o melhor deles

Sempre ouvir pessoas dizendo que a vida é como uma roda gigante ou montanha russa. Alguns momentos estamos lá em cima, em outros lá em baixo. Sabemos que a vida é um mero aprendizado do qual seremos eterno alunos. Na vida passamos por cada coisas que parece que nunca vai ter fim, perdemos as nossas estruturas, as nossas forças, nossa esperança. Parece que cada dia que se passa, vai de mal a pior. As decepções do passado, toma conta de nós, a ponto de perdemos a esperança em tudo, inclusive no amor… Mas quando olhamos para Cristo, passamos a compreender que não é a nossa maneira mas sim do jeito dele, compreendemos que é necessário passarmos por processos, estes que muitas vezes são dolorosos, mas mesmo assim, mesmo que percamos as estruturas, ele nos refaz. Somos como um vaso nas mãos dele que é o oleiro. Ele renova nossas forças, e nos faz crer no impossível. Aqueles momentos ruins dá vida agora chamamos de experiências, paramos de tentar do nosso jeito dá nossa maneira e entregamos ao controle de Deus. Abrimos o nosso coração para receber o melhor DEle para nós. Porque por mais complicado que pareça viver nesse mundo. Nada é sem proposito.
—  Alef Santos e Livia Ellen.
Você precisa ter calma, paciência. Você precisa lutar, entendeu? E não diz que você não vai conseguir, já ouviu falar que as palavras têm poder? Você precisa acreditar em si mesma. Você sempre diz para todos que vai dar tudo certo, para as pessoas ficarem bem. Você precisa acreditar nisso também. Não desista só porque as coisas estão difíceis.
—  O melhor conselho sempre virá dele

anonymous asked:

Nanda estou passando por um inferno,hoje vi meu ex(o qual ainda amo) c/ outra,isso tá me destruindo por dentro pois pedia muito pra Deus pra nós voltarmos,e ver ele hoje c/ outra guria me deixou um lixo,não paro de chorar,e honestamente,sinto como se Deus não estivesse ligando pra mim,me ajuda 😭😭😭

PARA!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Deus é justo e tempo o melhor para os filhos dele. Se isso ocorreu é porque não é para ser. Fazemos escolhas erradas sim e por isso que sofremos. Olha, apenas confie nele que ele lhe dará alguém que vai lhe amar para o resto da vida. Entregue nas mãos dele.

Um ano com a Palavra #73

Mateus 15:1-20
Levítico 24
Levítico 25
Eclesiastes 1:1-11

Deus não se surpreende com o que há de mal em nós, porque Ele sabe que nossa tendência é fazer aquilo que a carne gosta que é contrária ao gostar Dele, mas Deus se surpreende quando decidimos colocar nossa carne, colocar o nosso coração de lado por amor a Ele, por saber que a vontade Dele tem que ser maior do que a nossa. Deus conhece todas as coisas, o que foi e o que está por vir, mas Ele nos deu o livre arbitrio e temos que saber administrar isso ouvindo a voz do Pai, para que assim tenhamos mais intimidade com o Pai e vivamos o melhor Dele para nós.

O lugar, a moldura e o nada

Dentre todos aqueles lugares que já habitei
Você foi o melhor deles
Mas eu preciso ir
Voltar para o casulo
Curar a dor, você me entende?
Me diz que você me entende…
Tudo o que fomos agora é um quadro empoeirado
Guardado em um quarto escuro que vez ou outra entro só para admirar
Nos admirar
passado nostálgico.

Reação do BTS ao ficarem excitados quando você (namorada) está sentada no colo deles.

*Traduzido/Adaptado* 

Original/Créditos: EXO + BTS Imagines

Jungkook:

Ele estava hesitante em deixá-la sentar no colo dele, mas quando os outros meninos ocuparam todos os outros lugares na sala, ele finalmente concordou em deixá-la se sentar sobre ele.

Jungkook se sentiu desconfortável o tempo todo em que você estava sentada em cima dele e sentiu o nervosismo rapidamente se tornando em excitação. Sua ereção estava crescendo rapidamente e ele estava ficando temeroso que você notasse.

Sem pensar, assim que RapMon se levantou do seu lugar ao lado Jungkook, ele empurrou-a de cima dele. Você parou ao lado dele tomada pela surpresa.

“Me desculpe por isso.” Ele murmurou nervosamente e olhou para o filme ainda em execução.

Taehyung:

Você estava jogando o jogo de corrida do Mario. V tinha os braços envolta de você e foi ajudá-la a se conduzir pelo jogo. Você estava se remexendo, girando ao redor até que você sentiu Tae congelar atrás de você. Os olhos dele se arregalaram em choque e olhavam fixamente para você.

“Tae, você está bem?” Você perguntou assim que você se virou para ele. Ele simplesmente continuou a olhar para você com o rosto branco.

Jimin:

Estava sentada em seu colo no carro porque tinha ido para o estúdio de dança assistir um ensaio dos garotos. Você tinha sugerido se sentar no assento ao lado dele, mas ele insistiu para que você se sentasse no colo dele.

Durante o caminho havia um buraco no asfalto que acabou fazendo você pular no colo dele. Logo Jimin sentiu seu membro enrijecer e começou a rir histericamente.

“Talvez você deva se sentar ao meu lado mesmo. Por razões de segurança … ” Ele disse que quando ele te tirando de cima do colo dele.

Rap Monster:

Ele sentiu sua ereção se formando quando ele passou os braços em torno de você. Você estava sentada em seu colo enquanto ele trabalhava em algumas faixas novas, ouvia atentamente as músicas dele. Namjoon tentava o melhor dele para manter a calma, mas ele começou a se preocupar por mais que ele estivesse se esforçando.

Você começou a inclinar-se para trás quando de repente você congelou, sentindo seu membro duro pressionando contra você, virou-se para olhar para ele, mas ele tentou desviar o olhar de você de vergonha.

J-Hope:

“Hobi, pare!” Você choramingou quando seu namorado impiedosamente fez cócegas em você. Você estava se mexendo sobre ele e então você começou a chorar de tanto rir. J-Hope estava rindo com você, mas parou de repente quando percebeu com horror que ele estava começando a ficar com tesão. Você olhou confusa para ele e ele permaneceu em silêncio; temendo que você percebesse o seu pequeno problema.

