nada e nem ninguém vai nos esperar. Ontem de noite eu tive mais certeza do que nunca do quanto eu amo você, eu sei que você ainda tem medo de se relacionar, eu sei que você ainda não esta se sentindo segura, mas acredite quando eu digo, que eu te amo. – Eu quero ser sua amiga, sua irmã, sua amante, sua paz, sua agonia, seu desejo e satisfação, porque você é tudo isso pra mim, eu quero ir dormir e acordar olhando para você. Quero conhecer o mundo ao seu lado. Você mudou a direção da minha vida, mas seria impossível não me apaixonar, você é a dona dos meus olhos, dos meus pensamentos, do meu destino – eu respirei fundo, limpei algumas lagrimas dos olhos dela e disse. – Vanessa eu quero que você seja minha mulher, a mãe dos filhos que eu nunca sonhei um dia quere ter, mas agora eu quero, quero ter uns quatro filhos com você, quero que eles tenham sua alegria e bondade, eu quero que o nosso amor seja multiplicado de todas as formas possíveis… eu te amo, eu quero que você se case comigo.

Ela estava perplexa olhando para mim, ela se aproximou e me beijou, foi um beijo duro e sincero, quando ela se afastou um pouco não disse nada, não disse sim, não disse não, eu devo ter exagerado, não sei, mas era o que eu precisava dizer,o  ex dela retorno em mostrou o relógio para nós, Vanessa me abraçou, senti ela sentindo o meu cheiro, eu fiz o mesmo, e no meu ouvido ela disse com a voz rouca.

- Eu amo você, não esqueça, eu não posso te responder agora, mas eu te amo – e ela se afastou, passou pelo ex sem olhar, e não olhou para trás, a vi sumir depois de passar pelo portão, e eu não sabia o que fazer, a única mulher que já amei na minha vida estava indo embora, e eu não podia fazer absolutamente nada.

- Clara, assim que ela chegar ao Brasil nós poderemos fazer alguma coisa, não se preocupe, não tem muito o que ser dito agora eu sinto muito.

- Eu sei Luis, não se preocupe, vamos trabalhar nisso, eu quero saber quanto tempo demora pra que saia a dupla nacionalidade dela, e a documentação para que ela entre em outros países como empresaria sem maiores problemas.

- Os documentos que vieram da Espanha já foram para o cartório, já recebi um contato da embaixada espanhola e os documentos vão voltar pra lá e serem analisados, também já tenho prontos os documentos de empresaria, só com esse ela já não teria problemas em viajar, mas é bom que ela tenha a segunda nacionalidade como opção.

- Ótimo, isso já ajuda a melhorar um pouco meu dia Luis.

-Vamos embora? – Luis colocou seus braços no meu ombro me puxando para que fossemos, mas eu não podia, não ainda, acho que tinha que ter certeza que lá não tinha dado um bom chute no saco daquele mal caráter e tinha saído do avião pra voltar para mim.

Eu sentei no banco meu olhar ficou dividido entre o portão e o avião, mas então o avião decolou e alguns minutos depois o portão foi fechado, já não me restava mais o que fazer ali, me levantei e sai do aeroporto com Luis ao meu lado.