o cristo redentor

Tira a minha virgindade!

Tira! Me leva pra algum lugar a primeira vez. Não precisa ser pra cama, não. Tira minha virgindade ao conhecer o Cristo Redentor, ao pular de paraquedas e acampar. Não pega na minha bunda, pega na minha mão e vamos conhecer o mundo. Eu nem me lembro a última vez que fiz algo a primeira vez, vamos enlouquecer um pouquinho. Vamos tocar na alma do outro, e não só no corpo. Me escreva a minha primeira carta de amor, cuida do meu coração que é virgem de carinho. Diga que me ama, e pela primeira vez faça eu acreditar que isso é verdadeiro. Vamos provar doces turcos, ter almoços exóticos, jogar um jogo novo, visitar um asilo, fazer uma trilha e viajar. Me beije como se fosse a primeira vez. Faça que seja um prazer tão grande ter sua presença, que eu tenha um orgasmo só de te ver. Durma comigo a primeira vez, só dormir. Deixe que eu deite no seu peito e saiba o que é ter paz no mundo. Vamos nos conhecer todos os dias, sentir coisas novas que não sabíamos que podíamos sentir. Faça amor comigo, mas não digo de sexo, e sim do sentido mais literal possível da palavra amor.

Coleção de imagines.

Achei um arquivo com imagines e preferences que eu digitei há uns ¾ anos… Ah! Saudade. Daqui a pouco posto a coleção de preferences.


HARRY

Esse imagine, era pra te sido em três partes, só tenho a primeira, acho que não cheguei a continuá-lo, mas se tiverem interesse, continuo. 

Narrador POV’s
Styles estava passando a semana na casa de sua mãe, já que não faria shows durante esses 7 dias. Sua irmã, Gemma, o convidou para ir ao mercado, ela queria ter a companhia do irmão, o rapaz aceitou o convite e acabou se encarregando de dirigir o próprio automóvel.

Harry POV’s
Tivemos sorte de não encontrar o mercado lotado, até porque eu não queria ficar rodeado de gente gritando meu nome desesperadamente, não naquele dia.
A intensão de Gemma era comprar apenas o que estava na receita da torta que queria fazer, mas tudo o que era considerado besteira ela jogava no carrinho, aquilo já estava me irritando. - Já chega. Não?
- Que? - Voltou a me dar atenção. - Nada, esquece. - Continuei a empurrar o carrinho.
- Credo, parece até eu quando estou com TPM. - Rimos, ri mais ainda com a careta que ela fez.
- Desculpa, eu só estou cansado.
- Tudo bem, eu te entendo.
- Obrigado. - Recebi o sorriso dela como resposta.


Após não querer nenhum doce mais, até porque, não tinha mais opções, Gemma quis ir para a sessão de biscoitos salgadinhos. Onde sem dúvidas ela se fez. - Espero que fique gorda. - Ri ao ver a indecisão dela.
Ela me respondeu alguma coisa, mas eu não entendi o que disse, algo havia me roubada a atenção, eu ria ao ver uma garota toda desastrada, que deixava seus pacotes de salgadinhos cair no chão. Não consigo esquecer o quão engraçado era ver ela xingando por conta disso, mas será que ela não conhece “carrinho de compras”?


- HARRY, VOCÊ ESTÁ SURDO?
- O-oi? O que? Desculpa.
- Nada, você estava muito ocupado olhando para aquela lerda.
- Para com isso, você não a conhece.
- Precisa? - Rimos ao lembrar da cena.
- Faz um favor? Fala com ela?
- Não, não inventa.
- Por favor… - A abracei tentando convencê-la.
- Okay, eu falo, o que quer que eu fale?
- Pede o número dela.
- O que? Não Harry, não. Pede você! - Ela me empurrou, se soltando do abraço.
- Ela tá segurando um buquê, não tá vendo? Não quero levar um fora.
- E eu tenho que levar o fora por você? Parabéns.
- Você é mais velha. - Gemma saiu andando bufando.
Saí do corredor rapidamente, eu estava morrendo de vergonha, aguardei minha irmã no corredor de congelados.

Gemma POV’s
Eu não acreditava que teria que passar por isso, um dia ainda mato esse garoto que eu tanto mimei. - Oi, licença, me desculpe por atrapalhar a sua compra, mas aquele garoto - apontei para o nada, Harry havia sumido, covarde. - enfim, meu o irmão ele ficou com medo de vir falar com você, ele quer o seu número.
- Mas oi? Nem o conheço, desculpa, eu não distribuo meu telefone assim não.
- Eu entendo, também não sou assim.
- Tem bons motivos para eu fornecer essas informação? - Ela sorriu.
- Ah, então, meu irmão é legal, perturba as vezes, mas é uma pessoa muito agradável de se conversar, é sensível, gosta de cuidar das pessoas que estão em volta dele. Convenci?
A menina demorou alguns segundo para responder. - Okay, eu passo meu número, pode anotar aí? Estou meio ocupada. - Rimos

Ela disse os números devagar para que eu pudesse anotar em meu celular, em seguida disse seu nome, porque eu tinha perguntado.

- (S/N), desculpa perguntar, esse buquê você recebeu?
- Ah não, hoje é aniversário da minha irmã mais velha, comprei para meu sobrinho entregar a ela.

- Ah, entendi -sorri - era por causa disso que ele não quis falar com você, me sinto aliviada por ele.

Me despedi da menina, que apesar de tudo aparentava ser muito simpática e amigável. Sim, eu gostei dela.