Suga:

Ele estava tentando se concentrar no filme que vocês estavam assistindo, mas ele não podia deixar de olhar para baixo, para o seu corpo, a maneira como seu peito subia quando você respirava profundamente durante algum suspense se aproximando no filme de terror.

Você pulou para trás com um suspiro alto, pressionando-se contra Yoongi. Ele sentiu sua ereção surgindo e virou você para ele de maneira que olhasse para ele.

“Que tal nós desligamos o filme já que ele está assustando muito de você. Há melhores coisas que poderia estar fazendo. ” Ele sugeriu.

Jin:

Ele a segurou firmemente contra ele enquanto vocês dois riam do filme que estava na tela. Em certo momento seu riso fez com que você se movesse ligeiramente no colo dele.

No momento em que ele sentiu seu membro crescer com força, ele empalideceu e lentamente pegou você para senta-la no assento ao lado dele. Quando você olhou confusa para ele, ele simplesmente sorriu e acenou para você tentando parecer normal.

Dicas de frases

🔹Quando eu ouço seu nome até os meus olhos sorriem 😅💕

🔹Não vai cumprir? simples, não prometa 👌

🔹 Tudo culpa dos teus lábios 👄👀

🔹Você perdoa os erros dos outros, mas os outros não perdoam seus erros, acontece!

🔹 Dos meus erros, você foi o melhor deles 💜

🔹 Pai, aumenta minha fé e acalma meu coração 🙏

🔹 A gente junto só é errado na ortografia 😉😌

🔹Tanta praia no mundo e você resolveu tirar onda com a minha cara 🌊😑

🔹A distância não diminui a importância ✔

🔹Se for tarde de mais, a gente aproveita a madrugada 🌃💫

🔹Tanta gente que tá junto e não se ama, tanta gente que se ama e não tá junto…

🔹Se acalma que a acalma do sussego vem na hora certa 🍃

🔹Errado é aquele que fala correto e não vive o que diz

🔹Nem só de maré alta vive o mar 🌊

🔹Livra-me de quem chega de mala e cuia, mas não tem a intenção de ficar 🙇

🔹Se for para ser, será 🙈🙌

Dê LIKE se pegar 

Uma das orações mais marcantes que eu fiz foi em uma quarta feira a noite, eu estava arrebentada, coração sangrando, e havia pecado. Desde pequena eu ouvia falar daquele Deus que há uns meses estava buscando, e me impressionava o jeito que pregavam sobre Ele, as meninas falando sobre Ele. E eu ficava “Uau, que intensidade é essa? Eu sei que nunca vou conseguir ser como elas. Mas bem que esse Espírito Santo podia também falar comigo. Não, sem chance. Olha elas e olha eu.” e nessa quarta feira, a única coisa que eu pedia era “me perdoa. Não desiste de mim. Me perdoa. Não desiste de mim. Eu não sei quem é você Espírito Santo, mas eu quero te conhecer.” o mundo havia me envolvido de tal forma que eu havia esquecido quem era o Espírito Santo. Deve ser muito ruim você dar a vida pela pessoa e ela esquecer quem é você. Mas Ele se apresentou à mim naquela noite, mesmo arrebentada, porque não olhou para minha condição, olhou para a sinceridade do meu coração. O Espírito Santo não olha para quantas vezes você pecou, e sim quantas vezes você vai se levantar para pedir ajuda só para ser melhor para o Reino Dele. Assim como você está interessada em sentir o amor de Deus, Ele também está interessado em seu amor.
—  Sinceridade.
Oração daqueles que caminham na trilha da bruxaria

“Caminhando na trilha da Bruxaria
Vou vivendo meu dia a dia
Utilizo as forças dos elementais
Das ervas, dos animais e dos cristais
Reverencio a Lua e o Sol
Meu Deus e minha Deusa são como um grande Farol
Invoco todas as forças no Universo
Para que suma o que é perverso
Este momento exige grande esforço
Alguma luz, por favor, preciso de reforço!
Além de feitiços, rituais e poções
Nunca me esquecerei das orações
A trilha mais bonita
A trilha que minha alma necessita
Peço que a magia em mim nunca morra
E se eu me cansar, que um amigo me socorra
Um dia espinhos na trilha encontrarei
Mas o melhor deles eu trarei
O céu pode escurecer
Mas farei de tudo para não me aborrecer
Haverá sempre aquele que nos engana
Mas a luz da trilha, confio, nunca me abandona
E se uma tempestade de fogo me surpreender
Terei forças, nada me fará retroceder
Sei também que por águas negras irei passar
Mas todo mal há de cessar
Nesta trilha nem sempre haverá companhia
Mas nem isto também tirará minha alegria
Porém se um dia faltar amor
Então descobrirei a verdadeira dor
Peço que isto nunca aconteça
Para que minha luz não pereça
Desejo e invoco toda a energia do Mundo
Tornai meu jardim fecundo!
Pois cada um de nós somos flores
Esperando a Primavera para mostrar suas cores
Dedico esta minha oração
A todos bruxos e bruxas, de todo coração
Bençãos a todos aqueles que caminham na trilha da Bruxaria”