Rodei o mercado inteiro atrás do idiota do meu irmão, o encontrei em um corredor depois do que eu estava, burra. - Consegui o que queria.

- Verdade? - Ele praticamente gritou.

- Sim e o buquê é para a irmã dela. - Cantarolei. Pude ver o sorriso besta de Harry.

- Cadê? Quero ver o número dela. - Harry puxou meu celular, procurando pelo bloco de anotações.

Enfrentamos uma fila que estava pequena, haviam 5 pessoas em nossa frente, pagamos a conta e nos direcionamos para o estacionamento, pude ver Harry travar ao ver (S/N).

Eu ri dele, acenei para ela e apontando para Harry, mostrando a (S/N) quem era meu irmão, ela acenou de volta, mas percebi que também estava morrendo de vergonha.

Nos ajeitamos dentro carro, eu ria desesperadamente por causa de todas os xingamentos que recebi. - Gemma eu te mato, te juro.

- Estamos empatados agora amorzinho.

Harry POV’s

Voltamos para casa, minha irmã fez a tal torta, eu confesso que estava ótima! Nós dois passamos o fim da tarde todas juntos em meu quarto conversando sobre diversos assuntos, eu estava sentindo falta disso. A noite havia chegado e eu ainda não tinha feito nada com o número da desastrada do mercado, resolvi mandar uma mensagem para ela. Pensei em me explicar, dizer que estava com vergonha e muitas outras coisas, mas eu disse apenas“Boa noite. :)”


LIAM:

[FLASHBACK ON]


NARRADOR POV’s
“Não querido, não se preocupe, eu sei, eu sinto que um dia iremos nos ver de novo… E não, não quero ter um relacionamento a distancia, não quero te prender, você pode se apaixonar por outra pessoa. Por favor, não chore, eu vou acabar chorando também.”. Essa era a (S/N) tentando acalmar seu namorado (ou melhor, ex-namorado), já que ela teria que se mudar para outro continente, dentro de uma semana embarcaria em um avião, sem volta.
Liam: Mas meu amor, eu não posso te perder, fica aqui, mora comigo.
(S/N): Liam, não dá! Meus pais se separaram, minha mãe quer que eu fique longe do meu pai.
Liam: Eu sinceramente não consigo entender os adultos, que ódio!
O menino que tinha apenas quatorze anos resmungava socando tudo o que via pela frente.

[FLASHBACK OFF]


(S/N) POV’s
“Em poucas horas a banda One Direction desembarcará no Brasil… A primeira vinda da boyband promete muitas emoções, segundo relatos de fãs, denominados Directioners, essa chegada é muito importante, porque foi bem batalhada. Esses fãs apaixonados pediam dias e noite pela vinda de Harry, Liam, Louis, Niall e Zayn. E finalmente muitos sonhos serão realizados.”
Há seis anos que não vejo Liam, eramos duas crianças sonhadoras, eu sempre acreditei no potencial do meu primeiro amor, lembro daquela voz linda cantando para mim. Desde que vim morar no Brasil, conversei com Payne por dois anos, depois disso nunca mais tive contato. Ele se tornou um sucesso mundial e certamente não lembra mais de mim, mas eu nunca pude o esquecer… Minha mãe se casou novamente e eu ganhei duas irmãs (de coração) que não param de falar da One Direction, desde cedo que elas não desgrudam dos seus celulares e não permitiam que ninguém mudasse o canal da TV, esperavam ansiosamente que seus ídolos chegassem.
Irmã 1: Estou muito ansiosa, não consigo acreditar que amanhã vamos nos hospedar no mesmo hotel que os meninos.
Irmã 2: Ah, nem me fale! Eu ainda não estou acreditando que a (S/N) não vai com a gente.
(S/N): Vocês vão faltar a escola, eu não posso ter esse mesmo luxo na faculdade em dias de prova.
Irmã 2: E você não sente falta do Liam?

Não tive palavras para responder, as meninas já sabiam de toda a história e sempre me incentivaram a procurá-lo (é claro, tudo o que elas querem é ter os meninos por perto).

(S/N): Bom, boa noite para vocês que vão ficar a madrugada inteira esperando esses meninos chegarem.
Irmã 1: Correção, para vocês que não vão dormir por uma semana.

Revirei meus olhos e subi para meu quarto, a minha intensão era dormir, mas não tive sucesso, tantas coisas passavam pela minha mente. A noite demorou uma eternidade para passar, levantei cedo para me arrumar para a faculdade, notei que minha caixa de recordações estava aberta, alguém havia mexido lá!

LIAM POV’s
Um dos meus maiores sonhos era conhecer o Brasil, cara, eu não acredito que estou aqui! Acordei cedo, muitas pessoas gritavam lá fora, mas eram gritos tão receptivos e acolhedores que o sono era o de menos. Fiquei na sacada para cumprimentar meus fãs, nossa, a vista é linda! Em seguida, recebi uma mensagem de Zayn, ele estava dizendo que estava na piscina junto com os meninos, me direcionei até eles. Muitas pessoas nos cumprimentaram por lá, pediram muitos autógrafos e fotografias.
Duas meninas nos cumprimentaram, elas eram muito parecidas, acho que eram gêmeas. Uma delas me entregou um envelope e disse “Liam, leia isso, por favor! É importante demais para você, mas não leia agora.”. Parecia ser mais uma carta daquelas que nos emocionam, mas ela suplicava a minha leitura. A guardei no bolso, tirei algumas fotos com as meninas que eram muito educadas, por sinal. Algumas horas se passaram, fomos visitar o tal do Cristo Redentor, estar lá em cima era tão emocionante, saí de lá arrepiado!
Já de volta ao quarto do hotel lembrei do envelope que a gêmea lá tinha pedido para eu ler.
Tinha uma foto e um bilhete… A foto era eu e a (S/N) abraçados, MAS QUE BRINCADEIRA É ESSA? DA ONDE SAIU ESSA FOTO? Me acalmei ao pensar que alguém poderia ter publicado essa foto na internet.
“Oi Liam, nós te amamos muito e amamos a menina abraçada em você também, ela é nossa irmã, não irmã biológica… Bom, nosso pai e a mãe dela se casaram a uns três anos atrás e agora moramos todos juntos. Você pode estar achando que isso é troll, mas não. Você conhece a dona (Sua Mãe)? Pois então, ela nos contou sua história e da (S/N) e desde então já tentamos de várias formas entrar em contato com você, mas não conseguimos, já que recebe muitas mensagens ao mesmo tempo… Chega de enrolar, se quiser saber como encontrá-la vá ao quarto 26B, é onde estamos hospedadas. XXX @TwitterDaIrmã1 @TwitterDaIrmã2”
Eu nunca tinha tremido tanto em toda a minha vida!!! Não pensei em outra coisa, a não ser ir ao quarto dessas meninas. Caminhei de pressa pelos corredores, bati na porta do quarto umas cinco vezes e elas não respondiam, quando pensei em desistir elas apareceram no corredor. Umas das meninas disse “acho que você leu a carta”, eu assenti.
Liam: Quem são vocês? Juram que não mentiram?
- Juramos! Essa é a (Nome da Irmã 2) - apontou para sua gêmea - e eu sou (Nome da Irmã 1).
Entramos no quarto e nem as deixei pensarem, fiz logo o meu questionário: - Cadê ela? Está aqui? Como ela está?
Irmã 2: Ela está bem, sente sua falta e não, não está aqui.
Liam: Espera, você disse que ela sente a minha falta?
Irmã 2: Sim, mas ela nunca admitiu isso, sempre tenta mudar de assunto…
Irmã 1: Aqui Liam, é assim que ela está hoje, -mostrou uma foto no notebook- linda né?
Eu concordei mentalmente, o sorriso era o mesmo, lindo! Só nesse momento eu pude acreditar que elas estavam falando a verdade, afinal, na foto estavam as três juntas.
Liam: Por que ela não veio?
Irmã 1: Ela colocou a culpa nas provas da faculdade, mas na verdade eu acho que ela tem medo de você não a reconhecer, seria constrangedor…
Liam: Como eu poderia esquecer a minha primeira namorada? -Perguntei em tom alterado.
As meninas não responderam nada, apenas me observavam. -Sentem aqui. -Apontei para a cama. -Eu preciso pedir uma coisa para vocês, prometam que não vão contar pra ninguém o que vou dizer a vocês?
As duas responderam juntas: Prometemos!
Liam: Foi muito difícil para mim perder a (Seu apelido)…
Irmã 1: (Seu Apelido)? Assim que você a chamava? Annnw. -Eu havia sido interrompido.
Liam: Sim! Então… Eu tive muita dificuldade de me relacionar com outras garotas, porque a gente não terminou por traição ou algo do tipo, ela “apenas” teve que se mudar e perdemos completamente o contato um com outro e pelo contrario que ela pensa, nunca a esqueci… Toda vez que alguém me pergunta se eu já estive apaixonado, eu lembro dela, do sorriso dela.
Irmã 2: Nossa, Meu Deus, eu não acredito!
Forcei um sorriso e me levantei da cama, estava fitando a tela do notebook. -Liam, eu tive uma ideia! -Ouvi uma das meninas dizer.
Irmã 1: Vou tentar trazer a (S/N) para cá.
Liam: AQUI? -Gritei sem querer, meu coração tinha gelado.
Irmã 2: É, boa ideia! Eu vou ligar para ela, dizendo que esqueci de alguma coisa e peço para ela trazer…
Irmã 1: Tem que ser mais grave, ela não vem por isso.
Irmã 2: Okay, eu falo que você está passando mal.
As duas dialogavam em português, eu só queria entender o que elas estavam tramando. -Liam, a gente vai ligar para ela.
Liam: Okay.
A (Irmã 1) digitou os números e deixou o viva voz ligado, a cada som de chamada meu coração disparava cada vez mais. -Alô, (Irmã 1)?!
Meu Deus! Que voz de mulher! Arregalei meus olhos e mal conseguia conter as minhas pernas tremendo.
Irmã 1: Oi, posso te pedir uma coisa?
(S/N): Fala!
Irmã 1: Não conta pro papai…
(S/N): Okay…
Irmã 1: A (Irmã 2) está passando mal, vem aqui ver o que ela tem, por favor!
(S/N): Ai, eu não acredito, eu vou contar para o seu pai sim, ele vai aí ver vocês.
Irmã 2: Não (S/N), -foz de choro- ele vai querer que a gente vá embora antes do tempo.
(S/N): AFF! Tá bem, estou indo.
Desligaram o telefone e gritaram comemorando, bom, acho que ela vem.
Liam: Conseguiram?
Irmã 1: Sim, yeeeeah! -Correu para me abraçar, retribui a apertando, eu estava feliz.
Irmã 2: Hey, eu também quero, que absurdo é esse? -A abracei da mesma forma.
O tempo não passava e eu ficava cada vez mais nervoso, andando de um lado para o outro pensando no que dizer, o que fazer…