Era uma manhã fria e toda enrolada ao edredom abraçada ao travesseiro, o toque do despertador traz ela do mundo dos sonhos, aquele onde ela imagina seu amor verdadeiro. Lua era muito tímida e desajeitada , nunca conseguia manter um diálogo com alguém. Se perdia nas palavras , todos os supostos encontros foram um desastre, então ela decidiu desistir sua vida se resume aos seus livros de romance. Trabalhando em uma cafeteria 8 horas por dia, e seu companheiro fiel um gato preto chamado Winter, com poucos amigos assim ela segue a vida. Ela se levanta com preguiça eram seis da manhã e ela tinha exatas duas horas para tomar seu banho e se arrumar, deixava para tomar seu café todos os dias na cafeteria. Correndo como sempre ela entra no chuveiro quase frio, sim ela gosta do frio então termina seu banho e coloca seu uniforme, prende o cabelo e vai… o que ela não sabia era que a vida aprontava uma surpresa. Lua chega a cafeteria e toma o seu café, ou melhor o engole como sempre está atrasada e já estava na hora de abrir. Com ela trabalha a sua melhor amiga Alice que a chama e pergunta
— Como foi a noite? Pelo visto nada aconteceu!
— Ah Alice, desisto não vou além do oi, prefiro meus livros!
— Você precisa é acordar Lua. Tome seu café e vamos começar, porque hoje o dia promete. A primeira cliente já está a espera.
— Ok!! Vamos! Ela atende a cliente Sra. Jobson,uma senhora muito educada e gentil e sempre lhe rendia boas gorjetas.Ela tomou seu café como todos os dias e saiu. E foi então que ele entrou … Bip bip bip, era a “merda” do despertador a tocar, Chris detestava levantar cedo, principalmente em manhãs frias, era um cara que não se importava muito com nada, era frio e não acreditava em romance, mas era bastante dedicado com aquilo que gostava de fazer.
— Ei, acorda! Já amanheceu, levanta e vá pra sua casa, a noite foi boa, mas agora preciso sair. 
— Nossa Chris, nenhum beijinho? Nem nada!
Enquanto ele veste sua camiseta cavada, responde de forma seca:
— Não!
Ela bate a porta com força e sai resmungando enquanto termina de se vestir…
O telefone do Chris toca, era o melhor amigo dele chamado Jacob, dizendo que ele estava atrasado. Chris era dono da oficina, mas Jacob vivia pegando no pé dele, quando ele atrasava, e Chris não achava isto ruim, ele gostava da dedicação do amigo.
— Pela sua cara a noite foi boa hein Christofer.
— Nada de mais. O que temos pra hoje?
— Há uns 2 minutos antes de você chegar, recebi um telefone da Senhora Jobson, o carro dela quebrou próximo a uma cafeteria chamada Nodruts, na rua 28.
— Devo agradecer a Sra. Jobson, não comi nada ainda. Mas onde que fica isso?
— No bairro Morton, na rua 28.
Ambos batem as mãos e Chris saí.
— Bom dia Sra. Jobson, o que foi desta vez?
— Eu não sei meu filho, já estou pra tacar fogo neste carro, ele vive me dando nos nervos, terminei meu café, e fui dar partida e não quis funcionar.
— Deixa eu dar uma olhadinha pra senhora. Hmmm, acho que já sei o que é.
Ele abre o capô, pega uma chave e aperta os cabos da bateria e diz:
— Tenta ligar ele agora.
A felicidade da dona Jobson toma conta da rua. Ela o paga, e vai embora toda contente. Chris não pensa duas vezes e entra na cafeteria…
—  Capítulo 1 - Florejus e Aniquilou em: Quando as peças não se encaixam mais, é hora de renunciar.

Imagine Harry Styles

<< Parte I / Parte II

No dia seguinte Harry Styles acordou como se nada tivesse acontecido, era como se ele não tivesse um prisioneiro que sequer sabe o nome. Antes mesmo do café da manhã, ele designou a Liam o seu dever do dia, descobrir tudo sobre a vida do senhor preso em sua torre, ele não queria saber como, mas queria todas as informações.  

Maura colocou pão e um copo de água sobre uma bandeja pequena e subiu todos os degraus que levava a torre, ela achava que Harry havia passado dos limites prendendo uma pessoa como se fosse um animal, mas como sempre ele não ouvia ninguém, não mais.  

O garotinho doce de cinco anos desapareceu dando lugar a um garoto respondão e o garoto cresceu se tornando um homem mimado, egoísta e grosseiro. Talvez Maura tenha cometido um grande erro não contando o que de fato aconteceu, deixar com que o garoto se sentisse abandonado foi péssimo para seu crescimento como pessoa.  

Ao deixar o senhor se alimentar, Maura tentou uma conversa para descobrir mais sobre ele e deu certo, ele lhe contou um pouco sobre sua vida e logo as poucas informações eram ditas para o Liam que logo saiu em busca de mais no vilarejo.  

O Styles tomou seu café ignorando tudo o que Maura tinha a dizer sobre sua atitude com o senhor na torre, ele só não rebateu ou a mandou calar a boca por que ela era uma das pessoas que ele ainda mantinha seu respeito.  

Horas depois do café da manhã, Liam entrou no escritório com uma agenda em mãos, Styles levantou seus olhos para vê quem entrava.  

— Você não sabe bater? Não sabe pedir licença? — sua voz rouca se fez presente e Liam se desculpou imediatamente para evitar discussões — Me fale logo o que você sabe.  

Liam pigarreou caminhando até a cadeira se sentando de frente para o Styles e abriu a sua agenda na página onde havia anotado tudo o que lhe foi dito pelo povo do vilarejo.  

— Bem… O senhor na torre se chama Maciel, mora em uma casinha no vilarejo depois da floresta, é comerciante, viúvo e pai de uma jovem que vive na biblioteca, todos dizem que ela é muito simpática e doce. Ele não tem nenhuma riqueza e sustenta a casa com o que ganha vendendo seus produtos na cidade vizinha.  

Não muito tempo depois de terminar de passar as informações do velho, Liam se assustou com o barulho do punho do Styles batendo na mesa.  

— Merda! Esse velho não tem nada a me oferecer, qual a vantagem de ter um prisioneiro como ele? Nenhuma!  

Esbravejou passando os dedos de sua mão direita em seus fios de cabelo jogando-os para o lado, seu cenho estava franzido e maxilar travado demonstrando o quão irritado estava.  

— Você não deveria tê-lo prendido, apenas mandado embora. O homem tem uma filha a qual depende dele, você deveria levar isso em consideração antes de tê-lo jogado naquela torre velha. — Liam falou e assim que o homem a sua frente abriu a boca para falar algo, ele continuou — Você não sabia, tudo bem, mas custava perguntar? Você iria morrer se fizesse?  

— A casa é minha Liam, eu faço o que quiser dentro dela, ele a invadiu e eu o prendi, não vou libertá-lo sem algo em troca.  

Liam bufou revirando os olhos, ele sabia que nada tiraria a ideia do “algo em troca" da cabeça do homem teimoso a sua frente.  