(S/N) POV’s
Eu não acredito que essas garotas vão me tirar de casa uma hora dessa! Inventei uma desculpa qualquer para o pai das meninas, peguei o meu carro e fui até o hotel em que minhas irmãs estavam hospedadas, fiz a identificação na recepção e subi para o corredor delas, só nesse momento eu lembrei que eu estava no mesmo hotel de Liam, cheguei a sentir os pelinhos do braço se arrepiarem. Bati na porta e a (Irmã 1) veio me atender com um sorriso enorme no rosto.
(S/N): Isso é cara de quem está com a irmã passando mal?
Irmã 1: Ela não está passando mal. -continuou sorrindo.
(S/N): Que palhaçada é essa?
Irmã 2: Vem cá, entra, senta aqui. -ela estava deitada na cama.
Entrei puta da vida. -Podem começar a falando agora. -sentei.
Irmã 2: Nós inventamos isso, para trazer você aqui porque…
- elas me procuraram e me contaram que são suas irmãs. -Tremi demais quando ouvi uma voz sair do banheiro, olhei para trás e era ele,  Liam, Meu Deus, tão lindo…
(S/N): Liam? -levantei rapidamente.
Ele sorria tímido, parecia até que estava com medo.
Liam: Oi… Nossa, não consigo acreditar, é você!
(S/N): Sim, somos nós…
Liam: Eu nunca esqueci as últimas palavras que você me disse, você tinha convicção de que nos veríamos de novo e olha só para a gente.
Olhei para as meninas que nos observavam como se estivessem assistindo a um filme. - Nos ignorem, continuem, casem-se. - meu rosto corou, ainda mais depois que ouvi a risada do Liam.
(S/N): Parabéns Liam, você realizou seu sonho.
Liam: Meus sonhos… Depois que você foi embora, passei a sonhar com mais coisas, inclusive te reencontrar.
Sorri e o puxei para um abraço, o abraço mais apertado e caloroso de toda a minha vida. -Eu nunca deixei de te amar, (Seu Apelido) -Liam sussurrou em meu ouvido.


NIALL:

Sabe aquele dia de tédio, que mesmo não estando sozinho não se tem o que fazer ou falar? Então, esse era o meu caso! Niall assistia a um programa de esportes enquanto eu foleava uma revista que não tinha uma página interessante.
“Agora vamos ao quadro que as mulheres mais gostam e participam em nosso programa… Preparadas? Vai começar o ‘Gatos da Copa’”.
O tal quadro funcionava assim: O programa escolhia três jogadores de seleções diferentes para falar sobre eles, mostrar fotos e vídeos… E o público voltava em qual era mais bonito.
A minha atenção estava totalmente voltada a televisão, finalmente algo interessante para assistir. Nossa! Aquelas coxas, aqueles olhos… Impossivel não prestar atenção. - Jesus, que homens são ess… - Fui interrompida com a tv sendo desligada. - Hey, por que desligou?
- Cara de pau. - Niall dizia com uma certa indignação.
- O que? Cadê o controle? Liga agora. - Eu procurava controle, mas Niall já estava sentado em cima dele. - Não acredito. - Enrolei a revista e bati sem força em Niall.
- Eu que não acredito. - Niall retirou a revista de minha mão e a jogou para o outro lado da sala.
- Ciumento.
- Não estou com ciumes. - Eu ri com a resposta dele, eu sabia ser bem debochada.
Levantei do sofá ainda rindo, apesar da graça já ter passado, eu queria irritá-lo! - Me dá o controle Niall, quero ver aqueles deuses do futebol. - Batia nele com uma almofada, sem machucá-lo.
- Não caralho, aquela merda já deve ter acabado. - Niall havia levantado, estava de frente para mim.
- “Tá” irritado? - Niall não me respondeu, sim, ele estava irritado. - Hey, eu te amo! - Fiquei sem resposta de novo. - Amor, eu estava brincando com você. - Não tem graça.
- Tem sim. - Sorri. - Desculpa, aqueles homens são lindos, mas ninguém pode ser comparado a você, você é maravilhoso para mim, não te trocaria por nenhum deles, porque como eu já disse EU TE AMO.
- Hm.
- “Hm” é o que você tem a me dizer? Eu me declarei para você e é um “hm” que recebo? Obrigada.
- Estamos empatados agora. - Niall saiu andando para o quarto. QUE ABUSADO!!!


ZAYN:

(S/N) POV’s

-Está tudo okay para você vir, vem mesmo? -Minha sogra telefonou mais cedo para saber se eu iria ver meu namorado.

Já tinha um pouco mais de um ano que eu não via Zayn, estava nos Estados Unidos fazendo um curso extracurricular. Voltei a pouco tempo, mas Zayn estava em turnê, por isso nosso encontro foi adiado. Mas hoje ele volta…

Patricia me ligou para confirmar que seu filho estará na casa de sua irmã, explicando melhor, é aniversário de uma prima de Zayn, ele resolveu ir direto para lá, só que… Ele não sabe que eu também estou de volta.

Já estava pronta, mas eu acabei lembrando que não havia comprado nada para a menina, fui ao shopping e comprei um vestido maravilhoso para ela.

Encaminhei-me para casa da tal prima de Zayn e quem me atendeu foi Richard, meu coração congelou naquele momento, eu tremia, não sabia o que dizer, eu estava surtando interiormente.