— Essa é a filha dele. — Liam colocou uma fotografia em cima da mesa e a empurrou até o Styles — Talvez você poderia impor tê-la aqui no lugar dele, ela seria mais útil do que um senhor. Talvez ela pudesse te ensinar algo… — sussurrou a última para que o homem não o ouvisse.  

Depois de um tempo observando a foto da bela jovem, Styles decidiu que seria melhor tê-la, seria melhor do que um velho.  

— Traga-a até mim! — ele disse simplesmente, como se fosse algo convencional.  

Liam apenas se levantou e saiu da sala para cumprir o que lhe foi mandado.  

***  

(Seu nome) ouviu batidas em sua porta durante sua leitura, suspirou tendo que se afastar do livro em sua parte favorita, assim que abriu a porta estranhou o homem bem vestido parado em frente a ela.  

— Boa tarde! — Liam começou tentando formular algo em sua mente, ele não sabia o que dizer a garota — Eu me chamo Liam Payne e vim buscá-la para ir de encontro ao seu pai.  

— Meu pai? O que aconteceu com ele? Oh meu Deus! Ele está machucado?  

A garota atropelou suas perguntas com outras, sua expressão facial de calma se tornou preocupada em questão de segundos ao ouvir o homem.  

— Não, se acalme! Está tudo bem, ele só não pode vir aqui no momento. — tentou tranquilizá-la ficando satisfeito quando a viu soltando o ar que ela havia prendido.  

— Vamos! Eu quero vê-lo.  

(Seu nome) fechou a porta atrás de seu corpo e seguiu o homem até o carro, ela nunca havia entrado em um carro como aquele, mas ela não se importava, um carro caro não é tão importante, há coisas melhores.  

Os olhos curiosos da garota não deixava nada passar desapercebido do lado de fora da janela, ela estranhou estarem entrando em um estreito caminho da floresta onde parece ter sido feito exatamente para um carro.  

Toda vez que ela perguntava sobre o caminho que estavam indo, Liam a dizia a mesma coisa: “Até o seu pai”, ela acredita nele, ele não parece ser mau e mesmo que fosse ela não perceberia, (seu nome) não vê maldade nas pessoas. Assim que cruzaram grandes portões em direção ao casarão afastado de tudo e escondido pela floresta, a garota se perguntou o que seu pai estaria fazendo ali.  

Ao descerem do carro, Liam a guiou dando a volta na mansão indo para os fundos onde ficava a velha torre.  

— Você pode subir, seu pai está no final dela. — Liam apontou para o topo da torre e imediatamente a garota começou a subir.  

— Papai? Papai? — (seu nome) começou a chamá-lo no meio da escadaria começando a duvidar que seu pai estivesse naquele local mal iluminado — Papai?  

— (Seu nome)? — o velho colocou o seu rosto na abertura que tinha na porta — O que faz aqui? Você tem que ir para casa!  

A garota correu até a porta colocando suas mãos no rosto de seu pai sentindo-o gelado, ela não entendia por que ele estava daquele jeito, preso.  

—  O que aconteceu, papai? Por que o senhor está aqui?  

— Você tem que ir embora, (seu nome). Você não pode ficar aqui! — a voz do velho mostrava a sua preocupação.  

— Vem comigo! Você que não pode ficar aqui. — ela disse tentando abrir a porta.  

— Ele não vai sair!  

A garota se virou assustada em direção a voz rouca que soou por suas costas e viu um homem alto e cabelos longos a encarando. Seu maxilar estava levemente travado e sua postura era exatamente como a dos príncipes nos livros que ela lia, sua beleza também se assemelhava.  

— Como não? Ele está gelado, pode ficar doente.  

— Ele não vai sair daqui a menos que você aceite a minha condição. — alguns passos a frente e o homem estava de frente para garota. — Fique no lugar dele morando aqui para sempre.  

— Não, (seu nome)! Vá embora, não fique aqui. — o velho apavorado e trancado pediu a filha com medo que ela aceitasse.  

— Mas… Por que isso? Por que o senhor não o solta? — a garota se mostrou confusa enquanto desviava seu olhar dos olhos verdes intimidantes.  

— Não faça perguntas, apenas se decida! — o homem perdeu um pouco da sua curta paciência, ele odeia pessoas cheias de perguntas para fazer.  

(Seu nome) virou-se para olhar seu pai, levando em conta o estado dele. Seria melhor tê-lo em casa, ficar naquele lugar só pioraria seu estado de saúde, ele estava muito gelado e o pior poderia acontecer.  

— Eu aceito! Eu fico no lugar do meu pai.  

E bastou isso para que o homem abrisse a porta e começasse arrastar o velho rapidamente para fora, antes que a garota mudasse de ideia. Ao descerem todos os degraus, Styles o jogou de qualquer jeito no banco de trás do carro e Louis deu partida rapidamente sendo seguido por Niall que levava a carroça do velho.  

De volta a torre, Harry pode ver a garota olhando pela pequena janela o carro ao longe na floresta, ela chorava um pouco alto e ele pigarreou chamando sua atenção.  

— Você o levou tão rápido… Nem deixou que eu me despedisse. Eu provavelmente nunca mais o verei. — a garota abaixou a cabeça ainda chorando.  

— Venha! Eu vou te mostrar o seu quarto. — o homem se virou pronto para descer toda a escada novamente.  

— Meu quarto? — perguntou fungando. — Mas eu achei qu-  

— Você não irá ficar aqui! — ele a cortou começando a descer as escadas sendo seguido por ela — A partir de hoje, minha casa será sua, você pode ir a todos os lugares, menos a ala oeste.  

— O que tem na ala oeste? — perguntou distraida.  

— Você não saberá! É proibida!  

A conversa se encerrou até que estivessem de frente a uma porta,  que logo foi aberta pelo homem revelando quarto que agora pertencia a (seu nome).  

— Esteja pronta para o jantar!  

E assim ela foi deixada sozinha no quarto onde pode se jogar na cama e chorar pensando em como seu pai estava naquele exato momento.  

***  

Harry andava de um lado para o outro em frente a mesa de jantar já irritado pela demora da garota, o jantar já estava servido e só faltava a presença dela.  

— Por que demora tanto? — ele sussurrou para si.  

Como se fosse ensaiado, Maura entrou na sala de jantar com a cabeça baixa e expressão cansada. Ela passou um longo tempo conversando com a garota tentando convencê-la a descer para o jantar.  

— Ela não virá jantar. — disse um pouco baixo temendo a reação do homem.  

— O quê?  

E antes que a mulher repetisse, Styles já subia as escadas rapidamente indo em direção ao quarto que agora pertence a garota. Ao estar de frente para a porta ele deu fortes batidas.  

— Acho que eu lhe disse para descer para o jantar. — falou alto para que ela ouvisse do outro lado da porta.    

— Não estou com fome.  

— Saia logo dai ou e-eu quebro essa porta.  

— Harry eu posso está errado, mas eu não acho que essa seja a forma correta de tratá-la… Tente ser um cavalheiro. — Louis disse assim que saiu de um dos quartos ao ouvir a confusão.  

— Mas ela está sendo tão difícil.  

— Seja delicado. — Maura disse, ela havia o seguido desde que ele saiu como um furacão da sala de jantar.  

— Você vai descer para jantar? — tentou.  

— Não! — (Seu nome) respondeu e Harry resmungou apontando para a porta do quarto olhando para Louis e Maura.  

— Suave… Gentil… — Louis instruiu.  

— Me daria… Um grande prazer… Se me acompanhasse no jantar… — disse o final entre os dentes e Louis pigarreou.  

— Por favor… — Louis o incentivou.  

— Por favor.  

— Não obrigada! — a garota se mostrou irredutível.  

— NÃO PODE FICAR AI PARA SEMPRE! — Styles perdeu a paciência.  

— Posso sim!  

— ÓTIMO! ENTÃO VAI MORRER DE FOME! — se virou para Louis e Maura — SE ELA NÃO COMER COMIGO, ENTÃO NÃO VAI COMER NADA! — gritou a última frase para Louis e Maura saindo como uma bala de frente a porta e indo para o seu quarto.



Oii Gente! Chegay de surpresa :)

Eu estava aqui de boa e recebi uma notificação que uma pessoa havia gostado do 1s do Harry, então lembre que eu tinha a parte II e aqui estou eu <3

Me dizem o que acharam para que eu possa continuar.

Obs: A parte depois do 2° (***) foi tirado inteiramente do filme, minha parte preferida *-*

All The Love

- Tay

Olha, eu te agradeço, viu? Agradeço por não ter se esforçado e ter me mostrado que realmente foi melhor te deixar ir. Eu te agradeço por toda decepção fortaleceu meu coração. Eu te agradeço por suas mentiras, me fez entender que toda pessoa merece a verdade. Agradeço por me mostrar que eu sou o meu único e melhor abrigo porque quando você foi eu percebi que a minha vida toda, não importa quem vai ou fica, eu só tenho a mim. Agradeço por cada noite chorando, hoje eu valorizo cada momento em que eu passo sorrindo e não foi com você ou por você, mas foi por ver que meu mundo vai além de você na minha vida. Agradeço por seus medos, erros, frustrações, tudo isso me tornou uma mulher mais forte, uma pessoa mais justa. Agradeço por ter zombado dos meus textos de amor, e por ter me tratado com “rancor”, hoje eu sei meu valor. Eu tinha mesmo que ter meu coração partido, tinha mesmo que aprender que não posso mergulhar se a outra pessoa não quiser me ajudar a nadar. Agradeço por me ensinar a não ser egoísta, orgulhosa, a não ser com os outros o que você foi comigo. Foi a falta do seu amor, ou do que achei que era amor que me ensinou que devo primeiro me amar. São muitos agradecimentos, mas o melhor deles é: obrigada por me tornar a pessoa certa para outra pessoa, espero que eu tenha sido a pessoa que mostrou a você que amor faz toda a diferença, espero que eu tenha te ensinado muitas coisas, espero que você não tenha que passar por tudo que passei, chorar o que eu chorei para descobrir que o que realmente nos faz florir é o amor, e que o amor é tudo menos a dor que me causou.
—  Iasmim Silva
Imagine com Louis Tomlinson

  •   Pedido feito.
  •  Eu queria um do Louis em que ele conhece a (S/N) na balada e ela engravida e ele afasta dela quando começa a namorar outra!!! Final feliz

     Acariciei novamente minha barriga e logo senti um pequeno chute como resposta, automaticamente sorri. Alguém estava fazendo a festa lá dentro, mas a festa era só lá pois aqui fora muitos ainda estavam chocados com o acontecimento. O que era para durar só uma noite agora irá durar uma vida inteira, mas não estou reclamando, sempre irei ser grata ao Louis por me dar a oportunidade de ser mãe e mesmo tendo somente 22 anos não tinha como estar mais feliz.

    - Como está meu jogador? - vi Louis sorrir animado enquanto analisava minha barriga para ter certeza de que nosso filho estava bem. Senti meu corpo tremer, mas isso não era por causa da gravidez e sim por causa dele.

    - Não para quieto. - ri fraco. Seus olhos azuis agora encaravam os meus. - Você sabe que tem chances de ser uma menina né? - levantei uma sobrancelha enquanto via ele frustrado. Louis desde que descobriu que seria pai tem certeza de que vai ser um menino.

    - É um menino, vou ensinar ele a jogar futebol melhor que o pai. - rimos.

     Ontem foi o dia da ultrassom em que descobriríamos o sexo do bebê, e Louis estava certo, é um menino. Senti novamente uns chutes e ri só de imaginar ele e Louis jogando futebol. O único problema é que Louis não foi na ultra comigo como o combinado, pelo contrário, ele sumiu. Senti meu telefone vibrar e o desbloqueei com esperança de que fosse Louis respondendo alguma das inúmeras mensagens que mandei para ele mas eram apenas notificações no Twitter, soltei um suspiro frustrada. Resolvi tentar ligar para ele mais uma vez para contar a grande novidade e saber se estava tudo bem pois ele nunca sumia assim, sempre quando eu ligava ele atendia no primeiro toque para saber se era algo com o bebê. Um. Dois. Três. Quatro toques! Quando ia cair para a caixa postal, Louis atendeu. Deus.

    - Aconteceu algo? - ele foi direto. Louis nunca me tratou mal, pelo contrário.