Mas por que enlouqueceu? Quem é esse tal de Richard? É difícil de explicar, porém, fácil de compreender: Eu conheci Zayn através dele, éramos namorados, terminamos por conta de uma traição por parte de Richard, mas o problema maior é que esse menino não larga do meu pé e Zayn acabou pegando cisma com ele.

Richard: Olha só quem está aqui, entra minha pequena.
- Obrigada! -Fui seca com ele, sabia o que ele queria, era provocar.

Avistei Patricia e Doniya que me apresentaram a família, a aniversariante estava ainda no colégio junto as minhas cunhadas mais novas. Estava sendo constrangedor estar em um lugar que eu conheço pouca gente e que não podem me dar muita atenção, fiquei sentada no sofá vegetando mesmo, enquanto minha sogra e cunhada estavam na cozinha batendo papo com o resto das mulher da família.
Richard: Eu estava com saudade de você, ignora minhas mensagens… -sentou ao meu lado.
Você: Hm.
Richard: Não sente a minha falta?
Você: Não.
Richard se aproximou mais ainda de mim, eu estava verdadeiramente incomodada.
Richard: Princesa, por que me trata assim? Eu já pedi seu perdão, eu me arrependi.
Você: Isso não quer dizer que eu tenha te perdoado, né? -Ele riu, por algum acaso eu contei uma piada?
- O QUE VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI, (S/N)? NÃO… EU NÃO ACREDITO QUE VOCÊ ESTÁ COM ESSE DAÍ.
Você: Zayn??? -Olhei assustada para a porta, eu não tinha ouvido ele chegar.
Zayn: NÃO, O PAPA!!! PORRA, QUE RAIVA DE VOCÊ.
Eu levantei, não sabia ao certo o que fazer, a cozinha toda estava em silencio, certamente pararam para ouvir o escândalo.
Você: Zayn, para com isso, você está gritando.
Zayn: Sim, eu estava gritando, pelo menos assim você notou a minha presença, não é?
Você: Amor, pelo amor de Deus, desculpa eu não te ouvi chegar, mas…
- Mas? Mas nada! E para de ficar usando o nome de Deus atoa e claro que você não ouviu, estava ocupada demais ouvindo a risada desse babaca. O que era tão engraçado? Eu? Que estou cansado, morrendo de saudade da minha família e de você, contando as horas pra te encontrar e quando encontro, está colada nesse cara e se divertindo? Parabéns, você me decepcionou.

Richard já estava longe da sala, covarde, nem para assumir a falta de caráter.

Você: Me escuta e não interrompa… Não tinha nada de engraçado, ele estava sendo desagradável e dizendo coisas inoportunas, eu não estava dando confiança para ele e ele riu porque é um debochado, agora se você não acredita em mim. -pausei para respirar. -Parabéns, você me decepcionou. -o imitei.
Peguei minha bolsa e me retirei daquela casa sem nem olhar para trás, ignorei todos os gritos dele que chamavam o meu nome. Entrei em meu carro, e Zayn correu para a frente a ele antes mesmo de eu ligar, ele fazia sinais pedindo para eu sair, depois de muita insistência, obedeci.
Zayn: Meu amor, me desculpe, por favor… -Ele estava mais calmo.- Eu fiquei sem reação ao ver ele rindo do que você dizia, sem contar que eu já estava estressado antes de chegar, desculpa por ter gritado com você e ter feitos acusações.
Você: Querido, você tem que parar de achar que eu quero alguma coisa com ele, eu só quero distancia. Eu nem sabia que ele estaria aqui também, eu vim para te ver. Sua mãe havia me dito que estaria aqui e me chamou, porque ela sabia que já tinha voltado.
Zayn: Você veio só pra me ver?
Você: Não, vim pra ver o Papa, ah, é esse seu nome né? -os dois riram.
Zayn: Mas eu estou desculpado?
Você: Talvez amanhã, ou depois, ou algum dia…
Ele me puxou para um beijo, ficamos algumas horas matando a saudade ali na rua, depois ele me convidou para entrar, mas eu recusei. Seria vergonhoso demais, imagina só a casa inteira te observado. NO WAY!!!

Status: Hungria Hip Hop

Só pagando o preço por desmerecer você. 🎤❤️

Eu to na maldade mais sem nenhum real, mais o banco de trás vira cama de casal. ❤️🎵🔞

A noite combina comigo, eu combino com emoção. ❤️👏🏼🎶

Eu vou raspando a rua, viajo olhando a lua, tu fala mal de mim porque a carreta não é tua. 🎧🌙

Esquece se não o coração se engana. 🎧💔

Hoje o banco de trás vai virar uma cama de casal. 😍

Se o clima esquenta na hora, nós pula po banco de trás. 😏👌🏽

Para de chorar esquece essa história, que dentro da minha casa uma mulher quer ser sua sogra. 🎤💕

Eu tô fora de mim, tô em outra sintonia… Penso em você 24 horas por dia. 🎵💭

Avisa que a noite vai se bacana, doses de prazer e segundas intenções. 😏🎶

A gente juntos é um casal de cinema. 🎵

Hoje o mundo é dos espertos, posso ser o cara errado seguindo o caminho certo. 👊🏼🎶💎

Me chama de meu bem, meu ego sobe assim, pois quando andava ao apé, nem olhava pra mim. 👑🎤🍃

Dinheiro no bolso, festa na mansão, mulher e pouca roupa é igual sol e verão. ✌🏻️🚫🎤

Até tentei ser um bom homem, entregar meu coração, mas nas curvas eu derrapo isso é muita tentação. ❤️😍🎧