    - Ontem foi a ultrassom, Louis. Você esqueceu? Está tudo bem? - perguntei preocupada, querendo ou não ele tinha esse poder.

    - Só isso? Olha (s/n), isso pode ficar para depois né? Estou ocupado, depois te ligo. - e logo ele desligou a ligação. Tirei o telefone do ouvido e fiquei encarando a tela. O que foi isso? Ele nunca me tratou desse jeito. Novamente meu telefone apitou por conta das notificações do Twitter. Respirei fundo e entrei no aplicativo já esperando receber milhares de xingamentos. Cliquei nas notificações e de acordo com o que eu lia sentia meu sangue ferver. Quando Louis disse que estava ocupado para o filho dele imaginei algo sério e não que ele estava esquiando, muitos menos que estava acompanhado de uma qualquer. Isso é sério?

    Estávamos tendo mais uma das brigas que eu até poderia falar que eram diárias se Louis estivesse presente na vida do filho, mas ultimamente Louis só aparecia porque era obrigado pela mãe e quando aparecia fazia questão de jogar na minha cara que já havia depositado o dinheiro na minha conta, dinheiro esse que a mãe dele que fazia questão dele me dar para ajudar nas coisas do nosso filho.

    - Se você tivesse um bom emprego não precisaria do dinheiro dos outros pra te ajudar a pagar suas coisas! - Louis gritava enquanto eu respirava fundo, se eu me estressasse poderia fazer mal ao meu filho.

    - Se você quer parar de fazer a única coisa que ainda te deixa ligado à seu filho, vá em frente, Louis! Eu não preciso do seu dinheiro. - disse tentando manter a calma mesmo sendo impossível no momento.

    - Única coisa? Eu venho aqui sempre que posso e você ainda reclama? Eu poderia nem estar assumindo ele! - senti meu sangue ferver, ele não podia falar isso comigo, com nós.

    - Se você vem uma vez na semana já é muito, Louis, e quando vem é porque está sendo obrigado! Por que não faz isso, Louis? Se você acha que eu e seu filho somos um peso na sua vida por que não nos deixa em paz? Você nem queria que esse filho fosse seu! - falei tudo que estava preso na minha garganta desde que Louis deixou de ser um pai presente, ou seja, desde que ele começou a namorar. Eu queria poder dizer que era só ciúmes de minha parte mas, infelizmente, Danielle mudou Louis e não foi para melhor. - Quer saber? Sai da minha casa. Agora! - Louis que ainda estava atônito com tudo que eu disse respirou fundo e deu o melhor sorriso debochado dele.

    - Com todo prazer. - foi questão de segundos para que eu escutasse a porta de entrada sendo fechada com força. Sentei no sofá e fechei meus olhos com força. Merda.

    Louis podia ser um idiota mas ele continuava sendo o pai do meu filho, eu não poderia privar ele disso. Depois eu ligo para Louis e resolvo tudo, é, depois eu faço isso. Senti meu corpo relaxar e logo senti algo descer pelas minhas pernas. Abri meus olhos rezando pra que não fosse o que eu estava pensando. Puta merda.

    - O que? - disse tentando me acalmar. Eu só estava com oito meses, não era para a bolsa ter estourado agora, não mesmo. Me xinguei mentalmente, a culpa era minha, não era para eu ter me estressado tanto. Peguei meu telefone e disquei o numero dele com um certo receio. Ele era o único que poderia me ajudar agora, já que ele ainda deve estar perto daqui de casa. No terceiro toque ouvi sua voz.

    - Não cansou de me xingar? - ele debochou.

    - Louis.. e-eu.. - logo senti uma contração. Gemi de dor, como isso pode doer tanto?

    - Olha (s/n), desculpa tá? Eu sei que errei mas você também me deve desculpas! - ele disse baixo.

    - A bolsa, Louis!

    - Tá em cima da mesa. - ele disse confuso. Puta merda.

    - Não, caralho Louis. - gemi de dor. - A bolsa estourou!

    - O quê? - ele gritou e eu pude ouvir no fundo o barulho do freio. Ele desligou a ligação e respirei fundo tentando convencer à mim mesma de que vai dar tudo certo. Em menos de dez minutos Louis entrou correndo na minha casa e me carregou no colo até seu carro. Fechei meus olhos tentando ver se me acalmava, parecia que estavam me rasgando.

   Foram questão de minutos para estarmos em frente ao hospital e Louis estar gritando como um louco dizendo que o filho dele iria nascer enquanto me carregava. Queria rir da situação mas a dor não permitia, sentia que a qualquer momento Louis iria ter um infarto e isso de certa forma me preocupava. Eu amava Louis e saber que ele só me via como mãe de seu filho de certa forma me quebrava por dentro. Logo senti me colocarem em uma maca e vários médicos apareceram à minha volta mas ele continuava ali segurando minha mão. Tentei sorrir para ele mas aposto que deve ter saído como uma careta pois ele me olhou preocupado. As contrações que antes tinham diferenças de minutos agora virou questão de segundos.

    Já estava na sala de parto e todos estavam me dizendo para fazer força, enquanto Louis só continuava segurando minha mão fortemente enquanto intercalava seu olhar para mim e minha barriga. Senti uma enorme vontade de fazer força e parecia que estavam rasgando meu corpo, definitivamente, esse seria filho único. Logo senti meu corpo relaxar e um choro de neném ecoou pelo quarto. Sorri fraco mas logo senti meus olhos fecharem e aos poucos estava sendo mais difícil respirar. E foi quando apaguei que senti uma paz enorme, não sabia se estava dormindo ou se estava morrendo mas sabia que independente de qualquer coisa Louis seria um ótimo pai e que o comportamento dele durante a gravidez que foi causado pela Danielle não aconteceria mais.

    - Acorda, mamãe! - ouvi a voz doce de Louis e abri meus olhos lentamente sentindo um pouco de desconforto por conta da claridade mas que logo passou. Sorri assim que vi Louis sentado na poltrona que ficava ao lado de minha cama e meu sorriso aumentou vendo quem ele estava segurando. Meus olhos lacrimejaram automaticamente. - Olha a mamãe! - ele inclinou o pequeno ser para que ele pudesse me ver e pude reparar que ele tinha lindos olhos azuis assim como o do pai.

  - Eu  posso segurar? - disse com a voz falha por conta do choro e Louis o colocou em meus braços. Ele era lindo. - Ele parece com você.

  - Ele tem sua boca. - ele disse olhando atentamente para minha boca. Senti minhas bochechas corarem ao perceber que ele se aproximava. Fechei meus olhos e logo senti seus lábios tocarem os meus. Foi um selinho demorado mas foi o suficiente para que meu coração batesse mais rápido que o comum. - Você e Donny nunca serão um peso na minha vida, (s/a). Eu te amo, me desculpa por tudo. - enquanto ele dizia sua mão fazia carinho levemente em minha bochecha. Nosso filho olhava atentamente para nós.

    - Donny? - perguntei confusa. Não tínhamos decidido o nome dele porque Louis sempre estava “ocupado”. Logo fiz uma careta, não havia gostado do nome.

    - É, Donny. - pensei um pouco. Ah não.

   - Louis, não me diz que você quer esse nome por causa do apelido de Doncaster Rovers. - disse rindo. Ele não podia estar falando sério.

    - Eu prometo que o próximo você escolhe! - ele disse animado.

    - Próximo? - perguntei confusa.

    - Sim, ou você acha que só teremos um filho? - o olhei chocada. - Eu estava falando sério quando disse que te amo, (s/n). - ele tentou me beijar mas logo Donny chorou, ou melhor, berrou. - Ok, sem beijar a mamãe na frente do filho. - rimos.  

Gabi

Imagine Harry Styles - pedido.

  • A ask com esse pedido sumiu da inbox ’-’
  • Feito por mim (Mari) e Tha (obrigada gêmea <3).

- Eu ainda não consigo acreditar que vocês vão casar! - Liam comentou, levando a taça de vinho branco aos lábios.

- Nem eu! - Harry e eu falamos ao mesmo tempo. Sorrimos um para o outro.

- Eu não acredito. - Nialler suspirou. - Minha irmã! - gritou, nos fazendo rir.

- Achei que já tinha superado isso. - Harry lembrou.

- Acho que isso nunca acontecerá. - Louis comentou.

- Parece que foi ontem que descobri sobre vocês. - Niall continuou. Eu troquei um olhar cúmplice com Harry.

[Flashback on]

- Okay, então. - falei saindo do quarto de Harry.

Os meninos estavam em mais uma turnê e como de costume, eu os acompanhava em todos os shows. E durante essas viagens, eu e Styles acabamos nos envolvendo. Por um bom tempo, conseguimos esconder nosso relacionamento, mas alguns deslizes ocorrem e àquelas alturas, quase metade da equipe já sabia. Menos ele. Meu irmão.

- Te vejo pela manhã? - perguntei.

- Só se você me der um beijo de despedida. - chantageou. Franzi os lábios.

Era meio arriscado nos beijarmos ali no corredor, mas eu não me controlava quando aqueles olhos brilhantes estavam sobre mim. Ficando na ponta dos pés, eu tomei sua boca com a minha e abracei seu pescoço a fim de trazê-lo mais para perto.

- Mas o quê…? - Niall perguntou em voz alta.

Empurrei Harry com tanta força, que o coitado cambaleou um pouco para trás.

- HARRY! - sua voz se elevou. - Nós tínhamos um acordo, lembra?

- Olha Niall… - Styles começou, mas logo meu irmão o interrompeu.

- Você está muito encrencado.

- O que está acontecendo? - Liam apareceu, seguido por Louis e Lottie.

- Harry está arrastando as asas pra cima da minha irmã. - respondeu. O rosto vermelho de tanta raiva.

- Nialler. - chamei, mas ele me ignorou.

- Qual é, Neil? Não tem nada demais. - Louis tentou acalmá-lo.

- Você diria isso se encontrasse eu e Lottie nos beijando? - perguntou com as sobrancelhas franzidas. Louis não respondeu. A pobre Lottie só arregalou os olhos azuis.

- Irmão… - insisti.

- E se fosse eu e Gemma, hein Harry? - provocou. Styles suspirou.

- Isso é diferente. - ele respondeu baixo.
- Diferente como?

- EU A AMO! - Harry gritou, apontando para mim. Meu queixo caiu alguns centímetros. Ele nunca tinha me dito as três palavras antes.

[Flashback off]

- Foi a primeira vez que disse me amava. - cutuquei o peito de Harry, com um sorriso bobo em meus lábios.

- Sim, eu estava lembrando disso também. - respondeu com a voz rouca em meu ouvido, me deixando arrepiada.

- Arranjem um quarto! - Louis pediu escondendo os olhos com as mãos. E mesmo sem ver, recebeu um olhar feio de meu irmão.

- Eu lembro que ouvi “a” conversa do Nialler com o Harry sem querer. - Liam admitiu.

- Oh, a conversa. - Harry sorriu.

- S/N e eu também tivemos uma conversa dessa. - Louis admitiu.

- Por quê? - Liam quis saber.

- Deixei claro o que aconteceria com ela se machucasse meu baby boy. - respondeu enchendo sua taça com um pouco mais de vinho.

- Awn, eu te amo, Lou. - Harry disse, esticando-se para tocar o joelho de Louis.

- Também te amo, babe. - segurou a mão de Harry e depositou um beijo ali.

- Arranjem um quarto! - brinquei.

- Mais tarde, e só com você, meu amor. - Harry falou, abraçando-me pela cintura. Um sorriso envergonhado marcou meus lábios quando Niall revirou os olhos e tapou os ouvidos.

- Não me façam lembrar da última vez, por favor. - continuou tapando os olhos com as mãos. - Ainda me lembro da bunda branca contraída do Harry. - fez uma careta.

- Ai, ai, meus olhos. - Liam fechou os olhos fazendo careta também como se imaginasse a cena que meu irmão descreveu, e Louis dava risada.

- Ninguém mandou você entrar no meu quarto, Niall. - respondi apesar de sentir minhas bochechas quentes.

- Achou errado, maninha. Devia ter trancado a porta.

- Nós achávamos que passaria a noite com Selena. - dei de ombros sabendo que ele se irritaria com a suposição.