(Quantas vezes vi)
A rua me chamar de madrugada
(Quantas vezes vi)
O sol nascer mais cedo e não dar nada. 🔝

Sabe que vai sofrer e prefere se arrepender. 🎧💔✌🏾️

Audi R8 rasga o vento bate qualquer time, chama reforço Múcio Eustáquio chega no Skyline. 🚗💨⌛️

Eu sou Hungria Hip Hop e o prazer é meu, mas se você entrar no carro ele pode ser seu. ❤️✨🎵

Velocidade me atiça, hoje eu que mando na pista. 🎵🎶❤️

Joga o tapete vermelho, que vai passando o artista. 🎵🎶❤️

É o cheiro do petróleo que ela está inalando de mim, eu posso trocar seu óleo, então vem, sobe em cima de mim… ❤👌🎤🚘

A gente vai andar de carruagem, se alguém perguntar foi só um role na cidade. ❤️🔞🚗

Do que vale o dinheiro, do vale a fama, se a mulher que eu quero ta distante da minha cama. 💸✨💏

A gente junto é um casal de cinema, entra no carro eu não vejo problema… 💏🚗🎵

Esquece a timidez, agora é nossa vez, a lua valoriza ainda mais a sua nudez. 🔞🌙💏

Piloto da carreta não pilota o coração. 🎤❤️

Segredo nosso é esparro, só quem sabe disso é nos dois… E o carro. 💏🔞🎶

Do amor falso eu sou réfem, pego mil e não me apego a ninguém. 🎵✨

Hoje vai ser daquele jeito, coisa fina e só Ibope, até o Cristo Redentor curte Hungria Hip Hop. 🙏🏼💯🔝

Na capa da estilo Dub, hoje meu carro é sucesso. Invejoso sempre tem, acostumei nem me estresso. 🚗✨🎵

Bate as taças “tim”, hoje eu quero mais “dim” fumaça sobe, pneu queima, eu vivo tipo assim. 🎧💞😎

Os boy que fica louco, sente os batidão os peso, tô junto dos parceiro e parceria não tem preço. ✌🏼️🎶😎

Só me liga pra xingar muita falta de respeito, mas acho que é falta mesmo é de vim dormir no meu peito. 🎵💖😍

Pra matar a saudade fazer o que a gente fez, a química foi de verdade vamos repetir outra vez… 🎤💘🔝

A gente vai andar de carruagem, vou guardar segredo se rolar a sacanagem… 🎧🚫💏

Então avisa, coração é terra que pé de homem não pisa. 💖👣👌🏿

E ai boy, o Zorro do Asfalto ta vestido de playboy… 🎧

Eu quero o gosto da sua boca misturado com tequila, entre várias pretendentes mas você furou a fila… 🎧👸🏻🚫

Esquenta não, paixão de uma noite, tu sabe como é que é.
Mas quem é esse boy? Sou o Rei do Cabaré… 🎤👑❤

Enquanto me arrumava, perguntei espelho meu… Se existe algum boy mais safado do que eu?! 😍💞🎵

Agenda cheia é certeza que eu nunca fico só, se hoje nois não se amarrar vou procurar outro nó… 🎵💞👏

E não adianta nem tentar pra botar do lado, piloto é piloto, motor não faz o carro. 🚗💨

Quer parar se fumaça sobe e desce, tem nada contra também nada a favor, ninguém tem culpa se os bass te incomodou… ❤️🎧

Mais seu beijo nem mil mulheres que eu provar, vou conseguir degustar, do beijo que só tu dá. 😍🎧

Gata atende o telefone, tem mais de mil role na city. 🔝😍💭

A estratégia já não falha, se tiver no porta mala umas corneta e uns papão, e as mola for rebaixada… 🎶🚗💨

Parcela no cartão essa gente indigesta...

Foi assim que, em 13 de maio de 1888, a Princesa Isabel aboliu a escravidão no Brasil. No início do mês Wilton, Wesley, Cleiton, Carlos e Roberto foram parcelados em 111 tiros no alto do morro, com direito a primeiro salário e tudo mais. Já Kátia, que pagou no débito de uma só vez, recebeu de brinde uma carona num carro bem pomposo, a viatura da polícia. Foi arrastada pela rodovia enquanto, mais uma vez, a história de seu país era manchada com sangue negro.

Amarildo, coitado, foi parar nos achados e perdidos da loja. Perdeu a vida e nunca mais foi encontrado. Pedreiro que era, subia a construção como se fosse sólido mas, todos os dias com os olhos embotados de cimento e lágrimas, saía para trabalhar com medo de não regressar. Amarildo sabia, melhor que ninguém, que a carne mais barata do mercado é a carne negra e que cada cassetete era um chicote para o tronco.

A polícia com um revólver na mão é um bicho feroz. E Eduardo, como toda criança de 10 anos, tinha medo de cobra, de cachorro bravo, medo do escuro por causa do bicho papão, mas morreu durante o dia. Com um tiro de fuzil na cabeça não teve tempo de responder se queria parcelado ou à vista. Sua mãe, uma Dandara do morro, registrou o filho como “Eduardo de Jesus”, filho de Deus pra ser abençoado. Mas a mãe do menino não sabia que pra preto e pobre o Cristo não é redentor.