- Pelo menos não foi no seu sofá, bro. - Louis tentou amenizar, mas Harry olhou para mim tentando esconder o riso e logo depois cobriu o rosto soltando uma gargalhada.

- Não… - Niall negou com a cabeça fazendo cara de nojo - (S/N)! - gritou indignado já com o rosto vermelho de ciúmes e nós começamos a rir. Niall com ciúmes era algo épico de se ver.

- Mal sabe ele que não paramos só na sala. - Harry sussurrou em meu ouvido me fazendo rir mais ainda.

Ajeitei-me no sofá e Harry me abraçou pelos ombros e Liam, que estava sentado no chão entre minhas pernas, encostou sua cabeça em minha coxa e eu passei a fazer carinho em seus cabelos. O silêncio agradável prevaleceu até Niall começar a rir descontroladamente, olhamos para ele confusos e já meio rindo do seu riso repentino.

- O que foi, Neil? - Tommo perguntou.

- Lembram quando a (s/n) tomou aquele caldo na praia? - riu mais levando os outros a rir também com a lembrança - Sua cara foi a melhor. - Fechei a cara só por lembrar daquilo.

- Acho que nunca te vi tão puta, amor. - Harry falou ainda rindo, secando as lágrimas no canto dos olhos.

- Só por causa de um óculos. - Liam virou pra mim balançando a cabeça em negação.

- Era meu preferido. - minha voz saiu aguda causando mais risadas e eu cruzei os braços irritada.

- Own, minha bicudinha mais linda. - Niall envolveu meu rosto com as mãos dando beijos molhados por todo meu rosto.

- Sai, você tá me babando toda, Horan - gritei tentando o afastar, em vão, ele só fez se sentar no colo. - Você tá me sufocando, baleia. - fingi falta de ar e ele parou de me beijar.

- Dramática. - rolou os olhos, mas continuou no mesmo lugar, fazendo Liam ir para o lado. Puxou minha mão observando a cicatriz que tinha ali. - Eu deveria ter te protegido. - seu tom agora era triste e até mesmo decepcionado.

- Você não teve culpa. - o abracei pela cintura encostando a cabeça em suas costas.

- Ninguém iria adivinhar que tinham tirado fotos nossas nos beijando e que as fãs iriam para cima dela daquele jeito. - Harry continuou.

Aquele dia tinha sido um dos piores da minha vida, Niall e eu estávamos no hall do hotel em que iríamos nos hospedar e enquanto ele estava na recepção um grupo de meninas conseguiram ultrapassar a segurança e foram para cima de mim, literalmente. Lembro da agonia de não conseguir respirar direito e de braços me puxando por todos os lados até eu cair no chão e ser pisada com o que eu acredito ter sido saltos altos, fora assim que obtive a cicatriz na mão.

- Não são fãs, não de verdade. - Louis interveio demonstrando sua raiva sobre aquele acontecimento.

- Vamos falar de outra coisa, sim? - pedi. - Lembram de aquele jantar que a mãe do Harry deu? - comecei.

- Eu lembro, ainda posso sentir o cheiro de molho de tomate em mim. - Liam falou rápido e se cheirou. Tinha sido hilário aquele jantar. Já estávamos rindo, não por ter tanta graça, mas porque estávamos altos por causa do vinho bebido mais cedo.

- Hey, não tenho culpa se não tenho coordenação motora pra segurar uma travessa. - Harry tentou se explicar.

- ‘Magina, Harold. Tive que usar uma de suas camisas broxantes. - Louis começou a rir concordando com Liam.

- Não. São. Broxantes. - Harry respondeu pausadamente, ele odiava quando zoávamos suas roupas.

- São sim. - concordei e recebi um olhar indignado dele. - Desculpa, babe. - beijei o bico que se formou em seus lábios.

- Okay, definitivamente vocês precisam de um quarto. - fomos atingidos por uma almofada.

- O seu de preferência, meu amor. - Harry respondeu cínico para Louis.

- Quem devia ser casar eram vocês. - falei como quem não quer nada.

- Vai se foder, Horan. - Louis falou mais alto me mostrando o dedo do meio.

- Com o Harry. - completei baixinho, rindo.

- (S/n)! - Niall chamou minha atenção e eu corei pedindo desculpas, fazendo os outros rirem.

- Quem vai ser o padrinho? - Liam perguntou repentinamente.

- EU! - Niall e Louis gritaram juntos e se olharam.

- Eu sou o irmão dela. - Niall começou.

- Eu sou o melhor amigo dele. - Louis apontou pro Harry.

- E eu sou melhor amigo dela. - Liam se intrometeu e então começaram uma discussão que não dava para entender nada, pois falavam ao mesmo tempo.

Olhei para Harry e ele já me encarava risonho, eu estava perdida sem saber o que fazer para aquela discussão boba acabar.

- Podemos fazer como Tom Fletcher e colocar todos como padrinhos.

- Isso! - Falei animada - CALEM A BOCA! TODOS SERÃO PADRINHOS. - gritei e a sala ficou em silêncio.

- Sério? - Niall virou pra mim com os olhos brilhantes. Assenti com a cabeça e sorri. Um segundo depois fomos atingidos por três criaturas felizes da vida em um abraço confuso, e nossas gargalhadas ecoavam pela sala.

Eu me sentia completa. Estava do lado do homem que amava, do irmão maravilhoso que tinha e dos meus melhores amigos que alguém poderia ter.

É estupidez pensar que jovens não sofrem, não sentem. É o total oposto: jovens sofrem e sentem, tudo ao mesmo tempo, tudo em excesso. Jovens vivem em uma fase onde se é grande demais para ser criança e pequeno demais para ser adulto. Onde toda forma de expressão é rebeldia e bom comportamento é se calar. Jovens lidam com pressão de um mundo que só espera o melhor deles: boa faculdade, bom emprego, sorriso no rosto, vida perfeita. Pra onde vão todos aqueles sonhos? Viajar pra Amsterdã, aprender uma língua nova, ir num show do OneRepublic… pra onde vai tudo isso? É estupidez pensar que toda essa pressão é benigna e que fará deles adultos melhores, porque o problema do mundo é justamente esse: sonhos esmagados.
—  Anna Heinzmann