Cristian, de 13 anos, aprendia no colégio sobre o holocausto da Segunda Guerra Mundial, mas não foi avisado que no Brasil a guerra na favela é todo dia. Lá na Europa havia os campos de extermínio, tinha um famoso: Auschwitz. Aqui tem outros nomes, um deles é “campinho de futebol“, e era em um deles que Cristian driblava, dominava e marcava gol. Uma vez a bola bateu na trave, era dia de tiroteio no morro e o menino foi expulso do jogo da vida. O cartão não era de débito nem de crédito, era vermelho de mais sangue negro que escorria.

Nos morros parece sempre alta temporada e todo dia tem promoção, as ofertas nunca variam: preto e pobre, à sua disposição. Nem precisa pechinchar, independente da idade ou do tamanho, o sistema está sempre em liquidação.

H. Conrado

Rio de Janeiro.

Levei o cigarro mais uma vez aos lábios, tragando tão calmamente como respirar estava sendo naquele momento. A noite estava deliciosa, um clima agradável e proveitoso. Olhei ao longe pela varanda o Cristo Redentor completamente iluminado, o Rio começava a acender seus encantos. Soprei a fumaça ao alto e suspirei, levando meus olhos até os pés pequenos, as pernas lisas e levemente bronzeadas. Traguei novamente mirando a curva das nádegas fartas, subindo até as costas de uma pele macia e sedutora.

: - Camila…

Sussurrei para mim, sorrindo de canto, olhando o rosto angelical que completava o corpo perigosamente nu, esculpido e retocado pelo demônio. Camila descansava em um mais perfeito sono, completamente nua sobre lençóis de seda, favorecendo em cheio o toque final para aquele cenário inspirador. Os cabelos castanhos como seus olhos caíam em cascatas pelo lençol, onde um cheiro gostoso de cascas de laranja emanava dele. Eu ainda podia ouvir como musica seus gemidos roucos, suas frases sem sentido, seus gritos delirantes de prazer, o som de nossos corpos suados se moldando e se chocando um no outro de uma maneira insana e intrigante. Tudo naquele local era testemunha do que havíamos vivido, do que havíamos desfrutado. Tudo era convidativo, traiçoeiro, confidente. Cada canto daquele quarto conhecia com a mais profunda destreza cada detalhe de nós duas. Cada parte daquele lugar sabia o pecado que eu estava cometendo. Camila Cabello era apenas uma menina de dezoito anos, enquanto eu… Bom, eu uma americana no auge de seus trinta anos, de passagem pelo Rio de Janeiro com a intenção de fazer apenas o meu trabalho. Mas aquela menina, aquela cidade, aquelas noites… Fizeram com que a minha prioridade passasse a ser outra. Até a parte que eu sabia, a minha vida começava a fazer sentido, ou na forma que eu temia, talvez ela estivesse começando a perder o rumo.

O cigarro indicou o seu fim entre os meus dedos, a pequena chama causando uma ardência na minha pele. Estiquei o braço e o apaguei no cinzeiro sobre a mesinha, ao lado da poltrona onde me encontrava sentada. Meu corpo livre das roupas estava arrepiado, a brisa que entrava pela janela agitando as mechas de cabelo que caíam sobre os meus ombros. Automaticamente senti falta do calor do corpo daquela garota. Sem conseguir mais me manter longe, levantei-me e caminhei devagar até a cama, me arrastando de quatro sobre o colchão como uma leoa à espreita de sua presa. Eu nunca vi nada mais atraente que Camila, nada mais vivo, nada mais jovem, nada mais livre. O mundo parecia estar todo dentro dela, sua alegria de viver fazia com que eu me sentisse uma adolescente outra vez.

Meus olhos correram a caveira mexicana tatuada na pele de suas costelas do lado direito, me fazendo perceber mais uma vez o quanto eu a amava. Em toda a minha vida desprezei tatuagens, nunca admirei aqueles desenhos ou todas aquelas frases soltas, mas aquela caveira… Ah, céus! Eu amava, eu a amei sobre aquela pele desde a primeira vez em que tive o prazer de lambê-la. Eu a beijei com todo o ardor, tracei todos os contornos, dobrei a língua em cada ponto daquele desenho exótico. Foi a coisa mais sexy que eu já coloquei a minha boca. Eu salivei com a lembrança, descendo o olhar pelas costas nuas com um leve brilho causado pelo suor. Suas pernas estavam um pouco separadas, sua deliciosa bunda embaixo dos meus seios, a brecha que a partia ao meio parecia implorar para que eu a violasse. E acredite, eu violei. Eu fiz isso durante todas as noites das duas semanas que estivemos juntas naquela mesma cama, não havia nada ali que eu já não tivesse explorado.

: - Você estava fazendo aquilo novamente.

Eu subi o olhar até seu rosto ao ouvir a voz arrastada, um arrepio cortando a minha coluna. Camila sorria, o rosto parcialmente afundado no travesseiro, as mãos embaixo dele. Ela havia acordado e eu nem mesmo percebi.

: - O quê?

Perguntei no meu fluente português, trabalhado no sotaque carioca de Camila, diga-se de passagem, muito excitante. Quando ela pedia para que eu a fodesse com força, gemendo o meu nome e abusando daquele sotaque maravilhoso eu gozava na mesma hora, fácil como piscar. A verdade é que ela me deixava louca, eu estava completamente perdida por uma Carioca de dezoito anos.

: - Me observando dormir. – Ela respondeu mexendo-se sobre a cama, embaixo do meu corpo ainda de quatro. – Sabia que olhar para as costas de uma pessoa adormecida pode fazer com que ela desperte?

: - Quem lhe disse isso?

Suspirei longamente quando ela se virou de barriga para cima, seus seios delicados saltando na minha visão. Mordi o lábio inferior.

: - Ninguém, é uma teoria que acabei de criar para tentar explicar o motivo de sempre acordar quando você me observa dormir de bruços.

Ela abriu um sorriso de canto e eu explodi em uma risada encantada.

: - Acho que podemos considerar essa sua teoria.

: - Nós podemos considerar qualquer coisa desde que estejamos em cima dessa cama, Sra. Jauregui.

Camila disse quando eu me deitei sobre ela, afastando suas coxas com as mãos para me aconchegar no calor delicioso no meio de suas pernas. Seus olhos brilhavam em diversão e malícia, olhos de adolescente atrevida, olhos de uma verdadeira ninfeta.

: - Você faz eu me sentir como “Humbert Humbert” se sentia perto da “Lolita”.

Ela sorriu de canto, perigosamente manhosa, se esfregando em meu corpo como uma gata, deixando para mim o ato de ronronar e gemer baixinho.

: - “A ponta da língua faz uma viagem de três passos pelo céu da boca abaixo e, no terceiro, bate nos dentes. Lo-li-ta”.

Camila narrou um pequeno trecho do livro, deixando-me observar sua língua rosada cruzar os limites de seus lábios e deslizar, suavemente, tentadoramente, sobre os meus. Que Vladimir Nabokov me perdoasse, mas eu precisava fazer apenas uma pequena alteração para completar o que iria, definitivamente, incendiar a minha noite.

: - “De calças práticas, era Karla. Na escola, era Camz. Era Camila na linha pontilhada onde assinava o nome. Mas nos meus braços era sempre Lolita”.

Senti-me tonta quando ela sugou o meu dedo indicador todo para dentro de sua boca, me observando com aqueles olhos que fazia de mim uma eterna escrava do pecado. Se existia uma frase daquele livro que se encaixava com a situação mais do que qualquer outra, era exatamente aquela que dizia:
“Tinha sido amor à primeira vista, à última vista, às vistas de todo o sempre.”

—  Por Gisele C.
O inimigo é mentiroso, não aceito as acusações dele a seu respeito. Jesus Cristo já pagou o preço do pecado que era seu. Hoje você é livre em Cristo, o Redentor!

Então foi preciso aparecer essa imagem desse garotinho para o mundo notar o que a Síria passa desde sempre? Então precisou essa imagem cair na internet para mídia da importância para o caso? Então precisou esse garotinho sofrer esse ataque em forma de aviso “O mundo precisa de ajuda”? Então precisou essa imagem para gente acordar pra vida e perceber a tragédia que estão vivendo todos os dias? Guerra acontece toda hora, todos os dias nesses países. Países pobre que não tem valor, que a mídia não reconhece. Só porque a Síria não tem uma estátua da liberdade, uma torre Eiffel ou um Cristo Redentor, o país não merece reconhecimento? A guerra está em todos os lugares, em todos os dias. Onde o pai estupra a própria filha, o filho mata a mãe e etc. O amor se esfriou e o ódio só aumentou. Não há nada que possamos fazer porque não temos força para parar uma guerra. Mas em nossas orações, nossa positividade possam chegar até o coração de cada um necessitado. Eu estou triste não somente por esse menininho, mas sim pelo mundo todo que sofre e ninguém ver. Ore!

Andrew Xavier

O Cristo Redentor é um monumento localizado na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Está localizado no topo do Morro do Corcovado, a 709 metros acima do nível do mar. Foi inaugurado no dia 12 de outubro de 1931, depois de cerca de cinco anos de obras. Tornou-se um dos ícones mais reconhecidos internacionalmente do Rio e do Brasil. No dia 7 de julho de 2007 foi eleito uma das sete novas maravilhas do mundo. Dos seus 38 metros, oito estão no pedestal e 30 na estátua, a qual é a segunda maior escultura de Cristo no mundo, atrás apenas da Estátua de Cristo Rei em Portugal.

eu queria muito editar postar pra vcs mas a preguiça ta maior e tal nao aguento ficar procurando fotos entao to postando bios especificamente pras minhas irmazinhas louis garotas likezinho ou itszaynes

você não tem o direito de reclamar da sua vida se você não é louis girl

com lagrimas nos olhos eu falei pro louis que amava ele e queria ele pra mim ele me empurrou pra saída dizendo garota eu curto a mesma fruta que você curte

[louis voice] sou linda sou gostosa tenho cara de cocota

minha mãe ainda não sabe que eu sofro por viado vulgo louis tomlinson

eu nao sei cara eu só amo o louis amo aqueles olhos aquele corpo aquela voz aquele louis pena que é gay

minha mãe não me criou pra mim crescer virar directioner especificamente girl de um garoto com a sexualidade duvidosa

meu choose tem duas namoradas maravilhosas eleanor calder e harry styles

as vezes eu tenho vontade de escalar o cristo redentor e me jogar de la de cima pra ver se esse louis sai da minha vida porque gente não da

que vontade de por o louis num potinho e deixar ele la morrer sufocado pra ver se esse garoto sai da minha vida eu não aguento mais tanto sofrimento

LIFESAVER É O CARALHO LOUIS TOMLINSON DESTRUIU A MINHA VIDA QUERIDAS

em dia de louis today a usuaria [seu user] entra em coma

ta vendo essa menina ai com cara de sem destino entao essa ai vai virar louis girl pra deixar de ser otariaE FOI ASSIM QUE TUDO COMEÇOU